Your browser doesn't support javascript.
Show: 20 | 50 | 100
Results 1 - 10 de 10
Filter
Add filters








Type of study
Year range
1.
J. coloproctol. (Rio J., Impr.) ; 38(1): 1-8, Jan.-Mar. 2018. tab, graf
Article in English | LILACS-Express | ID: biblio-894029

ABSTRACT

ABSTRACT Objectives: Determine immunohistochemical expression of Phosphatase and tensin homolog (PTEN), Phosphatidylinositol 3 kinase (PI3K), Cycloxygenase-2 (COX2) and one proliferation marker (Ki67) in colorectal polyps and correlate with clinical and pathological data in search of carcinogenic pathways. Methods: The reports of 297 polyps diagnosed through endoscopy were reviewed for parameters including age, gender, prior colorectal cancer, the presence of multiple polyps, and polyps' location, appearance and size. Was conducted a microscopic morphometric computerized analysis of immunohistochemical expression using, the selected antibodies and correlated with clinical and pathological variables. Results: The tissue immunohistochemical expression was higher in right colon polyps for the proliferation marker and Phosphatidylinositol 3 kinase (p ≤ 0.0001 and 0.057 respectively). Cycloxygenase-2 and Phosphatase and tensin homolog demonstrated higher tissue immunoexpression in pedunculated polyps (p = 0.009 and 0.002 respectively). Cycloxygenase-2 exhibited higher immunoexpression in larger polyps (p = 0.005). Phosphatidylinositol 3 kinase, Cycloxygenase-2, Phosphatase and tensin homolog and the proliferation marker exhibited higher immunoexpression in high-grade dysplastic polyps (p = 0.031, 0.013, 0.044 and <0.001 respectively). Phosphatase and tensin homolog labeling was higher in polyps with high-grade dysplasia and lower in some of serrated lesions (p = 0.044). Conclusions: The greater expression of the proliferation marker and Phosphatidylinositol 3 kinase in the right colon may be related to right-sided colorectal carcinogenesis. The proliferation marker, Cycloxygenase-2 and Phosphatidylinositol 3 kinase results can be associated with progression of polyps to colorectal cancer. The higher Phosphatase and tensin homolog expression suggests its attempt to control the cell cycle.


RESUMO Objetivos: Determinar a expressão imuno-histoquímica de Fosfatase homóloga a tensina (PTEN), Fosfatidilinositol-3-cinase (PI3K), Ciclooxigenase-2 (COX2) e um marcador de proliferação (Ki67) em pólipos colorretais e correlacionar com dados clínicos e patológicos buscando sua correspondência na carcinogênese. Métodos: Revisados 297 pólipos diagnosticados através de endoscopia quanto a idade, gênero, história de câncer colorretal, número, localização, aparência e tamanho dos pólipos. Realizadas as avaliações morfométricas computadorizadas das expressões imuno-histoquímicas dos marcadores selecionados, que foram correlacionadas com variáveis clínicas e patológicas. Resultados: A expressão do marcador de proliferação e da Fosfatidilinositol-3-cinase foi maior nos pólipos do cólon direito (p = <0,0001 e 0.057 respectivamente). Ciclooxigenase-2 e Fosfatase homóloga a tensina demonstraram maior imunoexpressão em pólipos pediculados (p = 0,009 e 0,002, respectivamente). Ciclooxigenase-2 expressou mais em pólipos maiores (p = 0,005). Fosfatidilinositol-3-cinase, Ciclooxigenase-2, Fosfatase homóloga a tensina e o marcador de proliferação expressaram mais em pólipos com displasia de alto grau (p = 0,031, 0,013, 0,044 e <0,001, respectivamente). Fosfatase homóloga a tensina marcou mais pólipos com displasia de alto grau que lesões serrilhadas (p = 0,044). Conclusões: A maior expressão do marcador de proliferação e Fosfatidilinositol-3-cinase à direita pode estar relacionada à carcinogênese do lado direito do cólon. Os resultados do marcador de proliferação, Ciclooxigenase-2 e Fosfatidilinositol-3-cinase podem ser associados à progressão dos pólipos para câncer. A expressão aumentada de Fosfatase homóloga a tensina sugere tentativa de controle do ciclo celular.

