Your browser doesn't support javascript.
loading
Show: 20 | 50 | 100
Results 1 - 20 de 22
Filter
1.
Estud. Psicol. (Campinas, Online) ; 35(4): 389-398, Oct.-Dec. 2018. tab
Article in English | LILACS | ID: biblio-975293

ABSTRACT

This is a prospective cohort study of 150 individuals attending a specialized health service for substance-related disorders. The study investigated the association between motivation to remain in treatment and treatment adherence. All service users were interviewed soon after admission to the treatment program and were followed-up during the first two months of treatment. A Cox Regression Model was used to estimate the hazard ratios for dropout during the two months following the admission interview. The results indicated that individuals with a primary-school education, lack of income, and low motivation toward treatment at the admission interview presented a higher risk of treatment dropout. This study showed the importance of motivation in changing addictive behavior and in adherence to treatment as essential factors for recovery.


A associação entre a motivação para manter-se em tratamento e a respectiva adesão foi estudada em uma coorte prospectiva de 150 usuários de um Centro de Atenção Psicossocial-Álcool e Drogas. Modelo de Regressão de Cox foi usado para estimar as razões de risco para o abandono do tratamento durante os dois primeiros meses após a entrevista de admissão. Os resultados sugerem que a pouca escolaridade (até a 9ª série), a ausência ou insuficiência de renda, bem como a baixa motivação no momento da entrevista de admissão são fatores de risco para o abandono do tratamento. As motivações para mudar o comportamento aditivo e para aderir ao tratamento foram identificadas como um dos fatores importantes para a recuperação de indivíduos com problemas relacionados ao uso de substâncias químicas.


Subject(s)
Humans , Male , Female , Treatment Outcome , Substance-Related Disorders , Motivation
2.
Rev. gaúch. enferm ; 37(1): e52287, 2016. tab
Article in Portuguese | LILACS, BDENF | ID: biblio-960706

ABSTRACT

RESUMO Objetivos Identificar desigualdades socioeconômicas e regionais na cobertura de exames citopatológicos do colo do útero no Rio Grande do Sul. Métodos Estudo ecológico utilizou dados dos sistemas de informação em saúde de 2011-2012 para estimar coberturas anuais de exames para todas as mulheres residentes e para as não beneficiárias de planos privados de saúde. Desigualdades na cobertura foram estimadas conforme o Índice de Vulnerabilidade Social Municipal, macrorregiões e regiões de saúde. Resultados A prevalência de mulheres não beneficiarias de planos privados de saúde variou de 38,1% a 94,2% entre regiões de saúde. A cobertura estadual foi 17,3% para todas as residentes e 23,8% para as não beneficiárias de planos privados. As maiores coberturas ocorreram nos municípios em maior vulnerabilidade social e nas regiões com maior prevalência de planos privados. Conclusões A prevalência de planos privados de saúde deve ser considerada em estudos da cobertura de serviços pelo Sistema Único de Saúde.


RESUMEN Objetivos Identificar desigualdades socioeconómicas y regionales en la cobertura de exámenes citopatológicos del cuello uterino en Rio Grande do Sul. Métodos Estudio ecológico utilizó datos de los sistemas de información en salud de 2011-2012 para estimar coberturas anuales de exámenes para la totalidad de mujeres residentes y para no beneficiarias de planes privados de salud. Se estimaron las desigualdades según el Índice de Vulnerabilidad Social Municipal, las macroregiones y las regiones de salud. Resultados La prevalencia de mujeres no beneficiarias de planes privados de salud tuvo una variación de 38.1% a 94.2% entre las regiones de salud. La cobertura del estado fue de 17.3% para la totalidad de residentes y el 23.8% para no beneficiarias de planes privados. Las mayores coberturas sucedieron en los municipios de mayor vulnerabilidad social y regiones con mayor prevalencia de planes privados. Conclusiones La prevalencia de los planes privados de salud debe ser considerada en los estudios de cobertura de servicios del Sistema Único de Salud (SUS).


ABSTRACT Objectives To identify socioeconomic and regional inequalities of pap smear coverage in the state of Rio Grande do Sul. Methods An ecological study based on data of the 2011-2012 national health information system to estimate the annual coverage of pap smears for the overall female population of the state and for women without private health insurance. We estimated annual pap smear coverage according to the Municipal Social Vulnerability Index and health macro-regions and regions of the state. Results The percentage of women without private health insurance ranged from 38.1% to 94.2% in the health regions. Pap smear coverage was 17.3% for the overall female population and 23.8% for women without private health insurance. Pap smear coverage was higher in more socially vulnerable municipalities and regions with a higher percentage of women with private health insurance. Conclusions The prevalence of private health insurance should be considered in studies that address the coverage of the Brazilian Unified Health System (SUS).


