Your browser doesn't support javascript.
loading
Show: 20 | 50 | 100
Results 1 - 20 de 21
Filter
1.
Acta sci. vet. (Impr.) ; 49: Pub. 1832, 2021. tab, ilus
Article in English | LILACS, VETINDEX | ID: biblio-1363713

ABSTRACT

Veterinary Ophthalmology provides complementary information for the diagnosis of ocular pathologies. Studies in wild species are essential. Among the diagnostic techniques in ophthalmology, two-dimensional ultrasonography stands out. The agouti is a rodent belonging to the Dasyproctidae family that has been widely used as an experimental model. For these animals, sight is one of the crucial senses for their survival. The aim of this study was to evaluate the effectiveness of the two-dimensional ocular ultrasound technique to obtain anatomical measurements and the external ophthalmic artery resistivity index, presumably normal in the species Dasyprocta prymnolopha. Forty eye bulbs of 20 adult rodents of the species were evaluated by ultrasonography. In these animals, B-mode echobiometry was performed using the transpalpebral approach and the hemodynamic study of the external ophthalmic artery using the color Doppler technique. All examinations were initiated by the left eye bulb and all measurements were performed by only one examiner. The collected data related to echobiometry were analyzed using Bioest 5.0 for Windows. Initially, normality was tested using the Shapiro-Wilk test for each parameter, then the paired t-test was performed, comparing right and left eyes, and a significance level of 5% (P < 0.05) was adopted. Based on the methodology used, the following values were obtained for the right and left eyeballs, respectively: anterior chamber thickness - mean of 1.28 ± 0.3 mm and 1.22 ± 0.1 mm; lens thickness - 8.27 ± 0.9 mm and 8.11 ± 0.9 mm; vitreous chamber thickness - 5.35 ± 0.48 mm and 5.30 ± 0.47 mm and axial length - 12.7 ± 0.9 mm and 13 ± 0.68 mm. The mean external ophthalmic artery resistivity values were 0.4305 ± 0.0390 and 0.4258 ± 0.0387 (right and left eye, respectively), characterizing a low resistance. There was no statistical difference between the right and left eyeballs in any of the studied parameters. The use of the convex transducer was feasible, promoting adequate contact with the ocular surface and images of satisfactory quality for obtaining measurements, similar to what was observed in studies evaluating the ocular biometry of primates and dogs. The anterior chamber thickness values in this experiment did not differ statistically between the antimers, as well as observed for dogs. The data obtained for lens thickness did not differ statistically for antimers, like those obtained for other rodent species evaluated with the same methodology. The mean values of vitreous chamber thickness were like those observed in chinchillas but correspond to about half of that obtained for capybaras. In this study, the external ophthalmic artery was characterized in all animals, but obtaining the spectral tracing was difficult due to its fine caliber. In wild animals, and especially in wild rodents, there are few data reporting the resistivity of the ophthalmic artery, and there is a lack of studies, which can be explained by the behavioral characteristics of defense and by the high susceptibility to stress in capture, since the performing the technique requires, as in other procedures, the use of chemical containment. (AU)


Subject(s)
Animals , Ophthalmic Artery/anatomy & histology , Ophthalmic Artery/diagnostic imaging , Dasyproctidae , Ultrasonography/veterinary , Animals, Wild
2.
Ciênc. rural (Online) ; 51(3): e20200335, 2021. tab, graf
Article in English | LILACS-Express | LILACS | ID: biblio-1153852

ABSTRACT

ABSTRACT: The objective of the present study was to assess the treatment of dogs with ehrlichiosis (tropical canine pancytopenia (TCP)) with doxycycline hydrochloride associated or not with prednisolone on the hematological profile and serum proteins. Ten dogs with TCP were selected in the Small Animal Medical Clinic Veterinary Hospital, Federal University of Campina Grande-UFCG-PB, Brazil. The diagnosis was obtained by clinical examination, hemogram and immunochromatographic test (with anti Ehrlichia canis antibodies). Samples were distributed randomly in two experimental groups of five animals each (n = 5), named GD and GDP. The GD group was treated with doxycycline (5 mg/kg, VO, BID for 28 days) and the GDP group was treated with doxycycline at the same dose and duration and prednisolone (2 mg/kg, VO, BID, for five days). Four blood collections were made during the treatment period: a base collection (M0), one at 10 days (M10), a second at 21 days (M21) and another at the end of the treatment (M28). These samples were used for the tests erythrogram, leucogram, plateletgram and proteinogram (dose of total proteins, pre-albumin, albumin, albumin, α-1 globulin, α-2 globulin, ß-globulin, ɣ-globulin and C- reactive protein) in the Clinical Pathology Laboratory, Veterinary Hospital-UFCG-PB. Results, that presented normal distribution, was submitted to the Tukey test (P<0.05). Comparison of treatments GD and GDP showed that both promoted discreet and similar response in the hematological parameters at different times. Results obtained allowed the conclusion that both therapeutic protocols resulted in clinical, hematological parameter and proteinogram improvement, but the use of prednisolone at the dose administered during the first five days of treatment did not show more beneficial effects than isolated administration of doxycycline.


