Your browser doesn't support javascript.
Show: 20 | 50 | 100
Results 1 - 15 de 15
Filter
1.
Cad. Saúde Pública (Online) ; 36(5): e00136219, 20202. tab, graf
Article in Portuguese | LILACS-Express | ID: biblio-1100961

ABSTRACT

O monitoramento clínico de pessoas vivendo com HIV/aids (PVHA) contribui para a identificação e gestão de caso das pessoas sem início de tratamento (gap), em falha terapêutica e em abandono de tratamento. O objetivo deste artigo é apresentar e discutir o desenvolvimento de uma metodologia para a implementação do monitoramento clínico das PVHA em serviços do Sistema Único de Saúde (SUS). A metodologia utilizada desde 2014 pelo Centro de Referência e Treinamento DST/AIDS-SP-Coordenação do Programa Estadual de IST/AIDS do Estado de São Paulo, Brasil, foi reestruturada em três reuniões, no período de junho a agosto de 2018. Foram mantidos os eixos de apresentação do número de usuários com falha terapêutica, em gap e em abandono de tratamento nos serviços participantes, e a discussão de vulnerabilidades individuais, sociais e programáticas. Foi adicionado um novo eixo que direciona a discussão das possibilidades de reorganização de fluxos assistenciais e práticas gerenciais do serviço. Adicionalmente, a intervenção passou a ser feita nos serviços de saúde, com a participação de um número maior de profissionais da equipe multiprofissional, discussão de casos, fluxos e processos de trabalho e encontros regionais para a troca de experiências em monitoramento clínico entre os serviços. A reestruturação da metodologia contribuiu para a diminuição do gap de tratamento, reorganização de fluxos assistenciais e inclusão do monitoramento clínico como ferramenta de gestão nos serviços de assistência especializada às PVHA. Essa metodologia pode ser implementada por outros programas estaduais, municípios e serviços, uma vez que todos têm acesso às mesmas fontes de informação usadas nesta intervenção.


El monitoreo clínico de personas afectadas por el VIH/SIDA (PVHA) contribuye a la identificación y gestión de caso de personas sin inicio de tratamiento (gap), con fallos en la parte terapéutica y abandono del tratamiento. El objetivo de este artículo es presentar y discutir el desarrollo de una metodología para la implementación del monitoreo clínico de las PVHA en servicios del Sistema Único de Salud (SUS). La metodología utilizada desde 2014 por el CRT-ETS/SIDA-Coordinación del Programa Estatal de ETS/SIDA del Estado de São Paulo, Brasil, fue reestructurada en tres reuniones, durante el período de junio a agosto de 2018. Se mantuvieron los ejes de presentación del número de usuarios con fallos en la parte terapéutica, gap y con abandono de tratamiento en los servicios participantes estudiados, así como la discusión de vulnerabilidades individuales, sociales y programáticas. Se añadió un nuevo eje que vertebra la discusión sobre las posibilidades de reorganización de los flujos asistenciales y prácticas de gestión del servicio. Asimismo, la intervención pasó a realizarse en los servicios de salud, con la participación de un mayor número de profesionales del equipo multiprofesional, discusión de casos, flujos y procesos de trabajo, así como encuentros regionales para el intercambio de experiencias en el monitoreo clínico entre los servicios. La reestructuración de la metodología contribuyó a la disminución del gap en el tratamiento, la reorganización de flujos asistenciales, así como la inclusión del monitoreo clínico como herramienta de gestión en los servicios de asistencia especializada a las PVHA. Esta metodología puede ser implementada en otros programas estatales, municipios y servicios, ya que todos tienen acceso a las mismas fuentes de información usadas en esta intervención.