Subject(s)
Humans , Female , Adult , Healthcare Disparities/statistics & numerical data , Early Detection of Cancer/statistics & numerical data , Papanicolaou Test/statistics & numerical data , Rural Population , Urban Population , Brazil/epidemiology , Poverty Areas , Uterine Cervical Neoplasms/prevention & control , Uterine Cervical Neoplasms/epidemiology , Insurance Coverage , Vulnerable Populations , Early Detection of Cancer/economics , Papanicolaou Test/economics , Social Determinants of Health , Insurance, Health/economics
3.
Interface comun. saúde educ ; 19(supl.1): 695-707, dez. 2015. tab, ilus
Article in Portuguese | LILACS | ID: lil-758156

ABSTRACT

O tema do impacto, frequente na discussão envolvendo políticas públicas de saúde, foi tomado em consideração. Ponderou-se o Programa de Educação pelo Trabalho para a Saúde, incentivo político-financeiro do Ministério da Saúde, para questionar o dimensionamento da integração ensino-serviço. Pretendeu-se instigar ao pensamento, não apresentar métodos e técnicas, entretanto, usou-se um programa orientado pela ação das redes de atenção e objeto de um estudo de impacto. O objetivo foi contribuir com uma espécie de diálogo aberto, levantando questões e apontando a importância de uma rede de pensamento. O impacto, tornado uma pergunta, foi o impulsionador, concluindo-se que faz-se necessário: abrir gavetas (problematizar concepções de base), enunciar perguntas (acolher desafios inovadores) e escrever (elaborar raciocínios disruptores), de modo que uma pesquisa, análise, ou avaliação lance problemas, desafios e disrupturas quando se quer novos arranjos de conhecimentos e práticas.


The impactof health work on education involving health public policies was investigated. The study was focused on the Education by Work for Health Program, sponsored by the Ministry of Health, to develop questions concerning the teaching-service integration. The study aims to fuel thinking, contribute to an open dialog, raise questions, and point out the importance of a network of thinking, instead of providing readymade questions, methods, and techniques. It suggests that the development of questions requires opening of drawers by discussing basic concepts to enunciate questions that invite innovative challenges and to deduce a disruptive reasoning. This is likely to provide the research study, analysis, or program evaluation with the basis to raise issues, challenges, and disruptions potentially useful for new arrangements of knowledge and practices.


El tema del impacto, frecuente en la discusión envolviendo políticas públicas de salud, fue tomado en consideración. Se ponderó el Programa de Educación en el Trabajo para la Salud, incentivo político-financiero del Ministerio de la Salud, para cuestionar el dimensionamiento de la integración enseñanza-servicio. Se pretendió instigar al pensamiento, no presentar métodos y técnicas, a través de un Programa orientado por la acción de las redes de atención y objeto de un estudio de impacto. El objetivo fue contribuir con una especie de diálogo abierto, levantando cuestiones y apuntando la importancia de una red de pensamiento. El impacto, como pregunta, fue el impulsor, concluyéndose que se hace necesario abrir gavetas (problematizar concepciones de base), enunciar preguntas (acoger desafíos innovadores) y escribir (elaborar raciocinios separadores), de modo que una investigación, análisis o evaluación propongan nuevos arreglos de conocimientos y prácticas.


Subject(s)
Humans , Health Education , Health Impact Assessment , Unified Health System
4.
Ciênc. saúde coletiva ; 19(9): 3849-3858, 09/2014. tab
Article in Portuguese | LILACS | ID: lil-720577

ABSTRACT

O artigo apresenta o desenvolvimento e a validação inicial de um Índice de Vulnerabilidade Social - IVS-5, incluindo cinco determinantes sociais de risco à saúde, e exemplifica sua aplicação no financiamento da atenção básica pelo Sistema Único de Saúde no Rio Grande do Sul. Indicadores municipais de vulnerabilidade relativa à pobreza e dispersão populacional foram obtidos do Censo do IBGE-2010. A análise fatorial exploratória e a análise fatorial confirmatória sugerem que os cinco itens podem constituir uma escala de medida cuja confiabilidade é aceitável. O IVS-5 foi então gerado a partir do primeiro componente principal, medindo, em escores Z, desigualdades municipais na vulnerabilidade social relativa à pobreza e dispersão populacional no território. A validade externa do IVS-5 foi examinada em relação a desfechos de saúde, usando dados do Datasus 2007-2011, mostrando que a mortalidade infantil e as hospitalizações por condições sensíveis à atenção básica são maiores em municípios mais vulneráveis. Os resultados sugerem que o IVS-5 é medida válida de desigualdades na vulnerabilidade social entre municípios, aplicável a políticas de equidade social e em saúde.


The article outlines the development and initial validation of a Social Vulnerability Index (SVI) including five social determinants of risk to health and demonstrates its application in the financing of primary care by the Unified Health System (SUS) in the State of Rio Grande do Sul. Municipal indicators of vulnerability relating to poverty and population dispersion were obtained from the 2010 population census of the Brazilian Institute of Geography and Statistics. Both exploratory and confirmatory factor analysis suggests that the five items can constitute a reliable and acceptable measurement scale. The SVI-5 was then generated based on the first main component, measuring municipal inequalities in social vulnerability relating to poverty and population in the territory in Z-scores. The external validity of SVI-5 was examined in relation to health outcomes using DATASUS 2007-2011 data, revealing that infant mortality and hospitalizations for conditions treatable by primary care are greater in more vulnerable municipalities The results suggest that the SVI-5 is a valid measure of inequalities in social vulnerability between municipalities, applicable to socially equitable policies in health.


