Your browser doesn't support javascript.
loading
Show: 20 | 50 | 100
Results 1 - 14 de 14
Filter
1.
Clinics ; 76: e2145, 2021. tab, graf
Article in English | LILACS | ID: biblio-1153958

ABSTRACT

OBJECTIVES: Arterial embolization of myomas (AEM) is controversial because of the changes that occur in the extracellular matrix (ECM) of the endometrium and its effect on gestational success in infertile patients desiring reproductive capability. Therefore, we performed this study on the expression of genes in the ECM of the endometrium, such as those coding metalloproteinases (MMP), before and 6 months after embolization of the uterine arteries. METHODS: Seven women with leiomyomas were evaluated, and MMP3 and MMP10 levels were measured. The women underwent pelvic nuclear magnetic resonance (NMR), examination, and endometrial biopsy between the 20th and 24th day of the menstrual cycle, and pre- and post-AEM (after 6 months). For data analysis, the Cq comparative method, also known as the 2-ΔΔCT method, was used to calculate the relative quantities of MMP gene expression among the samples collected. RESULTS: There was a significant decrease by 9.52 times in the expression of MMP3 (p=0.007), and a non-significant change in the expression of MMP10 (p=0.22) in post-AEM-treated women than pre-AEM-treated women. CONCLUSIONS: The results suggest that ECM continues to undergo tissue remodeling 6 months after AEM, at least with regard to MMP3 expression, suggesting that AEM affects the ECM for at least 6 months after the procedure.


Subject(s)
Humans , Female , Endometrium , Myoma , Metalloproteases , Extracellular Matrix , Uterine Artery
2.
Rev. bras. ginecol. obstet ; 42(7): 404-410, July 2020. tab, graf
Article in English | LILACS | ID: biblio-1137857

ABSTRACT

Abstract Objective To analyze the applicability and efficiency of amulti-approach laparoscopic training in improving basic laparoscopic skills of obstetrics and gynecology (OBGYN) residents. Methods Cross-sectional, observational and descriptive study, developed at the Experimentation and Surgery Training Center (CETEC, in the Portuguese acronym) of the Hospital Israelita Albert Einstein with OBGYN residents. Theoretical and practical tests were applied to 24 OBGYN residents to assess their laparoscopic skills before and after their participation in an 8-week course. The course involved theoretical lectures and practical laparoscopic surgery exercises developed using rubber models, black boxes, virtual simulators and animal models (pigs). Results There was an overall improvement in the ability of the residents, with an increase in the number of correct answers in the theoretical evaluation and decrease in the time needed to perform practical tests (needle holder assembly and laparoscopic node). The course was evaluated by the students as highly relevant for both improving their surgical skills and motivating them to continue practicing. Conclusion Laparoscopic training using multiple approaches resulted in significant improvement of surgical skills with a high satisfaction level of the participants. Further studies are still needed to measure the long-term retention of these acquired skills.


Resumo Objetivo Analisar a aplicabilidade e eficiência de um treinamento em laparoscopia com múltiplas abordagens, em melhorar as habilidades laparoscópicas básicas de residentes de ginecologia e obstetrícia (GO). Métodos Estudo transversal, observacional e descritivo, desenvolvido no Centro de Treinamento em Experimentação e Cirurgia (CETEC) do Instituto de Pesquisa do Hospital Albert Einstein com residentes de GO. Foram aplicadas avaliações teóricas e práticas a 24 residentes de GO com o objetivo de avaliar suas habilidades laparoscópicas antes e após sua participação em um curso de 8 semanas. O curso envolveu palestras teóricas e exercícios práticos de cirurgia laparoscópica através de modelos de borracha, caixas pretas, simuladores virtuais e modelos animais (porcos). Resultados Houve uma melhora geral na habilidade dos residentes, comaumento do número de respostas corretas na avaliação teórica e diminuição do tempo na execução dos testes práticos (montagem do porta-agulha e realização de nó laparoscópico). O curso foi avaliado pelos alunos como altamente relevante por melhorar suas habilidades cirúrgicas e motivá-los a continuar praticando. Conclusão O treinamento laparoscópico utilizando múltiplas abordagens resultou em melhora significativa das habilidades cirúrgicas atrelado a alto nível de satisfação dos participantes. Novos estudos ainda são necessários para mensurar a retenção destas habilidades adquiridas a longo prazo.


Subject(s)
Humans , Laparoscopy/education , Gynecology/education , Internship and Residency/methods , Obstetrics/education , Teaching , Cross-Sectional Studies , Clinical Competence , Models, Animal , Virtual Reality , Models, Anatomic
3.
Rev. bras. ginecol. obstet ; 42(7): 415-419, July 2020. tab
Article in English | LILACS | ID: biblio-1137852

ABSTRACT

Abstract It is estimated that around 28 million surgeries will be postponed or canceled worldwide as a result of this pandemic, causing a delay in the diagnosis and treatment of more than 2 million cancer cases. In Brazil, both the National Health Agency (ANS) and National Health Surveillance Agency (ANVISA) advised the postponement of elective and non-essential surgeries, causing a considerable impact on the number of surgical procedures that decreased by 33.4% in this period. However, some women need treatment for various gynecological diseases that cannot be postponed. The purpose of this article is to present recommendations on surgical treatment during the COVID-19 pandemic.