2.
Mastology (Impr.) ; 27(3): 187-193, jul.-set.2017.
Article in English | LILACS-Express | ID: biblio-884189

ABSTRACT

Objective: There is no data about magnetic resonance image (MRI) impact in oncoplastic surgery (OP). The objective of this study was to evaluate the impact of MRI on the surgical planning and the changes of conduct in patients with initial breast cancer and candidates to perform the OP. Methods: This is a prospective cohort of 60 patients who were candidates to OP between January 2013 and July 2014. All of them underwent to a preoperative MRI, in addition to mammography (MG) and ultrasound (US). Any additional tumor in the MRI classified as BIRADS 4-5 were biopsied or marked with carbon and radiotracer in order to be localized during the surgery. Surgical impact of additional MRI findings were evaluated as to changes of approach to mastectomy or to wider resection. Results: Of the patients, 29/60 (48.3%) had additional findings on MRI, 16/29 (55%) were multifocal tumors, 1/29 (3.4%) was multicentric, 5/29 (17%) were contralateral tumors, and 9/29 (31%) presented tumor size larger than 10 mm in the MRI. Of 22 patients who showed additional lesions on MRI, 15 (68.2%) had invasive carcinomas in the definitive anatomopathological exam. Sensibility of MRI was higher in the estimation of the tumor size. Of the patients, 12/60 (20%) underwent to mastectomy, and 17/60 (28.3%) to wider resections. Only 5% of patients had positive margins in the entire group, and in the group of patients that had additional findings on MRI only 3.4% had positive margins. Conclusions: MRI is better than MG and US in evaluating the extension of the tumor, and in the detection of multicentricity, multifocality and bilaterality. In consequence, it contributed in this series for a better surgical planning in OP with a low rate of compromised margins and re-operations.


Objetivo: Não há dados sobre o impacto da imagem de ressonância magnética (RM) na cirurgia oncoplástica. O objetivo deste trabalho foi avaliar o impacto da RM no planejamento cirúrgico e nas mudanças de conduta em pacientes com câncer de mama inicial e candidatas a realizar a cirurgia oncoplástica. Métodos: Trata-se de uma coorte prospectiva de 60 pacientes que foram candidatas à cirurgia oncoplástica entre janeiro de 2013 e julho de 2014. Todos elas foram submetidas a uma RM pré-operatória, além de mamografia (MG) e ultrassom (US). Qualquer tumor adicional na RM classificada como BIRADS 4-5 foi biopsiado ou marcado com carvão e ROLL para serem localizados durante a cirurgia. O impacto cirúrgico dos achados adicionais da RM foi avaliado quanto a mudanças para mastectomia ou ressecção mais ampla. Resultados: Das pacientes, 29/60 (48,3%) apresentaram achados adicionais na ressonância magnética, 16/29 (55%) foram tumores multifocais, 1/29 (3,4%) foi multicêntrico, 5/29 (17%) foram tumores contralaterais e 9/29 (31%) apresentaram tamanho de tumor maior que 10 mm na RM. Das 22 pacientes que apresentaram lesões adicionais na RM, 15 (68,2%) apresentaram carcinomas invasivos no exame anatomopatológico definitivo. A sensibilidade da RM foi maior na estimativa do tamanho do tumor. Das pacientes, 12/60 (20%) foram submetidas à mastectomia e 17/60 (28,3%) a ressecções mais amplas. Apenas 5% das pacientes apresentaram margens positivas em todo o grupo. No grupo de pacientes que apresentaram resultados adicionais na RM, apenas 3,4% tiveram margens positivas. Conclusões: A RM é melhor que a MG e o US na avaliação da extensão do tumor e na detecção de tumores multicêntricos, multifocais e bilaterais. Em consequência, contribuiu nesta série para um melhor planejamento cirúrgico na cirurgia oncoplástica com baixa taxa de margens comprometidas e reexcisão.