The clinical monitoring of people living with HIV/AIDS (PLWHA) contributes to identifying and managing cases of individuals who have not begun treatment (gap), those experiencing treatment failure or who have abandoned treatment. This article sought to present and discuss the development of a methodology to implement the clinical monitoring of PLWHA in the services of the Brazilian Unified National Health System (SUS). The methodology used since 2014 by the CRT-STI/AIDS-Coordination of the STI/AIDS Program, São Paulo State, Brazil, was re-structured in three meetings between June and August 2018. The new methodology retained the axes of presentation of number of users in treatment failure, gap or abandonment in the participant services, as well as the discussion of individual, social and programmatic vulnerabilities. A new axis was added which directs the discussion of the possibilities of reorganizing service care flows and management practices. Additionally, the intervention started to be carried out in health services, with the participation of a higher number of professionals from the multi-professional team, discussion of cases, workflows and processes, and regional meetings to exchange clinical monitoring experiences between services. The re-structuring of the methodology contributed to a reduction in treatment gap, a reorganization of care flows and the inclusion of clinical monitoring as a management tool in services specialized in providing care to PLWHA. This methodology can be implemented by other state programs, municipalities and services, since all have access to the same information sources used in this intervention.

2.
Rev. bras. epidemiol ; 22(supl.1): e190010, 2019. tab, graf
Article in English | LILACS-Express | ID: biblio-1042213

ABSTRACT

ABSTRACT Introduction: Care continuum models have supported recent strategies against sexually transmitted diseases, such as HIV and Hepatitis C (HCV). Methods: HIV, HCV, and congenital syphilis care continuum models were developed, including all stages of care, from promotion/prevention to clinical control/cure. The models supported the intervention QualiRede, developed by a University-Brazilian National Health System (SUS) partnership focused on managers and other professionals from six priority health regions in São Paulo and Santa Catarina. Indicators were selected for each stage of the care continuum from the SUS information systems and from the Qualiaids and QualiAB facility's process evaluation questionnaires. The indicators acted as the technical basis of two workshops with professionals and managers in each region: the first one to identify problems and to create a Regional Technical Group; and the second one to design action plans for improving regional performance. Results: The indicators are available at www.qualirede.org. The workshops took place in the regions of Alto Tietê, Baixada Santista, Grande ABC, and Registro (São Paulo) and of Foz do Rio Itajaí (Santa Catarina), which resulted in regional action plans in São Paulo, but not in Santa Catarina. A lack of awareness was observed regarding the new HIV and HCV protocols, as well as an incipient use of indicators in routine practices. Conclusion: Improving the performance of the care continuum requires appropriation of performance indicators and coordination of care flows at local, regional, and state levels of management.


RESUMO Introdução: Modelos de cuidado contínuo baseiam recentes estratégias em HIV, infecções sexualmente transmissíveis e hepatite C (HCV). Métodos: Desenvolveram-se modelos de contínuo do cuidado em HIV, HCV e sífilis congênita incluindo todas as etapas da atenção, desde a promoção e a prevenção até o controle clínico/cura. O modelo baseou a intervenção QualiRede, desenvolvida em parceria entre universidade e Sistema Único de Saúde (SUS), direcionada a gestores e demais profissionais de 6 regiões de saúde prioritárias em São Paulo e Santa Catarina. Selecionaram-se indicadores para cada etapa do contínuo do cuidado, provenientes dos sistemas de informação do SUS e dos questionários de avaliação de processo Qualiaids e QualiAB. Os indicadores formaram a base técnica de duas oficinas com profissionais e gestores de cada região: a primeira para identificar problemas e formar um Grupo Técnico Regional; e a segunda para construir planos de ação e metas a fim de melhorar o desempenho regional. Resultados: Os indicadores estão disponíveis no website www.qualirede.org. As oficinas ocorreram em quatro regiões de São Paulo (Alto Tietê, Baixada Santista, Grande ABC e Registro) e uma região de Santa Catarina (Foz do Rio Itajaí), resultando em planos regionais em São Paulo, mas não em Santa Catarina. Observou-se domínio limitado dos novos protocolos para HIV e HCV e uso incipiente de indicadores na rotina dos serviços. Conclusão: Melhorar o desempenho do contínuo do cuidado exige apropriação dos indicadores de desempenho e coordenação integrada dos fluxos de atenção em todos os níveis de gestão.

