Your browser doesn't support javascript.
loading
Show: 20 | 50 | 100
Results 1 - 20 de 27
Filter
1.
J. pediatr. (Rio J.) ; 94(1): 3-14, Jan.-Feb. 2018. tab, graf
Article in English | LILACS | ID: biblio-894096

ABSTRACT

Abstract Objective: This was a systematic review of the incidence density and risk factors for central venous catheter-related infections in a neonatal population. Data source: The MEDLINE, Embase, Cochrane, BDENF, SciELO, and LILACS databases were used without date or language restriction. Studies that analyzed risk factors for bloodstream infections in newborns were identified. Data synthesis: A total of 134 articles were found that met the eligibility criteria. Of these articles, 14 were selected that addressed risk factors for central venous catheter-related infection in neonates. Catheter-related bloodstream infections remain an important complication, as shown by the incidence rates reported in the studies included in this review. The observed risk factors indicate that low birth weight, prematurity, and longer catheter permanence are related to a higher incidence of bloodstream infections. It has been observed that low rates of catheter-related infections, i.e., close to zero, are already a reality in health institutions in developed countries, since they use infection surveillance and control programs. Conclusion: Catheter-related bloodstream infections still show high incidence density rates in developing countries. The authors emphasize the need for further longitudinal studies and the need for better strategies to prevent risk factors, aiming at the reduction of catheter-related infections.


Resumo Objetivo: Revisão sistemática sobre a densidade de incidência e de fatores de risco para infecção associada a cateter venoso central em população neonatal. Fontes dos dados: Usaram-se os bancos de dados Medline, Embase, Cochrane, Bdenf, Scielo e Lilacs, sem restrição de data ou de idioma. Identificaram-se os estudos que analisaram fatores de risco para infecção da corrente sanguínea em recém-nascidos. Síntese dos dados: Foram encontrados 134 artigos conforme os critérios de elegibilidade. Desses, foram selecionados 14 que abordaram fatores de risco para infecção associada a cateter venoso central em neonatos. A infecção da corrente sanguínea associada a cateter continua a mostrar-se como uma importante complicação, conforme demonstram as taxas de incidência relatadas nos estudos incluídos nesta revisão. Os fatores de risco observados apontam que baixo peso ao nascer, prematuridade e maior tempo de permanência do cateter estão relacionados a maior incidência de infecção da corrente sanguínea. Observou-se que taxas de infecção associada a cateter em valores baixos, próximos a zero, já são uma realidade em instituições de saúde de países desenvolvidos, uma vez que usam programas de vigilância e controle de infecção. Conclusão: A infecção da corrente sanguínea associada a cateter ainda apresenta altas taxas de densidade de incidência em países em desenvolvimento. Destaca-se a necessidade de mais estudos longitudinais e a necessidade de melhores estratégias de prevenção dos fatores de risco para a redução de infecção associada a cateter.


Subject(s)
Humans , Infant, Newborn , Catheterization, Central Venous/adverse effects , Catheter-Related Infections/epidemiology , Incidence , Risk Factors , Catheter-Related Infections/etiology
2.
J. pediatr. (Rio J.) ; 90(6): 542-555, Nov-Dec/2014. tab, graf
Article in English | LILACS | ID: lil-729830

ABSTRACT

OBJECTIVE: To review the available literature on the association between acute viral respiratory tract infection and the onset of asthma exacerbations, identifying the most prevalent viruses, detection methods, as well as preventive and therapeutic aspects. SOURCES: A search was conducted in PubMed, Lilacs, and SciELO databases, between the years 2002 and 2013, using the following descriptors: asthma exacerbation, virus, child, and acute respiratory infection. SUMMARY OF THE FINDINGS: A total of 42 Original Articless addressing the identification of respiratory viruses during episodes of asthma exacerbation were selected, mostly cross-sectional studies. There was a wide variation in the methodology of the assessed studies, particularly in relation to the children's age and methods of collection and viral detection. The results indicate that, in up to 92.2% of exacerbations, a viral agent was potentially the main triggering factor, and human rhinovirus was the most frequently identified factor. The pattern of viral circulation may have been responsible for the seasonality of exacerbations. The association between viral infections and allergic inflammation appears to be crucial for the clinical and functional uncontrolled asthma, but few studies have evaluated other triggering factors in association with viral infection. CONCLUSIONS: Respiratory viruses are present in the majority of asthmatic children during episodes of exacerbation. The involved physiopathological mechanisms are yet to be fully established, and the synergism between allergic inflammation and viral infection appears to determine uncontrolled disease. The role of other triggering and protective agents is yet to be clearly determined. .


OBJETIVO: Rever a literatura disponível sobre a relação entre infecção viral aguda do trato respiratório e o desencadeamento de exacerbações da asma, identificando os vírus mais prevalentes, os métodos de detecção, bem como os aspectos preventivos e terapêuticos. FONTE DOS DADOS : Foi realizada uma busca nas bases de dados PubMed, SciELO e Lilacs utilizando os descritores: asma, exacerbação, vírus, criança e infecção respiratória aguda, entre os anos de 2002 e 2013. SÍNTESE DOS DADOS: Foram selecionados 42 artigos originais que tratavam da identificação de vírus respiratórios durante episódios de exacerbação da asma, em sua maioria estudos transversais. Houve ampla variação na metodologia dos trabalhos avaliados, principalmente em relação à idade das crianças e métodos de coleta e detecção viral. Os resultados apontam que, em até 92,2% das exacerbações, um agente viral foi potencialmente o principal fator desencadeante, sendo o rinovírus humano o mais identificado. O padrão de circulação viral pode ter sido responsável pela sazonalidade das exacerbações. A associação entre infecção viral e inflamação alérgica parece ser determinante para levar ao descontrole clínico-funcional da asma, porém poucos estudos avaliaram outros fatores desencadeantes em associação com a infecção viral. CONCLUSÕES: Os vírus respiratórios estão presentes na maioria das crianças asmáticas durante os episódios de exacerbação. Os mecanismos fisiopatológicos envolvidos ainda não estão totalmente estabelecidos e o sinergismo entre a inflamação alérgica e infecção viral parece ...


