Your browser doesn't support javascript.
loading
Show: 20 | 50 | 100
Results 1 - 18 de 18
Filter
1.
Arq. bras. cardiol ; 115(5 supl.1): 19-19, nov. 2020.
Article in Portuguese | SES-SP, LILACS, SES-SP, SESSP-IDPCPROD, SES-SP | ID: biblio-1128989

ABSTRACT

INTRODUÇÃO: O aneurisma de VE (ANEUVE) é uma complicação pós IAM e da doença de Chagas. É causa de arritmias, ICC e tromboembolismo. O CDI está indicado para prevenção da morte súbita arrítmica na ausência de causas removíveis. O ANEUVE pode ser ressecado cirurgicamente e, quando, aplica-se outras abordagens (endoaneurismorrafia, reconstrução do VE, revascularização miocárdica e ablação do foco arritmogênico) pode abolir o circuito da arritmia, melhorar a função ventricular e com isso o prognóstico dos pacientes (P). Objetivo: Apresentar a experiência da fase hospitalar da aneurismectomia de VE com TV instável. Métodos: Revisaram-se os prontuários de 14 P com ANEUVE e TVS hemodinamicamente instável (10P com ICo, 4P DCh; média de idade 60±5,6a, variando entre 52 e 70 a; média da FEVE 35±10%). Após a aneurismotomia, procedeu-se a indução da TV com estimulação ventricular programada (EVP) seguida de mapeamento endocárdico. Após a localização da área alvo realizou-se a ablação com cateter com RF (Cardioablate®). Nova EVP era realizada e, em caso de não indução da TV a cirurgia era complementada com a endoaneurismorrafia e reconstrução do VE com retalho de pericárdio. A revascularização miocárdica era a etapa final caso indicada. Antes da alta hospitalar, os P eram submetidos à EVP. Sendo negativa recebiam alta, em tratamento clínico, em caso positivo submetiam-se ao implante do CDI. Resultados: O ANEUVE localizou-se predominantemente na região anterior. A trombose ventricular foi observada em 3/14P (21%). A TV foi induzida e ablacionada com RF em 14/14 casos (100%). Em apenas 1P (7%) a TV foi reinduzida após a aneurismectomia. Houve tendência de melhora da FE no PO em 12/14P (35±9,8 vs. 39±7,7%; p=0,156). Em 13/14P (93%) a TV não mais foi induzida. Um P (7%) morreu por choque séptico, ainda internado. Um P implantou CDI devido a reindução de TV. Os outros P receberam alta estáveis. Conclusões: a) a aneurismectomia com abordagens para TVS é conduta eficaz em P com risco de MS; b) a comprovação do sucesso terapêutico pode ser demonstrada ainda na cirurgia e confirmada antes da alta com a EVP; c) a conduta utilizada evitou o implante de CDI na maioria dos casos.


Subject(s)
Tachycardia , Heart Ventricles , Aneurysm
2.
RELAMPA, Rev. Lat.-Am. Marcapasso Arritm ; 29(1): 16-23, jan.-mar.2016. ilus, tab
Article in Portuguese | SES-SP, LILACS, SES-SP, SESSP-IDPCPROD, SES-SP | ID: lil-788820

ABSTRACT

Síndrome do QT longo congênito é uma síndrome arrítmica hereditária caracterizada por prolongamento do intervalo QT no eletrocardiograma de 12 derivações, torsades de pointes e maior chance de morte súbita cardíaca. A síndrome do QT longo congênito possui padrão autossômico dominante (síndrome de Romano-Ward), bem como padrão autossômico recessivo raro (síndrome de Jervell e Lange-Nielsen). Desde 1957, quando Jervell e Lange-Nielsen relataram os primeiros casos de síndrome do QT longo congênito familiarcom surdez congênita, a compreensão dos mecanismos genéticos e eletrofisiológicos dessa afecção melhorousignificativamente os métodos diagnósticos e os tratamentos. No entanto, tornou-se evidente que a síndrome do QT longo congênito nem sempre pode ser explicada pela mutação de um único gene. Esta revisão teve por objetivo resumir as características da síndrome do QT longo congênito (principalmente LQT1, LQT2 e LQT3) e descrever brevemente os mais recentes avanços no diagnóstico clínico e no tratamento da afecção...