3.
São Paulo; SES-SP; 2014. 239 p. ilus, graf, tab.
Monography in Portuguese | LILACS (Americas), SES-SP | ID: lil-773059

ABSTRACT

Na transmissão vertical do HIV, o impacto positivo das intervençõesassistenciais, laboratoriais, profiláticas e medicamentosas no Estado deSão Paulo é demonstrado pela redução de casos notificados de aids portransmissão vertical, no período de 1997 a 2011, que caiu de 445 casospara 50 casos respectivamente; pela redução da taxa de transmissão de16% em 1997 (Tess, 1998) para uma taxa de 3,2% em 2002 (Succi, 2003); etambém pelo significativo aumento da sobrevida média de 6,7 meses em1991 (Grangeiro, 1995) para uma sobrevida mediana de 84,4 meses nos casosdiagnosticados até o ano de 1998 (Matida, 2003). A probabilidade de sobrevidaem 9 anos, para crianças diagnosticada no período de 1999 a 2002 e seguidaambulatorialmente até março/2007, foi de 0,9023 (IC de 95%[0,8376- 0,9421])respectivamente (Matida, 2009). A infecção pelo HIV em crianças mantém-secomo um importante problema de saúde pública no Brasil.Estudo realizado em São Paulo estimou as taxas de transmissão vertical deHIV, baseadas em mulheres grávidas diagnosticadas e notificadas em 2006,identificando os fatores potencialmente associados a sua ocorrência. Esteestudo envolve uma análise transversal e retrospectiva dos sistemas deinformação e registros de mulheres grávidas infectadas e crianças expostasao HIV. A taxa de transmissão vertical no Estado de São Paulo foi de 2,7%(intervalo de confiança 95%: 1,86-3,94), em 2006, diminuindo em 83,1%quando comparada com o período de 1988-1993. As principais variáveisassociadas à transmissão vertical foram a ausência de consultas de prénatalou um número inferior a 6 consultas de pré-natal, ausência de profilaxiaantirretroviral durante o parto ou uso neonatal por menos de 6 semanas,como também realização de aleitamento materno ou aleitamento cruzado. Oestudo reforça a tendência decrescente da transmissão...


Subject(s)
Humans , HIV , Health Programs and Plans , Acquired Immunodeficiency Syndrome/transmission , Infectious Disease Transmission, Vertical , Brazil
5.
São Paulo; SES/SP; 2010. 234 p. ilus, graf.
Monography in Portuguese | LILACS (Americas), SES-SP, SESSP-CTDPROD, SES-SP, SESSP-ACVSES | ID: biblio-1073459

ABSTRACT

Embora, nas últimas décadas, a cobertura de atenção ao pré-natal tenha aumentado, garantir sua qualidade permanece como o maior desafio. Essa melhoria da qualidade, no patamar em que estamos, refere-se a uma mudança sensível na atitude dos profissionais de saúde e na eficiência e presteza dos serviços. É preciso potencializar os recursos humanos e materiais existentes no Estado de São Paulo para o progressivo enfrentamento da morbimortalidade materna e perinatal. É verdade, também, que resultados nesse campo dependem de outros fatores, relativos ao desenvolvimento econômico, social e humano de cada região, que terminam por conferir maior ou menor suporte ás mulheres no momento da reprodução. A qualificação permanente da atenção ao pré-natal, ao parto e ao puerpério deve sempre ser perseguida na perspectiva de garantir uma boa condição de saúde tanto para a mulher quanto para o recém-nascido, bem como de possibilitar à mulher uma experiência de vida gratificante nesse período. Para isso, é necessário que os profissionais envolvidos em qualquer instância do processo assistencial estejam conscientes da importância de sua atuação e da necessidade de aliarem o conhecimento técnico específico ao compromisso com um resultado satisfatório da atenção, levando em consideração o significado desse resultado para cada mulher. A consulta pré-natal, para muitas mulheres, constitui-se na única oportunidde que possuem para verificar seu estado de saúde; assim, deve-se considerá-la também como uma chance para que o sistema possa atuar integralmente na promoção e, eventualmente, na recuperação de sua saúde. Feitas essas considerações, e respeitando-se as orientações constantes no Pacto pela Vida e as decisões emandad do Plano Estadual de Saúde de São Paulo, definem-se as seguintes diretrizes para nortear a atenção ao pré-natal e ao puerpério...