Subject(s)
Adolescent , Child , Child, Preschool , Humans , Asthma/virology , Respiratory Tract Infections/virology , Acute Disease , Asthma/diagnosis , Asthma/physiopathology , Precipitating Factors , Respiratory Tract Infections/diagnosis , Respiratory Tract Infections/physiopathology , Rhinovirus/physiology
3.
Pulmäo RJ ; 21(2): 60-64, 2012.
Article in Portuguese | LILACS | ID: lil-668389

ABSTRACT

Broncodilatadores agem através de seu efeito direto relaxante sobre a célula muscular lisa. Eles pertencem a três classes farmacológicas: agonistas dos receptores β2-adrenérgicos, metilxantinas e antagonistas muscarínicos (ou anticolinérgicos inalatórios). Quando usados pela via inalatória, os beta 2 agonistas e os antagonistas muscarínicos têm ação mais rápida com menos efeitos sistêmicos. Os broncodilatadores de ação rápida são mais usados no tratamento de alívio dos sinto-mas agudos enquanto os de ação prolongada são melhor usados no tratamento de manutenção. Os β2-agonistas são os bronco dilatadores mais usados no tratamento da asma. Os anticolinérgicos têm início de ação mais lento e menos efeitosobre a função pulmonar, quando comparados aos beta 2 agonistas, sendo mais usados no tratamento de portadores de doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC). O emprego das metilxantinas no tratamento regular é limitado por seusefeitos tóxicos potencialmente perigosos. Os β2-agonistas de curta e de longa duração, junto com os corticosteroides inalatórios, constituem o pilar terapêutico da asma nos doentes com a asma mal controlada com o uso isolado de corti-costeróide inalatório


Subject(s)
Humans , Male , Female , Asthma/therapy , Bronchodilator Agents , Disease Progression , Anti-Asthmatic Agents , Respiratory Tract Diseases
4.
J. pediatr. (Rio J.) ; 87(6): 469-477, nov.-dez. 2011.
Article in Portuguese | LILACS | ID: lil-623439

ABSTRACT

OBJETIVO: Rever os fatores de risco para infecção associada a cateteres venosos centrais e as recomendações para a sua prevenção. FONTES DOS DADOS: Foram revisados artigos publicados sobre o tema no PubMed, Cochrane Collaboration e Bireme. Os seguintes critérios de inclusão foram levados em consideração: trabalhos publicados entre 2000 e 2010, delineamento do estudo, população pediátrica hospitalizada com utilização de cateteres venosos centrais e artigos sobre infecção associada a cateteres venosos centrais. Além disso, foram utilizados documentos de referência dos Centers for Disease Control and Prevention e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária. SÍNTESE DOS DADOS: Os fatores de risco associados foram: tempo de utilização de acesso central, duração da internação e uso de cateter central de longa permanência, colocação de cateter venoso central em Unidade de Terapia Intensiva, doença cardiovascular não cirúrgica, recebimento de nutrição parenteral e de transfusão de hemoderivados. Entre as medidas preventivas, a literatura recomenda a implementação de protocolos e diretrizes multidisciplinares de cuidados na inserção e manutenção dos cateteres centrais, cuidados com a técnica de inserção dos cateteres venosos centrais, utilização de curativos impregnados com clorexidina, retirada precoce do cateter e adoção de programas de educação continuada para a equipe assistencial. CONCLUSÃO: O controle dos fatores de risco pode levar a uma redução igual ou superior a 40% na incidência dessas infecções. A vigilância do processo de inserção e cuidados com os cateteres vasculares centrais na população pediátrica orienta a padronização de rotinas dos serviços de saúde para a obtenção de taxas de referência para comparação intra e interinstitucionais.


OBJECTIVE: To review the risk factors of central venous catheter-related bloodstream infection and the recommendations for its prevention. SOURCES: PubMed, Cochrane Collaboration and Bireme were reviewed using the following inclusion criteria: studies published between 2000 and 2010, study design, hospitalized pediatric population with central venous catheters and studies about central venous catheter-related bloodstream infection. In addition, reference documents were retrieved from the Centers for Disease Control and Prevention and the Brazilian Health Surveillance Agency. SUMMARY OF THE FINDINGS: Associated risk factors were: duration of central venous catheter use; length of hospitalization time; long-term indwelling central venous catheter; insertion of central venous catheter in intensive care unit; nonoperative cardiovascular disease; parenteral nutrition; and administration of blood products. The preventive measures recommended by studies in the literature are: development of records and multidisciplinary guidelines of care for central venous catheter insertion and maintenance; correct use of central venous catheter insertion technique; use of chlorhexidine-impregnated dressings; early catheter removal; and adoption of continued education programs for the healthcare team. CONCLUSION: The control of risk factors may lead to a reduction of 40% or greater in the incidence of catheter-related bloodstream infection. Insertion surveillance and special attention to central venous catheter in pediatric populations should guide the standardization of healthcare routines to achieve standards for comparisons within and between institutions.