Congenital long QT syndrome is an inherited arrhythmia syndrome characterized by a prolonged QT interval on the 12-lead electrocardiogram, torsades de pointes and a higher chance of sudden cardiac death. Congenital long QT syndrome includes an autosomal dominant pattern (Romano-Ward syndrome) as well as a rare autosomal recessive pattern (Jervell and Lange-Nielsen syndrome). Since 1957 when Jervell and Lange Nielsen reported the first familial long QT syndrome with congenital deafness, the understanding of genetic and electrophysiological mechanisms of long QT syndrome has significantly improved diagnostic methods and treatments. However, is clear that long QT syndrome cannot always be explained by a single gene mutation. This review is aimed at summarizing the characteristics of congenital long QT syndrome (mainly LQT1, LQT2 e LQT3) and briefly describe the most recent advances in long QT syndrome clinical diagnostics and treatment...


Subject(s)
Humans , Heart Defects, Congenital , Death, Sudden, Cardiac/prevention & control , Long QT Syndrome/congenital , Adrenergic beta-1 Receptor Antagonists/administration & dosage , Arrhythmias, Cardiac/complications , Arrhythmias, Cardiac/therapy , Defibrillators, Implantable , Electrocardiography/methods , Syncope/complications
3.
São Paulo; s.n; 2016. 88 p. tab, ilus.
Thesis in Portuguese | SES-SP, LILACS, SES-SP, SESSP-IDPCPROD, SES-SP | ID: biblio-1083959

ABSTRACT

A estratificação de risco para morte súbita em pacientes com cardiomiopatia hipertrófica ainda é um desafio. Sua prevenção pelo cardiodesfibrilador automático é eficaz, porém, onerosa e não isenta de riscos. Pacientes com indicação de cardiodesfibrilador automático para prevenção primária, baseada em fatores de risco clínicos, apresentam baixa taxa de terapias apropriadas. Estudos que validem novos fatores de risco são necessários, visando identificar pacientes com maior probabilidade de morte súbita e, portanto, que se beneficiam do implante do dispositivo. Estudos que correlacionam a presença de realce tardio com arritmias ventriculares e morte súbita foram realizados, entretanto, sua aplicabilidade clinica ainda não é consenso. Objetivos: Avaliar, em portadores de cardiomiopatia hipertrófica, se a presença e a extensão de realce tardio, identificado pela tomografia computadorizada, correlaciona-se com a ocorrência de taquiarritmias ventriculares registradas no monitor de eventos do cardiodesfibrilador automático, durante um seguimento clínico ambulatorial. Métodos: Foram incluídos pacientes com cardiomiopatia hipertrófica dos ambulatórios de Eletrofisiologia e Miocardiopatias do Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia. Os pacientes foram divididos em dois grupos: grupo I composto por aqueles que receberam terapia apropriada pelo cardiodesfibrilador automático ou tiveram apenas a documentação de taquicardia ventricular não sustentada pelo cardiodesfibrilador automático...


Subject(s)
Cardiomyopathy, Hypertrophic , Defibrillators, Implantable , Endomyocardial Fibrosis , Tachycardia, Ventricular , Tomography, X-Ray Computed
4.
RELAMPA, Rev. Lat.-Am. Marcapasso Arritm ; 27(4): 264-267, Out.-Dez.2014. ilus
Article in Portuguese | LILACS | ID: lil-760043

ABSTRACT

Na síndrome de Timothy, caracterizada pela presença de QT longo (intervalo QT entre 480-700 ms) e de sindactilia cutânea e/ou óssea, além de outras manifestações, a causa mais comum de morte é secundária a taquiarritmias. Relata-se o caso de paciente do sexo feminino, com 1 ano e 3 meses de idade, que evoluiu no segundo dia de vida com bradicardia e apneia de resolução espontânea. O eletrocardiograma evidenciou bloqueio atrioventricular de 2o grau e bradicardia, sendo submetida a implante de marcapasso epicárdico e posterior troca de cabo-eletrodo, evoluindo durante o procedimento com parada cardiorrespiratória em fibrilação ventricular, que foi revertida. Ao ser encaminhada para implante de cardiodesfibrilador em nosso serviço, cerca de 30 dias após o procedimento, apresentava febrícula esporádica, sem comprometimento do estado geral, e bom desenvolvimento pôndero-estatural e neuropsicomotor. Durante a internação, apresentou nova parada cardiorrespiratória em fibrilação ventricular, falecendo antes do procedimento...