3.
Rev. bras. mastologia ; 26(1)jan-mar 2016. ilus
Article in Portuguese | LILACS-Express | ID: lil-782278

ABSTRACT

A biópsia do linfonodo sentinela (LS) é o procedimento padrão para as pacientes com axila clinicamente negativa. O seu exame intraoperatório ainda gera dificuldades na sua abordagem. Assim, o objetivo deste estudo foi avaliar a eficácia desse exame no câncer de mama. Foram avaliadas 342 pacientes que foram operadas na Unidade de Mama do Hospital Nossa Senhora das Graças em Curitiba (PR), no período de 2000 a 2012. No exame intraoperatrório eram rea lizados cortes longitudinais, ao longo do maior eixo, a cada 2 ou 3mm. Em seguida eram feitos imprints em cada face de cada fatia e, então, realizavam se cortes histológicos em criostato em três níveis. Tanto os imprints quanto os cortes eram corados com azul de toluidina. Em sua maio ria eram tumores T1c (n=151), e 60 (17,5%) delas apresentaram axila comprometida no exame definitivo. A acurácia foi de 92%, o valor preditivo negativo, de 91% e a taxa de falso negativo, de 8%. Não foram encontrados fatores de risco significativos para falência da técnica dentro dos parâmetros estudados.


Sentinel node (SN) biopsy is the standard of care for patients with clinically negative axilla. However, in traoperatory pathological exam remains as a controversial issue. So, the aim of this study was to evaluate its efficacy in 342 breast cancer patients operated at the Hospital Nossa Senhora das Graças Breast Unit in Curitiba (PR), in the period between 2000 2012. In the intraoperatory evaluation, all SNs were cutted in the major axis, in three levels, combining frozen sections with imprints, using toluidin blue. The majority of patients were T1c (n=151), and 60 (17.5%) had positive axila in the definitive pathology evaluation. Accuracy was 92%, predictive negative value was 91%, and false negative rate was 8%. We did not find any significant risk factor for false negative SN in this series.

4.
J. coloproctol. (Rio J., Impr.) ; 35(4): 193-197, Oct.-Dec. 2015. tab, graf
Article in English | LILACS-Express | ID: lil-770459

ABSTRACT

Objectives: To compare the interobserver variability in the diagnostic of serrated and non- serrated adenomatous lesions and hyperplastic polyps of colon between two groups of pathologists. Methods: 310 colorectal polyps were studied, with histological diagnoses established by a group of pathologists comprising three general pathologists for initial diagnosis, and two gastrointestinal pathologists for expert diagnosis. Results: High interobserver variability was observed in the diagnosis of serrated polyps, when comparing the initial diagnosis with the expert diagnosis (kappa = 0.102). For the majority of both traditional serrated adenomas and sessile serrated adenomas (27/31), a diagnosis of hyperplastic polyps was established at the initial diagnosis. Conclusions: Poor agreement was observed in the diagnosis of serrated polyps between the two groups of pathologists. The accuracy in the diagnosis of these lesions is essential for the prevention of colorectal cancer.


RESUMO Objetivo: Comparar a variabilidade interobservador dos diagnósticos das lesões adenomatosas serrilhadas e não serrilhadas e pólipos hiperplásicos do cólon entre dois comitê de patologistas. Métodos: Foram estudados 310 pólipos colorretais, diagnosticados histologicamente por um comitê de patologia, composto por três patologistas gerais para o diagnóstico inicial e por dois patologistas gastrointestinais para o diagnóstico dos especialistas. Resultados: Houve alta variabilidade interobservador no diagnóstico dos pólipos serrilhados, ao serem comparados o diagnóstico inicial com o diagnóstico dos especialistas (kappa = 0,102). A maioria das lesões adenomatosas serrilhadas sésseis e tradicionais (27/31) foi diagnosticada pelo diagnóstico inicial como pólipos hiperplásicos. Conclusões: Houve baixa concordância no diagnóstico dos pólipos serrilhados colorretais entre os dois comitês de patologistas. A acurácia desses diagnósticos é fundamental para a prevenção do carcinoma colorretal.