Subject(s)
Child , Humans , Catheter-Related Infections/prevention & control , Catheterization, Central Venous/adverse effects , Practice Guidelines as Topic , Risk Factors
5.
J. pediatr. (Rio J.) ; 87(5): 412-418, set.-out. 2011. tab
Article in Portuguese | LILACS | ID: lil-604432

ABSTRACT

OBJETIVOS: Analisar as frequências de hospitalização e de atendimentos em serviços de urgência ocorridas em crianças e adolescentes antes e após o ingresso em programa de asma no Brasil. MÉTODOS: Prontuários de 608 pacientes menores de 15 anos e com asma foram avaliados retrospectivamente. As frequências de hospitalização por asma e de atendimentos em serviços de urgência para episódios agudos de broncoespasmo foram avaliadas nos períodos anterior e posterior à admissão no programa que disponibiliza medicamentos, preconiza abordagem integral do paciente e manejo profilático de acordo com a Global Initiative for Asthma (GINA). O período de observação antes do programa (AP) teve a duração de 12 meses enquanto o depois do programa (DP) variou de 12 a 36 meses. RESULTADOS: No período AP, ocorreram 895 hospitalizações e 5.375 atendimentos em serviços de urgência, e no período DP, ocorreram 180 hospitalizações e 713 atendimentos na urgência. O teste t de Student para amostras pareadas e o modelo de regressão para observações dependentes identificaram efeito significativo do programa em relação às variáveis estudadas (p = 0,000). CONCLUSÕES: A adoção das recomendações do GINA levou à redução significativa nas frequências de hospitalização e atendimentos na urgência em crianças e adolescentes com asma.


OBJECTIVES: To assess the frequency of hospitalizations and emergency department visits of children and adolescents before and after the enrolment in an asthma program. METHODS: Medical records of 608 asthmatics younger than 15 years were assessed retrospectively. The frequency of hospitalizations and emergency department visits caused by exacerbations were evaluated before and after enrolment in an asthma program. Patients were treated with medications and a wide prophylactic management program based on the Global Initiative for Asthma (GINA). The before asthma program (BAP) period included 12 months before enrollment, whereas the after asthma program (AAP) period ranged from 12 to 56 months after enrollment. RESULTS: In the BAP period, there were 895 hospitalizations and 5,375 emergency department visits, whereas in the AAP period, there were 180 and 713, respectively. This decrease was significant in all statistical analyses (p = 0.000). CONCLUSIONS: Compliance with the GINA recommendations led to a significant decrease in the frequency of hospitalizations and emergency department visits in children and adolescents with asthma.


Subject(s)
Adolescent , Child , Child, Preschool , Female , Humans , Infant , Male , Asthma/prevention & control , Emergency Service, Hospital , Hospitalization/statistics & numerical data , National Health Programs/standards , Asthma/therapy , Brazil , Epidemiologic Methods , Guideline Adherence/standards , Practice Guidelines as Topic , Program Evaluation , Time Factors
6.
J. pediatr. (Rio J.) ; 87(3): 187-198, maio-jun. 2011. ilus, tab
Article in Portuguese | LILACS | ID: lil-593183

ABSTRACT

OBJETIVOS: Revisar os trabalhos publicados sobre os principais aspectos da bronquiolite obliterante pós-infecciosa, relacionados com sua história, etiologia, epidemiologia, fatores de risco, patogenia, alterações histológicas, manifestações clínicas, exames complementares, critérios diagnósticos, diagnóstico diferencial, tratamento e prognóstico. FONTES DOS DADOS: Realizou-se uma revisão não sistemática nas bases de dados MEDLINE e LILACS, selecionando-se 66 referências mais relevantes. SÍNTESE DOS DADOS: Na bronquiolite obliterante pós-infecciosa ocorre lesão do epitélio respiratório, e a gravidade clínica está relacionada aos diferentes graus de lesão e ao processo inflamatório. O diagnóstico baseia-se no quadro clínico, na exclusão dos principais diagnósticos diferenciais e no auxílio dos exames complementares. A tomografia computadorizada de alta resolução, principalmente com imagens em inspiração e expiração, possibilta a avaliação das pequenas vias aéreas. As provas de função pulmonar caracterizam-se por padrão obstrutivo fixo com redução acentuada do FEF25-75 por cento. O tratamento não está bem estabelecido, e o uso de corticoides tem sido preconizado em forma de pulsoterapia ou por via inalatória em elevadas doses, no entanto, os dados da literatura a respeito de sua eficácia ainda são escassos. O prognóstico a longo prazo é variável, podendo haver melhora clínica ou evolução para insuficiência respiratória crônica e óbito. CONCLUSÃO: A bronquiolite obliterante pós-infecciosa é uma doença que cursa com elevada morbidade e deve ser abordada por equipe multidisciplinar com acompanhamento em longo prazo.


