Your browser doesn't support javascript.
loading
Show: 20 | 50 | 100
Results 1 - 20 de 62
Filter
1.
Brasília; Fiocruz Brasília; 16 abr. 2024. 20 p.
Non-conventional in Portuguese | LILACS, ColecionaSUS, PIE | ID: biblio-1553912

ABSTRACT

DESTAQUES ● Este mapa de evidências tem como objetivo apresentar estratégias que podem ser efetivas para o cuidado de pessoas com diabetes, hipertensão ou obesidade. ● Foram incluídas 93 revisões sistemáticas, cujos estudos primários foram realizados em sua maioria (65,1%) na América do Norte, Ásia e Europa. ● As intervenções foram classificadas em 5 categorias e 26 subcategorias. Observouse maior frequência da categoria "Teleconsulta/eHealth" e da subcategoria "cuidado assistencial". ● Os desfechos analisados foram classificados em clínicos e não clínicos. Desfechos clínicos foram relatados em 53 revisões sistemáticas, com destaque para a pressão arterial. Desfechos não clínicos foram relatados em 51 revisões sistemáticas, com destaque para a adesão ao tratamento farmacológico. ● As cinco categorias de intervenções - Teleconsulta/eHealth, Educação, Automonitoramento/autogerenciamento, Tratamento farmacológico, Serviço de saúde - apresentaram efeito positivo ou potencialmente positivo acima de 50% para os desfechos avaliados.


HIGHLIGHTS ● This evidence map aims to present strategies that may be effective for the care of people with diabetes, hypertension or obesity. ● 93 systematic reviews were included, the majority of whose primary studies were carried out (65.1%) in North America, Asia and Europe. ● Interventions were classified into 5 categories and 26 subcategories. There was a greater frequency of the "Teleconsultation/eHealth" category and the "assistance care" subcategory. ● The analyzed outcomes were classified as clinical and non-clinical. Clinical outcomes were reported in 53 systematic reviews, with emphasis on blood pressure. Non-clinical outcomes were reported in 51 systematic reviews, with emphasis on adherence to pharmacological treatment. ● The five categories of interventions - Teleconsultation/eHealth, Education, Self-monitoring/self-management, Pharmacological treatment, Health service - showed a positive or potentially positive effect above 50% for the evaluated outcomes.


Subject(s)
Noncommunicable Diseases , Review , Diabetes Mellitus, Type 2 , Hypertension , Obesity
2.
Brasília; Fiocruz Brasília; 20 jul. 2023. 31 p.
Non-conventional in Portuguese | LILACS, ColecionaSUS, PIE | ID: biblio-1442894

ABSTRACT

Este mapa de evidências tem como objetivo apresentar os potenciais benefícios da atividade física para a saúde da população. ● Foram incluídas 131 revisões sistemáticas, sendo os estudos primários realizados principalmente nos Estados Unidos (46,5%). ● As intervenções foram classificadas em 4 categorias e 30 subcategorias. Observou-se maior frequência da categoria "exercícios físicos aeróbicos", e da subcategoria "práticas integrativas e complementares de saúde". ● Os desfechos foram classificados em clínicos, não clínicos e eventos adversos. Desfechos clínicos foram relatados em 100 revisões sistemáticas, com destaque para sintomas e transtornos depressivos, índice de massa corporal, e sintomas e transtornos de ansiedade. Desfechos não clínicos foram relatados em 70 revisões sistemáticas, com destaque para qualidade de vida. Eventos adversos foram relatados em 14 revisões sistemáticas. ● Três categorias de intervenções apresentaram efeito positivo acima de 50% para os desfechos avaliados: Exercícios aeróbicos; Exercícios físicos não especificados; Intervenções combinadas.


This evidence map aims to present the potential benefits of physical activity for the health of the population. ● 131 systematic reviews were included, with the primary studies conducted mainly in the United States (46.5%). ● Interventions were classified into 4 categories and 30 subcategories. There was a higher frequency of the category "aerobic physical exercises", and of the subcategory "integrative and complementary health practices". ● Outcomes were classified into clinical, non-clinical and adverse events. Clinical outcomes were reported in 100 systematic reviews, with emphasis on depressive symptoms and disorders, body mass index, and anxiety symptoms and disorders. Non-clinical outcomes were reported in 70 reviews systematic, with emphasis on quality of life. Adverse events were reported in 14 systematic reviews. ● Three categories of interventions showed a positive effect above 50% for the evaluated outcomes: Aerobic exercises; Unspecified physical exercises; Combined interventions.


Subject(s)
Exercise , Complementary Therapies , Review
3.
Rev. saúde pública (Online) ; 57(23): eCollection 2023, 2023.
Article in English | LILACS, CONASS, SES-SP, SESSP-ISPROD, SES-SP | ID: biblio-1560699

ABSTRACT

OBJECTIVES: Identifying and mapping the literature regarding sexual violence against Brazilian boys and men, as well as describing its underreporting, prevalence, and associated factors. METHODS: We conducted a scoping review by searching PubMed, Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações, Biblioteca Virtual em Saúde, Scopus, and Web of Science databases. The inclusion criteria were: (a) surveys including data on sexual violence; (b) inclusion of boys or men as victims of sexual violence; (c) presenting statistical data on prevalence, underreporting, and factors associated with sexual violence among Brazilian boys and men. RESULTS: We found a total of 1,481 papers. Ultimately, 53 were included and had their data extracted. Most studies are quantitative in nature (n = 48). The total number of participants across studies was 1,416,480 and the prevalence of sexual violence ranged from 0.1% to 71%. It is important to note that underreporting statistical data was cited in several studies. The group with the highest prevalences was men who have sex with men and those with sexual dysfunctions. Increased tendency to drug use, social isolation, unprotected anal sex, suicidal ideation, sexual dysfunction, and post-traumatic stress disorder were statistically significant predictors for having experienced sexual violence. CONCLUSIONS: Despite the prevalence of sexual violence being high against Brazilian boys and men, this area of is surprisingly understudied and there are few studies with this exclusive scope. Social cultural issues, such as sexism, contribute to the underreporting of sexual violence. Additionally, we identified issues related to mental, sexual and reproductive health to be associated with sexual violence. Based on our findings, we recommend the implementation and development of a structural infrastructure aimed at supporting boys and men who are victims of sexual violence, and preventing negative outcomes for this affected group.


Subject(s)
Sex Offenses , Crime Victims , Men , Underregistration , Review , Domestic Violence
4.
Ciênc. Saúde Colet. (Impr.) ; 28(12): 3427-3437, 2023.
Article in Portuguese | LILACS, CONASS, SES-SP, SESSP-ISPROD, SES-SP | ID: biblio-1532955

ABSTRACT

A Atenção Primária à Saúde é a porta de entrada dos usuários ao sistema de saúde brasileiro e foi, especialmente, impactada pelas demandas com a COVID-19. Essa revisão identificou e mapeou sistematicamente evidências sobre as estratégias novas ou adaptadas desenvolvidas na Atenção Primária à Saúde durante a pandemia de COVID-19 no Brasil. Foi realizada uma revisão de escopo, conforme metodologia proposta pelo JBI. Os resultados apresentados em uma síntese narrativa, foram analisados e discutidos à luz da Teoria do Processo de Trabalho em Saúde que agrupou as publicações em dois grandes domínios de estratégias, gerenciais e assistenciais, sendo elas novas, adaptadas ou mantidas. A partir de 49 estudos, mapeou-se 226 intervenções (130 gerenciais; 96 assistenciais). Em ambos os domínios, as novas estratégias apareceram em maior número e as mantidas, em menor. A diversidade de intervenções explicitou distintos modelos de atenção, que ora se aproximaram de um enfoque biologicista, ora da integralidade e da longitudinalidade baseada no cuidado centrado na pessoa, na família e na comunidade. Evidenciou-se, assim, que perduram os mesmos desafios anteriores ao período pandêmico.


Subject(s)
Primary Health Care , COVID-19 , Brazil , Health Services Accessibility
5.
Rev. saúde pública (Online) ; 57: 48, 2023. tab, graf
Article in English, Portuguese | LILACS | ID: biblio-1450398

ABSTRACT

ABSTRACT OBJECTIVE To systematically identify and map studies involving the Caderneta da Criança (Child Handbook - CH) in Brazil. METHODS A scoping review using the methodology proposed by the Joanna Briggs Institute. The databases PubMed, Biblioteca Virtual em Saúde (BVS), Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações, Periódicos Capes and Google Scholar were consulted. Primary and secondary studies that mentioned the use of CH were included, without restrictions regarding design, year of publication or population, published in Portuguese, English or Spanish and gray literature (theses and dissertations). RESULTS A total of 129 studies were included, mostly descriptive, published as scientific papers. The Northeast region, the population of caregivers of children and the Primary Care scenario were observed in most studies; 47% of the studies used the CH as a source of data, the majority on vaccination. Despite the different criteria to define adequacy of completing the CH, the studies identified weaknesses in filling out all of its items, except for immunization. The utilization and/or completion of the CH were linked to various factors, including the availability of the CH, characteristics of the children (such as sex, age, prematurity and well-child appointments), attributes of the family members and caregivers (such as age, education, income, parity, work status, prenatal care, reading, note-taking and bringing CH to appointments) and features of the professionals (such as workplace, medical specialty, communication style, knowledge about the CH, requesting, guiding and note-taking). CONCLUSIONS The results reinforce the need to better understand which factors affect the distribution of the CH in the population, as well as pointing to the need for understanding its use and completion by the different care points. The need for intervention studies to improve the implementation of this tool and to include training on the use of the CH in the context of continuing health education becomes evident.