Timothy syndrome is characterized by the presence of long QT interval (between 480-700 ms) and skin and/or bone syndactyly, in addition to other manifestations and the most common cause of death is secondary to tachyarrhythmias. We report the case of a female patient, with 1 year and three months of age who evolved with bradycardia and apnea of spontaneous resolution. The ECG showed 2nd degree atrioventricular block and she was submitted to epicardial pacemaker implantation and lead exchange. During the procedure she had a cardiorespiratory arrest due to ventricular fibrillation which was reverted. At admission for cardiodefibrillator implantation, approximately 30 days after the procedure, she had sporadic mild fever, which did not have na impact on her overall condition and she had good stature and psychomotor development. During hospitalization, she had a new cardiorespiratory arrest caused by ventricular fibrillation and died before the procedure...


Subject(s)
Humans , Female , Child , Long QT Syndrome , Syndactyly/genetics , Arrhythmias, Cardiac/complications , Arrhythmias, Cardiac/diagnosis , Bradycardia/therapy , Death, Sudden , Pacemaker, Artificial
5.
Rev. Soc. Cardiol. Estado de Säo Paulo ; 24(3): 9-20, jul.-set.2014.
Article in Portuguese | SES-SP, LILACS, SES-SP, SESSP-IDPCPROD, SES-SP | ID: lil-763793

ABSTRACT

A complicação mais séria da fibrilação atrial é o tromboembolismo sistêmico e oacidente vascular cerebral, sem dúvida, a condição mais grave. Fatores inerentesao próprio átrio (dilatação atrial, perda da função contrátil e lesão do endocárdioatrial), mas também alterações na coagulação sanguínea são as principais causasda trombose atrial. Doenças como a hipertensão arterial, diabetes mellitus, síndromesclínicas como a insuficiência cardíaca, além da idade avançada (acimados 75 anos) identificam os pacientes de maior risco para essa complicação tãograve. Essas informações fazem parte de um escore de risco para identificarpacientes mais propensos ao acidente vascular cerebral e utilizado na práticaclínica para tornar menos empírica a indicação da anticoagulação preventiva.A varfarina, o anticoagulante mais antigo e regularmente prescrito para essacondição, trouxe um benefício extraordinário para os pacientes de alto risco,reduzindo as taxas de tromboembolismo em 64%. Entretanto, o tratamentocom este fármaco traz alguns inconvenientes, como a necessidade de ajustesperiódicos da dose, a determinação frequente do estado de anticoagulação(avaliação do INR), interação com alimentos e outros medicamentos queacabam desestimulando seu uso diário, com a consequente perda da aderênciaao tratamento. Para contornar essa situação, a aspirina é muitas vezes prescrita;entretanto, seus efeitos e segurança, ao contrário do que se pensa, são apenasdiscretos. Nos últimos anos, os novos anticoagulantes, inibidores do fator XA(rivaroxabana e apixabana) e o bloqueador direto da trombina (dabigatrana)vêm sendo utilizados para melhorar essa situação, com a função primordial defacilitar o tratamento e aumentar o grau de proteção aos pacientes pela maioraderência ao tratamento.


The most serious complication of atrial fibrillation is systemic thromboembolismand stroke, undoubtedly the most severe condition. Factorsinherent to the atrium (atrial dilatation, loss of contractile function andatrial endocardial injury) but also changes in blood coagulation are themain causes of atrial thrombosis. Diseases such as hypertension, diabetesmellitus, clinical syndromes such as heart failure in addition to advancedage (above 75 years) identify patients at higher risk for this seriouscomplication. These data are part of a risk score to identify patients morelikely to stroke and used in clinical practice to become less empirical theindication of preventive anticoagulation. Warfarin, the oldest and regularlyprescribed anticoagulant for this condition, brought an extraordinarybenefit for high-risk patients, reducing rates of thromboembolism in 64%.However, treatment with this drug has some drawbacks such as the needfor periodic dose adjustments, frequent determination of the state ofanticoagulation (INR evaluation), interaction with food and other drugsthat end up discouraging its daily use, with consequent loss of adherenceto treatment. To work around this situation aspirin is often prescribedbut its effects and safety, contrary to popular belief, are only slight. Inrecent years the new anticoagulants, factor XA inhibitors (rivaroxabanand apixabana) and direct thrombin inhibitor (dabigatran) have been usedto improve this situation, with the primary function to facilitate treatmentand increase the degree of protection to patients by greater adherence totreatment. The great advantages of these agents are therapeutic efficacyat least similar to or greater than warfarin, lower rates of intracranial andsystemic bleeding and the rapid onset of action, which ensures a promptanticoagulation.


