Your browser doesn't support javascript.
Show: 20 | 50 | 100
Results 1 - 11 de 11
Filter
1.
Rev. bras. epidemiol ; 22(supl.1): e190010, 2019. tab, graf
Article in English | LILACS-Express | ID: biblio-1042213

ABSTRACT

ABSTRACT Introduction: Care continuum models have supported recent strategies against sexually transmitted diseases, such as HIV and Hepatitis C (HCV). Methods: HIV, HCV, and congenital syphilis care continuum models were developed, including all stages of care, from promotion/prevention to clinical control/cure. The models supported the intervention QualiRede, developed by a University-Brazilian National Health System (SUS) partnership focused on managers and other professionals from six priority health regions in São Paulo and Santa Catarina. Indicators were selected for each stage of the care continuum from the SUS information systems and from the Qualiaids and QualiAB facility's process evaluation questionnaires. The indicators acted as the technical basis of two workshops with professionals and managers in each region: the first one to identify problems and to create a Regional Technical Group; and the second one to design action plans for improving regional performance. Results: The indicators are available at www.qualirede.org. The workshops took place in the regions of Alto Tietê, Baixada Santista, Grande ABC, and Registro (São Paulo) and of Foz do Rio Itajaí (Santa Catarina), which resulted in regional action plans in São Paulo, but not in Santa Catarina. A lack of awareness was observed regarding the new HIV and HCV protocols, as well as an incipient use of indicators in routine practices. Conclusion: Improving the performance of the care continuum requires appropriation of performance indicators and coordination of care flows at local, regional, and state levels of management.


RESUMO Introdução: Modelos de cuidado contínuo baseiam recentes estratégias em HIV, infecções sexualmente transmissíveis e hepatite C (HCV). Métodos: Desenvolveram-se modelos de contínuo do cuidado em HIV, HCV e sífilis congênita incluindo todas as etapas da atenção, desde a promoção e a prevenção até o controle clínico/cura. O modelo baseou a intervenção QualiRede, desenvolvida em parceria entre universidade e Sistema Único de Saúde (SUS), direcionada a gestores e demais profissionais de 6 regiões de saúde prioritárias em São Paulo e Santa Catarina. Selecionaram-se indicadores para cada etapa do contínuo do cuidado, provenientes dos sistemas de informação do SUS e dos questionários de avaliação de processo Qualiaids e QualiAB. Os indicadores formaram a base técnica de duas oficinas com profissionais e gestores de cada região: a primeira para identificar problemas e formar um Grupo Técnico Regional; e a segunda para construir planos de ação e metas a fim de melhorar o desempenho regional. Resultados: Os indicadores estão disponíveis no website www.qualirede.org. As oficinas ocorreram em quatro regiões de São Paulo (Alto Tietê, Baixada Santista, Grande ABC e Registro) e uma região de Santa Catarina (Foz do Rio Itajaí), resultando em planos regionais em São Paulo, mas não em Santa Catarina. Observou-se domínio limitado dos novos protocolos para HIV e HCV e uso incipiente de indicadores na rotina dos serviços. Conclusão: Melhorar o desempenho do contínuo do cuidado exige apropriação dos indicadores de desempenho e coordenação integrada dos fluxos de atenção em todos os níveis de gestão.