Subject(s)
Humans , Delivery of Health Care , Public Policy , Socioeconomic Factors , Brazil , Government Programs , Primary Health Care , Vulnerable Populations
5.
J. pediatr. (Rio J.) ; 89(5): 485-491, set.-out. 2013. tab
Article in Portuguese | LILACS | ID: lil-690073

ABSTRACT

OBJETIVO: Avaliar a percepção e as atitudes maternas relacionadas à adesão às orientações de profissionais de saúde sobre aleitamento materno e alimentação complementar e fatores associados. MÉTODOS: Análise transversal de dados de ensaio de campo randomizado, em que foram sorteadas 20 Unidades de Saúde (US) de Porto Alegre-RS das oito gerências distritais de saúde do município. Gestantes atendidas nestas US foram selecionadas e, aos 6-9 meses de idade das crianças, foram obtidos, em visitas domiciliares, dados quanto à percepção materna de adesão às orientações dos profissionais e de consequências das práticas alimentares na saúde da criança. Análises de associação foram realizadas por meio de Regressão de Poisson. RESULTADOS: Foram obtidos dados de 631 binômios mãe-criança. Conforme a percepção das mães, 47% relataram não seguir orientações recebidas nas US. Dentre essas, 45,7% não reconhecem a importância da alimentação para a saúde da criança. A percepção de adesão às orientações dos profissionais foi associada com maiores prevalências de aleitamento materno exclusivo (AME), introdução de alimentos sólidos (IAS) após quatro meses e introdução de alimentos não recomendados após seis meses, além de maior renda familiar. Observaram-se maiores prevalências de AME e IAS após quatro meses (p < 0,05) entre as mães que acreditam na importância da alimentação para a saúde da criança. CONCLUSÃO: Houve elevada prevalência de mães que não seguem as orientações dos profissionais de saúde e a percepção de que a alimentação não influencia a saúde da criança pode ser uma barreira para melhorias nas práticas alimentares na infância.


OBJECTIVE: To evaluate the maternal perceptions and attitudes related to adherence to healthcare professionals' guidelines on breastfeeding and complementary feeding, and associated factors. METHODS:A cross-sectional analysis of data from a randomized field trial was performed, in which 20 health centers (HCs) were selected in the city of Porto Alegre, state of Rio Grande do Sul, from eight Health Management Districts of the city. Pregnant women were selected from these HCs, and when the children were aged between six and nine months, data regarding the maternal perception of adherence to professional advice and consequences of feeding practices on child health were obtained during home visits. Association analyses were performed using Poisson regression. RESULTS: Data were collected from 631 mother-child binomials. According to the mothers' perception, 47% reported not following instructions received in the HC. Among these, 45.7% did not recognize the importance of eating habits for the child's health. The perception of adherence to professional advice was associated with higher prevalence of exclusive breastfeeding (EBF), introduction of solid food (ISF) after four months, introduction of non-recommended foods after six months, and higher family income. A higher prevalence of EBF and ISF was observed after four months (p < 0.05) among mothers who believed in the importance of feeding habits for the child's health. CONCLUSION: There was a high prevalence of mothers who did not follow the advice of health professionals; the perception that food does not affect the child's health can be a barrier to the improvement of eating habits in childhood.


Subject(s)
Female , Humans , Infant , Infant, Newborn , Pregnancy , Breast Feeding/statistics & numerical data , Feeding Behavior , Guideline Adherence/statistics & numerical data , Health Personnel/standards , Maternal Behavior/psychology , Cross-Sectional Studies , Health Promotion , Infant Nutritional Physiological Phenomena/standards , Poisson Distribution , Surveys and Questionnaires
6.
Cogitare enferm ; 14(3)jul.-set. 2009.
Article in Portuguese | LILACS, BDENF | ID: lil-568403

ABSTRACT

Esta pesquisa visou a determinar as variáveis associadas à motivação de pacientes hospitalizados para evitar o consumo excessivo de bebidas alcoólicas. Trata-se de um estudo transversal, do qual participaram 1.050 pacientes do sexo masculino com idade entre 21 e 70 anos, internados em três hospitais da cidade de Pelotas, no período de 1° de novembro de 2000 a 15 de junho de 2001. A coleta dos dados foi realizada através da aplicação de questionários. Os achados revelaram que 180 pacientes eram bebedores excessivos, predominando, entre eles, as pessoas com menor poder aquisitivo e elevada faixa etária. Já os mais jovens mostraram-se pouco motivados para evitar tal hábito; por esse motivo, tal grupo deve ser considerado alvo prioritário das intervenções realizadas pelos profissionais de saúde, a fim de possibilitar sua sensibilização quanto aos transtornos ocasionados pelo abuso do álcool.


This research aimed to determine the variables associated to the motivation of inpatients to avoid excessive consumption of alcoholic beverages. This is a cross-sectional study in which participated 1.050 male patients aged between 21 and 70 years, hospitalized in three hospitals of the city of Pelotas, in the period from November 1st, 2000 to June 15th, 2001. Data collection was performed by the application of questionnaires. The findings revealed that 180 patients were excessive drinkers, predominating, among them, people with less economic power and higher age group. By the other hand, the younger group presented itself less motivated to avoid such habits. Therefore, that group must be considered a priority target from interventions performed by health professionals, in order to enable their awareness about the inconvenience caused by the abuse of alcohol.


Esta investigación tuvo como objetivo determinar las variables asociadas a la motivación de pacientes hospitalizados a fin de evitar el consumo excesivo de bebidas alcohólicas. Se trata de un estudio transversal, en el cual participaron 1.050 pacientes de sexo masculino con edades entre 21 y 70 años, hospitalizados en tres hospitales de la ciudad de Pelotas, en el período de 1 de noviembre de 2000 al 15 de junio de 2001. La colecta de datos fue realizada mediante la aplicación de cuestionarios. Los hallazgos revelaron que 180 pacientes fueron bebedores excesivos, predominando, entre ellos, las personas con menos poder adquisitivo y de alta faja etaria. Ya, los más jóvenes se mostraron poco motivados para evitar tal hábito, por ese motivo, ese grupo debe ser considerado meta prioritaria de las intervenciones realizadas por los profesionales de la salud, a fin de posibilitar su sensibilización acerca de los trastornos causadas por el abuso del alcohol.