Resumo Estima-se que cerca de 28 milhões de cirurgias sejam postergadas ou canceladas nomundo em decorrência desta pandemia, causando atraso no diagnóstico e tratamento de mais de 2 milhões de casos oncológicos. No Brasil, tanto a ANS (Agencia Nacional de Saúde) comoa ANVISA (Agencia Nacional de Vigilância Sanitária) orientaram o adiamento das cirurgias eletivas e não essenciais, tendo um impacto considerável no número de procedimentos cirúrgicos comdiminuição de 33,4% neste período no Brasil.No entanto, algumasmulheres necessitam de tratamento para várias doenças ginecológicas, algumas das quais não podem ser adiadas. O objetivo deste artigo é apresentar recomendações sobre o tratamento cirúrgico durante a pandemia de COVID-19.


Subject(s)
Humans , Female , Patient Care Planning , Pneumonia, Viral/epidemiology , Gynecologic Surgical Procedures/statistics & numerical data , Coronavirus Infections/epidemiology , Pandemics , Pneumonia, Viral/diagnosis , Pneumonia, Viral/transmission , Brazil/epidemiology , Cross Infection/prevention & control , Risk Factors , Elective Surgical Procedures/statistics & numerical data , Coronavirus Infections/diagnosis , Coronavirus Infections/transmission , Disease Transmission, Infectious/prevention & control , Betacoronavirus , SARS-CoV-2 , COVID-19
4.
Femina ; 48(7): 427-431, 20200731. ilus
Article in Portuguese | LILACS | ID: biblio-1117444

ABSTRACT

Estima-se que cerca de 28 milhões de cirurgias sejam postergadas ou canceladas no mundo em decorrência desta pandemia, causando atraso no diagnóstico e tratamento de mais de 2 milhões de casos oncológicos. No Brasil, tanto a ANS (Agência Nacional de Saúde) como a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) orientaram o adiamento das cirurgias eletivas e não essenciais, tendo um impacto considerável no número de procedimentos cirúrgicos, com diminuição de 33,4% neste período no Brasil. No entanto, algumas mulheres necessitam de tratamento para várias doenças ginecológicas, algumas das quais não podem ser adiadas. O objetivo deste artigo é apresentar recomendações sobre o tratamento cirúrgico durante a pandemia de COVID-19.(AU)


Subject(s)
Humans , Female , Gynecologic Surgical Procedures/standards , National Health Strategies , SARS-CoV-2 , COVID-19 , Hysteroscopy/standards , Laparoscopy/standards
5.
Rev. bras. ginecol. obstet ; 40(7): 397-402, July 2018. tab
Article in English | LILACS | ID: biblio-959008

ABSTRACT

Abstract Objective To analyze the perioperative results and safety of performing gynecological surgeries using robot-assisted laparoscopy during implementation of the technique in a community hospital over a 6-year period. Methods This was a retrospective observational study in which the medical records of 274 patients who underwent robotic surgery from September 2008 to December 2014 were analyzed. We evaluated age, body mass index (BMI), diagnosis, procedures performed, American Society of Anesthesiologists (ASA) classification, the presence of a proctor (experienced surgeon with at least 20 robotic cases), operative time, transfusion rate, perioperative complications, conversion rate, length of stay, referral to the intensive care unit (ICU), and mortality. We compared transfusion rate, perioperative complications and conversion rate between procedures performed by experienced and beginner robotic surgeons assisted by an experienced proctor. Results During the observed period, 3 experienced robotic surgeons performed 187 surgeries,while 87 surgeries were performedby 20 less experienced teams, always with the assistance of a proctor. The median patient age was 38 years, and the median BMI was 23.3 kg/m2. The most frequent diagnosis was endometriosis (57%) and the great majority of the patients were classified as ASA I or ASA II (99.6%). The median operative time was 225 minutes, and the median length of stay was 2 days. We observed a 5.8% transfusion rate, 0.8% rate of perioperative complications, 1.1% conversion rate to laparoscopy or laparotomy, no patients referred to ICU, and no deaths. There were no differences in transfusion, complications and conversion rates between experienced robotic surgeons and beginner robotic surgeons assisted by an experienced proctor. Conclusion In our casuistic, robot-assisted laparoscopy demonstrated to be a safe technique for gynecological surgeries, and the presence of an experienced proctor was considered a highlight in the safety model adopted for the introduction of the robotic gynecological surgery in a high-volume hospital and, mainly, for its extension among several surgical teams, assuring patient safety.