Subject(s)
Humans , Female , Aged , Stroke/prevention & control , Anticoagulants/therapeutic use , Atrial Fibrillation/epidemiology , Atrial Fibrillation/drug therapy , Thromboembolism/prevention & control , Aspirin/adverse effects , Comorbidity , Risk Factors
6.
Einstein (Säo Paulo) ; 11(3): 291-295, jul.-set. 2013. tab
Article in Portuguese | LILACS | ID: lil-688631

ABSTRACT

OBJETIVO: A doença de Chagas constitui importante problema de saúde pública global devido às mudanças nos padrões migratórios. O estudo eletrofisiológico é usualmente indicado na avaliação da função do nó sinusal, condução pelo nó atrioventricular e sistema His-Purkinje e mecanismos das arritmias. O objetivo deste estudo foi descrever as características do estudo eletrofisiológico em pacientes com doença de Chagas. MÉTODOS: Estudo retrospectivo e descritivo de 115 pacientes consecutivos com doença de Chagas submetidos ao estudo eletrofisiológico nos últimos 3 anos em centro terciário no Brasil. Características basais, eletrocardiográficas, ecocardiográficas e de Holter de 24 horas foram avaliadas e correlacionadas aos achados do estudo eletrofisiológico. RESULTADOS: Os tempos corrigidos de recuperação do nó sinusal e condução sinoatrial foram anormais em 6,9% e 26,1% dos pacientes, respectivamente. Apresentaram condução atrioventricular anormal 37 (32,2%) pacientes. A condução intraventricular mostrou-se alterada em 39 (33,9%) pacientes. Em aproximadamente 48%, houve indução de arritmias ventriculares sustentadas, sendo a maioria monomórfica (83,6%). A morfologia de bloqueio de ramo direito foi a mais comumente observada (52,7%). Dentre as arritmias, 51% associaram-se a sintomas/instabilidade hemodinâmica, 60% necessitaram de cardioversão elétrica e 27,3% de estimulação rápida. O sítio de origem mais comum foi a parede inferosseptal do ventrículo esquerdo (18,2%), seguido pela parede posterobasal (11%). Pacientes com fração de ejeção<40% tiveram risco 1,94 vez maior de indução de arritmias ventriculares comparados àqueles com fração de ejeção>60% (OR: 1,94; IC95%: 1,12-3,38; p=0,01). A presença de arritmias ventriculares complexas no Holter não foi preditiva de indução de arritmias ventriculares. CONCLUSÕES: Chagásicos com fração de ejeção baixa apresentam maior risco de arritmias ventriculares induzidas. Disfunção do nó sinusal e anormalidades da condução...


OBJECTIVE: Chagas disease has become a global problem due to changing migration patterns. An electrophysiological study is generally indicated for assessing sinus node function, conduction through the atrioventricular node and His-Purkinje system, in addition to evaluating the mechanisms of arrhythmia. The aim of this study was to describe the characteristics of electrophysiological study findings in patients with Chagas disease. METHODS: A retrospective descriptive study of 115 consecutive patients with Chagas disease undergoing an electrophysiological study over the last three years in a tertiary hospital in Brazil. Baseline characteristics, electrocardiogram, echocardiogram, and 24-hour Holter monitoring findings were recorded and correlated with the electrophysiological study findings. RESULTS: The corrected sinus node recovery time and sinoatrial conduction time were abnormal in 6.9% and 26.1% of patients, respectively. Thirty-seven (32.2%) had abnormal atrioventricular conduction. Intraventricular conduction was abnormal in 39 (33.9%). Approximately 48% had induced sustained ventricular arrhythmias, most of which were monomorphic (83.6%). Right bundle branch block was the most common morphology (52.7%). Fifty-one percent were associated with symptoms/hemodynamic instability, 60% required electrical cardioversion, and 27.3% needed overdrive suppression. The most common site of origin was the left ventricular inferoseptal wall (18.2%), followed by the left ventricular posterobasal wall (11%). Patients with an ejection fraction<40% had a 1.94-fold increased risk of ventricular arrhythmias compared to those with an ejection fraction>60% (OR: 1.94; 95%CI: 1.12-3.38; p=0.01). The presence of complex ventricular arrhythmias on Holter did not predict inducible ventricular arrhythmias. CONCLUSIONS: Chagas patients with a low ejection fraction have an increased risk of inducible ventricular arrhythmias. Sinus node dysfunction, and atrioventricular node...