Subject(s)
Humans , Male , Young Adult , Middle Aged , Alcoholism , Motivation , Inpatients
7.
J. pediatr. (Rio J.) ; 84(3): 251-257, May-June. 2008. tab
Article in English, Portuguese | LILACS | ID: lil-485283

ABSTRACT

OBJETIVO: Examinar fatores socioeconômicos e outras condições de vida familiar associadas a excesso de peso, baixa estatura e baixo peso para a estatura em menores de 5 anos. MÉTODOS: Estudo transversal avaliou 3.957 crianças entre 1 mês e 5 anos de idade durante campanha nacional de imunização no município de São Leopoldo (RS) em 2002. As condições socioeconômicas e de saneamento das áreas de abrangência das unidades de saúde foram agrupadas por análise de cluster dos setores do censo populacional de 2001. RESULTADOS: Déficit de peso para estatura ocorreu em 2,6 por cento das crianças, baixa estatura em 9,1 por cento e excesso de peso em 9,8 por cento. A regressão logística multivariada sugere que os fatores associados à chance de excesso de peso foram: área de condições socioeconômicas alta (RC = 1,47; IC95 por cento 1,09-1,96), filhos únicos (RC = 1,44; IC95 por cento 1,00-2,07) e peso ao nascer ≥ 2.500 g (RC = 2,21; IC95 por cento1,27-3,83). A chance de déficit de peso associou-se ao baixo peso ao nascer (RC = 3,46; IC95 por cento 2,06-5,80) e idade da mãe < 20 anos (RC = 1,99; IC95 por cento 1,09-3,62). A baixa estatura associou-se à área de condições socioeconômicas baixas (RC = 2,36; IC95 por cento 1,51-3,69), três ou mais irmãos (RC = 3,12; IC95 por cento 2,18-4,47), peso ao nascer < 2.500 g (RC = 3,49; IC95 por cento 2,53-4,80), idade < 36 meses (RC = 1,77; IC95 por cento 1,37-2,29) e idade materna < 20 anos (RC = 1,60; IC95 por cento1,09-2,35). CONCLUSÕES: Excesso de peso e baixa estatura foram os principais desvios antropométricos observados neste estudo, constituindo prioridades que devem ser consideradas nas políticas públicas atuais.


OBJECTIVE: To explore whether socioeconomic and sanitary conditions, maternal and child factors are associated with overweight, stunting, and wasting in children under five year old in the city of São Leopoldo, southern Brazil. METHODS: Cross-sectional study of 3,957 children aged 1 month to 5 years conducted in all primary care services of the city during the National Children's Vaccination Day in 2002. Maternal and child factors were assessed by a questionnaire. Children's height and weight were measured. Cluster analysis was used to group the areas served by the primary care services according to socioeconomic and sanitary conditions of the census tracts assessed by the 2001 National Census. RESULTS: Wasting was observed in 2.6 percent of children, stunting in 9.1 percent and overweight in 9.8 percent. The multivariable logistic regression model suggests that overweight was associated with higher socioeconomic status and better sanitation of the area (OR = 1.47; 95 percentCI 1.09-1.96), single child (OR = 1.44; 95 percentCI 1.00-2.07) and birth weight ≥ 2,500 g (OR = 2.21; 95 percentCI 1.27-3.83). Wasting was associated with low birth weight (OR = 3.46; 95 percentCI 2.06-5.80) and mother's age < 20 years (OR = 1.99; 95 percentCI 1.09-3.62). Stunting was associated with low socioeconomic status and poor sanitation of the area (OR = 2.36; 95 percentCI 1.51-3.69), three or more siblings (OR = 3.12; 95 percentCI 2.18-4.47), low birth weight < 2,500 g (OR = 3.49; 95 percentCI 2.53-4.80), child age < 36 months (OR = 1.77; 95 percentCI 1.37-2.29) and mother's age < 20 years (OR = 1.60; 95 percentCI 1.09-2.35). CONCLUSIONS: Overweight and stunting were the major anthropometric problems and therefore should be a priority for public policies.


Subject(s)
Child, Preschool , Female , Humans , Infant , Infant, Newborn , Male , Growth Disorders/epidemiology , Overweight/epidemiology , Thinness/epidemiology , Brazil/epidemiology , Epidemiologic Methods , Socioeconomic Factors
8.
Rev. psiquiatr. Rio Gd. Sul ; 29(1): 28-34, jan.-abr. 2007. tab
Article in Portuguese | LILACS | ID: lil-461266

ABSTRACT

OBJETIVO: O objetivo deste estudo foi avaliar a prevalência de sintomas depressivos num grupo de mães de crianças entre 12 e 16 meses do município de São Leopoldo (RS) e suas associações com tempo de aleitamento materno e aspectos do desenvolvimento da criança. MÉTODO: Foram avaliadas 263 mães de crianças recrutadas ao nascimento em uma maternidade que atende população de baixo nível socioeconômico. Os sintomas depressivos foram avaliados por meio do Inventário para Depressão de Beck. RESULTADOS: Foi observado que 35,7 por cento das mães apresentaram sintomas de depressão. Quanto à classificação, 18,3 por cento apresentaram depressão leve, 11 por cento, depressão moderada, e 6,5 por cento, grave. As mães sem companheiros (razão de prevalência - RP = 1,70; IC95 por cento = 1,20-2,38) e provenientes de famílias não-nucleares apresentaram mais sintomas depressivos (RP = 1,38; IC95 por cento = 0,99-1,92). As freqüências de aleitamento materno exclusivo por 6 meses (RP = 1,86; IC95 por cento = 0,94-3,68) e aleitamento materno aos 12 meses (RP = 1,80; IC95 por cento = 1,26-2,58) foram maiores no grupo de mães sem sintomas depressivos. CONCLUSÃO: É necessária maior atenção à saúde mental das mulheres, considerando a alta prevalência de sintomas depressivos nessa população e a forte associação com o menor tempo de aleitamento materno.