Resumo Objetivo Analisar os resultados perioperatórios e a segurança da realização de cirurgias ginecológicas por laparoscopia robô-assistida durante a implementação da técnica num hospital comunitário ao longo de 6 anos. Métodos Este foi umestudo retrospectivo observacional, comanálise dos prontuários de 274 pacientes que se submeteramà cirurgia robótica de setembro de 2008 a dezembro de 2014. Avaliamos idade, índice de massa corpórea (IMC), diagnóstico, procedimentos realizados, classificação da Sociedade Americana de Anestesiologia (ASA), presença de um preceptor (cirurgião experiente, compelomenos 20casos robóticos), tempocirúrgico, taxa de transfusão, complicações perioperatórias, taxa de conversão, tempo de internação, encaminhamento para Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e mortalidade. Comparamos taxa de transfusão, complicações perioperatórias e taxa de conversão entre procedimentos realizados por cirurgiões experientes com a técnica e cirurgiões iniciantes na robótica, sempre assistidos por um preceptor experiente. Resultados Durante o período observado, 3 cirurgiões experientes realizaram 187 cirurgias, enquanto que 87 cirurgias foram realizadas por 20 equipes menos experientes, sempre com a presença de um preceptor. A mediana da idade foi 38 anos, e a mediana do IMC foi 23,3 kg/m2. O diagnósticomais frequente foi endometriose (57%) e a grande maioria das pacientes foi classificada como ASA I ou ASA II (99,6%). O tempo de cirurgia teve uma mediana de 225 minutos, e o tempo de permanência hospitalar teve uma mediana de 2 dias. Observamos 5,8% de taxa de transfusão, 0,8% de taxa de complicações perioperatórias, 1,1% de taxa de conversão para laparoscopia ou laparotomia e não houve pacientes encaminhadas à UTI, nem óbitos. Não houve diferença nos índices de transfusão, complicações e conversão entre cirurgiões experientes e cirurgiões iniciantes na robótica, assistidos por umpreceptor experiente. Conclusão Em nossa casuística, a laparoscopia robô-assistida demonstrou ser uma técnica segura para cirurgias ginecológicas, e a presença de um preceptor experiente foi considerada um ponto de destaque no modelo de segurança adotado para a introdução da cirurgia robótica em ginecologia num hospital de grande volume e, principalmente, na sua expansão entre diversas equipes cirúrgicas, mantendo a segurança das pacientes.


Subject(s)
Humans , Female , Adult , Aged , Aged, 80 and over , Young Adult , Gynecologic Surgical Procedures/methods , Surgical Procedures, Operative , Gynecologic Surgical Procedures/adverse effects , Cross-Sectional Studies , Retrospective Studies , Treatment Outcome , Patient Safety/standards , Middle Aged , Models, Theoretical
6.
Einstein (Säo Paulo) ; 15(4): 481-485, Oct.-Dec. 2017. tab, graf
Article in English | LILACS | ID: biblio-891437

ABSTRACT

ABSTRACT Objective: To evaluate the technique of uterine transplantation and the use of drugs used in the process of immunosuppression. Methods: We included 12 sows, and immunosuppression was performed with minimal doses of cyclosporine, and cross-match was done to exclude the possibility of blood incompatibility. Hysterectomy was performed in the donor under general anesthesia, with the removal of the aorta and inferior vena cava in monobloc, and anastomosis of these vessels was made in the recipient. Results: Six experiments were performed, and on the immediate postoperative period, five animals had good reperfusion. However, on the seventh postoperative day, histological analysis showed rejection in five animals. Conclusion: The experimental model of uterine transplantation is feasible, but monitoring doses of immunosuppressants is pivotal to prevent rejection episodes.


RESUMO Objetivo: Avaliar a técnica de transplante uterino e o uso de drogas no processo de imunossupressão. Métodos: Foram incluídas 12 porcas, sendo realizada imunossupressão com doses mínimas de ciclosporina, e prova cruzada para afastar a possibilidade de incompatibilidade sanguínea. Realizou-se, na doadora, histerectomia sob anestesia geral, com a retirada, em monobloco, da aorta e da veia cava inferior, de tal forma que, na receptora, fosse possível realizar a anastomose com estes vasos. Resultados: Foram realizados seis experimentos e, no pós-operatório imediato, houve boa reperfusão em cinco animais. Entretanto, no sétimo dia de pós-operatório, as análises histológicas demonstraram rejeição em cinco deles. Conclusão: O modelo experimental de transplante uterino é factível, mas a monitorização das doses de imunossupressores é importante, a fim de impedir os episódios de rejeição.


Subject(s)
Animals , Female , Pregnancy , Gynecologic Surgical Procedures/methods , Uterus/transplantation , Immunosuppression Therapy , Cyclosporine/administration & dosage , Immunosuppressive Agents/administration & dosage , Infertility, Female/surgery , Postoperative Period , Swine , Pregnancy, Animal , Disease Models, Animal , Graft Rejection/immunology
7.
Einstein (Säo Paulo) ; 15(4): 476-480, Oct.-Dec. 2017. tab, graf
Article in English | LILACS | ID: biblio-891434