RESUMO OBJETIVO Identificar e mapear de forma sistemática os estudos que envolvem a Caderneta da Criança (CC) no Brasil. MÉTODOS Revisão de escopo utilizando a metodologia proposta pelo Instituto Joanna Briggs. Foram consultadas as bases de dados PubMed, BVS Regional, Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações, Periódicos Capes e Google Scholar. Incluíram-se estudos primários e secundários que mencionavam o uso da CC, sem restrições quanto ao delineamento, ano de publicação ou população, publicados em português, inglês ou espanhol e literatura cinzenta (teses e dissertações). RESULTADOS Foram incluídos 129 estudos, em sua maioria descritivos, publicados como artigos científicos. A região Nordeste, a população de cuidadores das crianças e o cenário da atenção primária foram observados na maioria dos estudos; 47% dos estudos utilizou a CC como fonte de dados, a maioria sobre vacinação. Apesar dos diferentes critérios para definir adequação de preenchimento da CC, os estudos identificaram fragilidades no preenchimento de todos os seus itens, com exceção da vacinação. Características contextuais (como a disponibilidade da CC), das crianças (sexo, idade, prematuridade e consultas de puericultura), dos familiares e cuidadores (idade, escolaridade, renda, paridade, trabalho, pré-natal, ler, fazer anotações e levar a CC nas consultas) e dos profissionais (local de atuação, especialidade médica, comunicação no trabalho, conhecimentos sobre a CC, solicitar, orientar sobre e realizar anotações na CC) foram relacionadas ao uso e/ou preenchimento da CC. CONCLUSÕES Os resultados reforçam a necessidade de melhor compreender quais fatores afetam a distribuição da CC à população, assim como apontam para a necessidade de compreender o seu uso e preenchimento pelos diversos pontos de atenção. Fica clara a necessidade de estudos de intervenção para que a implementação desse instrumento seja aprimorada e de incluir capacitações sobre a caderneta no contexto da educação permanente em saúde.


Subject(s)
Humans , Male , Female , Child Health , Process Assessment, Health Care , Growth and Development , Review
6.
Acta Paul. Enferm. (Online) ; 36(supl.1): eEDT01, 2023.
Article in Portuguese | LILACS-Express | LILACS, BDENF | ID: biblio-1533309
7.
Rev. saúde pública (Online) ; 57: 23, 2023. tab, graf
Article in English, Portuguese | LILACS | ID: biblio-1432142

ABSTRACT

ABSTRACT OBJECTIVES Identifying and mapping the literature regarding sexual violence against Brazilian boys and men, as well as describing its underreporting, prevalence, and associated factors. METHODS We conducted a scoping review by searching PubMed, Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações, Biblioteca Virtual em Saúde, Scopus, and Web of Science databases. The inclusion criteria were: (a) surveys including data on sexual violence; (b) inclusion of boys or men as victims of sexual violence; (c) presenting statistical data on prevalence, underreporting, and factors associated with sexual violence among Brazilian boys and men. RESULTS We found a total of 1,481 papers. Ultimately, 53 were included and had their data extracted. Most studies are quantitative in nature (n = 48). The total number of participants across studies was 1,416,480 and the prevalence of sexual violence ranged from 0.1% to 71%. It is important to note that underreporting statistical data was cited in several studies. The group with the highest prevalences was men who have sex with men and those with sexual dysfunctions. Increased tendency to drug use, social isolation, unprotected anal sex, suicidal ideation, sexual dysfunction, and post-traumatic stress disorder were statistically significant predictors for having experienced sexual violence. CONCLUSIONS Despite the prevalence of sexual violence being high against Brazilian boys and men, this area of is surprisingly understudied and there are few studies with this exclusive scope. Social cultural issues, such as sexism, contribute to the underreporting of sexual violence. Additionally, we identified issues related to mental, sexual and reproductive health to be associated with sexual violence. Based on our findings, we recommend the implementation and development of a structural infrastructure aimed at supporting boys and men who are victims of sexual violence, and preventing negative outcomes for this affected group.


RESUMO OBJETIVOS Identificar e mapear a literatura referente à violência sexual contra meninos e homens brasileiros, bem como descrever sua subnotificação, sua prevalência e os fatores associados. MÉTODOS Realizou-se uma revisão de escopo com buscas nas bases de dados: PubMed, Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações, Biblioteca Virtual em Saúde, Scopus e Web of Science. Os critérios de inclusão foram: (a) pesquisas que incluíssem dados sobre violência sexual; (b) inclusão de meninos ou homens como vítimas de violência sexual; (c) apresentassem dados sobre prevalência, subnotificação e fatores associados à violência sexual entre meninos e homens brasileiros. RESULTADOS Foram encontrados 1.481 trabalhos. No total, 53 foram incluídos e tiveram seus dados extraídos. A maioria dos estudos é de natureza quantitativa (n = 48). O total de participantes em todos os estudos foi de 1.416.480 e a prevalência de violência sexual variou de 0.1% a 71%. A subnotificação foi um aspecto citado em vários estudos. Entre os grupos com maiores prevalências estão os homens que fazem sexo com homens e com disfunções sexuais. Maior tendência ao uso de drogas, isolamento social, sexo anal desprotegido, ideação suicida, disfunções sexuais e transtorno de estresse pós-traumático foram alguns dos fatores associados. CONCLUSÕES A violência sexual contra meninos e homens brasileiros é pouco estudada e existem poucos estudos com esse recorte exclusivo, apesar da prevalência de a violência sexual ser alta. Questões culturais, como o machismo, contribuem para a subnotificação da violência sexual. Em relação aos fatores associados, identificamos questões relacionadas à saúde mental, sexual e reprodutiva. Recomenda-se que seja estruturado acolhimento para meninos e homens vítimas de violência sexual, prevenindo ou minimizando desfechos negativos.


Subject(s)
Humans , Male , Sex Offenses , Underregistration , Domestic Violence , Crime Victims , Men , Review
8.
Acta Paul. Enferm. (Online) ; 36(supl.1): eAPESPE023073, 2023. tab, graf
Article in Portuguese | LILACS-Express | LILACS, BDENF | ID: biblio-1527572

ABSTRACT

Resumo Objetivo Mapear sistematicamente as pesquisas de implementação com foco em intervenções voltadas ao desenvolvimento na primeira infância, suas principais características e estratégias de implementação. Métodos Uma revisão de escopo da literatura global foi planejada e executada conforme as recomendações do Instituto Joanna Briggs. A busca foi realizada em nove bases eletrônicas (PubMed, Scopus, Embase, Health System Evidence, Social Systems Evidence, Cochrane, ERIC e CINHAL e BVS), do início da indexação até agosto de 2021. Resultados As buscas mapearam 4.105 referências, sendo 2.805 únicas. Após triagem, 211 estudos foram lidos na íntegra e 82 incluídos. O setor saúde foi o mais frequente nas intervenções, seguido da educação e serviço social. Programas voltados ao desenvolvimento infantil e estratégias focadas na parentalidade, família, nutrição, foram principais intervenções. No total, 89,0% apresentaram as crianças como beneficiárias diretas das estratégias. A duração média das intervenções foi de 14,5 meses e 25,6% dos estudos fundamentaram sua metodologia em frameworks para analisar a implementação das intervenções. A metade analisou adaptações das intervenções ou programas, enquanto 29,3% citaram aspectos de equidade da implementação. Conclusão Esta revisão de escopo permitiu a análise de um conjunto de intervenções voltadas à primeira infância, demonstrando o potencial das pesquisas de implementação de programas de desenvolvimento da primeira infância, identificando estratégias mais adequadas aos contextos e o alcance dos objetivos pretendidos, a partir da incorporação dos desfechos de implementação.


Resumen Objetivo Mapear sistemáticamente los estudios de implementación con foco en intervenciones dirigidas al desarrollo en la primera infancia, sus principales características y estrategias de implementación. Métodos Se planificó y ejecutó una revisión de alcance de la literatura global de acuerdo con las recomendaciones del Instituto Joanna Briggs. La búsqueda se realizó en nueve bases electrónicas (PubMed, Scopus, Embase, Health System Evidence, Social Systems Evidence, Cochrane, ERIC y CINHAL y BVS), desde el comienzo de la indexación hasta agosto de 2021. Resultados Las búsquedas mapearon 4105 referencias, de las cuales 2805 eran únicas. Luego de la clasificación, se leyeron 211 estudios completos y se incluyeron 82. El sector de la salud fue el más frecuente en las intervenciones, seguido de educación y servicio social. Las principales intervenciones fueron programas dirigidos al desarrollo infantil y estrategias centradas en la parentalidad, familia y nutrición. En total, el 89,0 % presentó a los infantes como beneficiarios directos de las estrategias. La duración promedio de las intervenciones fue de 14,5 meses y el 25,6 % de los estudios fundamentaron su metodología en frameworks para analizar la implementación de las intervenciones. La mitad analizó adaptaciones de las intervenciones o programas, mientras que el 29,3 % citó aspectos de equidad de la implementación. Conclusión Esta revisión de alcance permitió el análisis de un conjunto de intervenciones dirigidas a la primera infancia, lo que demuestra el potencial de los estudios de implementación de programas de desarrollo de la primera infancia e identifica estrategias más adecuadas a los contextos y al cumplimiento de los objetivos pretendidos, a partir de la incorporación de los resultados de implementación.