5.
Rev. bras. mastologia ; 19(3): 117-121, jul.-set. 2009. ilus
Article in Portuguese | LILACS (Americas) | ID: lil-558642

ABSTRACT

A hiperplasia estromal pseudoangiomatosa (PASH) é uma lesão microscópica comumente encontrada em biópsias de mama como um achado incidental. Caracteriza-se por uma proliferação das células estromais formando uma complexa rede de canais interligados semelhantes a espaços vasculares delineados por células fusiformes. Na macroscopia, é geralmente uma massa fibrosa, bem delimitada, de coloração branca, e mais raramente pode apresentar-se em forma nodular. Na maioria dos casos, a PASH apresenta um crescimento lento, podendo regredir espontaneamente. O tratamento recomendado pela maioria dos autores é a excisão ampla da lesão, com margens livres para evitar as recorrências locais, que ocorrem com frequência. Essa lesão é benigna, sem casos relatados de transformação maligna, e o prognóstico é bom. Foram relatados neste estudo dois casos de PASH com diferentes apresentações clínicas, chamando a atenção para sua diferenciação de outras lesões benignas, tais como fibroadenoma, tumor filodes, hamartomas, e do tumor maligno angiossarcoma.


The pseudoangiomatous stromal hyperplasia (PASH) of the breast is a common microscopic lesion that may be found incidentally at breast biopsies, and presents histologically with a proliferation of the stromal cells and slit-like pseudovascular spaces with endothelial-like spindle cells. Macroscopically, this lesion presents as a pale fibroblastic mass, well-circunscribed and, less commonly, may be seen as a palpable nodule. Most PASH lesions grow slowly and may regress spontaneously. The treatment usually consists of wide local excision. PASH has a benign origin, good prognosis and there have been no cases of PASH becoming malignant. We report here two cases of PASH with distinct presentations. It is important to distinguish PASH from other breast tumors like fibroadenoma, phillodes tumor, hamartoma and angiosarcoma.


Subject(s)
Humans , Female , Middle Aged , Breast Diseases/pathology , Hyperplasia/surgery , Hyperplasia/pathology , Breast/injuries , Breast/pathology
6.
Acta cir. bras ; 21(supl.3): 14-25, 2006. ilus, tab, graf
Article in Portuguese | LILACS (Americas) | ID: lil-473906

ABSTRACT

INTRODUÇÃO: Pesquisas de novas substâncias com finalidades terapêuticas têm sido realizadas procurando isolar, extrair ou purificar novos compostos de origem vegetal. A Passiflora edulis (maracujá), espécie pertencente à família Passifloracea, originária das regiões tropicais e subtropicais do continente americano, é popularmente usada como sedativo, analgésico e antinflamatório e no tratamento de lesões cutâneas, feridas e erisipelas. OBJETIVO: Avaliar a cicatrização de anastomoses colônicas em ratos, que receberam extrato hidroalcoólico de Passiflora edulis no trans-operatório. MÉTODOS: Foram utilizados 40 ratos Wistar, distribuídos em dois grupos de 20 animais cada, denominados: grupo Passiflora (GP) e grupo controle (GC). Os ratos de cada grupo foram separados em dois subgrupos de 10 animais cada, avaliados no 3º e 7º dia do pós-operatório. O procedimento cirúrgico constou de secção da alça colônica esquerda, 5cm acima da reflexão peritoneal com preservação da arcada vascular e anastomose término-terminal em plano único. O grupo Passiflora recebeu dose única intraperitoneal do extrato hidroalcoólico de Passiflora edulis na dose de 250 mg/Kg. O grupo controle recebeu dose única de solução salina intraperitoneal em volume igual ao GP. Os parâmetros avaliados foram: aspectos macroscópicos da parede e cavidade abdominal, aderências perianastomóticas, pressão de ruptura à insuflação de ar, reação inflamatória tecidual da anastomose que constou de polimorfonucleares, monomorfonucleares e proliferação fibroblástica. RESULTADOS: Os aspectos macroscópicos não apresentaram diferenças significantes entre os grupos. Não ocorreu nenhuma deiscência de anastomose nos grupos estudados. Com relação à pressão de ruptura à insuflação de ar, observou-se que a média foi significantemente maior no subgrupo que recebeu o extrato de Passiflora no 3º dia (P3), cuja pressão foi 42,6 ± 17,8 mmHg em comparação ao subgrupo controle (C3), cuja pressão foi 25,4 ± 14,1 mmHg, p=0,028. O mesmo não ocorreu no 7º dia, onde o subgrupo C7 apresentou pressão de ruptura de 187,3 ± 39,5 mmHg, enquanto o subgrupo P7, apresentou pressão de ruptura de 203,0 ± 50,0 mmHg, p=0,447. Na análise histológica, os polimorfonucleares foram mais freqüentes no subgrupo C3, em comparação ao subgrupo P3, com diferença significante (p=0,034). Os monomorfonucleares (MMN) e proliferação fibroblástica foram mais freqüentes no subgrupo P3, com diferença significante, onde p=0,02 para MMN, e p=0,001 para proliferação fibroblástica. No 7º dia, houve diferença significante em todas as variáveis histológicas coradas pela hematoxilina-eosina e Tricômico de Masson (p<0,05) no subgrupo que recebeu o extrato de Passiflora. CONCLUSÃO: A administração peroperatória do extrato hidroalcoólico de Passiflora edulis influencia de forma significante na cicatrização das anastomoses colônicas em ratos.