ABSTRACT

ABSTRACT Objective: This article presents the first series of robotic single-port hysterectomy cases performed at a hospital in Brazil. Methods: From November 2014 to October 2016, 11 patients were indicated to undergo, and nine of them were submitted to single-port hysterectomy using da Vinci Single-Site® platform. However, in two patients, due to multiple previous abdominal surgeries, large uterine volume, and/or a uterus with no mobility, a pneumoperitoneum was performed with a Verres needle, and the pelvic cavity was assessed using a 5mm optics endoscope. In these cases, single-port surgery was not recommended; therefore, multiportal robotic access was chosen, and no intercurrent events were reported. Nine single-port cases were operated on by the same surgeon at Hospital Israelita Albert Einstein. Patient data analyzed included age, body mass index, previous surgeries, and clinical diagnosis. Surgical data included operative time, skin incision, report of intraoperative complications, need for conversion to laparotomy, need for transfer to intensive care unit, need for blood transfusion, inadvertent injury to other organs, length of hospital stay, and death. Results: All cases were completed with da Vinci Single-Site® system, with no intercurrent events. Four patients presented with adenomyosis as the surgical indication, two had uterine myoma, one endometrial cancer, one endometrial polyp, and one desquamative inflammatory vaginitis. The mean age of patients was 44 years (range, 40 to 54 years), and body mass index varied between 23.4 and 33.2kg/m2 (mean 26.4). No complications occurred in any of the cases, such as intestinal or bladder injury, bleeding, or the need for a second surgery. All nine procedures were completed with the robotic single-port access, and no patient required a blood transfusion. Conclusion: Although this study merely presented an initial series of patients submitted to robotic single-port surgery, it demonstrated that the method is feasible and safe, suggesting the possible use of this technique in elective hysterectomy and other gynecological procedures in the future, as described in large reference centers of advanced surgery worldwide. Specifically, in gynecological practice, existing evidence on the use of robot-assisted, single-port surgery seems promising, and although it is not indicated in all cases, it should be considered as a surgical option. Nonetheless, further randomized and controlled clinical studies are necessary to establish the preeminence of robot-assisted, single-port surgery versus single-incision and conventional laparoscopy.


RESUMO Objetivo: Apresentar a primeira série de casos de histerectomia usando sistema robótico de portal único (single-port) em hospital no Brasil. Métodos: No período de novembro de 2014 a outubro 2016, de modo inédito no Brasil, 11 pacientes tiveram indicação inicial e 9 delas foram submetidas à histerectomia por portal único, com a plataforma da Vinci Single-Site®. Em duas pacientes, devido a múltiplas cirurgias abdominais prévias, grande volume uterino e/ou útero sem mobilidade, optou-se pela instalação de pneumoperitônio com agulha de Verres e inspeção da cavidade pélvica com ótica de 5mm, constatando-se, nestes casos, não ser viável a cirurgia por single-port, levando-se, assim, à opção pela técnica robótica multiportal, sem intercorrências. Os nove casos single-port foram operados por um mesmo cirurgião, no Hospital Israelita Albert Einstein. Os dados analisados das pacientes foram idade, índice de massa corporal, cirurgias anteriores e diagnóstico clínico. Os dados relacionados à cirurgia foram tempo operatório, incisão da pele, registro de complicações intraoperatórias, necessidade de conversão para laparotomia, necessidade de transferência para unidade de terapia intensiva, necessidade de transfusão sanguínea, lesão inadivertida de outros órgãos, tempo de internação e óbito. Resultados: Todos os casos foram concluídos sem intercorrências com a plataforma da Vinci Single-Site®. Quatro pacientes apresentavam adenomiose como indicação cirúrgica, duas apresentavam mioma uterino, uma câncer de endométrio, um pólipo endometrial e uma hidrorreia. A média de idade das pacientes foi 44 anos (variando de 40 a 54 anos) e o índice de massa corporal variou entre 23,4 a 33,2kg/m2 (média de 26,4). Nenhum caso teve qualquer tipo de complicação, como lesão intestinal ou vesical, sangramento ou necessidade de reabordagem cirúrgica. Todos os nove procedimentos foram concluídos com o portal único robótico, e nenhuma paciente necessitou de transfusão sanguínea. Conclusão: Apesar deste trabalho apresentar apenas uma série inicial de pacientes operadas por portal único robótico, ele demonstra a factibilidade do método e indica a possibilidade futura de adotar esta técnica em histerectomias eletivas e em outros procedimentos ginecológicos, assim como descrito em grandes centros de referência em cirurgia avançada no mundo. Especificamente na prática ginecológica, a evidência existente sobre o uso de portal único robô-assistido parece ser promissora e, ainda que nem todos os casos tenham indicação, é necessário que exista esta opção no arsenal cirúrgico. No entanto, estudos clínicos aleatorizados e controlados são necessários, a fim de se estabelecer a superioridade da cirurgia robótica por portal único diante da cirurgia laparoscópica com incisão única e da cirurgia laparoscópica convencional.