Abstract Objective To systematically map implementation research focusing on interventions aimed at early childhood development, its main characteristics and implementation strategies. Methods A scoping review of the global literature was planned and performed in accordance with recommendations of the Joanna Briggs Institute. The search was carried out in nine electronic databases (PubMed, Scopus, Embase, Health System Evidence, Social Systems Evidence, Cochrane, ERIC and CINHAL and VHL) from the beginning of indexing until August 2021. Results The searches mapped 4,105 references, 2,805 of which were unrepeated. After screening, 211 studies were read in full and 82 included. The health sector was the most frequent in interventions, followed by education and social services. Programs aimed at childhood development and strategies focused on parenting, family and nutrition were the main interventions. In total, 89.0% presented children as direct beneficiaries of the strategies. The average duration of interventions was 14.5 months and 25.6% of studies based their methodology on frameworks to analyze the implementation of interventions. Half analyzed adaptations of interventions or programs, while 29.3% cited equity aspects of implementation. Conclusion This scoping review allowed the analysis of a set of interventions aimed at early childhood, demonstrating the potential of implementation research on early childhood development programs, identifying more appropriate strategies to the contexts and the reach of intended objectives, based on incorporation of implementation outcomes.

9.
Rev. panam. salud pública ; 47: e47, 2023. tab, graf
Article in Portuguese | LILACS-Express | LILACS | ID: biblio-1432081

ABSTRACT

RESUMO Objetivo. Sintetizar as evidências sobre os efeitos de intervenções de telessaúde oferecidas por meio de aplicativos de celular e de mensagens de texto no comportamento de adultos com vistas à alimentação saudável. Métodos. Foi realizada uma revisão rápida por meio de buscas em nove bases eletrônicas da literatura para identificar revisões sistemáticas publicadas em inglês, português e espanhol que avaliassem estratégias de telessaúde comparadas a atendimento presencial para melhoria da alimentação na população adulta (18 a 59 anos). As buscas foram realizadas em novembro de 2020 e atualizadas em abril de 2022. As revisões sistemáticas incluídas foram avaliadas quanto à qualidade metodológica com a ferramenta AMSTAR 2. Resultados. Cinco revisões sistemáticas foram incluídas, sendo uma com avaliação de confiança moderada e as demais com confiança criticamente baixa. Verificou-se uma escassez de estudos comparando o uso de estratégias de telessaúde com o atendimento presencial para a promoção da alimentação saudável em adultos. Os resultados mais consistentes referem-se ao aumento no consumo de frutas e vegetais com o uso de aplicativo ou mensagens de texto, além de melhoria do padrão alimentar de pessoas com diabetes ou intolerância à glicose com o uso de mensagens de texto. Conclusão. A maioria das análises de intervenções utilizando aplicativos de celular ou mensagens de texto mostrou efeitos positivos nos desfechos de alimentação saudável. No entanto, esses achados se referem aos poucos ensaios clínicos com amostras pequenas de participantes incluídos nas revisões sistemáticas da presente revisão rápida, a maioria de baixa qualidade metodológica. Conclui-se que há uma lacuna no conhecimento, sendo importante a realização de estudos metodologicamente mais robustos.


ABSTRACT Objective. To synthesize the evidence about the effects of telehealth interventions provided through smart-phone apps and text messages on the behavior of adults regarding healthy food consumption. Method. A rapid systematic review of the literature was performed through searches in nine electronic databases to identify systematic reviews published in English, Portuguese, and Spanish that evaluated telehealth strategies compared to face-to-face interventions to improve dietary intake in the adult population (18 to 59 years old). Searches were performed in November 2020 and updated in April 2022. The included systematic reviews were assessed for methodological quality using the AMSTAR 2 tool. Results. Five systematic reviews were included. Methodological quality was moderate in one review and critically low in four. There was a dearth of studies comparing the use of telehealth strategies with face-to-face interventions for the promotion of healthy eating in adults. The most consistent results refer to an increase in the consumption of fruits and vegetables with the use of an app or text messages, in addition to improvement in the dietary habits of people with diabetes or glucose intolerance with the use of text messages. Conclusion. Positive effects were observed on healthy eating outcomes for most interventions using mobile apps or text messages; however, the findings refer to a few clinical trials with small samples that were analyzed in the systematic reviews covered in the present rapid review, most of which had low methodological quality. Thus, the current knowledge gap warrants the performance of further methodologically robust studies.


RESUMEN Objetivo. Sintetizar la evidencia sobre los efectos de las intervenciones de telesalud ofrecidas por medio de aplicaciones de telefonía móvil y mensajes de texto en el comportamiento de la población adulta relacionado con una alimentación saludable. Métodos. Se realizó un examen rápido mediante búsquedas en nueve bases bibliográficas electrónicas para localizar revisiones sistemáticas publicadas en español, inglés y portugués en las que se evaluaran estrategias de telesalud en comparación con atención presencial para mejorar la alimentación de la población adulta (de 18 a 59 años). Las búsquedas se realizaron en noviembre del 2020 y se actualizaron en abril del 2022. La calidad metodológica de las revisiones sistemáticas incluidas se evaluó con la herramienta AMSTAR 2. Resultados. Se incluyeron cinco revisiones sistemáticas, una con un grado de confianza moderado y las otras con un grado de confianza sumamente bajo. Se comprobó una falta de estudios en los que se compararan el uso de estrategias de telesalud con la atención presencial para promover la alimentación saludable de la población adulta. Los resultados más coherentes se refieren al aumento del consumo de frutas y verduras con el uso de aplicaciones móviles o de mensajes de texto, así como a la mejora del patrón alimentario de las personas con diabetes o con intolerancia a la glucosa con el uso de mensajes de texto. Conclusión. La mayoría de los análisis de las intervenciones en las que se emplearon aplicaciones de telefonía móvil o mensajes de texto mostraron efectos positivos en los resultados relativos a una alimentación saludable. Sin embargo, estos hallazgos se refieren a unos pocos ensayos clínicos con pequeñas muestras de participantes incluidos en las revisiones sistemáticas del presente examen rápido, en su mayoría de baja calidad metodológica. En conclusión, existe una laguna en los conocimientos y es importante realizar estudios con una metodología más sólida.

10.
Rev. panam. salud pública ; 47: e67, 2023. tab, graf
Article in Portuguese | LILACS-Express | LILACS | ID: biblio-1432087

ABSTRACT

RESUMO Objetivo. Identificar estratégias para aumentar a adesão ao tratamento de hipertensão arterial sistêmica (HAS) e descrever as barreiras e os facilitadores para implementação dessas estratégias na atenção primária à saúde (APS). Métodos. Foi realizada uma revisão rápida de evidências. Foram incluídas revisões sistemáticas, com ou sem metanálises, publicadas em inglês, espanhol ou português, que avaliaram adultos (18 a ≤ 60 anos) com HAS acompanhados na APS. As buscas foram realizadas em nove bases de dados em dezembro de 2020 e atualizadas em abril de 2022. As revisões sistemáticas incluídas foram avaliadas quanto à qualidade metodológica por meio da ferramenta AMSTAR 2. Resultados. Foram incluídas 14 revisões sistemáticas sobre estratégias de adesão ao tratamento e três sobre barreiras e facilitadores para implementação. A qualidade metodológica foi moderada em uma revisão sistemática, baixa em quatro e criticamente baixa nas demais. Quatro estratégias foram identificadas como opções para políticas de saúde: ações realizadas por farmacêuticos; ações realizadas por profissionais não farmacêuticos; automonitoramento, uso de aplicativos de celular e mensagens de texto; e oferta de subsídios para aquisição de medicamentos. O baixo letramento digital, o acesso limitado à internet, processos de trabalho e formação incipiente foram barreiras para os profissionais. Foram facilitadores o nível educacional e de letramento em saúde dos usuários, a acessibilidade aos serviços de saúde e o bom relacionamento com os profissionais. Conclusões. Identificaram-se efeitos positivos de estratégias relacionadas à atenção farmacêutica, automonitoramento e uso de aplicativos de celular e mensagem de texto para aumentar a adesão ao tratamento da HAS no âmbito da APS. Porém, para fins de implementação, é preciso considerar barreiras e facilitadores, além das limitações metodológicas das revisões sistemáticas analisadas.


ABSTRACT Objective. To identify strategies to increase adherence to systemic arterial hypertension (SAH) treatment and describe the barriers and facilitators for implementing these strategies in primary health care (PHC). Method. A rapid evidence review was performed. We included systematic reviews with or without meta-analyses, published in English, Spanish or Portuguese, covering adults (age 18 to ≤ 60 years) with SAH followed in the PHC. Searches were performed in nine databases in December 2020 and updated in April 2022. The systematic reviews were assessed for methodological quality using the AMSTAR 2 tool. Results. Fourteen systematic reviews on treatment adherence strategies and three on barriers and facilitators for implementation were included. Regarding methodological quality, one systematic review was classified as moderate, four as low, and the others as critically low. Four strategies were identified as options for health policies: actions performed by pharmacists; actions performed by non-pharmaceutical health professionals; self-monitoring, use of mobile apps, and text messages; and subsidies for the purchase of medicines. Low digital literacy, limited access to the internet, work process and incipient training were barriers for professionals. The users' educational and health literacy levels, accessibility to health services and good relationships with professionals were facilitators. Conclusions. Positive effects of strategies related to pharmaceutical care, self-monitoring, and the use of cell phone applications and text messages were identified to increase adherence to the treatment of SAH in the context of PHC. However, for implementation purposes, it is necessary to consider barriers and facilitators, in addition to the methodological limitations of the analyzed systematic reviews.