OBJECTIVE: This study aimed at verifying the incidence of depressive symptoms in a group of mothers of children between 12 and 16 months in the municipality of São Leopoldo (RS, Brazil) and their associations with breast feeding and overall child development. METHOD: This study included 263 mothers who delivered at a hospital providing services to a population of low socioeconomic level. Depressive symptoms were assessed using Beck Depression Inventory. RESULTS: It was observed that 35.7 percent of mothers presented depressive symptoms. As to classification, 18.3 percent had mild, 11 percent moderate and 6.5 percent severe depression. Mothers without partners (prevalence ratio - PR = 1.70; IC95 percent = 1.20-2.38) and mothers from non-nuclear families presented more depressive symptoms (PR = 1.38; IC95 percent = 0.99-1.92). Exclusive breast feeding at 6 (PR = 1.86; IC95 percent = 0.94-3.68) and 12 months (PR = 1.80; IC95 percent = 1.26-2.58) was more frequent in the group of mothers without depressive symptoms. CONCLUSION: More attention should be given to women's mental health, considering the high prevalence of depressive symptoms in this population and the strong association with less breastfeeding time.


Subject(s)
Humans , Female , Infant, Newborn , Infant , Adult , Breast Feeding , Child Development , Depression , Socioeconomic Factors
9.
Cad. saúde pública ; 23(1): 187-195, jan. 2007. tab
Article in Portuguese, English | LILACS | ID: lil-439287

ABSTRACT

Fatores de risco para falência do transplante ortotópico de fígado com doador cadáver foram investigados em estudo longitudinal retrospectivo com informações da Central Estadual de Transplantes e prontuário clínico de residentes no Rio Grande do Sul, Brasil, submetidos, após os 15 anos de idade, pela primeira vez, a esse transplante de janeiro de 1999 a julho de 2003 (n = 313). Houve 13 por cento de falências (n = 41) no primeiro mês, 11 por cento (n = 34) de 2 a 12 meses e 5 por cento (n = 17) após esse período; 88 por cento das falências resultaram em óbito, 12 por cento, em retransplante. Nos modelos multivariados, a taxa de falência foi maior para renda familiar menor que dez salários-mínimos, idade maior que 45 anos, cor não branca, mau estado geral à época do transplante e doador com 56 anos ou mais. Gênero feminino evidenciou efeito apenas no modelo bruto, perdendo o efeito no modelo multivariado. Apoio social, com complementação de renda e pronto diagnóstico com ingresso na lista em boas condições clínicas, pode favorecer o sucesso do transplante hepático.


Risk factors for failure of liver transplantation from cadaveric donors were investigated in this retrospective study using data from medical records of patients in Rio Grande do Sul, Brazil, who were submitted to liver transplantation for the first time from January 1999 to July 2003 and were over 15 years of age at the time of surgery. Some 13 percent of failures occurred in the first month, 11 percent from 2 to 12 months, and 5 percent after 12 months; 88 percent of failures resulted in death and 12 percent in retransplantation. In the multivariate models, rate ratios for failure were higher for total family income less than 10 times the minimum wage, recipient's age > 45 years, non-whites, high clinical risk, and donor's age > 56 years. Female gender showed an effect in the unadjusted model only. Special attention to patients at increased risk, with income support for those with low family income, and early diagnosis of the need for transplantation may improve the success of liver transplantation.


Subject(s)
Humans , Male , Female , Adult , Liver Failure/mortality , Liver Transplantation/mortality , Graft Survival , Risk Factors , Survival Rate , Tissue Donors
10.
Cad. saúde pública ; 22(2): 395-406, fev. 2006.
Article in Portuguese | LILACS | ID: lil-421408

ABSTRACT

O estado nutricional de criancas menores de cinco anos e fatores associados à estatura foram estudados usando dados de um programa para controle da desnutricão e mortalidade na Terra Indígena Guarita, Rio Grande do Sul, Brasil, 2001/2002. índices antropométricos foram calculados em escores-z da referência CDC/2000. Na primeira avaliacão pelo programa, 34,7 por cento, das criancas apresentavam baixa estatura, 12,9 por cento baixo peso para idade, 4,2 por cento baixo peso para estatura e 8,7 por cento sobrepeso. Baixa estatura foi mais prevalente em meninos e maiores de um ano. Modelos de regressão linear múltipla sugerem que a altura foi, em média, menor quando a água para alimentacão era de fonte/poco/rio (p = 0,046), não havia geladeira para conservar alimentos (p = 0,021), a mãe era menor de 16 anos ao nascimento do mais velho entre os filhos menores de cinco anos (p = 0,019) e analfabeta (p = 0,083). O destino dos dejetos evidenciou efeito apenas no modelo bruto. Não houve evidência de efeito do número de filhos menores de cinco anos. Políticas de inclusão social e provisão de recursos sociais e de saúde são potencialmente relevantes para a saúde e nutricão nessa populacão.