Subject(s)
Humans , Female , Adult , Uterine Diseases/surgery , Laparoscopy/methods , Robotic Surgical Procedures/methods , Hysterectomy/methods , Pneumoperitoneum , Umbilicus/surgery , Uterine Neoplasms/surgery , Brazil , Treatment Outcome , Endometrial Neoplasms/surgery , Operative Time , Leiomyoma/surgery , Length of Stay , Middle Aged
8.
Rev. bras. ginecol. obstet ; 38(10): 518-523, Oct. 2016. tab
Article in English | LILACS | ID: biblio-843868

ABSTRACT

Abstract Purpose To translate into Portuguese, culturally adapt and validate the Uterine Fibroid Symptom - Quality of Life (UFS-QoL) questionnaire for Brazilian women with uterine leiomyoma. Methods Initially, the UFS-QoL questionnaire was translated into Brazilian Portuguese in accordance with international standards, with subsequent cultural, structural, conceptual and semantic adaptations, so that patients were able to properly answer the questionnaire. Fifty patients with uterine leiomyoma and 19 patients without the disease, confirmed by abdominal pelvic examination and/or transvaginal ultrasound, were selected at the outpatient clinics of the Department of Gynecology of the Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). The UFS-QoL questionnaire was administered to all women twice on the same day, with two different interviewers, with an interval of 15 minutes between interviews. After 15 days, the questionnaire was readministered by the first interviewer. Reliability (internal consistency and test-retest), construct and discriminative validity were tested to ratify the questionnaire. Results The reliability of the instrument was assessed by Cronbach’s α coefficient with an overall result of 0.97, indicating high reliability. The survey results showed a high correlation (p= 0.94; p 0.001). Conclusion The UFS-QoL questionnaire was successfully adapted to the Brazilian Portuguese language and Brazilian culture, showing reliability and validity.


Resumo Objetivo Traduzir para o português, adaptar culturalmente e validar o questionário Uterine Fibroid Symptom - Quality of Life (UFS-QoL) para as mulheres brasileiras com leiomioma uterino. Métodos Inicialmente, o questionário UFS-QoL foi traduzido para o português brasileiro, em conformidade com as normas internacionais, com adaptações culturais, estruturais, conceituais e semânticas subsequentes, de modo que as pacientes fossem capazes de responder o questionário de forma adequada. Cinquenta pacientes com leiomioma uterino e 19 pacientes sem a doença, confirmada por exame pélvico abdominal e/ou ultrassonografia transvaginal, foram selecionados nos ambulatórios do Departamento de Ginecologia da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). A todas as mulheres foi administrado o questionário UFS-QoL por duas vezes no mesmo dia, por dois entrevistadores diferentes, com um intervalo de 15 minutos entre as entrevistas. Após 15 dias, o questionário foi novamente administrado pelo primeiro entrevistador. Confiabilidade (consistência interna e teste-reteste), constructo e validade discriminativa foram testados para ratificar o questionário. Resultados A confiabilidade do instrumento foi avaliada pelo coeficiente α de Cronbach com um resultado global de 0,97, indicando alta confiabilidade. Os resultados da pesquisa mostraram uma correlação elevada (p= 0,94; p 0,001). Conclusão O questionário UFS-QoL foi adaptado com sucesso para a língua portuguesa e cultura brasileira, mostrando confiabilidade e validade.


Subject(s)
Humans , Female , Adult , Middle Aged , Young Adult , Diagnostic Self Evaluation , Leiomyoma/diagnosis , Quality of Life , Uterine Neoplasms/diagnosis , Brazil , Case-Control Studies , Reproducibility of Results , Symptom Assessment , Translations
9.
Rev. Col. Bras. Cir ; 42(6): 372-375, Nov.-Dec. 2015. tab
Article in Portuguese | LILACS | ID: lil-771150

ABSTRACT

Objective: To evaluate the epidemiological profile and the operative complications of patients undergoing gynecological operations for benign diseases in a tertiary public hospital in the state of Roraima, Brazil. Methods: We conducted a retrospective survey through the analysis of 518 records of patients submitted to gynecological operations between January and June 2012. We included the three major operations during this period (n = 175): hysterectomy, colpoperineoplasty and suburethral sling placement. We excluded 236 cases of tubal ligation and 25 cases where it was not possible to access to medical records. Results: The mean age was 47.6 years; the education level of most patients was completed junior high (36.6%); 77% were from the State capital, 47.4% were in stable relationships and 26.3% were housewives. The majority of patients had given birth three or more times (86.6%), with previous vaginal delivery in 50.2%, and cesarean delivery, 21%. The main diagnostic indications for surgical treatment were uterine myoma (46.3%), urinary incontinence (27.4%) and genital dystopias (17.7%). We found three cases (1.7%) of high-grade intraepithelial lesions on Pap smear. The most common procedure was total hysterectomy (19.8%), 15.5% vaginally. The most common complication was wound infection (2.2%). Conclusion: Women undergoing gynecological operations due to benign disease had a mean age of 47 years, most had levels of basic education, came from the capital, were in stable relationships, predominantly housewives, multiparous and showed low operative complication rates.