RESUMEN Objetivo. Buscar estrategias para aumentar la adhesión al tratamiento de la hipertensión arterial sistémica y describir las barreras y los elementos facilitadores para la implementación de esas estrategias en el ámbito de la atención primaria de salud. Métodos. Se realizó una revisión rápida de la evidencia. Se incluyeron revisiones sistemáticas, con o sin metaanálisis, publicadas en español, inglés o portugués, en las cuales se evaluaban a personas adultas (de 18 a ≤ 60 años) con hipertensión arterial sistémica observadas en el ámbito de la atención primaria de salud. Las búsquedas se realizaron en nueve bases de datos en diciembre del 2020 y se actualizaron en abril del 2022. Se evaluó la calidad metodológica de las revisiones sistemáticas incluidas con la herramienta AMSTAR 2. Resultados. Se incluyeron 14 revisiones sistemáticas sobre estrategias de adhesión al tratamiento y tres sobre obstáculos y elementos facilitadores para la implementación. La calidad metodológica fue moderada en una revisión sistemática, baja en cuatro y críticamente baja en las demás. Se identificaron cuatro estrategias como opciones para las políticas de salud: medidas tomadas por farmacéuticos; medidas tomadas por profesionales no farmacéuticos; autocontrol, uso de aplicaciones para teléfonos celulares y mensajes de texto; y oferta de subvenciones para la compra de medicamentos. La escasa alfabetización digital, el acceso limitado a internet y los procesos de trabajo y formación incipiente fueron obstáculos para los profesionales. Los elementos facilitadores fueron el nivel de educación y de conocimientos de los usuarios en materia de salud, la accesibilidad a los servicios de salud y las buenas relaciones con los profesionales. Conclusiones. Se observaron efectos positivos de las estrategias relacionadas con la atención farmacéutica, el autocontrol y el uso de aplicaciones de telefonía celular y mensajería de texto para aumentar la adhesión al tratamiento de la hipertensión arterial sistémica en el ámbito de la atención primaria de salud. Sin embargo, para fines de implementación, es necesario considerar los obstáculos y los elementos facilitadores, además de las limitaciones metodológicas de las revisiones sistemáticas analizadas.

11.
Acta fisiatrica ; 29(3): 219-231, set. 2022.
Article in Portuguese | LILACS-Express | LILACS | ID: biblio-1391884

ABSTRACT

Objetivo: Este estudo tem como objetivo analisar as evidências científicas globais e locais relativas aos facilitadores que promovem o acesso de pessoas com deficiência aos serviços de saúde. Métodos: Realizou-se uma revisão de escopo, estabelecendo-se a pergunta norteadora: "Quais são os principais facilitadores que as pessoas com deficiência encontram no acesso a serviços de saúde?" O levantamento dos artigos foi realizado em julho de 2019, em seis bases de dados de literatura científica. Dos 1.155 documentos identificados nas buscas, após seleção por título e resumo, foram lidas 170 publicações na íntegra e incluídas 76 revisões da literatura, que foram categorizadas conforme referencial teórico. Resultados: A revisão elenca os facilitadores identificados por prestadores de serviços e por pessoas com deficiência e os seus familiares e/ou cuidadores, em todos os níveis de complexidade dos cuidados de saúde. Os facilitadores foram categorizados pelas diferentes dimensões do acesso e da Lei Brasileira de Inclusão. Os principais facilitadores identificados, tanto pelos usuários dos serviços quanto pelos prestadores de serviço, incluem a disponibilidade de programas de promoção à saúde, profissionais capacitados, informações sobre os serviços prestados, orientação em cuidados de saúde, serviços de cuidados específicos de reabilitação e suporte social. Conclusões: Evidenciamos que faltam estudos nacionais sobre esta temática e que os facilitadores para o acesso aos serviços de saúde para as pessoas com deficiência precisam ser mais profundamente abordados na literatura cientifica como um todo. O melhor entendimento desta realidade é de grande valia para o incremento de políticas públicas e implementação de estratégias voltadas à promoção do acesso aos serviços de saúde.


Objective: This study aims to analyze global and local scientific evidence regarding the facilitators that promote the access of people with disabilities to health services. Methods: A scope review was carried out, establishing the guiding question: "What are the main facilitators that people with disabilities find in accessing health services?" The search was carried out in July 2019, in six scientific literature databases. Of the 1,155 documents identified in the searches, after selection by title and abstract, 170 publications were read in full and 76 literature reviews were included, which were categorized according to the theoretical framework. Results: The review lists the facilitators identified by service providers and people with disabilities and their family members and/or caregivers, at all levels of healthcare. The facilitators were categorized by the different dimensions of access and the Brazilian Inclusion Law. Key facilitators identified by both service users and service providers include the availability of health promotion programs, trained professionals, information about services provided, healthcare guidance, specific rehabilitation care services, and social support. Conclusions: There is a lack of national studies on this topic and the facilitators of persons with disabilities' access to health services need to be more deeply addressed in the literature. A better understanding of this reality would be of great value for improving public policies and implementing strategies aimed at promoting access to health services.

12.
Brasília; Fiocruz Brasília;Instituto de Saúde de São Paulo; 19 de maio de 2022. 62 p.
Non-conventional in Portuguese | LILACS, ColecionaSUS, PIE, SDG | ID: biblio-1370193

ABSTRACT

Contexto: Na década de 1970, o Relatório Lalonde apresentou-se como uma nova perspectiva de saúde e um ponto de partida para o conceito de Cidades Saudáveis. Ele expôs um conceito ampliado de saúde ao afirmar que as melhorias das condições de saúde da população podem ser resultado de mudanças no ambiente físico-social e no estilo de vida. Pergunta: Quais são os critérios adotados em diferentes partes do mundo para caracterizar cidades/municípios saudáveis? Método: As buscas foram realizadas em PubMed, Biblioteca Virtual em Saúde e Social Systems Evidence, em 8 e 10 de março de 2022, com o propósito de identificar estudos primários e secundários que abordassem critérios para caracterização de Cidades Saudáveis. Utilizando atalhos de revisão rápida para simplificar o processo, apenas o processo de seleção por títulos e resumos foi realizado em duplicidade e de forma independente. Foram incluídos estudos publicados em inglês, espanhol e português, e não houve limitação para inclusão quanto ao delineamento ou data de publicação. Os estudos incluídos foram avaliados quanto à qualidade metodológica com instrumentos específicos para cada delineamento. Resultados: As publicações recuperadas nas fontes de dados foram 2.723, das quais 24 foram incluídas após o processo de seleção. Os domínios das Cidades Saudáveis propostos pela OMS foram utilizados para agregar os estudos incluídos, conforme apresentado a seguir. Domínio 1: Melhorar a governança da cidade para a saúde e bem-estar. Seis artigos foram indicados neste domínio, que trata sobre parcerias locais para promover a saúde; responsabilização e prestação de contas; utilização de um perfil de saúde na cidade em conjunto com um plano de desenvolvimento de saúde; promoção da saúde nas políticas públicas; e diplomacia na cidade. Domínio 2: Reduzir/minimizar as desigualdades em saúde. Cinco artigos foram incluídos neste domínio, que aborda o significado e as formas de medir os problemas de desigualdade social e impacto sobre a sociedade; e desenvolver um plano de ação para resolver os conflitos. Domínio 3: Promover a abordagem de saúde em todas as políticas. Sete artigos são apresentados neste domínio, que se refere a mecanismos de formulação de políticas locais com coerência para benefício da saúde e para aumentar a capacidade de avaliação dos impactos na saúde. Domínio 4: Promover o desenvolvimento e o empoderamento da comunidade e criar ambientes sociais que apoiem a saúde. Cinco artigos foram associados a este domínio, que abarca temas de promoção do letramento e resiliência da comunidade; promoção da inclusão social e projetos comunitários; garantia de acesso à assistência social; incentivo à prática de atividade física em todas as idades; criação de ambientes físicos e sociais livres de fumo; incentivo à alimentação saudável e limitação do acesso a alimentos ricos em açúcares; e abordagem de problemas de saúde mental e bem-estar social. Domínio 5: Criar ambientes físicos e construídos que apoiem a saúde e as escolhas saudáveis. Onze estudos foram arrolados neste domínio, que aborda temas como criar bairros seguros e limpos; promover e investir em deslocamento saudável (a pé ou de bicicleta); enfrentar os problemas de saneamento básico, poluição sonora e do ar, mudanças climáticas, diminuição da emissão de carbono, higiene e habitação; incentivar a receptividade de crianças e idosos; garantir acesso a áreas verdes para convívio social e investir em planejamento urbano saudável. Domínio 6: Melhorar a qualidade e o acesso aos serviços locais de saúde e sociais. Um estudo foi associado a este domínio, que é caracterizado por assegurar a cobertura universal na saúde e remover barreiras; melhorar a qualidade de serviços para a comunidade e a articulação entre os serviços de atenção primária à saúde e outros serviços públicos de saúde. Domínio 7: Considerar todas as pessoas no planejamento da cidade e priorizar os mais vulneráveis. Quatro artigos foram relacionados neste domínio, que se refere à prática saudável para crianças no início da vida, garantir acesso à educação para todos, garantir o envelhecimento saudável e identificar nas cidades as necessidades das pessoas mais vulneráveis. Domínio 8: Fortalecer os serviços locais de saúde pública e a capacidade de lidar com emergências relacionadas à saúde. Um artigo foi citado neste domínio, que trata de temáticas de investimento em programas de promoção da saúde e prevenção de doenças com base na população e comunidade; cuidar do problema de obesidade em jovens e adultos; e lidar com emergências relacionadas às mudanças climáticas e fenômenos como epidemias e desastres naturais. Domínio 9: Manter um plano de preparação, prontidão e resposta urbana em emergências de saúde pública. Nenhum estudo foi associado a este domínio, que é caracterizado pelo desenvolvimento de práticas de vigilância inclusivas; promoção de informações e práticas com base em evidências; entendimento e ação sobre as vulnerabilidades; trabalho em fortalecimento e respostas comunitárias; e planejamento de medidas de emergências. Outras propostas: Dois estudos abordam proposições que não foram associadas diretamente aos domínios recomendados pela OMS, mas que podem contribuir para aprimorar os critérios de Cidades Saudáveis. Um deles discute o conceito de cidades inteligentes, que utilizam tecnologias de informação e comunicação para melhorar a produtividade e organizar uma governança mais aberta. O outro estudo tem como foco o ecofeminismo, trabalho reprodutivo e de cuidado, planejamento urbano feminista e o incentivo para integração da saúde humana e ambiental. Considerações finais: Os estudos incluídos apresentam informações relevantes sobre a caracterização de Cidades Saudáveis, principalmente os diferentes conceitos abordados acerca do que considerar na avaliação e implementação de cidades e comunidades saudáveis. Os resultados mostram que ainda são escassos os relatos sobre experiências de implementação da proposta de Cidades Saudáveis. As ações de promoção da saúde, como a criação de ambientes físicos e construídos que apoiem a saúde e as escolhas saudáveis, o planejamento urbano voltado à abordagem de uma grande diversidade de problemas e soluções, a promoção da abordagem de saúde em políticas de outros setores e a melhora da governança na cidade para saúde e bem-estar, fazem parte do rol de critérios de Cidades Saudáveis, e têm sido postas em prática em muitos municípios, inclusive no Brasil. No entanto, as estratégias de busca desta revisão rápida não conseguiram recuperar tais experiências nacionais. O fato de não terem sido recuperadas nas buscas pode ser um indicativo de que o termo "cidade saudável" não tem sido considerado por muitos pesquisadores em suas publicações.


