Your browser doesn't support javascript.
Show: 20 | 50 | 100
Results 1 - 1 de 1
Filter
Add filters








Type of study
Year range
1.
Rev. baiana saúde pública ; 31(2): 294-310, jul.-dez. 2007. tab
Article in Portuguese | LILACS (Americas) | ID: lil-489353

ABSTRACT

Introdução: Com a globalização e automação do mundo do trabalho, os indivíduos encontram-se inseridos em atividades laborais que requerem agilidade, menor tempo para sua realização e vivenciam cotidianos que desencadeiam estresse, ansiedade e depressão. Com isto, a prática de atividades de lazer surge como forma de enfrentamento dessa realidade, como possibilidade de relaxamento e reequilíbrio. Objetivo: Descrever a freqüência das atividades de lazer, identificando suas características, e comparar a prevalência de transtornos mentais em grupos com e sem atividades regulares de lazer. Métodos: Estudo epidemiológico de corte transversal, incluindo 3190 indivíduos com idade de 15 anos ou mais, residentes em zonas urbanas de Feira de Santana, BA. Atividades de lazer foram avaliadas por questinário estruturado, que abordou a freqüência, tipo, motivo e o esforço envolvido. O SRQ-20 avaliou os transtornos mentais comuns (TMC). Resultados: Atividades regulares de lazer foram referidas por 60,8por cento dos entrevistados. Visita a amigos (59,1por cento) e ir a festas (41,3por cento) foram as mais freqüentes. A prevalência global de TMC foi de 31,2por cento sendo de 43,5por cento entre quem não mantinha atividades de lazer e de 23,3por cento entre aqueles que mantinham, revelando associação negativa entre lazer e TMC (RP=0,59; IC95por cento: 0,48; 0,59). Conclusão: Evidenciou-se a importância das atividades de lazer, configurando-se como um fator protetor à saúde mental.


Subject(s)
Humans , Female , Adolescent , Adult , Epidemiologic Studies , Health Promotion , Leisure Activities , Mental Disorders , Mental Health , Brazil/epidemiology
SELECTION OF CITATIONS
SEARCH DETAIL