Subject(s)
Arrhythmias, Cardiac , Chagas Disease , Electrocardiography , Electrophysiologic Techniques, Cardiac , Stroke Volume
7.
Rev. Soc. Cardiol. Estado de Säo Paulo ; 20(4): 495-503, out.-dez. 2010. tab
Article in Portuguese | SES-SP, LILACS, SES-SP | ID: lil-574401

ABSTRACT

As arritmias cardíacas são eventos pouco comuns na gestação; entretanto, quando aparecem, podem ser causa de preocupação materna quanto a seu estado bem como do concepto. As arritmias podem ocorrer pela primeira vez ou terem seu exacerbado nessa fase. As modificações fisiológicas e adaptativas, tais como aumento da volemia, queda da resistência periférica e aumento da atividade autonômica, podem ser bem toleradas pelo coração normal, mas são causa de estresse para um coração doente e isso pode causar arritmia. Em corações normais o prognóstico das arritmias de maneira geral é bom e a evolução costuma ser benigna, sendo o tratamento necessário somente nos casos muito sintomáticos. Por outro lado, em mulheres com alguma cardiopatia, em que a arritmia se associa a sintomas exuberantes, o tratamento deve ser sempre indicado para trazer segurança e tranquilidade à mãe. O tratamento de uma arritmia na grávida não é diferente do tratamento na mulher não grávida, embora deva ser tomados alguns cuidados...


Subject(s)
Humans , Female , Pregnancy , Anti-Arrhythmia Agents/administration & dosage , Anti-Arrhythmia Agents/therapeutic use , Arrhythmias, Cardiac/complications , Arrhythmias, Cardiac/diagnosis , Ventricular Premature Complexes/complications , Ventricular Premature Complexes/diagnosis , Pregnancy , Risk Factors
8.
Rev. Soc. Cardiol. Estado de Säo Paulo ; 19(4): 503-510, out.-dez. 2009. tab, ilus
Article in Portuguese | SES-SP, LILACS, SES-SP | ID: lil-559937

ABSTRACT

A prevalência das arritmias cardíacas difere entre homens e mulheres. É possível que os hormônios sexuais sejam responsáveis por tais diferenças; entretanto, influências do sistema nervoso autonômico bem como diferenças eletrofisiológicas intrínsecas, atriais e ventriculares, entre homens e mulheres, também podem estar presentes e favorecer tais diferenças. Do ponto de vista eletrocardiográfico, as mulheres apresentam frequência sinusal mais rápida, as alterações da repolarização ventricular são mais comuns, e a duração do intervalo QT é geralmente maior, em comparação aos homens. Este último aspecto tem relevância quando se considera o tratamento de arritmias cardíacas com fármacos antiarrítmicos, que prolongam a repolarização ventricular, pois podem predispor a efeitos pró-arrítmicos caracterizados pelo surgimento de taquicardia ventricular do tipo torsades de pointes. Do mesmo modo, outros medicamentos que prolongam o intervalo QT, como antialérgicos (terfenadina) ou antibióticos (eritromicina), devem ser prescritos com muita cautela para se evitar a morte súbita nessas pacientes. A prevalência de taquicardia supraventricular por reentrada nodal é maior nas mulheres, enquanto no homem observa-se mais frequentemente a taquicardia por reentrada atrioventricular envolvendo vias acessórias. A prevalência da fibrilação atrial parece ser similar entre os sexos até uma certa faixa etária; entretanto, após os 75 anos,...


The prevalence of cardiac arrhythmias differs between men and women. Sex hormones might be responsible for such differences; however, the autonomic nervous system and atrial and ventricular intrinsic electrophysiological differences between men and women may also play a role. From the electrocardiographic point of view, women have faster sinus rate, more unspecific changes of the ST-T segment and also longer QT interval when compared to men. This is relevant when the treatment of cardiac arrhythmias with antiarrhythmic drugs is taken into consideration, since they prolong ventricular repolarization, making women more vulnerable to proarrhythmic effects characterized by the development of torsades de pointes ventricular tachycardia. Likewise, other drugs which prolong the QT interval, such as antiallergenic drugs (terfenadine) or antibiotics (erythromycin), must be carefully prescribed to avoid sudden death in these patients. Reentrant atrioventricular nodal tachycardia is more prevalent in women whereas reentrant atrioventricular tachycardia secondary to an accessory pathway is more common in men. The prevalence of atrial fibrillation seems to be similar between both genders up to a certain age; however, above 75 years of age (in absolute numbers) it is more frequent in women. Idiopathic ventricular tachycardia originated at the right ventricular outflow tract is more common in women whereas ventricular tachycardia secondary to heart disease is more frequently observed in men. Electrocardiographic and electrophysiological abnormalities in women and the way they influence the development of the most common cardiac arrhythmias, their treatment and prognosis are approached in this paper.