Subject(s)
Female , Humans , Pregnancy , Prenatal Care , Women's Rights , Pregnant Women , Women's Health , Maternal Health Services , Government Programs
6.
São Paulo; SES/SP; 2010. 234 p. ilus, graf.
Monography in Portuguese | LILACS (Americas), SESSP-CTDPROD, SES-SP, SESSP-ACVSES | ID: lil-570326

ABSTRACT

Embora, nas últimas décadas, a cobertura de atenção ao pré-natal tenha aumentado, garantir sua qualidade permanece como o maior desafio. Essa melhoria da qualidade, no patamar em que estamos, refere-se a uma mudança sensível na atitude dos profissionais de saúde e na eficiência e presteza dos serviços. É preciso potencializar os recursos humanos e materiais existentes no Estado de São Paulo para o progressivo enfrentamento da morbimortalidade materna e perinatal. É verdade, também, que resultados nesse campo dependem de outros fatores, relativos ao desenvolvimento econômico, social e humano de cada região, que terminam por conferir maior ou menor suporte às mulheres no momento da reprodução. A qualificação permanente da atenção ao pré-natal, ao parto e ao puerpério deve sempre ser perseguida na perspectiva de garantir uma boa condição de saúde tanto para a mulher quanto para o recém-nascido, bem como de possibilitar à mulher uma experiência de vida gratificante nesse período. Para isso, é necessário que os profissionais envolvidos em qualquer instância do processo assistencial estejam conscientes da importância de sua atuação e da necessidade de aliarem o conhecimento técnico específico ao compromisso com um resultado satisfatório da atenção, levando em consideração o significado desse resultado para cada mulher. A consulta pré-natal, para muitas mulheres, constitui-se na única oportunidade que possuem para verificar seu estado de saúde; assim, deve-se considerá-la também como uma chance para que o sistema possa atuar integralmente na promoção e, eventualmente, na recuperação de sua saúde. Feitas essas considerações, e respeitando-se as orientações constantes no Pacto pela Vida e as decisões emanadas do Plano Estadual de Saúde de São Paulo, definem-se as seguintes diretrizes para nortear a atenção ao pré-natal e ao puerpério...


Subject(s)
Humans , Female , Pregnancy , Maternal Health Services , Pregnant Women , Prenatal Care , Women's Health , Women's Rights , Government Programs
7.
In. Coordenação Estadual de DST/AIDS: São Paulo. 1º Encontro Paulista de Prevenção e Controle das DST/AIDS. São Paulo, Coordenação Estadual de DST/AIDS - SÃO PAULO, nov. 2009. p.13-18, mapas, tab, graf.
Monography in Portuguese | LILACS (Americas), SES-SP, SESSP-DSTPROD, SES-SP | ID: lil-540641
8.
Rev. bras. ortop ; 44(3): 186-190, maio-jun. 2009. ilus, graf, tab
Article in Portuguese | LILACS (Americas) | ID: lil-524565

ABSTRACT

O aumento considerável da expectativa de vida dos pacientes infectados pelo HIV na era do tratamento antirretroviral de alta potência, resulta em importantes alterações metabólicas e osteoarticulares decorrentes do prolongado tempo de infecção viral e desse tratamento. As complicações ortopédicas mais frequentes são as alterações da mineralização óssea, a osteonecrose, síndrome do túnel do carpo e capsulite adesiva glenoumeral, com padrão de apresentação clínica, evolução natural da doença e resposta terapêutica diferentes daqueles da população geral. Os relatos da literatura são iniciais e a experiência do serviço multidisciplinar do Instituto de Ortopedia e Traumatologia da USP permite avanço no conhecimento das diversas patologias envolvidas e o desenvolvimento de protocolos de tratamento adequados a esses diagnósticos.