Subject(s)
Child , Humans , Child Nutrition Disorders , Indians, South American , Nutritional Status , Nutrition Programs , Socioeconomic Factors
11.
Cad. saúde pública ; 21(5): 1448-1457, set.-out. 2005. tab
Article in Portuguese | SES-SP, LILACS, SES-SP | ID: lil-407853

ABSTRACT

Efeitos de uma intervenção baseada na implementação dos Dez Passos para uma Alimentação Saudável: Guia Alimentar para Crianças Menores de Dois Anos sobre as condições nutricionais e de saúde de lactentes em famílias de baixa renda. Randomizou-se duzentos recém-nascidos para o grupo intervenção e trezentos para o grupo controle. O grupo intervenção recebeu orientações dietéticas no primeiro ano de vida. Os dois grupos receberam visitas aos 6 e 12 meses e acompanhamento de rotina pelos seus pediatras. Os resultados (n = 397) mostraram que a intervenção associou-se a maior proporção de aleitamento materno exclusivo aos 4 meses (RR = 1,58; IC95 por cento: 1,21-2,06) e 6 meses (RR = 2,34; IC95 por cento: 1,37-3,99) e amamentadas aos 12 meses (RR = 1,26; IC95 por cento: 1,02-1,55) e a menor proporção de crianças que apresentaram diarréia (RR = 0,68; IC95 por cento: 0,51-0,90), problemas respiratórios (RR = 0,63; IC95 por cento: 0,46-0,85), uso de medicamentos (RR = 0,56; IC95 por cento: 0,34-0,91) e cárie dental (RR = 0,56; IC95 por cento: 0,32-0,96) na faixa etária de 12 a 16 meses. Não houve efeito da intervenção sobre a ocorrência de anemia, internações hospitalares e estado nutricional. Os resultados sugerem que o programa de orientações dietéticas promoveu modificações positivas nas práticas alimentares e nas condições de saúde da criança, porém foi insuficiente para prevenir a anemia ferropriva.


Subject(s)
Infant , Humans , Infant Nutrition , Nutrition Programs , Breast Feeding , Nutritional Status
12.
Rev. saúde pública ; 39(5): 761-767, out. 2005. tab
Article in Portuguese | LILACS | ID: lil-414940

ABSTRACT

OBJETIVO: Investigar o efeito das desigualdades sociais nas taxas de cesariana em primíparas, com gravidez única e parto hospitalar. MÉTODOS: Estudo realizado no Estado do Rio Grande do Sul em 1996, 1998 e 2000. Foram utilizados dados do Sistema de Informação de Nascidos Vivos no cálculo das taxas anuais e das razões de chance de cesariana (RC) brutas e ajustadas para condições sociais (escolaridade e idade maternas, etnia/cor da pele e macro-regional de saúde), duração da gestação e número de consultas pré-natal. RESULTADOS: A taxa de cesarianas foi de 45 por cento, e acima de 37 por cento para todas as macro-regionais. As taxas aumentaram entre: mulheres de etnia indígena e negra, mulheres com mais de 30 anos, residentes nas macro-regiões Metropolitana, Vales e Serra, e com mais de seis consultas no pré-natal. Razões brutas e ajustadas indicaram taxas negativamente associadas para todas as categorias de etnia/cor, quando comparadas à cor branca da pele do recém-nascido, em especial para etnia indígena (RCaj=0,43; IC 95 por cento: 0,31-0,59), positivamente associadas à escolaridade (RCaj=3,52; IC 95 por cento: 3,11-3,99) e idade maternas mais elevadas (RCaj=6,87; IC 95 por cento: 5,90-8,00), e maior número de consultas pré-natal (RCaj=2,16; IC 95 por cento: 1,99-2,35). Os efeitos de idade e escolaridade mostraram estar parcialmente mediados pelo maior número de consultas pré-natal nas mulheres com idade e escolaridade mais elevadas. As taxas variaram entre as macro-regionais, sendo maiores na região da Serra, economicamente mais rica. CONCLUSÕES: Altas taxas de cesariana no sul do Brasil constituem problema de saúde pública e estão associadas a fatores sociais, econômicos e culturais, os quais podem levar ao mau-uso da tecnologia médica na atenção ao parto.


Subject(s)
Humans , Female , Pregnancy , Cesarean Section/statistics & numerical data , Socioeconomic Factors , Age Factors , Cultural Factors , Educational Status , Ethnic Groups , Indians, South American , Risk Factors , Social Conditions , Socioeconomic Factors
13.
Ciênc. saúde coletiva ; 10(2): 275-286, abr.-jun. 2005.
Article in Portuguese | LILACS | ID: lil-416234

ABSTRACT

O artigo analisa a distribuição de recursos, estabelecida pela política de Municipalização Solidária da Saúde (MSS) da Secretaria de Estado da Saúde do Rio Grande do Sul (SES/RS) ao examinar sua potencialidade de desconcentrar recursos, conforme o tamanho da população residente e o nível de desenvolvimento humano municipal, o período analisado foi o ano de 2001. A partir da adoção dos critérios, verifica-se um deslocamento de recursos financeiros para municípios com menor concentração populacional que obtiveram em seus Fundos Municipais de Saúde recursos em valores até então não captados pelas outras formas de financiamento da saúde, ocorrendo uma desconcentração de recursos. Para avaliar se a política da MSS beneficiou os municípios em piores condições socioeconômicas, utilizou-se o índice de Desenvolvimento Humano - Municipal (IDH-M), que no Rio Grande do Sul apresenta pequenas variações (apenas municípios com IDH-M médio e alto. Mesmo assim, verificou-se que a política de MSS prevê a distribuição de metade dos recursos para 34 por cento da população dos municípios com os menores índices do IDH-M, apontando a grande capacidade desta política para a desconcentração de recursos aos municípios que necessitam ter potencializados seus serviços de saúde para a melhoria das condições de vida da população.