OBJECTIVES: To review publications about the main features of post-infectious bronchiolitis obliterans and its history, etiology, epidemiology, risk factors, pathogenesis, histological findings, clinical presentation, complementary tests, diagnostic criteria, differential diagnosis, treatment and prognosis. SOURCES: Non-systematic review of MEDLINE and LILACS databases and selection of 66 most relevant studies. SUMMARY OF THE FINDINGS: In the post-infectious bronchiolitis obliterans there is an insult to respiratory epithelial cells, and its clinical severity is associated with the degree of lesion and inflammation. Diagnosis is made according to clinical signs and symptoms, by exclusion of main differential diagnoses and with the aid of complementary tests. High resolution CT, particularly images obtained during inspiration and expiration, provide information for the evaluation of the small airways. Pulmonary function tests show fixed airway obstructions and marked decrease of FEF25-75 percent. Treatment has not been definitely established, and corticoids have been administered as pulse therapy or by inhalation of high doses of steroids. However, data about its efficacy are scarce in the literature. Long-term prognosis is variable, and there might be either clinical improvement or deterioration into respiratory insufficiency and death. CONCLUSION: Post-infectious bronchiolitis obliterans is a disease with a high morbidity rate; it should be treated by a multidisciplinary team, and patients should be followed up for a long period of time.


Subject(s)
Child , Humans , Bronchiolitis Obliterans/diagnosis , Bacterial Infections/complications , Bronchiolitis Obliterans/drug therapy , Bronchiolitis Obliterans/etiology , Prognosis , Risk Factors , Virus Diseases/complications
7.
J. pediatr. (Rio J.) ; 86(3): 202-208, maio-jun. 2010. tab
Article in English, Portuguese | LILACS | ID: lil-550775

ABSTRACT

OBJETIVO: Detectar o impacto do tratamento fonoaudiológico no controle da asma e da rinite alérgica em crianças e adolescentes respiradores orais. MÉTODOS: Trata-se de um estudo quase-experimental; foram randomizados 24 pacientes com asma, rinite alérgica e respiração oral, idade de 6 a 15 anos. Todos os pacientes usavam dipropionato beclometasona inalação oral. No momento em que aceitaram participar da pesquisa, a inalação oral foi substituída pela inalação exclusivamente nasal na inspiração e, após 1 mês, associou-se ao tratamento fonoaudiológico em metade dos pacientes. Esses receberam 16 sessões de tratamento fonoaudiológico em 8 semanas, além do dipropionato de beclometasona inalação exclusivamente nasal (grupo DBF). O grupo de comparação recebeu somente dipropionato beclometasona inalação exclusivamente nasal (grupo DBI). Os dois grupos foram avaliados em cinco tempos. Utilizou-se o escore clínico da rinite alérgica, da asma, o protocolo de avaliação miofuncional orofacial adaptado de Marchesan (2003), a observação dos responsáveis, dados de espirometria, de pico de fluxo inspiratório e de pico de fluxo expiratório. RESULTADOS: Houve melhora significativa do grupo DBF: escores clínicos da asma no tempo 5 (p = 0,046); valores do pico de fluxo inspiratório no tempo 4 (p = 0,030); pico de fluxo expiratório no tempo 3 (p = 0,008); modo respiratório e postura de lábios (p = 0,000) a partir do tempo 3; observação dos responsáveis, no tempo 2, tempo 4 e tempo 5 (p = 0,010; p = 0,027; p = 0,030). CONCLUSÕES: O tratamento fonoaudiológico associado ao dipropionato beclometasona por inalação exclusivamente nasal promoveu um controle clínico e funcional mais precoce e duradouro da asma, da rinite alérgica e da respiração oral entre os grupos estudados.


OBJECTIVE: To determine the impact of speech therapy on asthma and allergic rhinitis control in mouth breathing children and adolescents. METHODS: This was a quasi-experimental randomized study of 24 mouth breathing patients with asthma and allergic rhinitis, aged from 6 to 15 years. All patients were taking beclomethasone diproprionate through oral inhalation at the start of the study. At enrollment on the study, oral inhalation was substituted with exclusively nasal inhalation and 1 month later half of the patients began speech therapy. They attended 16 speech therapy sessions in 8 weeks and continued taking beclomethasone dipropionate through exclusively nasal inhalation (BDT group). The comparison group received only beclomethasone diproprionate through exclusively nasal inhalation (BDI group). Both groups were assessed five times. Clinical scores were calculated for allergic rhinitis and asthma, an adapted version of the Marchesan orofacial myofunctional assessment protocol was applied, and parents/guardians' observations were recorded, in addition to spirometry measurements of peak inspiratory and peak expiratory flow. RESULTS: There were significant improvements in the BDT group: clinical asthma score at T5 (p = 0.046); peak inspiratory flow at T4 (p = 0.030); peak expiratory flow at T3 (p = 0.008); breathing mode and lip position (p = 0.000) from T3 onwards; and parents/guardians' observations at T2, T4, and T5 (p = 0.010; p = 0.027; p = 0.030). CONCLUSIONS: Speech therapy in combination with beclomethasone diproprionate through exclusively nasal inhalation resulted in earlier and longer-lasting clinical and functional control of asthma, allergic rhinitis, and mouth breathing than was achieved in the group that only took beclomethasone diproprionate.