2.
Ciênc. Saúde Colet ; 22(8): 2703-2712, Ago. 2017. tab
Article in Portuguese | LILACS-Express | ID: biblio-890432

ABSTRACT

Resumo Na última década foi observado um aumento no uso de práticas terapêuticas alternativas apoiadas por políticas no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS), em particular o uso de plantas medicinais e de fitoterápicos. Este estudo investigou o uso de remédios caseiros pelos usuários da Atenção Primária da Saúde do município de Blumenau, em Santa Catarina. Estudo epidemiológico observacional seccional, cujos dados foram obtidos através de questionário aplicado a 701 indivíduos. Utilizou-se um modelo de regressão logística não condicional para estimar a associação entre uso de remédios caseiros e variáveis sociodemográficas e médicoassistenciais. Observou-se que 21,9% dos entrevistados utilizaram remédios caseiros, sendo as plantas medicinais obtidas no quintal das casas a principal escolha. Como as mais citadas destacaram-se erva-cidreira, camomila, hortelã e limão. O uso de remédios caseiros se mostrou associado ao sexo feminino, à idade mais avançada e à modalidade de serviço, Estratégia Saúde da Família. Os resultados mostraram que as plantas medicinais são utilizadas como alternativa terapêutica. Entretanto, é necessário que os serviços de atenção primária garantam o acesso aos produtos naturais, bem como profissionais qualificados capazes de fornecer orientações sobre sua utilização.


Abstract An increase in the use of alternative therapeutic practices has been observed in the past decade, especially in medicinal plants, herbal and home remedies, which has been supported by policies within the scope of the Unified Health System (SUS). This study investigated the use of home remedies by users of Primary Health Care in Blumenau, State of Santa Catarina. It is a cross-sectional, observational and epidemiological study, the data for which were obtained via a questionnaire applied to 701 individuals. An unconditional logistic regression model was used to estimate the association between the use of home remedies and socio-demographic and medical care variables. It was observed that 21.9% of the sample use home remedies and medicinal plants grown in the back yard are the remedies of choice. Lemon balm, chamomile, peppermint and lime were the remedies most frequently mentioned. The use of home remedies was associated with the female gender, older age and the Family Health Strategy care model. The results supported that medicinal plants are used by the population as a therapeutic alternative option. However, it is necessary that primary care services ensure both access to natural products and supply qualified professionals to give instructions regarding the correct usage of home remedies.

3.
Rev. bras. epidemiol ; 20(1): 81-90, Jan.-Mar. 2017. tab
Article in Portuguese | LILACS-Express | ID: biblio-843739

ABSTRACT

RESUMO: Objetivo: Avaliar a adequação do manguito às medidas de circunferência braquial (CB) em pessoas atendidas na Atenção Primária. Métodos: Estudo epidemiológico do tipo transversal observacional e quantitativo. Foram observadas 381 medidas de pressão arterial (PA), realizadas por profissionais de enfermagem, em 18 serviços de Atenção Primária selecionados por sorteio, considerando 2 modalidades de atenção. O uso correto do manguito foi a principal variável de desfecho. A CB foi medida com fita métrica inelástica. Para análise estatística das variáveis foram utilizados os testes t de Student, χ2 ou exato de Fisher. Resultados: A medida de CB variou de 19,5 a 45,0 cm (média = 30,4; desvio padrão - DP = 4,3). Observou-se que 218 (57,2%) das medidas foram executadas com o manguito adequado, com maior frequência nas unidades com Equipes de Saúde da Família (59,6 versus 40,4; p < 0,001). Constatou-se 93 (24,2%) medidas de CB < 27 cm e 63 (16,5%) medidas de CB > 34 cm. O manguito adulto foi usado corretamente 209 (59,4%) vezes e o manguito adulto grande, 9 (31,0%) vezes. Conclusão: O estudo constatou uma inadequação no uso do manguito em 42,8% das medidas de PA na Atenção Primária à Saúde (APS). Estudos semelhantes em serviços de outras cidades e regiões devem ser realizados para estimar a magnitude do problema para o diagnóstico e monitoramento de hipertensão arterial sistêmica (HAS).