Objetivo: avaliar o perfil epidemiológico e as complicações operatórias das pacientes submetidas à operações ginecológicas realizadas devido à presença de doenças benignas em um hospital público terciário no Estado de Roraima, Brasil. Métodos: foi realizado um levantamento retrospectivo, por meio da análise de prontuários de 518 pacientes submetidas à operações ginecológicas entre os meses de janeiro e junho de 2012. Foram incluídas as três principais operações realizadas nesse período (n=175): histerectomia, colpoperineoplastia e colocação de sling suburetral. Foram excluídos 236 casos de laqueadura tubária e 25 casos em que não foi possível acesso ao prontuário médico. Resultados: A média etária foi 47,6 anos, predominaram pacientes com ensino fundamental (36,6%), provenientes da capital (77%), com relações estáveis (47,4%) e ocupação prevalente "do lar" (26,3%). As pacientes, em sua maioria, tinham antecedentes três ou mais partos (86,6%), com via vaginal prévia em 50,2% e parto cesáreo prévio em 21%. Os principais diagnósticos indicativos de tratamento cirúrgico foram: mioma uterino (46,3%), incontinência urinária de esforço (27,4%) e distopias genitais (17,7%). Foram encontrados três casos (1,7%) de lesões intraepiteliais de alto grau na colpocitologia oncótica. A operação mais realizada foi a histerectomia total (19,8%), sendo 15,5% por via vaginal. A complicação mais frequente foi a infecção de ferida operatória (2,2%). Conclusão: as mulheres submetidas às operações ginecológicas devido à doenças benignas apresentavam média etária de 47 anos, a maioria tinha nível de escolaridade fundamental, eram provenientes da capital, tinham união estável, eram predominantemente do lar, multíparas e apresentaram taxas de complicações operatórias baixas.


Subject(s)
Humans , Female , Pregnancy , Adult , Postoperative Complications , Gynecologic Surgical Procedures , Brazil , Retrospective Studies , Suburethral Slings , Middle Aged
10.
Rev. bras. ginecol. obstet ; 33(8): 201-206, ago. 2011. tab
Article in Portuguese | LILACS | ID: lil-608245

ABSTRACT

RESUMO OBJETIVO: Avaliar o impacto da embolização arterial de miomas (EAM) sobre o volume uterino (VU), na função ovariana. MÉTODOS: Trinta pacientes com leiomioma se submeteram à EAM. Foram realizados exames de USPTV e FSH antes e três meses após a EAM. Foram analisados o VU em cm³, o diâmetro do mioma dominante (DMD) em cm e o FSH em UI/mL, expressos por média desvio padrão (DP) e submetidos a análise estatística pelo teste não paramétrico de Mann-Whitney. RESULTADOS: Foram incluidos na análise 29 casos. A média do VU pré-EAM foi 402,4 165,9 cm³, DMD pré-EAM 5,9 2,1 cm. O VU pós-EAM foi 258,9 118,6 cm³, DMD pós-EAM foi 4,6 1,8 cm. A média da dosagem de FSH pré-EAM foi 4,9 3,5 UI/mL e pós-EAM foi 5,5 4,7 UI/mL com p=0,5. Houve redução de 35 por cento do VU, de 22 por cento no DMD e a EAM não alterou significativamente os valores de FSH após três meses. CONCLUSÃO: O procedimento diminui significativamente o VU e DMD e, não há aumento significativo dos níveis séricos de FSH, não havendo, portanto, alterações na função ovariana.


PURPOSE: To evaluate the impact of uterine artery embolization (UAE) on uterine volume (UV), greater myoma diameter (GMD) and ovarian function three months after the procedure, by transvaginal pelvic ultrasonography (TVPUS) and by the determination of follicle-stimulating hormone (FSH). METHODS: Thirty patients with leiomyomas were submitted to UAE. TVPUS and FSH determination were performed before and three months after UAE. UV was determined in cm³, GMD in cm and FSH in IU/mL. Data are reported as as mean standard deviation (SD) and were analyzed statistically by the nonparametric Mann-Whitney test. RESULTS: Twenty-nine patients were analyzed. Before UAE, mean UV was 402.4 165.9 cm³ and GMD was 5.9 2.1 cm. After UAE, mean UV was 258.9 118.6 cm³ and GMD was 4.6 1.8 cm. Mean FSH concentration was 4.9 3.5 IU/mL before UAE and 5.5 4.7 IU/mL after UAE, with p=0.5. There was a 35 percent reduction of UV and a 22 percent reduction of GMD, with no changes in FSH values after three months. CONCLUSION: The procedure significantly reduced UV and GMD but did not cause a significant increase in FSH levels, thus causing no changes in ovarian function.


Subject(s)
Adult , Female , Humans , Leiomyoma/therapy , Uterine Artery Embolization , Uterine Neoplasms/therapy , Leiomyoma/pathology , Leiomyoma/physiopathology , Organ Size , Prospective Studies , Uterine Neoplasms/pathology , Uterine Neoplasms/physiopathology , Uterus/blood supply , Uterus/pathology , Uterus/physiopathology
11.
Rev. bras. ginecol. obstet ; 31(12): 598-603, dez. 2009. ilus
Article in Portuguese | LILACS | ID: lil-536738