The considerable increase of the life expectancy of HIV-infected patients in the age of highly-powerful antiretroviral treatment results in important metabolic and bone-joint changes resulting from a long-lasting viral infection time and from this treatment. The most common orthopaedic complications are bone mineralization changes, osteonecrosis, carpal tunnel syndrome and gleno-humeral adhesive capsulitis, with different clinical presentation features, natural disease progression and therapeutic response compared to the overall population. Literature reports are initial, and the experience of the multidisciplinary service of the University of São Paulo's Institute of Orthopaedics and Traumatology enables us a more in-depth knowledge about the various pathologies involved and the development of treatment protocols that are appropriate to these diagnoses.


Subject(s)
Humans , Acquired Immunodeficiency Syndrome , Bone Diseases, Metabolic , Bursitis , Carpal Tunnel Syndrome , Osteonecrosis , Bone and Bones/pathology
10.
Saúde Soc ; 16(2): 163-170, maio-ago. 2007.
Article in Portuguese | LILACS (Americas), SES-SP | ID: lil-476037

ABSTRACT

INTRODUÇÃO: O artigo apresenta experiência de implantação e implementação do quesito cor/raça nos serviços de atendimento às DST/Aids no Estado de São Paulo (ESP), através de parceria firmada em 2004 entre a Divisão de Prevenção do Programa Estadual DST/Aids do ESP e o Centro de Estudos das Relações de Trabalho e Desigualdade (CEERT), visando executar um projeto serviços. Trinta e cinco serviços de atendimento às DST/Aids foram envolvidos no projeto e foram realizadas, de 2004 e 2006, sete oficinas de sensibilização e monitoramento do processo de implantação do quesito cor/raça, segundo metodologia de construção participativa e compartilhada do conhecimento, proposta pelo CEERT. Como resultado, verificou-se que o processo de discussão e de reflexão da temática étnico-racial torna a implantação do quesito cor/raça mais fácil. Os folhetos e cartazes propiciam o esclarecimento de profissionais e usuários, facilitando a implantação do quesito. Investir na capacitação dos profissionais da recepção dos usuários é importante para a implantação desse quesito nos serviços de saúde. CONCLUSÃO: A partir desta experiência o Grupo de Trabalho Etnias do Programa Estadual DST/Aids vem ampliando sua atuação. Em 2006, com a parceria das profissionais do Instituto AMA-Psique, iniciou-se o processo para 13 novos municípios, consolidando a implantação do quesito cor/raça no ESP. Esperamos que as informações produzidas possam sensibilizar as diversas esferas, para que sejam propostas e aprovadas políticas públicas que promovam a eqüidade racial na saúde e a qualidade de vida para população negra e indígena.


This paper describes the experience to implement a systematic collection of these data on color/race in the STD/Aids care services in the State of São Paulo (SSP), through a partnership signed in 2004 between the Prevention Division of the STD/Aids State Program of the SSP and CEERT (initials in Portuguese for Center of Studies on Work Relations and Inequality) to carry out a project question in these services. Thirty-five STD/Aids care services were involved in the project and between 2004 and 2006, seven workshops of sensitization and monitoring of the process of implementation of the color/race question were held. It was observed that the process of discussion and reflection on the ethnic-racial theme renders the implementation easier. The campaign material provides clarification for the team of professionals and for the users, facilitating the implementation of this question. Investing in the qualification of reception professionals is important for the implementation of this question in the health services. CONCLUSION: With this experience, the Work Group Ethnicities of the STD-Aids State Program has broadened its performance. In 2006, with the partnership of the professionals of the AMA-Psique Institute, the process was extended to 13 new cities, consolidating the implementation of the color/race question in the STD-Aids services in the SSP. We hope that the produced information can sensitize the diverse spheres, so that public policies that promote racial equity in health and quality of life for black and aboriginal population are proposed and approved.