INTRODUCTION: Investigation of new substances with therapeutic effects have been done trying to isolate, extract or purify new compounds of vegetable origin. The Passiflora edulis (maracujá) species from the Plassifloracia family, originated from the tropical and subtropical regions of the american continent, is found all over Brazil. It is commonly used as a sedative, painkiller and anti-inflammatory drug and also for the treatment of skin wounds, lesions and Erisipelae. PURPOSE: To evaluate the wound healing in colonic anastomosis in rats that received an hydro-alcoholic extract of Passiflora edulis peri-operatively. METHOD: 40 wistar rats were used distributed into two groups of 20 rats each, named: Passiflora edulis group (GP) and control group (GC). The rats of each group were separated into two subgroups of 10 animals each and were evaluated on the 3rd and 7th postoperative days. The surgical procedure consisted of a section of the left colon, 5 cm above the peritoneal reflexion with preservation of the vascular elements. Intestinal continuity was restored by an end-to-end single layer anastomosis. The Passiflora edulis group received an intraperitoneal application of the hydro-alcoholic extract in the dosage of 250 mg/kg. The control-group received one intraperitoneal dose of a saline with the same volume of the GP. The parameters evaluated were: macroscopic aspects of the wall and abdominal cavity, perianastomotic (adherences), bursting pressure, inflammatory tissue reaction on the anastomotic wound. RESULTS: The macroscopic aspects did not differ between the groups. No rupture in the anastomotic wound was seen in any rat. Regarding the bursting pressure, it was noticed that the average pressure was significantly higher in the subgroup that received the Passiflora edulis extract on the 3rd day (P3) (42,6 ± 17,8 mmHg vs. 25,4 ± 14,1 mmHg, p=0,028), as compared to the control sub-group (C3). However, on the 7th day, bursting pressure was similar in both groups (p=0.447). Rats from the C7 sub-group had a mean bursting pressure of 203,0 ± 50,0 mmHg vs. 187,3 ± 39,5 mmHg in the C7 sub-group. In the histologic analysis the polimorphic nuclear cells were more frequent in the C3 group, with significant differences (p=0,034). The monomorphic nuclear cells (MMN) and the fibrobastic proliferation were more frequent in the P3 sub-group with a significant difference, p=0,02 to MMN, and p=0,001 to the fibroblastic proliferation. On the 7th day there was a significant difference in all histologic criteria stained by hematoxin-eosin and Masson Trichomic (p<0,05) in the sub-group that received the Passiflora edulis extracts. CONCLUSION: The peri-operative administration of the hydro-alcoholic extract of Passiflora edulis has a positive influence on the healing of colonic anastomosis in rats.