Context: In the 1970s, the Lalonde Report presented itself as a new perspective on health and a starting point for the concept of Healthy Cities. He exposed an expanded concept of health by stating that improvements in the population's health conditions can be the result of changes in the physical-social environment and in lifestyle. Question: What are the criteria adopted in different parts of the world to characterize healthy cities/municipalities? Method: The searches were carried out in PubMed, Virtual Health Library and Social Systems Evidence, on March 8 and 10, 2022, with the purpose of identifying primary and secondary studies that addressed criteria for the characterization of Healthy Cities. Using rapid review shortcuts to simplify the process, only the title and abstract selection process was performed in duplicate and independently. Studies published in English, Spanish and Portuguese were included, and there was no limitation for inclusion in terms of design or publication date. The included studies were evaluated for methodological quality with specific instruments for each design. Results: The publications retrieved from the data sources were 2,723, of which 24 were included after the selection process. The Healthy Cities domains proposed by WHO were used to aggregate the included studies, as shown below. Domain 1: Improve city governance for health and well-being. Six articles were indicated in this domain, which deals with local partnerships to promote health; accountability and accountability; use of a health profile in the city in conjunction with a health development plan; health promotion in public policies; and diplomacy in the city. Domain 2: Reduce/minimize health inequalities. Five articles were included in this domain, which addresses the meaning and ways of measuring problems of social inequality and impact on society; and develop an action plan to resolve conflicts. Domain 3: Promoting the health approach in all policies. Seven articles are presented in this domain, which refers to mechanisms for formulating local policies with coherence for the benefit of health and to increase the capacity to assess health impacts. Domain 4: Promote community development and empowerment and create social environments that support health. Five articles were associated with this domain, which covers topics of literacy promotion and community resilience; promoting social inclusion and community projects; guarantee of access to social assistance; encouraging the practice of physical activity at all ages; creating smoke-free physical and social environments; encouraging healthy eating and limiting access to foods rich in sugars; and addressing mental health and social well-being issues. Domain 5: Create physical and built environments that support health and healthy choices. Eleven studies were enrolled in this domain, which addresses topics such as creating safe and clean neighborhoods; promote and invest in healthy commuting (on foot or by bicycle); face the problems of basic sanitation, noise and air pollution, climate change, reduction of carbon emissions, hygiene and housing; encourage the receptivity of children and the elderly; ensure access to green areas for social interaction and invest in healthy urban planning. Domain 6: Improve the quality of and access to local health and social services. One study was associated with this domain, which is characterized by ensuring universal health coverage and removing barriers; improve the quality of services for the community and the articulation between primary health care services and other public health services. Domain 7: Consider all people in city planning and prioritize the most vulnerable. Four articles were listed in this domain, which refers to healthy practice for children early in life, ensuring access to education for all, ensuring healthy aging and identifying the needs of the most vulnerable people in cities. Domain 8: Strengthen local public health services and capacity to deal with health-related emergencies. An article was cited in this domain, which deals with investment themes in population and community-based health promotion and disease prevention programs; to take care of the problem of obesity in young people and adults; and dealing with emergencies related to climate change and phenomena such as epidemics and natural disasters. Domain 9: Maintain an urban preparedness, preparedness, and response plan for public health emergencies. No studies were associated with this domain, which is characterized by the development of inclusive surveillance practices; promotion of evidence-based information and practices; understanding and acting on vulnerabilities; work in community strengthening and responses; and planning of emergency measures. Other proposals: Two studies address propositions that were not directly associated with the domains recommended by the WHO, but that may contribute to improving the Healthy Cities criteria. One of them discusses the concept of smart cities, which use information and communication technologies to improve productivity and organize more open governance. The other study focuses on ecofeminism, reproductive and care work, feminist urban planning, and encouraging the integration of human and environmental health. Final considerations: The studies included present relevant information about the characterization of Healthy Cities, mainly the different concepts approached about what to consider in the evaluation and implementation of healthy cities and communities. The results show that there are still few reports on experiences of implementing the Healthy Cities proposal. Health promotion actions, such as creating physical and built environments that support health and healthy choices, urban planning aimed at addressing a wide range of problems and solutions, promoting a health approach in policies in other sectors and the improvement of governance in the city for health and well-being, are part of the list of Healthy Cities criteria, and have been put into practice in many municipalities, including Brazil. However, the search strategies of this rapid review failed to retrieve such national experiences. The fact that they were not retrieved in searches may be an indication that the term "healthy city" has not been considered by many researchers in their publications.


Subject(s)
Humans , Quality of Life , City Planning , Healthy City , Health Sector Stewardship and Governance , Health Promotion , Disaster Sanitation , Vulnerable Populations , Carbon Footprint
13.
Ciênc. Saúde Colet. (Impr.) ; 27(1): 299-314, jan. 2022. tab, graf
Article in Portuguese | LILACS, SES-SP, SESSP-ISACERVO | ID: biblio-1356033

ABSTRACT

Resumo A resistência aos antimicrobianos é um problema mundial que põe em risco a segurança da saúde da população. O objetivo deste artigo é identificar e avaliar estratégias para prevenção e controle de resistência microbiana, bem como barreiras para sua implementação em serviços de Atenção Primária à Saúde (APS). Realizou-se uma síntese de evidências para políticas. As buscas de evidências foram realizadas entre novembro/dezembro de 2018, em 13 bases de dados. Um diálogo deliberativo foi realizado para validação dos resultados e levantamento de barreiras e facilitadores para implementação das estratégias. As 13 revisões sistemáticas incluídas mostraram que intervenções com foco em educação, uso de sistemas eletrônicos e biomarcadores reduziram o consumo e prescrição de antimicrobianos. É um obstáculo à implementação a expectativa de usuários/cuidadores em receber prescrição de antibióticos, e são facilitadores as ações educativas que envolvem profissionais de saúde. O uso racional de medicamentos se impõe na APS com vistas à prevenção da resistência dos microrganismos aos antibióticos. As intervenções identificadas neste estudo podem ser implementadas isoladamente ou em conjunto, conforme o contexto local.


Abstract Antimicrobial resistance is a global problem that puts the population's health at risk. This paper aims to identify and evaluate strategies for the prevention and control of antimicrobial resistance, and barriers to their implementation in Primary Health Care (PHC) services. We developed an evidence brief for policies. The search for evidence occurred in 13 databases from November to December 2018. A deliberative dialogue was performed to validate the results and we identified barriers and facilitators to implementing the strategies. The 13 systematic reviews included evidenced that the interventions focused on education, use of electronic systems and biomarkers reduced antimicrobial consumption and prescription. User/caregiver's expectation to receive antibiotic prescriptions was the main obstacle to implementing strategies, while education actions involving health professionals were facilitators. The rational use of medications in the PHC services is crucial to prevent antimicrobial resistance to antibiotics. The interventions identified in this study can be implemented alone or combined, according to local context.