Subject(s)
Humans , Male , Female , Arrhythmias, Cardiac/complications , Arrhythmias, Cardiac/diagnosis , Electrocardiography/methods , Electrocardiography , Atrial Fibrillation/complications , Atrial Fibrillation/diagnosis , Risk Factors , Heart Rate , Death, Sudden
9.
Rev. Soc. Cardiol. Estado de Säo Paulo ; 19(2): 134-149, abr.-jun. 2009. ilus, tab, graf
Article in Portuguese | SES-SP, LILACS, SES-SP | ID: lil-525961

ABSTRACT

A fibrilação atrial motiva a ida do paciente ao pronto-socorro pelos sintomas que provoca. Palpitações, cansaço repentino, incapacidade de realizar esforços habituais são queixas frequentes. Como a incidência dessa arritmia aumenta com a idade, a maioria dos indivíduos que procura as emergências em hospital corresponde àqueles de idade avançada. A conduta com o paciente na sala de emergência depende da forma de apresentação clínica, dos sintomas, da duração da arritmia e do risco de tromboembolismo sistêmico. Em pacientes com instabilidade hemodinâmica, a cardioversão elétrica é obrigatória para restabelecer o ritmo sinusal normal e estabilizar as condições clínicas. No paciente com fibrilação atrial sem repercussão hemodinâmica, apenas com sintomas leves a moderados, a conduta vai desde o controle da frequência ventricular até a cardioversão química ou elétrica eletivas....


Subject(s)
Humans , Aged , Anticoagulants , Electric Countershock/methods , Electric Countershock , Atrial Fibrillation/complications , Atrial Fibrillation/diagnosis , Risk Factors
10.
In. Serrano Júnior, Carlos V; Timerman, Ari; Stefanini, Edson. Tratado de Cardiologia SOCESP. São Paulo, Manole, 2 ed; 2009. p.1545-1568.
Monography in Portuguese | LILACS | ID: lil-602618
11.
Rev. Soc. Cardiol. Estado de Säo Paulo ; 18(3): 205-220, jul.- set. 2008. tab, ilus
Article in Portuguese | LILACS | ID: lil-503489

ABSTRACT

Com o envelhecimento da população, a fibrilação atrial tornou-se o distúrbio do ritmo mais comum nos pacientes de idade avançada. Pacientes idosos com fibrilação atrial têm prognóstico mais sombrio que aqueles de mesmo sexo e faixa etária sem fibrilação atrial. Essa arritmia pode ter causas cardíacas, entre as quais incluem-se cardiopatias como, por exemplo, as miocardiopatias hipertensiva, dilatada e hipertrófica, e a doença valvar mitral, e causas não-cardíacas, como a síndrome metabólica. Com relação ao tratamento, estudos recentes têm demonstrado maior tendência a se realizar apenas a conduta conservadora de controlar a frequência ventricular. Em muitos casos, no entanto, existe semre o benefício do restabelecimento do ritmo sinusal, e a grande ênfase dada à terapêutica não-famacológica na atualidade sustenta esse pensamento, numa visão de que o ritmo sinusal sempre vale a pena. As diretrizes internacionais têm orientado o tratamento da fibrilação atrial, com o objetivo de torná-lo mais seguro e, pela remoção das causas potencialmente tratáveis, melhorar o sucesso do tratamento clínico e o prognóstico dos pacientes acometidos. A abordagem do paciente com fibrilação atrial não é o da arritmia apenas, mas de todo o conjunto de fatores envolvidos em seu desencadeamento. Um conceito importante é que, na gênese da fibrilação atrial, as taquiarritmias atriais favorecem o surgimento do substrato arritmogênico. Por essa razão, o restabelecimento precoce do ritmo sinusal deve ser sempre considerado para se reverter a tendência do surgimento de fibrilação atrial crônica, condição na qual qualquer forma de tratamento é menos eficaz.


Subject(s)
Humans , Aged , Arrhythmias, Cardiac , Catheter Ablation , Atrial Fibrillation/complications , Atrial Fibrillation/therapy , Electrocardiography
12.
In. Serrano Jr, Carlos V; Timeramn, Ari; Stefanini, Edson. Tratado de Cardiologia SOCESP. São Paulo, Manole, 2 ed; 2009. p.1544-1563.
Monography in Portuguese | SES-SP, LILACS, SES-SP, SESSP-HMLMBACERVO, SESSP-IDPCPROD, SES-SP | ID: biblio-1070412

ABSTRACT

A fibrilação atrial é a taquiarritmia supraventricular mais comum na prática, podendo ocorrer em indivíduos em coração normal, secundária a alguma cardiopatia ou causas extracardíacas. As principais complicações da sua manifestação são a insuficiência cardíaca e o risco elevado de tromboembolismo periférico. O diagnóstico eletrocardiográfico é baseado na ausência de ondas P e no registro de ondulações na linha de base, justamente com ciclos RR irregulares. O tratamento da fibrilação atrial depende do contexto clínico. O paciente pode ser submetido a cardioversão química ou elétrica, sendo necessário posteriormente a administração de medicamentos antiarritímicos para a manutenção do ritmo sinusal. A decisão da forma de tratar deve ser individualizada. A anticoagulação deve ser sempre realizada precendendoa cardioversão química ou elétrica...