Subject(s)
Adolescent , Child , Female , Humans , Male , Asthma/rehabilitation , Mouth Breathing/rehabilitation , Rhinitis, Allergic, Perennial/rehabilitation , Rhinitis, Allergic, Seasonal/rehabilitation , Speech Therapy , Anti-Asthmatic Agents/administration & dosage , Asthma/drug therapy , Beclomethasone/administration & dosage , Combined Modality Therapy , Respiratory Function Tests , Rhinitis, Allergic, Perennial/drug therapy , Rhinitis, Allergic, Seasonal/drug therapy
8.
J. pediatr. (Rio J.) ; 83(6): 555-561, Nov.-Dec. 2007. tab
Article in English, Portuguese | LILACS | ID: lil-472618

ABSTRACT

OBJETIVOS: Avaliar a prevalência da rinite alérgica (RA) e os fatores associados à utilização de serviços de pronto-atendimento por asma aguda em crianças e adolescentes asmáticos tratados com corticóide inalatório. MÉTODOS: Foi realizado um estudo transversal, do qual participaram 126 pacientes que se encontravam em tratamento com o dipropionato de beclometasona por 3 anos. Através de modelos de regressão logística, foram avaliados os fatores associados à consulta de pronto-atendimento no terceiro ano de tratamento com dipropionato de beclometasona. RESULTADOS: A prevalência da rinite alérgica foi de 74,6 por cento (IC95 por cento 65,9-81,7). A presença de rinite alérgica (OR = 2,98, IC95 por cento 1,10-8,06) e a gravidade da asma (OR = 2,09, IC95 por cento 1,05-4,44) foram fatores independentes para consultas em pronto-atendimento. CONCLUSÃO: A rinite alérgica apresentou elevada prevalência no grupo estudado e, aliada à gravidade da asma, foi o principal fator de risco para as consultas de pronto-atendimento. Os serviços de saúde deveriam ficar atentos para o reconhecimento precoce da rinite alérgica nos pacientes com asma.


OBJECTIVE:To assess the prevalence of allergic rhinitis and the factors associated with the use of emergency care services by children and adolescents with acute asthma submitted to inhaled corticosteroid therapy. METHODS: A cross-sectional study was conducted with 126 patients treated with beclomethasone dipropionate for 3 years. The factors associated with emergency care services in the third year of beclomethasone dipropionate treatment were assessed using logistic regression models. RESULTS: The prevalence of allergic rhinitis amounted to 74.6 percent (95 percentCI 65.9-81.7). The presence of allergic rhinitis (OR = 2.98, 95 percentCI 1.10-8.06) and asthma severity (OR = 2.09, 95 percentCI 1.05-4.44) were independent factors for emergency care services. CONCLUSION: The prevalence of allergic rhinitis was high and that, combined with asthma severity, constituted the major risk factor for the necessity of emergency care services. Health professionals should attempt to make an early diagnosis of allergic rhinitis in asthmatic patients.


Subject(s)
Adolescent , Child , Female , Humans , Male , Anti-Asthmatic Agents/therapeutic use , Asthma/epidemiology , Beclomethasone/therapeutic use , Emergency Medical Services , Rhinitis, Allergic, Perennial/epidemiology , Acute Disease , Asthma/drug therapy , Brazil/epidemiology , Health Services Needs and Demand/statistics & numerical data , Prevalence , Risk Factors , Severity of Illness Index
9.
J. pediatr. (Rio J.) ; 83(5): 471-476, Sept.-Oct. 2007. graf, tab
Article in Portuguese | LILACS | ID: lil-467360

ABSTRACT

OBJETIVO: A morbidade associada à asma é elevada, principalmente nos países em desenvolvimento, e as falhas na adesão ao uso de corticóide inalatório contribuem para esta elevação. Este estudo objetiva comparar as taxas de adesão ao uso de beclometasona relatadas pelos responsáveis e as mensuradas pelos registros de dispensação farmacêutica do medicamento. MÉTODOS: Foi realizado um estudo de coorte concorrente com duração de 12 meses, do qual participaram 106 crianças e adolescentes asmáticos, selecionados aleatoriamente. Através da regressão linear, as taxas de adesão relatadas pelos responsáveis e pelos registros de dispensação da farmácia do serviço foram correlacionadas, quadrimestralmente, a partir da admissão no estudo. RESULTADOS: As taxas de adesão relatadas pelos pais e/ou responsáveis foram sempre superiores (p < 0,001) e apresentaram fraca correlação com aquelas mensuradas pelos registros de farmácia nos períodos estudados, quarto (r = 0,37) e 12º (r = 0,31) mês do seguimento.CONCLUSÃO: As taxas de adesão relatadas pelos pais foram superestimadas em todos os períodos do estudo. Crianças com asma deveriam ter suas taxas de adesão também monitoradas por outros métodos e, neste caso, os registros de farmácia foram efetivos em revelar as falhas na adesão. Dado ao seu baixo custo, esse método está indicado para a verificação dessas taxas.


OBJECTIVE: There is elevated morbidity associated with asthma, particularly in developing countries, and failure to comply with inhaled corticosteroid treatment contributes to this morbidity. The objective of this study is to compare rates of compliance with beclomethasone treatment reported by parents or guardians with those measured by pharmacy dispensing records. METHODS: A concurrent cohort study of 12 months' duration was carried out, enrolling 106 asthmatic children and adolescents, selected at random. Linear regression was used to compare rates of compliance reported by parents or guardians with the pharmacy dispensing records at the service, every 4 months after enrollment on the study. RESULTS: Compliance rates reported by parents and/or guardians were always higher (p < 0.001) and exhibited a weak correlation with pharmacy records during the period studied; fourth (r = 0.37) and twelfth (r = 0.31) months of follow-up. CONCLUSIONS: The rates of compliance reported by parents were overestimated during all study periods. The compliance rates of children with asthma should also be monitored by other methods and, in this case, pharmacy records effectively revealed compliance failures. Given its low cost, this method is indicated for verification of these compliance rates.