ABSTRACT: Objective: To evaluate the adequacy of sphygmomanometer cuff to brachial circumference (BC) of individuals treated at Primary Health Care Centers. Methods: Epidemiological, observational, and quantitative cross-sectional study. A total of 381 blood pressure (BP) readings conducted by nursing professionals were observed at 18 service units selected by drawing, considering two modalities of care centers. The correct use of the cuff was the main outcome variable. The BC was measured using inelastic measuring tape. The tests used for statistical analysis were Student’s t-test, χ2, or Fisher’s exact test. Results: The measurement of BC ranged from 19.5 to 45.0 cm (mean = 30.4; standard deviation - SD = 4.3). Among the BP measurements, 218 (57.2%) of them were conducted with the appropriately sized cuff, being more frequent in the units with Family Health Teams (59.6 versus 40.4; p < 0.001). Ninety-three (24.2%) BC measurements were < 27 cm and 63 (16.5%) were > 34 cm. The adult cuff was used correctly 209 (59.4%) times and the large adult cuff was used correctly 9 (31.0%) times. Conclusion: The study found an inadequacy in the use of the cuff in 42.8% of blood pressure readings in the Primary Health Care Centers. Similar studies should be performed in other cities and areas to estimate the effect of this problem in the diagnosis and monitoring of systemic arterial hypertension (SAH).

4.
Rev. bras. med. fam. comunidade ; 10(37): 1-11, out./dez. 2015. tab
Article in Portuguese | LILACS (Americas), ColecionaSUS | ID: biblio-878337

ABSTRACT

O estoque domiciliar de medicamentos é uma prática comum a muitas famílias, mas pode representar um risco à saúde. Foi realizado um estudo transversal em 100 domicílios em uma área de abrangência da Estratégia Saúde da Família (ESF) em Blumenau, SC, entre fevereiro e março de 2012. Nos domicílios visitados, 91% tinham medicamentos, sendo encontrados 737 medicamentos (média de 7,6 por domicílio). O grupo terapêutico de medicamentos mais frequente foi o dos que atuam no sistema digestivo 148 (20,1%) e o medicamento mais encontrado foi o paracetamol (48,7%). Dentre os entrevistados, 29 (31,9%) relataram descartar medicamentos no lixo comum, 12 (13,2%) não observavam o aspecto físico antes de utilizar e 74 (81,3%) tiveram acesso a medicamentos em farmácias comunitárias e ESFs. Observou-se associação entre número de medicamentos e número de pessoas no domicílio (p<0,01) e com presença de doenças crônicas (p<0,05). Pessoas com mais escolaridade armazenam mais medicamentos (p<0,001). Contudo, pessoas com baixa escolaridade utilizam mais medicamentos prescritos por médicos (p<0,001).


Many families commonly store medications at home, a practice that may pose a health risk to these individuals. A cross-sectional study of 100 households in an area covered under the Family Health Strategy (FHS) was conducted in Blumenau, SC, between February and March 2012. Among the households visited, 91% had stored drugs; 737 different medications were found (with a mean of 7.6 medications per household). The most commonly stored drugs were the ones that act on the digestive system (148 drugs, or 20.1%), and the most commonly found medication was paracetamol (48.7%). Among the respondents, 29 (31.9%) reported often having disposed of medications in the trash; 12 (13.2%) did not particularly note the drug's appearance before ingesting it; and 74 (81.3%) had access to drugs in publicly funded (community) pharmacies and primary healthcare centers. The number of drugs was associated with the number of people in the household (p < 0.01) and the presence of chronic diseases (p < 0.05). People with higher levels of education stored more drugs (p < 0.001). However, people with lower levels of education used more drugs prescribed by doctors (p < 0.001).


El almacenamiento de los medicamentos en los hogares es una práctica común para muchas familias, pero puede representar un riesgo a la salud. Un estudio transversal se llevó a cabo en 100 hogares en un área de cobertura de la Estrategia de la Salud de la Familia (ESF) en Blumenau, SC, entre febrero y marzo del 2012. En el 91% de los hogares visitados había medicinas, donde fueron encontrados 737 medicamentos (promedio de 7,6 por hogar). Los medicamentos que actúan sobre el sistema digestivo fue el grupo terapéutico más frecuente 148 (20,1%) y la medicina más encontrada fue el Paracetamol (48,7%). Entre los encuestados, 29 (31,9 %) relataron que decartaan sus medicamentos en la basura comun, 12 (13,2 %) no observaban el aspecto físico antes del uso y 74 (81,3%) tuvieron acceso a los medicamentos en las farmacias comunitarias y en la ESF. Se observó una asociación entre el número de medicamentos y el número de personas en el hogar (p<0,01) y la presencia de enfermedades crónicas (p<0,05). Las personas con más educación almacenan más drogas (p<0,001). Sin embargo las personas con bajo nivel de estudios útilizan nás medicamentos prescritos por los médicos (p<0,001).