Subject(s)
Arrhythmias, Cardiac , Atrial Fibrillation , Atrial Flutter
13.
In. Serrano Jr, Carlos V; Timeramn, Ari; Stefanini, Edson. Tratado de Cardiologia SOCESP. São Paulo, Manole, 2 ed; 2009. p.2694-2709, ilus.
Monography in Portuguese | SES-SP, LILACS, SES-SP, SESSP-IDPCPROD, SES-SP | ID: biblio-1070425

ABSTRACT

Com uma inicidência de 20% a 40% dos pacientes no pós-operatório de cirurgia cardíaca, as arritmias cardíacas são responsáveis pelo prolongamento da internação hospitalar devido às complicações secundárias ao distúrbio hemidinâmico. Nas primeiras 48 horas com o paciente na prontamente identificada. O uso de derivações eletrocardiográficas especiais, como as epicárdicas, possibilita a identificação de arritmias atriaise ventriculares separadamente. Para tratamento das arritmias, os eletrodos epicárdicos podem ser conectados ao marca-passo artificial para proceder-se à estimulação cardíaca programada. As alterações no débito cardíaco podem ser conectados ao marca-passo artificial para proceder-se à estimulação cardíaca programada. As alterações no débito cardíaco...


Subject(s)
Arrhythmias, Cardiac , Thoracic Surgery , Postoperative Complications
14.
Rev. Soc. Cardiol. Estado de Säo Paulo ; 16(4): 264-273, out.-dez. 2006.
Article in Portuguese | SES-SP, LILACS, SES-SP | ID: lil-456267

ABSTRACT

Na fisiopatologia relacionada ao surgimento da isquemia miocárdica aguda que precede o infarto do miocárdio, estão presentes as plaquetas e toda a cascata envolvida no processo de coagulação. Após a ruptura de uma placa de ateroma, a exposição do colágeno vascular aos fatores de coagulação deflagra uma série de reações bioquímicas, que culmina com a formação de um trombo que obstrui o vaso. Na dependência da velocidade e da intensidade com que os processos de lise do trombo entram em atividade, poderá ser observada maior ou menor extensão de comprometimento do músculo cardíaco, e as consequências dessa obstrução podem se manifestar por meio de perda da função muscular associada ao surgimento de arritmias malignas, que podem levar ao óbito precocemente. Por essas razões, além da abordagem precoce desses pacientes, visando à rápida desobstrução vascular, seja por meio de terapia farmacologica ou não, a prevenção de futuros eventos também deve ser sempre considerada. Assim, a terapêutica antitrombótica, quer seja com o emprego de antiagregantes plaquetários...


Subject(s)
Male , Female , Humans , Fibrinolytic Agents/administration & dosage , Platelet Aggregation Inhibitors/administration & dosage , Thrombosis/complications , Thrombosis/diagnosis , Myocardial Ischemia/complications , Myocardial Ischemia/diagnosis , Myocardial Ischemia/physiopathology
16.
Rev. Soc. Cardiol. Estado de Säo Paulo ; 15(3): 204-219, maio-jun. 2005. ilus
Article in Portuguese | LILACS | ID: lil-426789

ABSTRACT

As arritmias cardíacas não são mais comuns em atletas em comparação à população geral, mas trazem algum grau de preocupação quando presentes. A maioria das arritmias em atletas á assintomática e geralmente não está associada a cardiopatia. Em outros casos, as arritmias podem ser sintomáticas e estar associadas a algum tipo de cardiopatia, e nem sempre são consideradas benignas. Bradicardia sinusal, bloqueio atrioventricular de 1 grau e de 2 grau Mobitz tipo I são relativamente comuns e secundários ao predomínio da atividade parassimpática sobre os nódulos sinusal e atrioventricular, além de representarem um tipo de remodelamento dessas estruturas em resposta ao treinamento frequente e constante. Graus mais avançados de bloqueio atrioventricular merecem atenção, pois podem evoluir com hipofluxo cerebral e ser causa de síncope. O tratamento com marcapasso definitivo deve ser considerado nesses casos. Atletas com taquicardia supraventricular podem ser curados com ablação do circuito arritmogênico com radiofrequência e, assim, ser liberados para a prática de esportes competitivos. Entretanto, a taquicardia ventricular não sustentada ou a sustentada, monomórfica ou polimórfica, merecem atenção especial, pois geralmente estão associadas a alguma cardiopatia, como cardiomiopatia dilatada. Não raramente evoluem com sintomas de baixo débito cardíaco e até síncopes durante as atividades. Nesses casos, deverá ser realizada avaliação clínica pormenorizada do atleta, não só para sua qualificação para o esporte mas também com o objetivo de preservar sua vida...