Subject(s)
Adolescent , Adult , Child , Child, Preschool , Female , Humans , Male , Anti-Asthmatic Agents/administration & dosage , Asthma/drug therapy , Beclomethasone/administration & dosage , Patient Compliance/statistics & numerical data , Administration, Inhalation , Cohort Studies , Community Pharmacy Services , Legal Guardians , Nebulizers and Vaporizers , Severity of Illness Index
10.
J. pediatr. (Rio J.) ; 82(6): 465-469, Nov.-Dec. 2006. tab, graf
Article in English | LILACS | ID: lil-440513

ABSTRACT

OBJETIVO: Correlacionar as medidas de volume expiratório forçado no primeiro segundo (VEF1), pico do fluxo expiratório (PFE) e parâmetros clínicos em crianças com asma moderada a grave. MÉTODOS: Trata-se de um estudo de coorte não concorrente, realizado em ambulatório de pneumologia pediátrica, em Belo Horizonte, MG, de março a outubro de 2002. Participaram do estudo crianças entre 5 e 16 anos, com asma persistente, em uso de beclometasona na dosagem mínima de 500 mcg/dia, com sintomas controlados há pelo menos 3 meses. Foram selecionados 75 pacientes (96,1 por cento) de forma aleatória simples, os quais foram acompanhados durante 3 meses, sendo avaliados o escore clínico e as provas de função pulmonar (PFE e VEF1). Os resultados foram analisados através da regressão linear de Pearson. RESULTADOS: Entre os valores absolutos e percentuais do PFE e o escore clínico, a correlação foi negativa e muito próxima a zero, o que significa uma correlação fraca, sem significância estatística. O mesmo se observa entre VEF1 e escore clínico. A correlação entre VEF1 e PFE apresentou valor positivo e com significância estatística (p = 0,000). CONCLUSÕES: Como o melhor parâmetro para avaliar obstrução de vias aéreas é o VEF1, o encontro de correlação positiva entre este e os valores absolutos do PFE reforça a importância do seu uso e permite recomendar a mensuração do PFE no manejo das crianças asmáticas, sobretudo nos casos graves.


OBJECTIVE:To correlate forced expiratory volume in 1 second (VEF1) and peak expiratory flow (PEF) with clinical parameters in children with moderate and severe asthma. METHODS: This was a non-concurrent cohort study, carried out at a pediatric pneumology clinic, in Belo Horizonte, MG, Brazil, between March and October 2002. The study enrolled children aged 5 to 16 years, with persistent asthma, being treated with a minimum of 500 mcg/day beclomethasone, and with symptoms under control for at least 3 months. Seventy-five patients (96.1 percent) were selected by simple randomization and monitored for 3 months, via a clinical severity scale and pulmonary function tests (PEF and VEF1). Results were analyzed using Pearson's coefficient. RESULTS: Correlations between absolute and percentage PEF figures and clinical severity score, were negative and very close to zero, signifying a weak correlation with no statistical significance. The same relationship was observed between VEF1 and clinical severity score. The correlation between VEF1 and PEF had a positive value with statistical significance (p = 0.000). CONCLUSIONS: Since the best parameter for evaluating airway obstruction is VEF1, the finding that there is a positive correlation between this measure and absolute PEF reinforces the importance of its use and allows for the recommendation that PEF be measured as part of the management of asthmatic children, particularly in severe cases.


Subject(s)
Humans , Male , Female , Child, Preschool , Child , Adolescent , Asthma/physiopathology , Forced Expiratory Volume/physiology , Peak Expiratory Flow Rate/physiology , Airway Obstruction/physiopathology , Anti-Asthmatic Agents/therapeutic use , Asthma/drug therapy , Beclomethasone/therapeutic use , Cohort Studies , Follow-Up Studies , Linear Models , Monitoring, Physiologic , Severity of Illness Index
11.
J. pediatr. (Rio J.) ; 82(3): 193-196, May-June 2006. tab
Article in Portuguese | LILACS | ID: lil-431073

ABSTRACT

OBJETIVO: Verificar as diferenças nos valores da fração exalada de óxido nítrico (FeNO) em asmáticos atópicos e não-atópicos em uso de tratamento antiinflamatório e comparar a FeNO com a função pulmonar MÉTODOS: Estudo transversal com 45 asmáticos persistentes moderados e graves, de 6 a 17 anos, selecionados consecutivamente, em uso de medicação antiinflamatória há pelo menos 1 ano. Os pacientes foram divididos em dois grupos: atópicos, isto é, com testes cutâneos positivos, e não-atópicos. As avaliações clínico-funcionais e a mensuração da FeNO foram realizadas concomitantemente. RESULTADOS: Houve predomínio do sexo masculino (62,5 por cento),sendo que cerca de 85 por cento pertenciam à faixa etária de 6 até 13 anos (média, 10,4 anos). Não foi encontrada, nos dois grupos, significância estatística para a presença de sintomas associados à asma (p = 0,07), rinite alérgica (p = 0,17), alergia alimentar (p = 0,09), necessidade de corticóide sistêmico (p = 0,10), antileucotrieno (p = 0,20) e anti-histamínico (p = 0,70), nem para os três parâmetros usados para avaliar a função pulmonar (VEF1, VEF1/CVF e FEF25-75 por cento, p > 0,14). A freqüência de eczema (p < 0,005) e a FeNO (p < 0,001) foram mais elevadas entre os atópicos. CONCLUSÃO: Os resultados sugerem que, entre atópicos, a estabilidade clínica e funcional da asma não reflete, necessariamente, o efetivo controle do processo inflamatório, e que haja, talvez, maior chance de recidiva após a suspensão da medicação anti-inflamatória.