Subject(s)
Health Equity , Healthcare Financing , Resource Allocation
14.
Cad. saúde pública ; 20(5): 1182-1190, set.-out. 2004. ilus, tab
Article in English | LILACS | ID: lil-385197

ABSTRACT

Estudo transversal de base populacional sobre os determinantes do retardo no crescimento de crianças com menos de cinco anos (3.389), em Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil, definido como índice altura/idade < -2 desvios-padrão do National Center for Health Statistics. Foi utilizado um modelo multivariado hierarquizado para ajustar o confundimento. A prevalência de retardo no crescimento foi de 6,8 por cento. As crianças com maior prevalência tinham as seguintes características: renda per capita< 0,8 salário mínimo (RC: 3,95; IC95 por cento: 2,10-7,42), mães sem escolaridade (RC: 17,17; IC95 por cento: 4,43-66,54), moravam em casas de madeira ou mistas (RC: 2,33; IC95 por cento: 1,35-4,01), inadequadas condições de moradia (RC: 2,75; IC95 por cento: 1,70-4,43), idade materna ao nascimento < 20 anos (RC: 1,73; IC95 por cento: 1,11-2,70), eram adotadas (RC: 3,28; IC95 por cento: 1,52-7,07), terceira ou mais posição entre os irmãos (RC: 2,04; IC95 por cento: 1,15-3,62), intervalo interpartal anterior (RC: 1,69; IC95 por cento: 1,13-2,53) ou posterior < 24 meses (RC: 1,91; IC95 por cento: 1,16-3,13), gêmeos (RC: 2,40; IC95 por cento: 1,04-5,50), baixo peso ao nascer (RC: 3,79; IC95 por cento: 2,38-6,02) e hospitalização no primeiro ano de vida (RC: 1,65; IC95 por cento: 1,01-2,68). Essas características podem ser utilizadas pelos serviços básicos de saúde na prevenção de retardo no crescimento.


Subject(s)
Child Nutrition Disorders , Failure to Thrive , Socioeconomic Factors
15.
Cad. saúde pública ; 19(6): 1815-1825, nov.-dez. 2003. ilus, tab
Article in Portuguese | LILACS | ID: lil-361230

ABSTRACT

Estudo transversal de base populacional sobre altura de crianças de 12 a 59 meses (n = 2.632) foi realizado em Porto Alegre, Brasil. Usou-se regressão linear multinível para investigar o efeito de condições sócio-econômicas, demográficas, de saúde e dos ambientes físico e social sobre a altura, medida em escores-z do padrão de altura para idade do National Center for Health Statisrics. A área de localização do domicílio foi classificada como bem e mal provida em infra-estrutura habitacional. A altura foi, em média, -0,18 escore-z, estando positivamente associada a escolaridade e qualificação ocupacional dos pais, renda, qualidade de moradia, idade materna, intervalo interpartal e peso de nascimento, e negativamente relacionada a prematuridade, número de menores de cinco anos no domicílio e hospitalização nos dois primeiros anos de vida. O efeito da educação materna foi o dobro nas áreas mal providas em infra-estrutura habitacional. O efeito positivo da qualificação ocupacional dos pais foi evidente apenas nas áreas mal providas. Provavelmente, a área de residência modifica o efeito das condições sócio-econômicas sobre o crescimento. Programas habitacionais e de saneamento são potencialmente úteis para diminuir o efeito de condições sócio-econômicas desfavoráveis sobre o crescimento da criança.


Subject(s)
Child Nutrition , Failure to Thrive , Social Conditions , Nutritional Status , Socioeconomic Factors
16.
Cad. saúde pública ; 19(4): 1073-1081, jul.-ago. 2003. ilus, tab
Article in Portuguese | LILACS | ID: lil-344656

ABSTRACT

Estudo transversal de base populacional investigou determinantes de sobrepeso em crianças de 12 a 59 meses em Porto Alegre (n = 2.660). Razöes de chance (RC) de sobrepeso, definido por peso/altura > 2 escores-z do padräo NCHS, foram estimadas para condiçöes sócio-econômicas e demográficas, ambiente social imediato e eventos de saúde da criança. A prevalência de sobrepeso foi 6,5 por cento. No modelo multivariado, a chance de sobrepeso na criança associou-se positivamente à escolaridade materna (escolaridade > 12 anos, RC = 2,36; IC95 por cento: 1,21-4,60; 9-11 anos, RC = 2,07; IC95 por cento: 1,16-3,70) e à renda familiar per capita > 2 salários mínimos (RC = 1,86; IC95 por cento: 1,13-3,08) e negativamente ao trabalho materno remunerado (RC = 0,72; IC95 por cento: 0,52-0,99). A chance foi maior para os nascidos grandes para idade gestacional (RC = 2,29; IC95 por cento: 1,36-3,85) e menor para os nascidos pequenos (RC = 0,57; IC95 por cento: 0,33-0,99), comparados aos nascidos com peso adequado. Escolaridade paterna, qualificaçäo profissional dos pais e idade materna ao nascimento da criança evidenciaram efeito somente no modelo bruto. Säo necessários programas para prevenir sobrepeso em crianças, com especial atençäo às famílias e crianças em maior risco


Subject(s)
Infant , Child, Preschool , Child Welfare , Risk Factors , Weight Gain , Socioeconomic Factors
17.
Braz. j. infect. dis ; 7(3): 194-201, Jun. 2003. tab
Article in English | LILACS | ID: lil-351493