ABSTRACT

OBJETIVO: analisar as repercussões histomorfométricas da embolização das artérias uterinas (EAU) no tecido uterino, especialmente mediante quantificação de tecido colágeno, através de biópsia uterina antes e após tratamento de leiomioma uterino. MÉTODOS: participaram do estudo 15 pacientes portadoras de leiomiomas sintomáticos e/ou com infertilidade, submetidas à EAU após ciência do termo de consentimento livre e esclarecido, obedecendo aos critérios de exclusão do estudo. Foi realizada biópsia uterina na fase secretória do ciclo menstrual antes e três meses após o procedimento, para avaliação do colágeno. Após o processamento histológico do material, foram feitos cortes de 3µ, sendo alguns corados pela hematoxilina-eosina (HE), e outros pela coloração específica para fibras colágenas (Picrosirius red). Em seguida, foi realizada a leitura e interpretação das lâminas e a quantificação do colágeno. Sua quantificação foi calculada como o percentual da área composta por colágeno, e o resultado expresso em média±desvio padrão (DP). Os dados foram então submetidos à análise estatística pelo teste t de Student pareado (p<0,05). RESULTADOS: nas biópsias realizadas antes do tratamento, foi notada a presença de células musculares lisas, rodeadas por rica trama de fibras colágenas que compõem o tumor, vasos sanguíneos e núcleos de fibroblastos. Nas lâminas das biópsias realizadas após o tratamento, foi observada a presença de necrose de coagulação difusa, trombose vascular, áreas de calcificação e de infiltração linfoplasmocitária e nítida diminuição do componente colágeno. A porcentagem de fibras colágenas foi maior no grupo pré-EAU (84,07±1,41) do que no grupo pós-EAU, (81,05±1,50), com p<0,0001, e intervalo de confiança de 95 por cento (IC95 por cento) entre 2,080 e 3,827. CONCLUSÃO: a redução quantitativa e qualitativa do colágeno evidencia que o tratamento proposto é eficaz em reduzir a massa tumoral, composta principalmente por fibras colágenas ...


PURPOSE: to analyze histomorphometric consequences of the uterine arteries embolization (UAE) in the uterine tissue, especially by collagen tissue quantification through uterine biopsy, before and after treatment of uterine leiomyoma. METHODS: 15 patients with symptomatic leyomioma and/or infertility, submitted to UAE, participated in the study according to the study exclusion criteria, after having signed an informed consent. Uterine biopsy was performed in the secretory phase of the menstrual cycle, before and three months after the procedure, to evaluate the collagen. After the histological processing of the material, 3 µ slices were prepared, some of them dyed with hematoxiline-eosin (HE) and others with the specific dye for collagen fibers (Picrosirius red). Then, the slides were examined and interpreted, and the collagen quantified. The amount was calculated as the percent of the area composed by collagen, and the result expressed in mean±standard deviation (SD). Data has then been submitted to statistical analysis by Student's paired t test (p<0.05). RESULTS: the presence of smooth muscle cells was observed in the biopsies performed before the treatment, surrounded by a rich network of collagen fibers, which are part of the tumor, blood vessels and fibroblast nuclei. On the slides of biopsies performed after the treatment, it was observed the presence of widespread coagulation necrosis, vascular thrombosis, calcification and lymphoplasmocitary infiltration areas and clear reduction of the collagen component. The percentage of collagen fibers was higher in the pre-UAE group (84.07±1.41), than in the post-UAE (81.05±1.50) group, with p<0.0001, and 95 percent confidence interval (CI95 percent) from 2.080 to 3.827. CONCLUSION: the quantitative and qualitative collagen reduction clearly shows that the proposed treatment is efficient in reducing the tumoral mass, composed mainly by collagen fibers intermingled with neoplasic smooth muscle ...


Subject(s)
Female , Humans , Collagen/analysis , Embolization, Therapeutic , Leiomyoma/therapy , Uterine Neoplasms/therapy , Uterus/chemistry , Uterus/pathology , Prospective Studies
12.
Femina ; 34(6): 381-387, jun. 2006.
Article in Portuguese | LILACS | ID: lil-475067

ABSTRACT

O leiomioma do útero, neoplasia benigna mais freqüente do aparelho reprodutor feminino na menacme, acomete pelo menos 30 porcento das mulheres acima de 30 anos, apresenta predisposição familiar e tem maior prevalência na raça negra e em nulíparas. A transformação neoplásica é um processo que ocorre em etapas, nas quais as células adquirem um novo fenótipo, decorrente de alterações genômicas que levam à perda de controle do seu crescimento. Os esteróides sexuais atuam localmente e mediam o crescimento tumoral pela ligação aos seus receptores, com subseqüente ativação de proto-oncogenes, fatores de crescimento e de seus receptores. Embora o estrogênio seja apontado como o principal responsável nesse processo, evidências bioquímicas, patológicas e clínicas sugerem que a progesterona, agindo por meio dos seus receptores celulares, promova proliferação tumoral. Parece concebível, portanto, que o estrogênio e a progesterona atuem em combinação, estimulando a proliferação e o crescimento das células neoplásicas. Ainda não se conhecem, no entanto, os mecanismos moleculares da patogênese do leiomioma do útero e permanece incerto, até o momento, se a ação dos esteróides sexuais estaria relacionada com a iniciação dessa afecção ou se somente promoveria o seu crescimento, iniciado por outros mecanismos


Subject(s)
Humans , Female , Adult , Estrogens/metabolism , Leiomyoma , Progesterone , Uterine Neoplasms
13.
Rev. bras. ginecol. obstet ; 28(5): 278-284, maio 2006. ilus, tab
Article in Portuguese | LILACS | ID: lil-434470