Subject(s)
Drug Resistance, Bacterial , Anti-Bacterial Agents , Primary Health Care , Health Personnel , Policy
14.
Rev. saúde pública (Online) ; 56: 64, 2022. tab, graf
Article in English | LILACS, BBO | ID: biblio-1390019

ABSTRACT

ABSTRACT OBJECTIVE To analyze the scientific evidence regarding barriers to the access of people with disabilities to health services. METHODS A scoping review was carried out from the main question: "What are the main barriers that people with disabilities face in accessing health services?" The articles were surveyed in July 2019 in six scientific literature databases. Of the 1,155 documents identified in the searches, after selection by title and abstract, 170 publications were read in full and, thus, 96 articles were included and categorized according to the theoretical framework. RESULTS The main barriers indicated by the users of the service were: communication failure between professionals and patient/caregiver; financial limitations; attitudinal/behavioral issues; scarce service provision; organizational and transport barriers. The main barriers presented by service providers were: lack of training to professionals; failure of the health system; physical barriers; lack of resources/technology; and language barriers. CONCLUSIONS It was evident that people with disabilities face several barriers when trying to access the health services they need and that users and health professionals have distinct and complementary views on difficulties.


RESUMO OBJETIVO Analisar as evidências científicas relativas às barreiras para o acesso de pessoas com deficiência aos serviços de saúde. MÉTODOS Realizou-se uma revisão de escopo estabelecendo-se a perguntanorteadora: "Quais são as principais barreiras que as pessoas com deficiência enfrentam no acesso a serviços de saúde?" O levantamento dos artigos foi realizado em julho de 2019, em seis bases de dados de literatura científica. Dos 1.155 documentos identificados nas buscas, após seleção por título e resumo, foram lidas na íntegra 170 publicações e, após leitura, 96 artigos foram incluídos e categorizados conforme referencial teórico. RESULTADOS As principais barreiras indicadas pelos usuários do serviço foram: comunicação falha entre profissionais e paciente/cuidador; limitações financeiras; questões atitudinais/comportamentais; oferta de serviços escassa; barreiras organizacionais e de transporte. As principais barreiras apresentadas pelos prestadores de serviços foram: falta de treinamento/capacitação aos profissionais; falha do sistema de saúde; barreiras físicas; falta de recursos/tecnologia e barreiras de idioma. CONCLUSÕES Ficou evidente que as pessoas com deficiência enfrentam diversas barreiras ao tentarem acesso aos serviços de saúde de que necessitam e que usuários e profissionais de saúde têm visões distintas e complementares sobre as dificuldades.


Subject(s)
Physician-Patient Relations , Disabled Persons , Health Services for Persons with Disabilities , Barriers to Access of Health Services
15.
Ciênc. Saúde Colet. (Impr.) ; 27(2): 427-439, Fev. 2022. tab, graf
Article in Portuguese | LILACS | ID: biblio-1356078

ABSTRACT

Resumo As taxas mundiais de cirurgia cesariana têm crescido há 30 anos, correspondendo a mais de 56% dos nascimentos no Brasil. Considerando os agravos ocasionados por cesáreas eletivas na saúde materna e infantil, esta revisão buscou apresentar uma estratégia para a redução dessas taxas. Para realizar a síntese das melhores evidências, adotou-se a metodologia SUPPORT. Foram incluídas revisões sistemáticas publicadas em inglês, português ou espanhol sobre intervenções não clínicas. As buscas resultaram em quatro estudos, que em metanálise associaram o apoio contínuo durante o parto à redução de 25% a 51% nas taxas de cesárea. Igualmente, o apoio contínuo reduziu a duração e as intervenções clínicas desnecessárias durante o trabalho de parto e a probabilidade de bebê com baixo escore de Apgar aos cinco minutos. Além disso, proporcionou melhoria na amamentação e na recuperação da mulher, aumento da satisfação com o processo de nascimento e maiores chances de parto vaginal espontâneo. O apoio contínuo foi benéfico para a gestante e o recém-nascido. A intervenção garante respeito, segurança e qualidade durante o parto, bem como reduz custos hospitalares. Portanto, é uma estratégia efetiva que deve ser adotada nos serviços de saúde para ampliar o acesso das mulheres aos seus direitos.


Abstract Cesarean section rates have increased globally in the last 30 years, representing more than 56% of total births in Brazil. Considering the impacts of elective cesarean sections in maternal and child health, this review aimed to present an option to reduce these rates. We used the SUPPORT tools to summarize the best evidence. We included systematic reviews published in English, Portuguese, or Spanish, which focused on non-clinical interventions. Continuous support during labor and birth was described in four systematic reviews as an option to reduce cesarean rates (down to -51%). It also decreased unnecessary clinical interventions during labor, the duration of labor, and the likelihood of delivering a baby with a low Apgar score at five minutes. Moreover, continuous support improved breastfeeding, postpartum recovery of women during the puerperium period, and increased women's satisfaction with the birth experience and the possibility of spontaneous vaginal deliveries. The continuous support was beneficial for women and newborns. The intervention fosters respect, safety, and quality during birth, besides reducing hospital costs. Therefore, it is an effective strategy that should be adopted in hospitals and other health services to improve women's access to their rights.


Subject(s)
Humans , Female , Pregnancy , Infant, Newborn , Child , Labor, Obstetric , Cesarean Section , Delivery, Obstetric , Parturition , Policy
16.
Brasília; Fiocruz Brasília;Instituto de Saúde de São Paulo; 16 nov. 2021. 39 p. tab.
Non-conventional in Portuguese | LILACS, ColecionaSUS, PIE | ID: biblio-1361686

ABSTRACT

Contexto: As práticas de atividade física são fortes aliadas na redução dos riscos à saúde, bem como no tratamento de doenças. Destaca-se sua relevância no cuidado a pessoas com doenças crônicas não transmissíveis, para as quais é importante investir na qualidade de vida. Esta revisão rápida aborda os efeitos não-clínicos das intervenções de atividade física em pessoas com diabetes mellitus tipo 2, hipertensão arterial sistêmica e sobrepeso/obesidade. Pergunta: Quais são os efeitos não-clínicos de diferentes modalidades de atividade física no tratamento de pessoas com diabetes, hipertensão ou obesidade? Métodos: Seguindo protocolo prévio, foram realizadas buscas por revisões sistemáticas (RS) em oito bases eletrônicas da literatura, em setembro de 2021. Nesta revisão rápida foram incluídas RS publicadas nos últimos 10 anos, com algumas especificações quanto a contexto e população. Apenas o processo de seleção foi realizado em duplicata e de forma independente. A avaliação da qualidade das RS foi feita por um revisor e checada por outro, por meio da ferramenta AMSTAR 2. Os resultados foram reunidos em síntese narrativa conforme similaridade do tipo de atividade física e população. Resultados: De 4.421 relatos encontrados nas bases de dados, 23 RS foram incluídas após processo de seleção e elegibilidade. Na avaliação da qualidade metodológica, uma RS foi considerada de confiança moderada, uma de confiança baixa e as demais de confiança criticamente baixa. As revisões apresentaram resultados de exercícios aeróbicos, anaeróbicos, combinados e de tipo não informado, envolvendo pessoas com diabetes mellitus tipo 2, hipertensão arterial sistêmica e sobrepeso/obesidade. O tipo de atividade mais presente foi de exercícios aeróbicos e a condição mais estudada foi diabetes mellitus tipo 2. Apenas uma RS apresentou informação a respeito da segurança da prática de atividade física, sem ocorrência de eventos adversos. Diversas modalidades de atividade física mostraram promover benefícios não-clínicos no tratamento de pessoas com diabetes, hipertensão e obesidade. Considerações finais: As evidências indicam que pessoas com diabetes ou hipertensão podem ter sua qualidade de vida melhorada com a prática de exercícios, em especial os aeróbicos. Para pessoas com obesidade ou comorbidades, as evidências são menos robustas. É importante levar em consideração algumas incertezas apontadas pelas RS, bem como as falhas metodológicas da maioria dessas RS.


Context: Physical activity practices are strong allies in reducing health risks, as well as in the treatment of diseases. Its relevance in the care of people with non-communicable chronic diseases is highlighted, for whom it is important to invest in quality of life. This rapid review addresses the non-clinical effects of physical activity interventions in people with type 2 diabetes mellitus, systemic arterial hypertension, and overweight/obesity. Question: What are the non-clinical effects of different physical activity modalities in the treatment of people with diabetes, hypertension or obesity? Methods: Following a previous protocol, searches for systematic reviews (SR) were carried out in eight electronic databases of the literature, in September 2021. This rapid review included SRs published in the last 10 years, with some specifications regarding context and population. Only the selection process was carried out in duplicate and independently. The evaluation of the quality of the SRs was carried out by one reviewer and checked by another, using the AMSTAR 2 tool. The results were gathered in a narrative synthesis according to the similarity of the type of physical activity and population. Results: Of the 4,421 reports found in the databases, 23 SRs were included after the selection and eligibility process. In the evaluation of methodological quality, one SR was considered moderately reliable, one of low confidence and the others of critically low confidence. The reviews presented results of aerobic, anaerobic, combined and unreported exercises involving people with type 2 diabetes mellitus, systemic arterial hypertension and overweight/obesity. The most common type of activity was aerobic exercises and the most studied condition was type 2 diabetes mellitus. Only one SR presented information about the safety of physical activity, without the occurrence of adverse events. Several modalities of physical activity have been shown to promote non-clinical benefits in the treatment of people with diabetes, hypertension and obesity. Final considerations: The evidence indicates that people with diabetes or hypertension can have their quality of life improved with the practice of exercises, especially aerobic ones. For people with obesity or comorbidities, the evidence is less robust. It is important to take into account some uncertainties pointed out by the SRs, as well as the methodological flaws of most of these SRs.