Subject(s)
Male , Female , Humans , Arrhythmias, Cardiac , Exercise/physiology , Death, Sudden/prevention & control , Tachycardia/complications , Tachycardia/diagnosis , Bradycardia/complications , Bradycardia/diagnosis
17.
Rev. Soc. Cardiol. Estado de Säo Paulo ; 14(5): 689-700, set.-out. 2004. ilus
Article in Portuguese | SES-SP, LILACS, SES-SP | ID: lil-413557

ABSTRACT

O tratamento da fibrilação atrial, na atualidade, é baseado nos conhecimentos relacionados a seus mecanismos de origem e manutenção obtidos de estudos experimentais e em humanos. O que se sabe, entretanto, é que tais mecanismos variam em diferentes condições clínicas. Em algumas, como nas sobrecargas atriais (comunicação interatrial, por exemplo), a formação de um substrato arritmogênico precede o surgimento da arritmia, que poderá ser desencadeada por gatilhos ou ectopias surgidas em diferentes regiões dos átrios. Nesses casos, a abordagem pura e simples do substrato não daria bons resultados, visto que os fatores que geram o substrato poderiam ainda estar presentes. Em outras situações, a fibrilação atrial poderia ser desencadeada pelas ectopias, que modificariam a matriz eletrofisiológica atrial, causando a fibrilação atrial. Nesse mecanismo, o substrato seria formado pelas ectopias e sua destruição ou confinamento poderia curar alguns pacientes. Entretanto, quais fatores produzem tais ectopias ainda são desconhecidos e isso explicaria também por que o tratamento não-farmacológico que aborda esses focos nem sempre dá resultados. Uma vez desencadeada a fibrilação atrial, a mesma mantém-se por alterações eletrofisiológicas, que incluem encurtamento do período refratário atrial e/ou prolongamento da velocidade de condução do impulso elétrico. Essas alterações correspondem ao que se conhece por remodelamento atrial.Provavelmente o que se visa no tratamento da fibrilação atrial é a prevenção dessas alterações que tendem a perpetuar a arritmia. Neste artigo serão discutidas as principais teorias relacionadas aos mecanismos deflagradores e de manutenção da fibrilação atrial em diferentes situações clínicas.


Subject(s)
Humans , Male , Female , Electrophysiology/methods , Atrial Fibrillation/complications , Atrial Fibrillation/etiology , Atrial Fibrillation/therapy
18.
Rev. Soc. Cardiol. Estado de Säo Paulo ; 13(5): 681-692, set.-out. 2003. ilus, tab
Article in Portuguese | SES-SP, LILACS, SES-SP | ID: lil-364542

ABSTRACT

A síncope na infância é uma manifestação clínica relativamente comum e corresponde a pelo 1 por cento dos atendimentos em salas de emergência pediátrica. Por outro lado, cerca de 15 por cento das crianças apresentarão pelo menos um episódio até a segunda década de vida. A síncope na infância pode ser definida como a perda súbita da consciência e do tônus postural, com recuperação espontânea. Em muitas crianças, o episódio de síncope é benigno, geralmente secundário a um distúrbio do controle autonômico (síncope neurocardiogênica, responsável por 50 por cento ou mais de todos os casos). No tratamento da síncope, a identificação das causas e, conseqüentemente, dos mecanismos é fundamental para seu sucesso. Muitas vezes uma investigação cara e prolongada não é necessária quando se tem uma história clínica consistente, o que dispensaria uma razoável quantidade de exames complementares. Neste artigo serão discutidas as abordagens diagnóstica e terapêutica da síncope em crianças.


Subject(s)
Humans , Child , Adolescent , Syncope, Vasovagal/diagnosis , Syncope, Vasovagal/epidemiology , Syncope, Vasovagal/etiology , Syncope, Vasovagal/therapy , Tilt-Table Test , Electrocardiography
SELECTION OF CITATIONS
SEARCH DETAIL