Subject(s)
Drug Storage , Drug Utilization , Pharmaceutical Preparations , Pharmaceutical Services , Self Care
5.
Rev. Assoc. Med. Bras. (1992) ; 59(6): 614-621, nov.-dez. 2013. tab
Article in Portuguese | LILACS (Americas) | ID: lil-697394

ABSTRACT

OBJETIVO: Identificar a prevalência de não adesão à terapia medicamentosa dos idosos atendidos na atenção primária de Blumenau, SC, Brasil. MÉTODOS: Estudo epidemiológico observacional, seccional, de base populacional com amostra aleatória de usuários que compareceram às farmácias de 14 unidades de atenção primária à saúde e responderam o questionário com as variáveis de estudo. A prevalência de não adesão foi medida por meio de um questionário autorrelatado. A associação entre variáveis de estudo e não adesão foi estimada pelo odds ratio por meio de modelo de regressão logística. RESULTADOS: Dos 151 idosos entrevistados, 84,1% referiram utilizar medicação contínua. A média de idade foi de 69,04 anos. Com relação às características médico-assistenciais, a média de medicamentos utilizados foi de 4,3, e patologias do aparelho circulatório apareceu como destaque (43,3%) entre as doenças de base. A prevalência de não adesão foi de 35,4%. As variáveis "interrupção prévia por falta de medicamento"e "uso de medicamentos com prescrição inadequada"se mostraram associadas à não adesão (p < 0,005). CONCLUSÃO: os resultados reforçam a necessidade de melhorar as políticas públicas e os processos gerenciais que visem garantir o acesso da população aos medicamentos essenciais, bem como qualificar o processo de prescrição dos profissionais de saúde como forma de melhorar a adesão terapêutica em idosos.


OBJECTIVE: To identify the prevalence of non-adherence to drug therapy for elderly patients in primary care in Blumenau, SC, Brazil. METHODS: This is a cross-sectional, population-based epidemiological study. A randomly selected sample of users who attended the pharmacies of 14 units of primary healthcare answered the questionnaire's study variables. The prevalence of non-adherence was measured using a self-reported questionnaire. A logistic regression model to calculate odds ratio was performed to estimate the association between risk factors and non-adherence. RESULTS:Of the 151 elderly individuals interviewed, 84.1% reported continuous use of their medicines. The average age of the participants was 69.04 years. Regarding the characteristics of the medications, an average of 4.3 medicines were used by the elderly, and diseases of the circulatory system were the most prominent (43.3%). The prevalence of non-adherence was 35.4%. Logistic regression showed an association between non-adherence and "prior stopping treatment because of lack of medication" and "inappropriately prescribed medication use" (p < 0.005). CONCLUSION:The results reinforce the need to improve public policy and management processes aimed at ensuring people's access to essential medicines and qualify the process of prescribing health professionals as a way to improve treatment adherence in the elderly.


Subject(s)
Aged , Aged, 80 and over , Female , Humans , Male , Middle Aged , Medication Adherence/statistics & numerical data , Primary Health Care/statistics & numerical data , Brazil , Cross-Sectional Studies , Logistic Models , Self Report , Socioeconomic Factors
6.
Saúde Soc ; 19(3): 614-626, jul.-set. 2010. graf, tab
Article in Portuguese | LILACS (Americas) | ID: lil-566398