Subject(s)
Humans , Exercise , Diabetes Mellitus/therapy , Hypertension/therapy , Obesity/therapy , Quality of Life
17.
Brasília; Fiocruz Brasília;Instituto de Saúde de São Paulo; 22 dez. 2021. 68 p. tab..
Non-conventional in Portuguese | LILACS, ColecionaSUS, PIE | ID: biblio-1361700

ABSTRACT

Contexto: Diversas ações de promoção de saúde têm sido realizadas em todo o mundo. Muitas vezes elas são intersetoriais, com forte participação social. Para continuar avançando, é importante entender em que medida essas ações têm sido implementadas e quais são seus efeitos na melhoria de indicadores de saúde. Nesse sentido, esta revisão rápida procurou identificar evidências de avaliação de programas e ações de promoção da saúde em nosso país. Pergunta: Qual é a situação de implementação de programas de promoção da saúde em municípios brasileiros? Métodos: As buscas foram realizadas na Biblioteca Virtual em Saúde (BVS) e no Google Acadêmico, em 1 de novembro de 2021, com o propósito de identificar estudos primários e secundários que avaliaram a implementação de ações e programas de promoção da saúde em municípios brasileiros. Utilizando atalhos de revisão rápida para simplificar o processo, apenas o processo de seleção por títulos e resumos foi realizado em duplicidade e de forma independente. Os estudos incluídos foram avaliados quanto à qualidade metodológica com instrumentos específicos para cada delineamento. Resultados: De 372 publicações identificadas, 34 estudos foram incluídos nesta síntese narrativa. A apresentação dos achados foi organizada de acordo com os temas prioritários da Política Nacional de Promoção da Saúde (PNPS). Tema 1. Alimentação saudável: Treze estudos apresentaram resultados de avaliação da Iniciativa Unidade Básica Amiga da Amamentação, Rede Amamenta Brasil, Promoção da saúde infantil, Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional, Programa Saúde na Escola, Programa Nacional de Alimentação Escolar, NutriSUS, Hortas em ambiente escolar. Tema 2. Prática corporal ou atividade física: Oito estudos apresentaram resultados de avaliação do Programa de educação pelo esporte, Programa Academia da Cidade, Programa Academia da Saúde, Programas de atividade física, Estratégia de promoção da atividade física e alimentação adequada e saudável. Tema 3. Redução da morbimortalidade em decorrência do uso abusivo de álcool e outras drogas: Seis estudos apresentaram resultados de avaliação do Programa Saúde na Escola, Programa de prevenção ao uso de drogas, Programa escolar europeu Unplugged#Tamojunto, Estratégias de prevenção ao uso de álcool, Unidade de redução de danos. Tema 4. Promoção do desenvolvimento sustentável: Cinco estudos apresentaram resultados de avaliação sobre Atuação profissional sobre os determinantes sociais de saúde no contexto do Programa Saúde da Família; Arranjos e estratégias inovadoras na atenção primária à saúde; Ações intersetoriais dos Programas Bolsa Família, Saúde da Família e Saúde na Escola; Projetos de melhoria da qualidade de vida; Programa de vigilância da qualidade da água para consumo humano. Tema 5. Redução da morbimortalidade por doenças crônicas não transmissíveis: Um estudo apresentou resultados de avaliação de ações educativas em nutrição para controle da obesidade. Tema 6. Prevenção da violência e estímulo à cultura de paz Um estudo apresentou resultados de avaliação do Projeto Disque Idoso. Considerações finais: Os estudos trouxeram informações relevantes sobre barreiras e facilitadores na implementação de programas específicos de promoção da saúde. Os resultados apresentados mostram a importância de se realizar estudos que avaliem a implementação de programas em diferentes contextos, uma vez que há grande diversidade entre os municípios brasileiros quanto à infraestrutura, capacidade de gestão dos programas, e volume de recursos humanos e materiais. Os estudos incluídos são de diversos delineamentos e foram avaliados por meio de instrumentos específicos, mostrando algumas falhas metodológicas. Esta revisão buscou estudos de avaliação da implementação de ações de promoção da saúde. Buscas dirigidas para cada ação isoladamente poderiam trazer informações mais abrangentes que não puderam ser recuperadas pelas estratégias aqui utilizadas.


Context: Several health promotion actions have been carried out around the world. They are often intersectoral, with strong social participation. To continue moving forward, it is important to understand to what extent these actions have been implemented and what are their effects on improving health indicators. In this sense, this quick review sought to identify evidence of evaluation of health promotion programs and actions in our country. Question: What is the status of implementation of health promotion programs in Brazilian municipalities? Methods: Searches were carried out in the Virtual Health Library (BVS) and Google Scholar, on November 1, 2021, with the purpose of identifying primary and secondary studies that evaluated the implementation of health promotion actions and programs in Brazilian municipalities. . Using rapid review shortcuts to simplify the process, only the title and abstract selection process was performed in duplicate and independently. The included studies were evaluated for methodological quality with specific instruments for each design. Results: Of 372 publications identified, 34 studies were included in this narrative synthesis. The presentation of the findings was organized according to the priority themes of the National Health Promotion Policy (PNPS). Theme 1. Healthy eating: Thirteen studies presented evaluation results of the Breastfeeding-Friendly Basic Unit Initiative, Breastfeeding Brazil Network, Child Health Promotion, Food and Nutrition Surveillance System, School Health Program, National School Feeding Program, NutriSUS, Vegetable Gardens in school environment. Theme 2. Body practice or physical activity: Eight studies presented evaluation results of the Education through Sport Program, Academia da Cidade Program, Academia da Saúde Program, Physical Activity Programs, Strategy for the promotion of physical activity and adequate and healthy eating. Theme 3. Reduction of morbidity and mortality due to abusive use of alcohol and other drugs: Six studies presented evaluation results of the Health at School Program, Drug use prevention program, European school program Unplugged#Tamojunto, Strategies to prevent drug use alcohol, harm reduction unit. Theme 4. Promotion of sustainable development: Five studies presented evaluation results on Professional action on the social determinants of health in the context of the Family Health Program; Innovative arrangements and strategies in primary health care; Intersectoral actions of the Bolsa Família, Family Health and School Health Programs; Projects to improve the quality of life; Program for monitoring the quality of water for human consumption. Theme 5. Reduction of morbidity and mortality from chronic non-communicable diseases: A study presented results of evaluation of educational actions in nutrition to control obesity. Theme 6. Preventing violence and encouraging a culture of peace A study presented evaluation results of the Disque Idoso Project. Final considerations: The studies brought relevant information about barriers and facilitators in the implementation of specific health promotion programs. The results presented show the importance of carrying out studies that evaluate the implementation of programs in different contexts, since there is great diversity among Brazilian municipalities in terms of infrastructure, program management capacity, and volume of human and material resources. The included studies are of different designs and were evaluated using specific instruments, showing some methodological flaws. This review sought studies to evaluate the implementation of health promotion actions. Searches directed to each action in isolation could bring more comprehensive information that could not be retrieved by the strategies used here.


Subject(s)
Local Health Systems/organization & administration , Health Promotion , Health Status Indicators
18.
Campo Grande; Fiocruz Mato Grosso do Sul; 10 dez. 2021. 107 p. ilus.
Non-conventional in Portuguese | LILACS, ColecionaSUS, PIE | ID: biblio-1552124

ABSTRACT

Este produto visa orientar todo processo de elaboração de uma resposta rápida para desenvolver um produto que seja de interesse para seu local de trabalho e incorporação dos resultados à dinâmica do serviço. Ele foi pensado e construído para que você possa elaborar o seu produto de resposta rápida com bastante tranquilidade e segurança. Apresenta conteúdos bem explicativos de cada uma das etapas exemplificados, além de indicações de materiais complementares, os quais você poderá acessar para ampliar o seu conhecimento.


This product aims to guide you through the process of developing a rapid response product that is of interest to your workplace and incorporating the results into the dynamics of the service. It has been designed and constructed so that you can develop your rapid response product with a great deal of peace of mind. It contains explanatory content for each of the stages, as well as indications of complementary materials that you can access to broaden your knowledge.


Subject(s)
Research Design/standards , Writing/standards , Review Literature as Topic , Information Storage and Retrieval/methods , Problem Solving , Time Factors , Databases, Bibliographic/standards , Decision Making , Evidence-Informed Policy , Health Priorities/organization & administration
19.
Brasília; Fiocruz Brasília;Instituto de Saúde de São Paulo; 16 nov. 2021. 103 p. tab..
Non-conventional in Portuguese | LILACS, ColecionaSUS, PIE | ID: biblio-1361694