ABSTRACT

The relationship between characteristics of HIV antiretroviral regimens and treatment adherence was studied in adolescent and adult patients who underwent antiretroviral therapy from January 1998 to September 2000, at the Service for Specialized Assistance in Pelotas. The patients were interviewed on two occasions, and the use of antiretrovirals during the previous 48 hours was investigated by a self-report. Adherence was defined as use of 95 percent or more of the prescribed medication. Social-demographic variables were collected through direct questionnaires. The antiretroviral regimen and clinical data were copied from the patients' records. Associations between the independent variables and adherence were analyzed by means of logistic regression. The multivariate analysis included characteristics of the antiretroviral regimens, social-demographic variables, as well as perception of negative effects, negative physiological states, and adverse effects of the treatment. Among the 224 selected patients, 194 participated in our study. Their ages varied from 17 to 67 years; most patients were men, with few years of schooling and a low family income. Only 49 percent adhered to the treatment. Adherence to treatment regimens was reduced when more daily doses were indicated: three to four doses (odds ratio of adherence to treatment (OR)=0.47, 95 percent confidence interval (CI) 0.22-1.01) and five to six (OR=0.24, 95 percent CI 0.09-0.62); two or more doses taken in a fasting state (OR=0.59, 95 percent CI 0.11-0.68), and for patients who reported adverse effects to the treatment (OR=0.39, 95 percent CI 0.19-0.77). Most of the regimens with more than two daily doses of medication included at least one dose apart from mealtimes. The results suggest that, if possible, regimens with a reduced number of doses should be chosen, with no compulsory fasting, and with few adverse effects. Strategies to minimize these effects should be discussed with the patients


Subject(s)
Adolescent , Adult , Aged , Female , Humans , Male , Anti-HIV Agents , HIV Infections , Patient Compliance , Drug Administration Schedule , Interviews as Topic , Middle Aged , Multivariate Analysis , Odds Ratio , Socioeconomic Factors
18.
Ciênc. saúde coletiva ; 8(2): 461-470, 2003.
Article in Portuguese | LILACS | ID: lil-348324

ABSTRACT

Promover a saúde com eqüidade é um grande desafio para os gestores públicos. A magnitude das desigualdades sociais em saúde e os recursos escassos impöem que as prioridades para a gestäo pública se fundamentem no conhecimento da situaçäo de saúde e do impacto de políticas, programas, projetos e açöes sobre a saúde e seus determinantes. Este artigo apresenta a proposta metodológica de construçäo e seleçäo de indicadores de desigualdades em saúde utilizada pela Pesquisa Avaliativa de Desigualdades em Saúde no Rio Grande do Sul (PADS-RS) para auxiliar a definiçäo de prioridades para a gestäo pública. Os indicadores foram construídos visando avaliar desigualdades em saúde como diferenças na qualidade de vida e capacidades humanas socialmente determinadas. A metodologia baseia-se em princípios de promoçäo ativa da eqüidade que orientam (1) o Sistema Unico de Saúde Brasileiro, (2) as pesquisas avaliativas de desigualdades em saúde realizadas no Reino Unido e (3) o método RAWP (Resources Allocation Working Party) de alocaçäo de recursos financeiros públicos em saúde entre regiöes e considera as peculiaridades dos sistemas oficiais de informaçäo no Estado e no Brasil


Subject(s)
Health Status Indicators , Health Status Disparities , Methods , Social Indicators
19.
Psicol. reflex. crit ; 15(1): 121-133, 2002. tab
Article in Portuguese | LILACS | ID: lil-347387

ABSTRACT

Uma escala de expectativa de auto-eficácia para seguir prescriçäo anti-retroviral em situaçöes difíceis (21 itens) foi desenvolvida pela análise do conteúdo de entrevistas com pacientes que estavam em tratamento ou que o abandonaram. A consistência interna e a validade de construto foram examinadas em 60 sujeitos que freqüentaram ambulatório para pacientes em estágios avançados da doença (hospital-dia). Um escore de expectativa de auto-eficácia para adesäo ao tratamento foi derivado do primeiro componente da análise de componentes principais. A média do escore foi 0,25 para os sujeitos aderentes e -0,33 para os näo-aderentes ao tratamento (teste t, p = 0,046). A chance de adesäo duplicou quando o escore de expectativa de auto-eficácia era maior em uma unidade (OR = 2,07; IC95 por cento = 1,002 a 4,26). A consistência interna foi alta (alfa de Cronbach = 0.96). A escala demonstrou validade de construto e confiabilidade para medir auto-eficácia para tratamento anti-retroviral nesses pacientes


Subject(s)
Humans , Male , Female , Adult , Anti-HIV Agents , Antiretroviral Therapy, Highly Active , HIV Infections , Patient Compliance , Self Efficacy , Surveys and Questionnaires , Reproducibility of Results
20.
Arq. neuropsiquiatr ; 45(1): 60-6, mar. 1987. ilus
Article in Portuguese | LILACS | ID: lil-39859

ABSTRACT

Registro da observaçäo de um caso de gangliosidose GM1-tipo 1 (doença de Norman-Landing). O caso é típico, apresentando todos os principais sinais clínicos e biológicos da doença. O diagnóstico foi estabelecido pela demonstraçäo de déficit severo da atividade de beta-galactosidase em leucócitos, pela demonstraçäo de oligossacarídeos na urina e pelo exame histológico feito após a morte, que ocorreu antes de dois anos de idade, com comprometimento respiratório severo


Subject(s)
Infant , Humans , Male , Gangliosidoses/pathology , Cerebral Cortex/pathology , G(M1) Ganglioside/metabolism , Nerve Degeneration , Oligosaccharides/urine
SELECTION OF CITATIONS
SEARCH DETAIL