Subject(s)
Humans , Male , Female , Child , Adolescent , Asthma/drug therapy , Bronchodilator Agents/administration & dosage , Nitric Oxide/administration & dosage , Respiration , Administration, Inhalation , Bronchodilator Agents/analysis , Chi-Square Distribution , Cross-Sectional Studies , Nitric Oxide/analysis , Respiratory Function Tests , Sex Factors
12.
Rev. saúde pública ; 40(2): 318-320, abr. 2006. tab
Article in Portuguese | LILACS | ID: lil-424055

ABSTRACT

A revacinação com BCG foi introduzida no Brasil em meados dos anos 90 e desde então não foram conduzidos estudos que avaliassem a cobertura vacinal alcançada por meio de investigação da cicatriz do BCG. Nesse sentido, foram estudados 2.785 adolescentes de 13-14 anos matriculados em escolas públicas da cidade de Belo Horizonte, Estado de Minas Gerais, entre setembro de 2001 e maio de 2002. A prevalência da revacinação foi de 64,3 por cento (IC 95 por cento: 62,5-66,0). Os esforços empreendidos para obter tais níveis de cobertura conflitam com a falta de evidências sobre sua efetividade e recomendam a reavaliação da continuidade da revacinação nos serviços de saúde brasileiros.


Subject(s)
Adolescent , Humans , Adolescent , BCG Vaccine , Effectiveness , Vaccination
13.
Braz. j. infect. dis ; 9(5): 390-397, Oct. 2005. tab
Article in English | LILACS | ID: lil-419648

ABSTRACT

We monitored the susceptibility to penicillin of invasive strains of Streptococcus pneumoniae in two reference laboratories; 502 positive cultures from patients with an active invasive infectious process were analyzed. Streptococcus pneumoniae was identified through conventional procedures, and the oxacillin disc diffusion method was used to check for penicillin susceptibility. Statistical analysis included calculations of the frequency distribution, with 95 percent confidence intervals (CI), as well as chi-square tests and chi-square for linear trend for temporal analysis of susceptibility. The bacterium was isolated from patients less than a year old (40.7 percent of the isolates), from infants (55.9 percent), and from individuals less than 15 years old (64.4 percent). The majority (88.2 percent, 95 percent CI = 85.5 percent-91.1 percent) of the 502 isolates were susceptible to penicillin. There was no significant temporal trend of elevation of resistance rate during the study period (p=0.56). We conclude that resistance of S. pneumoniae to penicillin is not yet an important clinical-epidemiological concern in the State of Minas Gerais. To provide necessary support for the adoption of therapeutic and prophylactic measures, epidemiological surveillance should be implemented at a national level to monitor the profile of susceptibility/resistance of S. pneumoniae to penicillin and other antimicrobials.


Subject(s)
Adolescent , Adult , Child , Child, Preschool , Female , Humans , Infant , Male , Middle Aged , Anti-Bacterial Agents/pharmacology , Oxacillin/pharmacology , Penicillin Resistance , Pneumococcal Infections/microbiology , Streptococcus pneumoniae/drug effects , Anti-Bacterial Agents/therapeutic use , Brazil , Chi-Square Distribution , Confidence Intervals , Microbial Sensitivity Tests , Oxacillin/therapeutic use , Pneumococcal Infections/cerebrospinal fluid , Pneumococcal Infections/drug therapy , Streptococcus pneumoniae/isolation & purification
15.
J. pediatr. (Rio J.) ; 80(6): 441-446, nov.-dez. 2004. tab
Article in Portuguese | LILACS | ID: lil-393305

ABSTRACT

OBJETIVO: Rever a literatura sobre o hidrofluoralcano como propelente dos inaladores de dose medida contendo medicamentos empregados na asma. FONTES DOS DADOS: O levantamento bibliográfico foi realizado em bancos de dados eletrônicos - MEDLINE, MDConsult, HighWire, Medscape e LILACS - e por pesquisa direta - referentes aos últimos 15 anos -, utilizando-se as seguintes palavras-chaves: hidrofluoralcano, asma e infância. SíNTESE DOS DADOS: Foram selecionados 43 artigos originais abordando a questão da substituição do clorofluorcarbono pelo hidrofluoralcano. Este gás mostrou-se como uma alternativa de propelente segura, com deposição pulmonar de 50 a 60 por cento e eficácia significativa quando comparado com placebo (p < 0,003) através de estudos clínicos controlados. A maioria das pesquisas realizadas com o hidrofluoralcano emprega o dipropionato de beclometasona. O custo anual aproximado do tratamento com dipropionato de beclometasona/hidrofluoralcano foi menor do que com dipropionato de beclometasona/clorofluorcarbono. Alguns estudos avaliaram o salbutamol, a fluticasona, a flunisolida e a associação fluticasona-salmeterol tendo o hidrofluoralcano como propelente em inaladores pressurizados de dose medida. CONCLUSÕES: Ficou evidenciada em adultos a eficácia e segurança do hidrofluoralcano como propelente de broncodilatadores e glicocorticosteróides em aerossol, bem como a melhor deposição pulmonar das partículas, de um modo geral. Todavia, são escassos os dados na literatura acerca do uso do hidrofluoralcano na faixa etária pediátrica. Seria importante conduzir estudos adicionais em crianças e adolescentes.