Subject(s)
Animals , Male , Rats , Anti-Inflammatory Agents/therapeutic use , Colon/surgery , Phytotherapy , Passiflora/chemistry , Wound Healing/drug effects , Anastomosis, Surgical , Analgesics/pharmacology , Analgesics/therapeutic use , Anti-Inflammatory Agents/pharmacology , Collagen/drug effects , Colon/pathology , Coloring Agents/chemical synthesis , Disease Models, Animal , Drug Evaluation, Preclinical , Injections, Intraperitoneal , Plant Extracts/pharmacology , Plant Extracts/therapeutic use , Random Allocation , Rats, Wistar , Statistics, Nonparametric , Tensile Strength/drug effects , Wound Healing/physiology
7.
J. bras. patol. med. lab ; 40(6): 431-438, dez. 2004. tab
Article in Portuguese | LILACS (Americas) | ID: lil-393284

ABSTRACT

INTRODUÇAO: O Sistema Bethesda criou a categoria de atipias de significado indeterminado para albergar o diagnóstico citológico de alterações limítrofes entre o processo reacional e o neoplásico. Este estudo tem como objetivo avaliar a prevalência e o percentual de discordância dos casos de atipias indeterminadas em células escamosas (ASCUS) e em células glandulares (AGUS) do Programa de Prevenção do Câncer de Colo Uterino do Paraná (PPCUPR) que foram revistos pela Unidade de Monitoramento Externo da Qualidade Citológica (UMEQC). Da mesma forma tem como objetivo avaliar o padrão de reclassificação entre os casos de atipias indeterminadas (AI), que foram discordantes. MATERIAL E MÉTODO: A UMEQC revisou 65.753 casos num período de 25 meses, dos quais foram selecionados casos de AI. Esses casos foram classificados em concordantes e discordantes para a obtenção da prevalência de cada um deles. RESULTADOS: O total de AI antes e após a revisão foi 4.067 casos (5,45 por cento) e 3.584 (6,19 por cento), respectivamente. O diagnóstico de ASCUS correspondeu, após a revisão, a 4,91 por cento (3.235) do total da amostra; e o de AGUS, a 0,51 por cento (338). Após a reclassificação dos casos discordantes, de acordo com o padrão estabelecido pela UMEQC, o diagnóstico negativo foi responsável pela maioria (57,32 por cento) daqueles que deixaram o grupo das AI. O diagnóstico primário agrupado de neoplasia intra-epitelial cervical grau I (NIC I) e vírus do papiloma humano (HPV) foi responsável pela maioria (51,1 por cento) dos casos que foram reclassificados como AI. DISCUSSAO E CONCLUSÕES: Entre todos os casos discordantes as AI ocupam o segundo lugar em freqüência.


Subject(s)
Female , Humans , Brazil/epidemiology , Databases as Topic , Government Programs , Mass Screening , Uterine Cervical Neoplasms/epidemiology , Prevalence , Quality Control
8.
Rev. bras. ginecol. obstet ; 26(4): 277-287, maio 2004. tab
Article in Portuguese | LILACS (Americas) | ID: lil-361198

ABSTRACT

Objetivo: comparar a prevalência da presença do DNA do papilomavírus humano (HPV) pela técnica de PCR em amostras de tecido endometrial normal e com carcinoma endometrial de mulheres submetidas a tratamento cirúrgico (histerectomia) ou carcinoma endometrial e doença benigna. Métodos: trata-se de um estudo observacional do tipo caso-controle onde foram avaliadas 100 mulheres (50 com endométrio normal e 50 com carcinoma endometrial) quanto a presença do DNA do HPV em amostra tecidual conservada em blocos de parafina, pelo método de PCR. Foram excluídos os casos de carcinoma endometrial cujo sítio primário da lesão era duvidoso ou com história prévia ou atual de lesões pré-neoplásicas ou carcinoma do trato genital inferior. Variáveis como idade, tabagismo, trofismo endometrial, diferenciação escamosa e grau de diferenciação tumoral foram também avaliadas. Resultados: o risco relativo estimado da presença do HPV foi o mesmo nas mulheres com e sem carcinoma endometrial. O HPV foi detectado em 8 por cento dos casos de carcinoma e 10 por cento no endométrio normal. Apesar de o HPV ter sido detectado 3,5 vezes mais em mulheres fumantes no grupo sem carcinoma, não houve diferença estatística. A presença do HPV também não esteve correlacionada com a idade das mulheres, trofismo endometrial, diferenciação escamosa e grau de diferenciação tumoral. Os HPV 16 e 18 (5 dos casos com o tipo 16 e 4 com o tipo 18) foram os vírus mais freqüentemente encontrados. tanto no tecido endometrial normal quanto no carcinomatoso. Nenhum vírus de baixo risco oncogênico foi detectado nas amostras. Conclusão: o HPV está presente no tecido endometrial de mulheres com carcinoma endometrial na mesma proporção que nas com tecido endometrial normal, não se demonstrando a possível associação deste vírus no desenvolvimento do carcinoma endometrial.