ABSTRACT

OBJETIVO: analisar a assistência a pessoas com hipertensão arterial sistêmica (HAS) prestada por equipes de Estratégia Saúde da Família (ESF) em Blumenau-SC. MÉTODOS: foram entrevistadas 595 pessoas com HAS moradoras da área de 10 ESF. As variáveis estudadas foram: características demográficas e socioeconômicas, estilo de vida, tratamento, comorbidades, adesão ao tratamento, satisfação com o serviço e níveis pressóricos. Na análise, utilizaram-se os testes de "t de Student" e Qui-quadrado. RESULTADOS: a idade média foi 60,6 anos. Houve predomínio do sexo feminino, cor branca, casadas, com até quatro anos de estudo, sem trabalhar, das classes C e D. A média de escolaridade foi maior em pessoas brancas e das classes A e B (p<0,001). Relataram tabagismo 13,1 por cento e consumo de álcool 23,7 por cento. O tempo médio de uso de medicamentos para HAS foi de 127,9 meses, em média 1,9 medicamentos, e a monoterapia com inibidores da enzima de conversão da angiotensina foi o esquema mais frequente (19,6 por cento). Relataram reações adversas 20,6 por cento, que estavam associadas ao maior número de medicamentos (p<0,02). Mais de 90 por cento se mostraram satisfeitos com os serviços. A prevalência de não adesão ao tratamento medicamentoso foi de 53,1 por cento. Apresentaram PA > 140x90mmHg 69,3 por cento. O descontrole pressórico mostrou-se associado a não adesão, sedentarismo e classes C/D/E. CONCLUSÕES: apesar do acesso a consultas e medicamentos e da satisfação dos usuários, os valores elevados de não adesão e dos níveis pressóricos colocam como desafio a melhoria da qualidade da assistência.


BACKGROUND: to analyse the health care provided for people with arterial hypertension by family health strategy teams in Blumenau, state of Santa Catarina, Brazil. METHODS: overall, 595 people with arterial hypertension who live in the area of 10 family health teams were interviewed. The studied variables were: demographic and socio-economic characteristics, life style, treatment, co-morbidities, adherence to treatment, satisfaction with health service and blood pressure. Descriptive statistics and association tests (Student's t-test, ANOVA, chi-square) were used. RESULTS: the mean age was 60.6 years old. Most are female, white, married, with four or less years of formal education, unemployed, and with low social status. White people and those with high social status had more years of schooling (p<0.001); 13.1% reported smoking and 23.7%, use of alcohol. The mean time of use of hypertension medicines was 127.9 months, on average, 1.9 medicines, and isolated ACE inhibitors were the most used medicines (19.6%). Adverse drug reactions were reported by 20.6%, which were associated with higher number of medicines (p<0.02). More than 90% were satisfied with health services. The prevalence of non-adherence to medicines was 53.1%. Blood pressure > 140x90mmHg was presented by 69.3% and was associated to non-adherence, sedentariness and low social status.CONCLUSIONS: although there is access to care and medicines and despite people's satisfaction with the care provided, high prevalence of non-adherence and uncontrolled blood pressure highlight the need of improving the quality of care.


Subject(s)
Health Evaluation , Hypertension , Medication Adherence , Patient Compliance , Family Health Strategy
7.
Arq. int. otorrinolaringol. (Impr.) ; 14(2)abr.-jun. 2010. tab
Article in Portuguese, English | LILACS (Americas) | ID: lil-549787

ABSTRACT

Introdução: Acidentes envolvendo a face apresentam incidência crescente nas últimas quatro décadas. A literatura médica faz referência ao aumento das colisões automobilísticas e à violência urbana, como as principais causas desses traumatismos, principalmente em indivíduos jovens. Objetivo: Levantar o perfil epidemiológico de 222 pacientes de fraturas faciais do Hospital Santo Antônio de 2004 a 2009. Método: Estudo de casos com análise retrospectiva de prontuários de pacientes com diagnóstico de fratura facial. Foram consideradas as variáveis gênero, idade, profissão, grau de escolaridade, procedência, local e número de ossos envolvidos, etiologia e tempo médio de internação dos pacientes. Resultados: O sexo masculino predominou com 178 casos (80,1%), a média de idade foi de 29,6 anos, 86 (38,73%) tinham emprego fixo. Os solteiros 178 casos (80,18%). Primeiro grau completo predominou entre os pacientes, 74 (33,34%), e a maioria residia na cidade de Blumenau, 175 (78,82%). A agressão física foi a principal responsável pela indicação cirúrgica com 79 casos (35,58%), com envolvimento de um osso em 193 casos (86,9%). O principal osso acometido foi a mandíbula com 90 casos (40,54%). A média de tempo de internação foi de 2,5 dias. Conclusão: O perfil epidemiológico dos 222 pacientes é: individuo masculino, na faixa etária de 20 a 29 anos, solteiro, com baixa escolaridade e empregado. A etiologia prevalente foi a agressão, com envolvimento de um osso, sendo a mandíbula o osso mais acometido.