Subject(s)
Ethnic Groups , Health Services
11.
Mem. Inst. Oswaldo Cruz ; 100(1): 97-102, Feb. 2005. graf
Article in English | LILACS (Americas), SES-SP | ID: lil-398124

ABSTRACT

Antiretroviral resistance mutations (ARM) are one of the major obstacles for pharmacological human immunodeficiency virus (HIV) suppression. Plasma HIV-1 RNA from 306 patients on antiretroviral therapy with virological failure was analyzed, most of them (60 percent) exposed to three or more regimens, and 28 percent of them have started therapy before 1997. The most common regimens in use at the time of genotype testing were AZT/3TC/nelfinavir, 3TC/D4T/nelfinavir and AZT/3TC/efavirenz. The majority of ARM occurred at protease (PR) gene at residue L90 (41 percent) and V82 (25 percent); at reverse transcriptase (RT) gene, mutations at residue M184 (V/I) were observed in 64 percent. One or more thymidine analogue mutations were detected in 73 percent. The number of ARM at PR gene increased from a mean of four mutations per patient who showed virological failure at the first ARV regimens to six mutations per patient exposed to six or more regimens; similar trend in RT was also observed. No differences in ARM at principal codon to the three drug classes for HIV-1 clades B or F were observed, but some polymorphisms in secondary codons showed significant differences. Strategies to improve the cost effectiveness of drug therapy and to optimize the sequencing and the rescue therapy are the major health priorities.


Subject(s)
Adolescent , Adult , Child , Female , Humans , Male , HIV-1 , Anti-HIV Agents/therapeutic use , Antiretroviral Therapy, Highly Active , Drug Resistance, Viral/genetics , HIV Infections/virology , Mutation , HIV-1 , Brazil , Clinical Protocols , Genotype , HIV Infections/drug therapy , HIV Protease/genetics , HIV Reverse Transcriptase/genetics , Polymerase Chain Reaction , RNA, Viral/genetics
12.
J. bras. aids ; 4(2): 67-71, abr.-jun. 2003.
Article in Portuguese | LILACS (Americas), SES-SP | ID: lil-341876

ABSTRACT

O crescimento da epidemia de AIDS entre as mulheres levou, consequentemente, ao aumento do numero de casos em criancas, pois a grande maioria e devido a transmissao vertical do hiv, cuja probalidade de ocorrencia foi demonstrada em varios estudos. Foi evidenciado que a maioria dos casos, cerca de 65 porcento, ocorre durante o trabalho de parto e no parto propriamente dito e os 35 porcento restantes ocorrem intra-utero, principalmente nas ultimas semanas de gestacao; o aleitamento materno representa risco adicional de transmissao de 7 porcento a 22 porcento. A evidencia de transmissao do HIV pela amamentacao levou o Ministerio da Saude a contra-indicar o aleitamento materno por mulheres portadoras do HIV, assim como o aleitamento cruzado (feito por outra mulher). O presente artigo apresenta consideracoes sobre a utilizacao do teste rapido para pesquisa do HIV nas parturientes e sobre a importancia da supressao da lactacao nas mulheres HIV+, descrevendo os metodos que podem ser recomendados


Subject(s)
Breast Feeding , HIV , Infectious Disease Transmission, Vertical , Suppression
15.
In. Säo Paulo (Estado). Secretaria da Saúde. AIDS no Estado de Säo Paulo: epidemiologia. s.l, Säo Paulo (Estado). Secretaria de Estado da Saúde, ago. 1988. p.4-13, tab.
Monography in Portuguese | LILACS (Americas) | ID: lil-72773
SELECTION OF CITATIONS
SEARCH DETAIL