Subject(s)
Humans , Female , Adult , Middle Aged , Endometrial Neoplasms , Papillomaviridae , DNA Probes, HPV
9.
Rev. méd. Paraná ; 60(2): 26-29, jul.-dez. 2002. ilus, tab
Article in Portuguese | LILACS (Americas) | ID: lil-339055

ABSTRACT

O objetivo deste estudo foi analisar as suturas gástricas realizadas com os fios de polipropileno e glicomer 60, avaliando-se o aspecto da mucosa gástrica e a análise histológica. Utilizaram-se 18 cäes mestiços, machos, divididos em 3 grupos de 6 cäes, com a morte no 3§, 7§ e 21§ dias pós-operatório. Cada animal foi submetido a uma laparotomia mediana, na qual foi realizada uma gastrotomia, seguida de gastrorrafia, com ponto contínuo extramucoso no fundo e outra no antro, de forma randomizada entre os fios. Os fios analisados näo apresentaram diferença estatisticamente significante em relaçäo ao aspecto da mucosa gástrica (p>0,05). Ambos os grupos näo demonstraram diferença significativa quanto à análise histológica, exceto quanto ao grau de necrose isquêmica, na qual o Glicomer 60 apresentou menor grau (p=0,0006). Concluiu-se que o fio de Glicomer 60 equiparou-se ao Polipropileno na aálise do aspecto da mucosa e apresentou menor grau de necrose isquêmica


Subject(s)
Animals , Dogs , Guinea Pigs , Gastric Mucosa , Histology , Polypropylenes , Suture Techniques , Sutures , Wound Healing , Dogs , Histocompatibility , Inflammation , Laparotomy , Necrosis
10.
Rev. méd. Paraná ; 53(3/4): 11-8, jul.-out. 1996. tab
Article in Portuguese | LILACS (Americas) | ID: lil-200669

ABSTRACT

Este estudo teve por objetivo isolar toxina de Helicobacter pylori, transformá-lo em imunógeno e avaliar sua capacidade imunogênica. Inicialmente procedeu-se ao isolamento de cepas de Helicobacter pylori provenientes de 25 biópsias gástricas, coletadas por via endoscópica, em pacientes internados no Hospital Evangélico de Curitiba, durante os meses de maio a junho de 1993. Após o isolamento e caracterizaçäo, as cepas foram submetidas a cultivo para produçäo de tozina, cuja atividade tóxica foi demonstrada através de teste de citotoxicidade em cultura de célula HeLa e pela inoculaçäo intra-gástrica em ratos de Wistar, com posterior avaliaçäo histopatológica do tecido estomacal. A toxina foi inativada, transformada em toxóide, e padronizada quanto ao conteúdo total de proteínas. A seguir, foram imunizados por via intra-muscular, 20 ratos Wistar com duas doses de 20g do toxóide em intervalo de 7 dias. Após 14 dias da primeira dose, os animais foram desafiados com 5ml da toxina ativa por via intra-gástrica e sacrficado após 5 dias, sendo entäo coletadas amostras do tecido estomacal para estudo histopatológico. Simultâneamente o mesmo procedimento foi realizado em outro grupo de 20 ratos näo imunizados previamente, servindo como controle do desafio com toxina ativa. Os achados histopatológicos demonstraram a presença de lesöes inflamatórias gástricas em 100 por cento dos ratos imunizados e nöo se observou alteraçöes histológicas nos ratos imunizados. Concluiu-se que foi possível isolar uma toxina de Helicobacter pylori, transformá-la em toxóide e este conferiu proteçäo imunológica contra a toxina


Subject(s)
Rats , Animals , Helicobacter pylori , Immunotherapy , Rats, Wistar , Toxins, Biological
SELECTION OF CITATIONS
SEARCH DETAIL