ABSTRACT

OBJETIVOS: analisamos raça, paridade e presença do polimorfismo do gene do receptor de progesterona, denominado PROGINS, como fatores relacionados à ocorrência de leiomioma uterino em mulheres brasileiras. MÉTODOS: realizamos estudo caso-controle, no qual foram incluídas 122 pacientes com diagnóstico de leiomioma e 125 mulheres sem a doença. Após registro dos dados clínicos, coletamos material biológico para extração de DNA, reação em cadeia da polimerase e eletroforese em gel de agarose, a fim de identificar a presença do polimorfismo PROGINS. A análise estatística foi feita pelo teste não paramétrico de Mann-Whitney ou pelo teste do chi2, a depender da variável estudada. O risco para ocorrência da doença foi calculado pelo modelo de regressão logística, com obtenção da odds ratio (OR) (razão de chances). O nível de significância adotado foi de 5 por cento (p<0,05) e o intervalo de confiança foi de 95 por cento (IC 95 por cento). RESULTADOS: observamos maior prevalência de "não-brancas"- pardas e negras - (50 vs 22,4 por cento) e de nulíparas (23,8 vs 11,2 por cento) nos casos, ao passo que o genótipo do receptor de progesterona foi mais freqüentemente PROGINS positivo - heterozigoto ou homozigoto mutante - entre os controles (21,6 vs 10,7 por cento). A razão de chances indicou elevação do risco para leiomioma relacionada à raça "não branca"(OR=3,46; IC 95 por cento: 2,0-6,0) e à nuliparidade (OR=3,30; IC 95 por cento: 1,9-5,6), com redução na presença de genótipos PROGINS positivo (OR=0,43; IC 95 por cento: 0,2-0,9). CONCLUSÕES: a raça "não branca"e a nuliparidade foram consideradas fatores de risco para a ocorrência de leiomioma uterino em mulheres da população estudada, ao passo que o polimorfismo PROGINS demonstrou ser fator protetor.


Subject(s)
Humans , Female , Middle Aged , Ethnicity , Leiomyoma , Parity , Polymorphism, Genetic , Receptors, Progesterone , Risk Factors , Uterine Neoplasms
14.
São Paulo; s.n; 2005. [76] p.
Thesis in Portuguese | LILACS | ID: lil-436871

ABSTRACT

Objetivo: Avaliar alguns fatores demográficos, clínicos e genéticos quanto ao desenvolvimento do leiomioma do útero, bem como analisar suas eventuais associações. Casuística e Métodos: Foram comparadas, em estudo caso-controle, 122 mulheres com leiomioma uterino sintomático que se submeteram a tratamento cirúrgico e 125 mulheres na peri ou na pós-menopausa sem diagnóstico prévio ou atual de leiomioma. Os grupos foram analisados quanto à raça, à paridade e a abortamentos, e pesquisou-se a presença do PROGINS (um dos polimorfismos do gene dos receptores de progesterona) nessas mulheres. Enquanto os dados demográficos e clínicos foram registrados por meio de entrevista com as participantes, a genotipagem dos receptores de progesterona foi efetuada por reação em cadeia da polimerase de DNA, extraído no grupo controle a partir de sangue obtido por punção venosa periférica e, no grupo caso, a partir de fragmento de leiomioma retirado durante histerectomia ou miomectomia. Resultados: A idade média do grupo controle foi de 57 anos e, dos casos, foi de 45. Apenas 22,4 por cento dos controles foram classificados como "não-brancos", enquanto 50 por cento dos casos foram considerados "não-brancos", com diferença significante (p<0,0001). O índice de nuliparidade foi de 11,2 por cento entre os controles e de 23,8 por cento entre os casos, sendo essa diferença significante (p<0,0001). Não houve diferença quanto à ocorrência de abortamentos nos dois grupos. O genótipo dos receptores de progesterona foi mais freqüentemente PROGINS positivo (heterozigoto ou homozigoto mutante) entre os controles do que entre os casos (21,6 por cento x 10,7 por cento, p=0,020). Calculou-se a razão de riscos (odds ratio) para a ocorrência da doença por meio de análise de regressão logística. O genótipo PROGINS positivo (heterozigoto ou homozigoto mutante) indicou risco reduzido (0,43) para a presença de leiomioma do útero (p=0,022); a nuliparidade, risco elevado em 3,30 vezes (p<0,001); e a raça "não-branca", risco elevado em 3,46 vezes (p<0,001). Assim, conferiu-se o atributo de fator protetor para o polimorfismo PROGINS e de fator de risco para a raça "não-branca" e para a nuliparidade. Em análises complementares, excluindo-se as mulheres com abortamento(s) ou as de raça branca, os resultados foram semelhantes, porém com acentuação da proteção e dos riscos já mencionados. Conclusões: Foram considerados como fatores de risco para a ocorrência do leiomioma uterino a raça "não-branca" e a nuliparidade e, como fator protetor, a presença do genótipo PROGINS (polimórfico) no gene dos receptores de progesterona.


Subject(s)
Ethnicity , Leiomyoma , Parity , Polymorphism, Genetic , Receptors, Progesterone , Risk Factors
SELECTION OF CITATIONS
SEARCH DETAIL