Introduction: Accidents involving the face have increased incidence in the last four decades. The medical literature refers to the increase in motor vehicle collisions and urban violence as the major causes of injuries, especially in young individuals. Objective: Raise the epidemiological profile of 222 patients with facial fractures at the Hospital Santo Antonio from 2004 to 2009. Method: Case study with retrospective analysis of records of patients diagnosed with facial fractures. Several variables were considered: gender, age, occupation, education level, origin, location and number of bones involved, etiology, and mean hospital stay of patients. Results: The male sex predominated with 178 cases (80.1%), the average age was 29.6 years, 86 (38.73%) had a steady job. Unmarried 178 cases (80.18%). Primary school predominated among the patients, 74 (33.34%), and most live in the city of Blumenau, 175 (78.82%). The assault was primarily responsible for the surgical indication in 79 cases (35.58%), involving a bone in 193 cases (86.9%). The main bone involved was the mandible in 90 cases (40.54%). The average length of stay was 2.5 days. Conclusions: The epidemiological profile of 222 patients is an individual male, aged 20-29 years old, unmarried, low education and employee. The most prevalent etiology was assault, involving a bone, the mandible being the most involved bone.


Subject(s)
Humans , Male , Adult , Aggression , Fractures, Bone/surgery , Fractures, Bone/epidemiology , Hospitals, General , Maxillofacial Injuries/surgery , Maxillofacial Injuries/epidemiology , Violence
8.
Rev. bras. med. fam. comunidade ; 5(17): 42-47, mar. 2010.
Article in Portuguese | LILACS-Express | ID: biblio-881059

ABSTRACT

Objetivo: Avaliar a prevalência de transtornos mentais não psicóticos (TMNP) e fatores associados em pessoas hipertensas e/ou diabéticas oriundas de Unidades de Saúde da Família de Blumenau, Santa Catarina. Métodos: Trata-se de um estudo transversal com 710 usuários de Unidades da Saúde da Família de Blumenau selecionados após amostragem probabilística, estratificada e por conglomerados. Os selecionados foram submetidos a um questionário domiciliar por entrevistadores treinados e responderam questões pertinentes a características socioeconômicas, pessoais e de medicamentos. O instrumento utilizado para o rastreamento de TMNP foi o Self-Report Questionnaire-20 (SRQ-20). As variáveis estudadas foram submetidas à análise uni e multivariada além de outros testes estatísticos adequados a cada uma delas. Resultados: A prevalência de TMNP encontrada foi de 39,44%. Fatores associados com TMNP, após analise multivariada, foram: sexo feminino (RP= 1,50; 1,12-2,01 IC95%; p<0,01), uso de psicotrópicos (RP=1,74; 1,34-2,26 IC95%; p<0,00), hospitalização e/ou comparecimento ao pronto-socorro no último ano (RP=1,30; 1,02-1,66 IC95%; p<0,03) e classe de consumo E da classificação da Associação Brasileira de Empresas de Pesquisa (ABEP) (RP=2,62; 1,09-6,27IC95%; p<0,03). Conclusões: A grande prevalência de TMNP, relacionados principalmente às mulheres e às pessoas em condições sociais desfavoráveis, suscita uma intervenção organizada e efetiva, enquanto o tratamento adequado da doença de base e a detecção precoce dos TMNP implicariam melhor uso dos recursos de saúde pública.