ABSTRACT

Contexto: As práticas de atividade física podem trazer benefícios como redução de riscos à saúde, melhora da saúde mental e da qualidade de vida da população. Por isso, mundialmente há preocupação com os baixos níveis de atividade física por pessoas de diferentes contextos. Esta revisão rápida tem o intuito de avaliar os benefícios das intervenções de atividade física na saúde mental e qualidade de vida de indivíduos acometidos ou não por transtornos mentais. Pergunta: Quais são os efeitos da atividade física na saúde mental? Métodos: Seguindo protocolo prévio, buscas por revisões sistemáticas (RS) foram realizadas em sete bases eletrônicas da literatura, em agosto de 2021. Foram utilizados atalhos de revisão rápida para simplificar o processo, com inclusão de RS publicadas nos últimos cinco anos e com algumas especificações quanto ao contexto e população. Apenas o processo de seleção foi realizado em duplicata e de forma independente, a extração dos dados com posterior avaliação da qualidade das RS foi feita por um revisor e checada por outro. Os resultados foram reunidos em síntese narrativa conforme similaridade da população avaliada. Resultados: De 2.891 registros identificados nas bases de dados, 71 RS foram incluídas após processo de seleção e elegibilidade. Na avaliação da qualidade metodológica com a ferramenta AMSTAR 2, as RS foram consideradas de confiança criticamente baixa (97,1%) e de confiança baixa (2,9%). As revisões apresentaram resultados de exercícios aeróbicos e anaeróbicos, práticas mente-corpo, esportes, entre outras, em populações sem transtornos mentais ou com transtornos mentais diversos (transtornos do neurodesenvolvimento e neurocognitivos; transtornos depressivos; transtornos de ansiedade; espectro da esquizofrenia e outros transtornos psicóticos; transtornos relacionados a substâncias e transtornos aditivos; transtornos relacionados a trauma e a estressores; transtornos alimentares; diversos transtornos em saúde mental). Os efeitos da atividade física foram analisados para vários desfechos, entre os quais bem-estar, ansiedade, depressão, funções motoras e sociais foram avaliadas clinicamente ou por meio de relatos. Considerações finais: De modo geral, a atividade física apresentou inúmeros benefícios para a saúde e a qualidade de vida para pessoas de todas as faixas etárias, sendo os resultados mais estudados e robustos para algumas condições do que para outras. Poucas RS apresentaram informação a respeito da segurança da prática de atividade física, mostrando que são baixos os riscos de eventos adversos graves. As revisões também mostraram alguns resultados contraditórios ou sem diferença significativa entre os resultados dos grupos de intervenção e controle, que precisam ser analisados com cautela. Vale ressaltar que essas incertezas podem estar relacionadas à heterogeneidade dos estudos quanto a diferentes modalidades de atividades físicas, de populações e de desfechos de saúde mental. Além disso, deve-se levar em consideração que a avaliação das RS mostra que a maioria foi classificada como de confiança criticamente baixa.


Context: Physical activity practices can bring benefits such as reducing health risks, improving mental health and quality of life for the population. Therefore, worldwide there is concern about low levels of physical activity by people from different contexts. This quick review aims to assess the benefits of physical activity interventions on mental health and quality of life for individuals with or without mental disorders. Question: What are the effects of physical activity on mental health? Methods: Following a previous protocol, searches for systematic reviews (SR) were carried out in seven electronic databases of the literature, in August 2021. Rapid review shortcuts were used to simplify the process, with the inclusion of SR published in the last five years and with some specifications as to context and population. Only the selection process was carried out in duplicate and independently, the extraction of data with subsequent evaluation of the quality of the SR was carried out by one reviewer and checked by another. The results were gathered in narrative synthesis according to the similarity of the population evaluated. Results: Of the 2,891 records identified in the databases, 71 RS were included after the selection and eligibility process. In the assessment of methodological quality with the AMSTAR 2 tool, the SRs were considered to have critically low confidence (97.1%) and low confidence (2.9%). The reviews presented results of aerobic and anaerobic exercises, mind-body practices, sports, among others, in populations without mental disorders or with diverse mental disorders (neurodevelopmental and neurocognitive disorders; depressive disorders; anxiety disorders; schizophrenia spectrum and other disorders psychotic disorders; substance-related and addictive disorders; trauma- and stress-related disorders; eating disorders; various mental health disorders). The effects of physical activity were analyzed for several outcomes, among which well-being, anxiety, depression, motor and social functions were evaluated clinically or through reports. Final considerations: In general, physical activity has presented numerous benefits for health and quality of life for people of all age groups, with the results being more studied and robust for some conditions than for others. Few SRs presented information about the safety of physical activity, showing that the risks of serious adverse events are low. The reviews also showed some contradictory results or no significant difference between the results of the intervention and control groups, which need to be analyzed with caution. It is worth mentioning that these uncertainties may be related to the heterogeneity of studies regarding different modalities of physical activities, populations and mental health outcomes. In addition, it should be taken into account that the evaluation of the SRs shows that most were classified as critically low confidence.


Subject(s)
Humans , Male , Female , Quality of Life/psychology , Exercise/psychology , Mental Disorders/therapy
20.
Brasília; Fiocruz Brasília;Instituto de Saúde de São Paulo; 5 nov. 2021. 28 p.
Non-conventional in Portuguese | LILACS, ColecionaSUS, PIE | ID: biblio-1362985

ABSTRACT

O problema: A satisfação é um relevante indicador de qualidade da atenção, particularmente entre usuários com doenças crônicas, como diabetes mellitus tipo 2 (DM2) e hipertensão arterial sistêmica (HAS). Ela pode estar relacionada a diversos aspectos do cuidado ofertado na Atenção Primária à Saúde, e sua avaliação possibilita repensar as práticas profissionais e a forma de organização do cuidado. Busca de evidências: As buscas foram realizadas em sete bases de literatura científica para identificar revisões sistemáticas (RS) sobre satisfação de pacientes com DM2 ou HAS com os cuidados recebidos em serviços de saúde. Resultados: De 562 registros recuperados nas bases, 18 RS foram selecionadas para esta síntese de evidências. A avaliação da qualidade metodológica, realizada com a ferramenta AMSTAR 2, classificou uma RS como de confiança moderada, duas de confiança baixa e dezesseis de confiança criticamente baixa. Os dados extraídos das RS puderam ser categorizados em quatro opções para melhorar a satisfação dos usuários. Opção 1. Esquemas terapêuticos para pessoas com DM2: Seis RS analisaram o efeito de diversos esquemas terapêuticos sobre a satisfação de usuários. Os resultados mostraram uma preferência dos participantes dos estudos pelos seguintes medicamentos em relação a seus comparadores: insulina inalada, insulina glulisina de ação curta, terapia combinada com dose fixa de rosiglitazona-metformina, dulaglutida. É importante ressaltar que nenhum desses medicamentos faz parte da RENAME 2020. Opção 2. Gestão do cuidado para pessoas com DM2: Cinco RS avaliaram a satisfação de usuários que receberam cuidados de profissionais de saúde. Os resultados mostraram associação entre satisfação e cuidados liderados por enfermeiros, grupo de educação para autogerenciamento da diabetes, e tratamento conduzido por equipe multidisciplinar. Opção 3. Monitoramento da glicemia para pessoas com DM2: Quatro RS avaliaram a satisfação de usuários com a utilização de estratégias de monitoramento da glicemia, mostrando resultados positivos para o monitoramento contínuo. Opção 4. Atendimento de telessaúde para pessoas com DM2 e HAS: Três RS analisaram a satisfação de usuários com o atendimento de telessaúde apontando resultados favoráveis a intervenções de telemedicina para usuários com HAS e teleatendimento de DM2. Considerações finais: Esta síntese de evidências indica que há poucos estudos que mensuraram a satisfação dos usuários, particularmente aqueles com HAS. Embora a maioria dos resultados tenha mostrado satisfação de pessoas com DM2 quanto às estratégias estudadas, observa-se que há várias incertezas. Desse modo, há necessidade de mais estudos com alta qualidade metodológica que investiguem intervenções para melhorar a satisfação dos usuários.


The problem: Satisfaction is a relevant indicator of quality of care, particularly among users with chronic diseases, such as type 2 diabetes mellitus (DM2) and systemic arterial hypertension (SAH). It may be related to several aspects of the care offered in Primary Health Care, and its evaluation makes it possible to rethink professional practices and the way in which care is organized. Search for evidence: Searches were carried out in seven scientific literature bases to identify systematic reviews (SR) on the satisfaction of patients with DM2 or SAH with the care received in health services. Results: Of 562 records retrieved from the databases, 18 RS were selected for this evidence synthesis. The methodological quality assessment, carried out with the AMSTAR 2 tool, classified one RS as moderately confident, two as low confidence and sixteen as critically low confidence. The data extracted from the SRs could be categorized into four options to improve user satisfaction. Option 1. Therapeutic regimens for people with DM2: Six SRs analyzed the effect of different therapeutic regimens on user satisfaction. The results showed a preference of study participants for the following drugs over their comparators: inhaled insulin, short-acting insulin glulisine, rosiglitazone-metformin fixed-dose combination therapy, dulaglutide. It is important to note that none of these drugs are part of RENAME 2020. Option 2. Management of care for people with DM2: Five SRs evaluated the satisfaction of users who received care from health professionals. The results showed an association between satisfaction and care led by nurses, education group for diabetes self-management, and treatment conducted by a multidisciplinary team. Option 3. Blood glucose monitoring for people with DM2: Four SRs evaluated the satisfaction of users with the use of blood glucose monitoring strategies, showing positive results for continuous monitoring. Option 4. Telehealth care for people with DM2 and SAH: Three SRs analyzed the satisfaction of users with telehealth care, pointing to favorable results for telemedicine interventions for users with SAH and telecare for DM2. Final considerations: This synthesis of evidence indicates that there are few studies that have measured user satisfaction, particularly those with SAH. Although most results have shown satisfaction of people with DM2 regarding the strategies studied, it is observed that there are several uncertainties. Thus, there is a need for more studies with high methodological quality that investigate interventions to improve user satisfaction.


Subject(s)
Humans , Primary Health Care , Patient Satisfaction , Patient Satisfaction/statistics & numerical data , Telemedicine , Patient Reported Outcome Measures , Diabetes Mellitus, Type 2 , Hypertension
SELECTION OF CITATIONS
SEARCH DETAIL