Your browser doesn't support javascript.
loading
Show: 20 | 50 | 100
Results 1 - 2 de 2
Filter
Add filters








Language
Year range
1.
Ciênc. rural (Online) ; 51(6): e20200554, 2021. tab, graf
Article in English | LILACS-Express | LILACS | ID: biblio-1180747

ABSTRACT

ABSTRACT: Increasing fat deposition and feed conversion ratio over the days in finishing phase directly influence pork quality and productive profitability. Nonetheless, the slaughter of heavier pigs can result in benefits for the slaughterhouse due to dilution of production and processing costs, as well as economic benefits for the pig producer resulting from the dilution of production costs. Therefore, dietary supplementation of chromium for finishing pigs of high lean-genotypes is a strategy to increase lean tissue accretion and minimize fat deposition, reflecting positively on growth performance. This review discussed recent studies results and mechanisms of action of this modifier of performance and carcass a traits in finishing pigs. Chromium increases the insulin action, facilitating insulin binding to the receptors on cell membrane. As a result, insulin-sensitive cells uptake more glucose, which will be later converted into energy. This additional energy is use to increase protein synthesis, thereby increasing the amount of lean tissue and reducing fat content in the carcass, without altering protein intake by pigs. Chromium also reduces lipid oxidation rate maintaining meat quality for longer period. In conclusion, dietary Cr supplementation for finishing pigs have shown that 0.2 mg/kg of organic Cr sources for pigs from ~60 kg until the slaughter can improve growth performance, lean gain and reduce fat content in carcass. However, the development of nanotechnology has allowed the use of inorganic Cr source at 0.2 mg/kg of inclusion, leading to improve the growth performance and carcass traits of finishing pigs.


RESUMO: O aumento na deposição de gordura e da conversão alimentar durante a fase de terminação são fatores que implicam diretamente na qualidade da carne e também na rentabilidade da cadeia produtiva. Apesar disso, o abate tardio dos suínos pode resultar em benefícios para o frigorífico, pela redução dos custos operacionais por suíno abatido e melhor utilização dos equipamentos, bem como vantagens econômicas para o produtor resultantes da diluição dos custos de produção. Portanto, a suplementação de cromo na ração de suínos de linhagens com maior potencial para deposição de músculo, é uma estratégia para aumentar a deposição de tecido magro e minimizar a deposição de gordura, refletindo positivamente no desempenho. Em vista disso, objetivou-se com este trabalho, apresentar e discutir os mecanismos de ação, finalidades e resultados recentes de estudos na literatura sobre a suplementação desse modificador de carcaça na ração de suínos em terminação. O principal papel do cromo é potencializar a ação da insulina, facilitando a ligação entre a insulina e os seus receptores na membrana celular. Com isso, as células sensíveis à insulina captam maior quantidade de glicose, que posteriormente serão convertidas em energia. Essa energia adicional pode ser utilizada para aumentar a síntese proteica, aumentando assim, a quantidade de carne magra e reduzindo o teor de gordura na carcaça, sem alterar o consumo de proteína pelos animais. O cromo também diminui a taxa de oxidação lipídica, mantendo a qualidade da carne por mais tempo. Em conclusão, a suplementação dietética de Cr para suínos em terminação mostra que 0,2 mg/kg de fontes orgânicas de Cr para suínos de ~ 60 kg até o abate podem melhorar o desempenho, ganho de massa magra e reduzir o teor de gordura na carcaça. No entanto, o desenvolvimento da nanotecnologia tem permitido o uso de fonte inorgânica de Cr na dose de 0,2 mg/kg de inclusão, melhorando o desempenho e as características de carcaça de suínos em terminação.

2.
Ciênc. rural (Online) ; 47(12): e20170074, Dec. 2017. tab
Article in English | LILACS-Express | LILACS | ID: biblio-1044928

ABSTRACT

ABSTRACT: This experiment was conducted to evaluate the effect of growth promoter additives an alternative to antibiotics on performance, intestinal morphology and on microbiota of 21-to-35-day-old piglets. A total of 160 commercial crossbred piglets (males and females) with initial weight of 6.10±0.709kg were allotted in a completely randomized design with five treatments: Basal diet - Negative Control (NC); Basal diet + antibiotic (PC); Basal diet + mannanoligosaccharides (MOS); Basal diet + organic acids (OA), Basal diet + mannanoligosacharides + organic acids (MOS+OA), eight replicates and four piglets per experimental unit. The inclusion of additives in the diets had no effect (P>0.05) on the final average weight of piglets. Similarly, no effects (P<0.05) were observed on average daily feed intake and on average daily weight gain. The feed conversion improved (P<0.01) with the inclusion of additives in the diets compared to piglets fed with the NC. There was no effect (P>0.05) of the dietary additives on intestinal morphology and microbiota composition (enterobacteria and lactobacilli). Use of antibiotics, prebiotics, organic acids or prebiotics associated with organic acids in the diet improves feed conversion of piglets from 21 to 35 days of age. The additives have no major effects on piglets' intestinal morphology and microbiota.


RESUMO: O experimento foi conduzido com o objetivo de avaliar o efeito de aditivos promotores de crescimento como alternativa ao uso de antibióticos no desempenho, na morfologia intestinal e na microbiota de leitões dos 21 aos 35 dias de idade. Um total de 160 leitões híbridos comerciais, machos castrados e fêmeas, com peso inicial de 6,10±0,709kg, foram distribuídos em delineamento inteiramente casualizado, com cinco tratamentos: Ração basal - Controle Negativo (CN); Ração basal + antibiótico (CP); Ração basal +mananoligossacarídeo (MOS); Ração basal + ácido orgânico (AO); Ração basal + mananoligossacarídeo + ácido orgânico (MOS+AO), oito repetições e quarto animais por unidade experimental. A inclusão dos aditivos não teve efeito (P>0,05) no peso médio final dos leitões. Da mesma forma, não foram observados efeitos (P>0,05) dos aditivos no consumo de ração médio diário. A conversão alimentar melhorou (P<0,01) com a inclusão dos aditivos na ração comparados com os animais alimentados com a ração CN. Não houve efeito (P>0,05) dos aditivos na morfologia do epitélio intestinal e na composição da microbiota (enterobactérias e lactobacilos). A utilização de antibiótico, probióticos, ácidos orgânicos ou de probióticos associado com ácidos orgânicos na ração melhora a conversão alimentar de leitões, dos 21 aos 34 dias de idade. Os aditivos não tiveram efeitos na morfologia intestinal e na microbiota dos leitões.

SELECTION OF CITATIONS
SEARCH DETAIL