Subject(s)
Adult , Child , Humans , Aerosol Propellants , Asthma/drug therapy , Bronchodilator Agents/administration & dosage , Hydrocarbons, Fluorinated , Metered Dose Inhalers , Aerosol Propellants/administration & dosage , Aerosol Propellants/adverse effects , Aerosol Propellants/pharmacokinetics , Hydrocarbons, Fluorinated/administration & dosage , Hydrocarbons, Fluorinated/adverse effects , Hydrocarbons, Fluorinated/pharmacokinetics
17.
J. pediatr. (Rio J.) ; 79(3): 233-238, maio-jun. 2003. tab
Article in Portuguese | LILACS | ID: lil-347284

ABSTRACT

Objetivo: a corticoterapia inalatória é amplamente empregada nos países desenvolvidos, mas, dado ao seu elevado custo, tem sido usada de forma limitada nos países em desenvolvimento. O presente estudo teve como objetivo a quantificação do uso de medicação profilática em crianças com asma persistente moderada ou grave, quando de sua admissão em ambulatório especializado.Métodos: trata-se de um estudo descritivo, baseado nas informaçÕes disponíveis nos prontuários de 560 crianças entre quatro e catorze anos, selecionadas aleatoriamente e atendidas entre abril de 1996 a dezembro de 2000, no ambulatório de pneumologia pediátrica do Centro Geral de Pediatria/Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais. Resultados: dos 560 pacientes, 61,8por cento eram do sexo masculino, 69,5por cento tinham entre quatro e nove anos; a primeira crise ocorreu antes de um ano de idade em 55,8por cento, e 70,5por cento deles apresentavam asma persistente moderada. A internação nos últimos doze meses ocorreu em 42,7por cento das crianças, e o atendimento em serviços deurgência, em 92,7por cento. O percentual de pacientes em tratamento de manutenção foi de 27,3por cento, e da corticoterapia inalatória, 17,1por cento, para os residentes na região metropolitana de Belo Horizonte. Observou-se se redução da profilaxia com corticoterapia sistêmica de 14,3por cento para 4,2por cento entre 1996 e 2000. Conclusões: os índices de corticoterapia inalatória situaram-se em níveis superiores aos observados em estudos brasileiros e comparáveis a alguns internacionais, ocorrendo paralelamente uma redução do uso de corticoterapia sistêmica de manutenção. Estes resultados podem estar associados à implantação do programa dereorganização da assistência pública à criança asmática em Belo Horizonte


Subject(s)
Humans , Male , Female , Child, Preschool , Child , Adolescent , Anti-Asthmatic Agents , Asthma
18.
Rev. bras. alergia imunopatol ; 25(6): 192-199, nov.-dez. 2002. tab
Article in Portuguese | LILACS | ID: lil-402545

ABSTRACT

Objetivo: Alérgenos domiciliares representam um importante fator causal na asma, principalmente poeira domiciliar, mofo, pêlos e penas de animais, irritantes e produtos químicos. O objetivo deste estudo é fazer uma revisão dos artigos sobre a adesão às medidas de controle ambiental na asma. Métodos: A revisão foi feita por levantamento bibliográfico de banco de dados obtidos através de pesquisa direta, LILACS, MEDLINE e capítulos de livros Resultados: A adesão variou de 17 a 42 per cent em trabalhos nacionais e internacionais. Não obstante os resultados controversos sobre a eficácia do controle ambiental, há uma dissociação entre o que os estudos e a literatura preconizam e a realidade encontrada. Apesar disso, medidas de controle ambiental devem ser adotadas sempre que possível, até mesmo diante dos resultados ainda conflitantes quanto à sua eficácia, porque, de modo geral podem melhorar as manifestações clínicas e reduzir a necessidade de tratamento farmacológico. Conclusão: O controle ambiental nem sempre é realizado e pode ser influenciado por fatores socioeconômicos e culturais.


Subject(s)
Child , Environment , Methods
20.
J. pediatr. (Rio J.) ; 78(1): 9-19, jan.-fev. 2002. tab
Article in Portuguese | LILACS | ID: lil-315123

ABSTRACT

Objetivo: o presente trabalho tem por objetivo rever as principais publicações sobre aspiração de corpos estranhos em pediatria. Fontes dos dados: a pesquisa bibliográfica foi realizada nas bases de dados medline, de 1966 a2000, e no Lilacs, de 1979 a 1999, em português, espanhol e inglês, utilizando-se as palavras-chave aspiração, corpo estranho, criança e adolescentes. Síntese de dados: constatou-se uma distribuição universal desses acidentes. Foi também observado predomínio desta afecção no sexo masculino (51,0 por cento a 73,0 por cento dos casos) e entre crianças abaixo de 3 anos, faixa etária em que se concentraram 65,8 por cento a 85,0 por centoe 40 por cento, respectivamente. O estudo radiológico mostrou-se de grande valia no diagnóstico, demonstrando uma sensibilidade de 57,9 por cento a 100 por cento. Corpos estranhos de natureza alimentar contribuíram com cerca de 70 por cento dos episódios. Conclusões: ficou evidente que a broncoscopia rígida é o procedimento de eleição e requer formação profissional especializada e serviços bem estruturados. Contudo, os aspectos preventivos destes acidentes não receberam a necessária ênfase no contexto destas afecções, sendo a eles dedicada uma seção específica na presente revisão


Subject(s)
Humans , Male , Child , Adolescent , Foreign Bodies , Inhalation
SELECTION OF CITATIONS
SEARCH DETAIL