Your browser doesn't support javascript.
loading
Show: 20 | 50 | 100
Results 1 - 2 de 2
Filter
Add filters








Main subject
Type of study
Year range
1.
ABCD arq. bras. cir. dig ; 20(2): 90-92, abr.-jun. 2007. tab
Article in Portuguese | LILACS-Express | LILACS | ID: lil-622284

ABSTRACT

RACIONAL: As lesões do ducto torácico ocasionando quilotórax são pouco freqüentes e ocorrem durante procedimentos torácicos e traumas, tais como esofagectomias, procedimentos cirúrgicos mediastinais e pleuro-pulmonares. A operação está indicada se não houver resolução espontânea. OBJETIVO: Analisar a fístula linfática como complicação de esofagectomias para doenças malignas e benignas. MÉTODOS: Sete doentes com idade média de 42 anos, sendo cinco masculinos, apresentaram quilotórax no pós-operatório de esofagectomias realizadas para o carcinoma epidermóide (cinco casos) e megaesôfago chagásico avançado (dois casos). A nutrição parenteral total foi indicada em todos os pacientes. RESULTADOS: A drenagem média foi de 2700 mL/dia, e a pleurodese foi o primeiro procedimento preconizado, com resultados pouco satisfatórios. Procedimento cirúrgico foi indicado na persistência da fístula. Três doentes foram submetidos à videotoracoscopia direita e em um deles houve necessidade de reintervenção por toracotomia direita. No outro caso, houve necessidade de conversão imediata para toracotomia direita. E no último, por meio da videotoracoscopia, o ducto torácico foi identificado e ligado. Os demais casos foram submetidos à toracotomia direita. A evolução pós-operatória foi favorável para os seis doentes operados, que receberam alta hospitalar após período médio de internação de 36 dias. Um doente com carcinoma faleceu (15%) por complicações decorrentes de cirrose hepática. CONCLUSÕES: A fístula linfática pós-esofagectomia é complicação grave, que determina déficit nutricional significativo e exige com freqüência tratamento operatório para ligadura do ducto, sendo a videotoracoscopia a primeira escolha.


BACKGROUND: Lesions of the thoracic duct causing chylotorax are less frequent and normally happen during thoracic procedures and traumas, such as esophagectomies, mediastinal and pleuro-pulmonary surgeries. Therefore, surgery is suitable if there is no spontaneous resolution. AIM: To analyze the lymphatic fistula as a complication of esophagectomy regarding malignant and benign diseases. METHODS: Seven patients with an average age of 42 years, being five males, presented postoperative chylotorax after esophagectomies accomplished for the epidermoid carcinoma (five cases) and advanced chagasic megaesophagus (two cases). Total parenteral nutrition was indicated in all cases. RESULTS: The average drainage was of 2700 mL/day, and pleurodesis was the first procedure made, with minimal satisfactory results. Surgery was indicated with the persistence of the fistula. Three patients were submitted to right videothoracoscopy and one of these was reoperated by right thoracotomy. Another case had the need of immediate conversion to right thoracotomy. And in the last case, the thoracic duct was identified and joined by means of videothoracoscopy. The rest of the cases were submitted to right thoracotomy. Post-operative evolution was favorable for six of the operated patients, who received hospital discharge after an average period of 36 hospitalization days. One patient who had carcinoma passed away (15%) due to hepatic cirrhosis complications. CONCLUSION: Post-esophagectomy lymphatic fistulas are dangerous complications, which determines the significant nutritional deficit of the patients and demands frequent surgical treatment for the joining of ducts, being videothoracoscopy one of the first choice procedures.

2.
Rev. para. med ; 16(1): 39-42, jan.-abr. 2002. ilus
Article in Portuguese | LILACS | ID: lil-314735

ABSTRACT

Introdução: A malária é uma doença parasitária caracterizada clinicamente por um quadro em que predomina a tríade sintomática: febre, calafrio e cefaléia. O que tem sido preocupante nas últimas 2 décadas, principalmente em algumas áreas da região Amazônica Brasileira, é a reintrodução da malária urbana em algumas capitais das unidades federativas da Amazônia Legal. O município de Belém do Pará por está localizado em tal região, possibilitou a realização deste trabalho.Objetivo: Analizar a endemia da malária no município de Belém do Pará, período de maio de 2000 a abril de 2001, abordando o principal foco entre os Distritos Administrativos e quantidade de casos autóctones e importados. Método: Realizada uma pesquisa dos casos positivos de malária no município de Belém do Pará, período de maio de 2000 aabril de 2001, sendo os dados coletados do arquivo da Fundação Nacional de Saúde, Ministério da Saúde e posteriormente os dados foram organizados em tabelas e analisados estatisticamente. Resultados: O Distrito Administrativo de Icoaraci foi responsável por 17,6 por cento dos casos autóctones, o de Belém apresentou 17,65 por cento dos casos importados e foi local com maior número de notificações com 20,95 por cento de casos. Conclusão: A "Invasão Tocantins" do Distrito Administrativo de Icoaraci teve o maior número de casos autóctones, enquanto que o de Belém o de casos importados


Subject(s)
Malaria , Endemic Diseases
SELECTION OF CITATIONS
SEARCH DETAIL