Objective: Evaluate the prevalence of non-psychotic mental disorders (NPMD) and associated factors in people with hypertension and/or diabetes from family health units in Blumenau, Santa Catarina, Brazil. Methods: Cross-sectional study, conducted in Blumenau, with 710 selected users, after probability sampling, and stratified by conglomerates, from family health basic units. Those selected were submitted to a questionnaire at home by trained interviewers and answered questions about socioeconomic, personal characteristics and medicines. The instrument used to screen NPMD was the Self-Report Questionnaire-20 (SRQ-20). The variables were submitted to univariate and multivariate analysis and other statistical tests appropriate to each variable studied. Results: The prevalence of NPMD was 39.44%. Factors associated with NPMD after multivariate analysis were: female (RP=1.50, 1.12-2.01CI 95%, p<0.01), use of psychotropic drugs (RP=1.74, 1.34-2.26 CI 95%, p <0.00 ), hospitalization and/or show the emergency medical services in the last year (RP=1.30, 1.02-1.66CI 95%, p<0.03) and E class of consumption in the Associação Brasileira de Empresas de Pesquisa (ABEP, in English Brazilian Association of Market Research Companies) classification (RP=2.62, 1.09-6.27CI 95%; p<0.03). Conclusions: The high incidence of NPMD, mostly related to women and to people with lower socioeconomic conditions, raises an organized and effective intervention, while the appropriate treatment of base disease and early detection of NPMD mean better use of public health resources.

9.
Cad. saúde pública ; 25(supl.3): S392-S400, 2009.
Article in English | LILACS (Americas) | ID: lil-534057

ABSTRACT

This review discusses the concepts and methods for assessing patient adherence to treatment, as applied to both epidemiological and clinical approaches within real health care practices. For the epidemiological approach, the assessment must be as accurate as possible. Self-reported questionnaires are the most feasible option in most circumstances, but most demonstrate low sensitivity combined with high specificity. We suggest that self-reported outcomes, where feasible, can increase the sensitivity for non-adherence of these questionnaires. In the clinical approach an accurate distinction between adherents and non-adherents is less useful. For the health provider, it is more important to be aware of the particular situation that each patient is currently experiencing with his/her treatment. Self-reported questionnaires applied in clinical settings can help the health provider to form an objective opinion. In any event, the patient-provider dialogue is still the best approach to assess patient adherence as well as to deliver good care.


Esta revisão discute conceitos e métodos de avaliação da adesão do paciente ao tratamento de saúde, aplicáveis para a abordagem epidemiológica e para a abordagem clínica. Na abordagem epidemiológica, a avaliação deve ter a melhor acurácia possível. Os questionários de auto-relato são a opção mais viável na maioria dos contextos. Entretanto, a maior parte dos questionários apresenta baixa sensibilidade aliada a alta especificidade. Sugere-se que o desfecho clínico auto-relatado, quando factível, é capaz de aumentar a sensibilidade desses questionários. Para a abordagem clínica, uma acurada discriminação entre aderentes e não aderentes é pouco útil. Para o profissional de saúde, é mais importante conhecer a situação particular pela qual o paciente está, no momento, passando com seu tratamento. Questionários de auto-relato aplicados no contexto clínico podem auxiliar a melhorar a objetividade da opinião do profissional. Em qualquer caso, contudo, o diálogo paciente-profissional é ainda a melhor abordagem para avaliar a adesão, assim como para prover um bom cuidado.


Subject(s)
Humans , Chronic Disease/therapy , Patient Compliance/statistics & numerical data , Surveys and Questionnaires/standards , Treatment Outcome
10.
Rev. Assoc. Med. Bras. (1992) ; 55(2): 207-212, 2009. graf, tab
Article in Portuguese | LILACS (Americas) | ID: lil-514823

ABSTRACT

A adesão à terapia antirretroviral (TARV) é crucial para a efetividade e o impacto do tratamento da Aids. Este artigo discute as relações entre adesão e qualidade dos serviços de assistência a pessoas vivendo com Aids (PVA), evidenciando a qualidade como elo central entre adesão e acesso. Está baseado nos resultados de pesquisas que conduzimos sobre a atenção a PVA no Brasil. Nossos estudos apontam que os grupos de pacientes acompanhados em serviços com número inferior a 100 pacientes apresentam risco estimado de não adesão maior do que os grupos acompanhados em serviços com mais de 500 pacientes. Apontam também que serviços com menos de 100 pacientes têm risco estimado maior de pertencer a grupos de má qualidade. Isto está relacionado à baixa complexidade observada nos serviços de menor porte caracterizada por: dificuldades em manter uma estrutura mínima de recursos humanos e materiais, simplificação da organização dos processos de trabalho, centramento no trabalho autônomo do profissional médico e gerenciamento sem projeto técnico. Há necessidade de pautar novos estudos sobre adesão e qualidade. As evidências existentes já apontam, porém, a necessidade de revisão na alocação dos serviços de assistência a PVA, bem como a de homogeneizar a qualificação destes serviços, condições necessárias para a manutenção de taxas aceitáveis de adesão à TARV no país.


The patient adherence to highly active antiretroviral therapy (HAART) is a crucial matter to AIDS treatment effectiveness and its' impact. This article aims to discuss the association between adherence and quality of health service providing care to people living with AIDS (PLWA), highlighting quality of the services as a central point to adherence and access. It is based on results of our previous studies about the health care to PLWA in Brazil. Our studies point out that the groups of patients who are followed-up in health services providing care for less than 100 patients presented greater estimated risk of non-adherence than services following more than 500 patients. Also, smaller health services showed greater estimated risk to be ranged in the worst quality of services groups. This is related to the low complexity of smaller health care services, such as: lack of minimum human resources and material structures, poor organization on work process, medical-centered care and poor technical management. New studies in adherence and quality of services are needed. Nevertheless, the existent findings have already pointed out the need to review the current distribution of AIDS care services as well as to make the quality of services more homogenous thorough the country. These are high priorities in order to keep acceptable levels of adherence to HAART in Brazil.


Subject(s)
Humans , Acquired Immunodeficiency Syndrome/drug therapy , Health Services Accessibility , Medical Assistance/standards , Medication Adherence/statistics & numerical data , Brazil , Medical Assistance/organization & administration , Odds Ratio
11.
Rev. bras. saúde matern. infant ; 5(2): 209-217, abr.-jun. 2005. tab
Article in Portuguese | LILACS (Americas) | ID: lil-415325

ABSTRACT

OBJETIVOS: investigar os fatores de risco para a mortalidade neonatal no município de Blumenau, Santa Catarina, empregando como possíveis fatores de risco as variáveis apresentadas nas "Declaracões de Nascidos Vivos". MÉTODOS: trata-se de um estudo de coorte com apresentacão de 3812 nascidos vivos, entre os quais ocorreram 26 óbitos neonatais. Os fatores de risco foram estimados utilizando a regressão logística. RESULTADOS: no modelo final apresentaram associacão significativa com o óbito no período neonatal os nascidos com peso menor que 2500 gramas (OR=4,70 IC95 por cento: 1,31-16,87); menor que 36 semanas (OR=4,16; IC95 por cento: 1,22-14,20); Apgar no 5º minuto menor que oito (OR=62,38; IC95 por cento: 22,31-174,39) e presenca de anomalia (OR=63,19: IC95 por cento: 15,17-263,15). As variáveis socioeconômicas, médico-assistenciais e de servicos de saúde não apresentaram associacão significativa, estando confundidas com os fatores de risco biológicos. CONCLUSÕES: os dados mostram a importância de identificacão dos principais fatores de risco de óbito para período neonatal, reafirmando a influência dos fatores biológicos fortemente relacionados ao componente neonatal da mortalidade infantil.


Subject(s)
Infant , Humans , Infant Mortality , Live Birth , Risk Factors
SELECTION OF CITATIONS
SEARCH DETAIL