RESUMO: Objetivou-se com este estudo avaliar os efeitos do tratamento de cães com erliquiose monocítica canina (EMC) com cloridrato de doxiciclina associada ou não à prednisolona sobre o perfil hematológico e de proteínas séricas. Foram selecionados, na Clínica Médica de Pequenos Animais do Hospital Veterinário da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), 10 cães com EMC. O diagnóstico foi obtido através de exame clínico, hemograma e teste de imunoensaio imunocromatográfico (com anticorpos anti Ehrlichia canis). As amostras foram distribuídas aleatoriamente em dois grupos experimentais, com cinco animais cada (n=5), denominados GD e GDP. O grupo GD foi tratado com doxiciclina (5 mg/kg, VO, BID durante 28 dias) e o grupo GDP, tratado com doxiciclina na mesma dose e duração e prednisolona (2 mg/kg, VO, BID, durante 5 dias). Durante o período de tratamento, foram realizadas quatro coletas de sangue; uma coleta basal (M0), uma com 10 dias (M10), uma aos 21 dias (M21) e outra ao final do tratamento (M28). Dessas amostras foram realizados eritrograma, leucograma, plaquetograma e proteinograma (dosagem de proteínas totais, pré-albumina, albumina, α-1 globulina, α-2 globulina, ß-globulina, ɣ-globulina e proteína C-reativa) no Laboratório de Patologia Clínica do Hospital Veterinário da UFCG. Os resultados que apresentaram distribuição normal foram submetidos ao teste de Tukey (P<0,05). Ao comparar os tratamentos GD e GDP, observou-se que os dois promoveram resposta discreta e semelhante dos parâmetros hematológicos nos diferentes momentos. Os resultados obtidos permitem concluir que ambos os protocolos terapêuticos resultaram em melhora clínica e dos parâmetros hematológicos e do proteinograma. Porém, o uso da prednisolona na dose empregada durante os primeiros cinco dias de tratamento não demonstrou efeitos mais benéficos do que a administração isolada da doxiciclina.

3.
Rev. bras. ciênc. vet ; 23(3-4): 120-125, jul./dez. 2016. il.
Article in Portuguese | LILACS | ID: biblio-967404

ABSTRACT

Com o objetivo de avaliar a migração cranial de diferentes volumes de iobitridol, administrado por via epidural lombossacra, bem como as possíveis alterações decorrentes dessa administração, foram utilizados 12 coelhos, sem raça definida, com 1,0±0,5 anos de idade e pesando 2,4±0,4 kg. Os animais foram anestesiados com xilazina (5 mg/kg) e cetamina (20 mg/kg), por via intramuscular, 15 minutos antes da punção lombossacra. Foram compostos dois grupos: grupo 1 (G1), onde foi administrado iobitridol, no volume de 0,33 mL/kg; e grupo 2 (G2), 0,22 mL/kg. Avaliaram-se as frequências cardíaca (FC) e respiratória (f), a duração da onda P, do intervalo PR, do complexo QRS e do intervalo QT, a saturação de oxihemoglobina (SPO2) e a temperatura retal (TR), antes da epidurografia e a cada 10 minutos após, durante 60 minutos. Também foram analisadas a migração cranial do iobitridol e a ataxia produzida. A FC, f e TR reduziram e a duração do intervalo QT aumentou após a anestesia em ambos os grupos. As durações do intervalo PR e do complexo QRS aumentaram no G1. O limite cranial da migração do meio de contraste variou entre a 4а vértebra lombar e a 8а vértebra torácica no G1 e entre a 5а vértebra lombar e a 11а vértebra torácica no G2. A ataxia foi moderada em ambos os grupos. Conclui-se que a administração do iobitridol pela via epidural lombossacra, associada à anestesia dissociativa com xilazina-cetamina, e nos volumes utilizados e sob as condições de estudo, causa alterações toleráveis nos parâmetros avaliados em coelhos hígidos, e quando utilizado neste modelo animal não causa sinais de neurotoxicidade.


In order to evaluate the cranial spread of different volumes of iobitridol, by epidural lumbosacral route, 12 mongrel rabbits, 1.0±0.5 years old, weighing 2.4±0.4 kg were used. The animals were anesthetized with xylazine (5 mg/kg) and ketamine (20 mg/kg) intramuscularly, 15 minutes before of the lumbosacral puncture. Two groups were formed: iobitridol was administered at a volume of 0.33 mL/kg in the group 1 (G1) and at 0.22 mL/kg in the group 2 (G2). The heart (HR) and respiratory rates (f), duration of P-wave, PR interval, QRS complex and QT interval, oxyhemoglobin saturation (OS) and rectal temperature (RT) were evaluated, before epidurography and every 10 minutes after, for 60 minutes. The cranial spread of iobitridol and the ataxia produced were also analyzed. FC, f and RT reduced and duration of QT interval increased after anesthesia in both groups. The duration of PR interval and QRS complex increased in G1. The cranial limit of the migration of the contrast medium varied between the 4th lumbar vertebra and the 8th thoracic vertebra in G1 and between the 5th lumbar vertebra and the 11th thoracic vertebra in G2. Ataxia was moderate in both groups. It is concluded that the administration of iobitridol by the lumbosacral epidural route, associated with dissociative anesthesia with xylazine-ketamine, and in the volumes used and under the study conditions, causes tolerable changes in the parameters evaluated in healthy rabbits, and when used in this animal model there is no signs of neurotoxicity


Subject(s)
Rabbits , Rabbits , Skull , Respiratory Rate
4.
Pesqui. vet. bras ; 32(10): 1037-1040, out. 2012. tab
Article in Portuguese | LILACS | ID: lil-654396

ABSTRACT

Objetivou-se com este estudo determinar a frequência dos tumores diagnosticados em cães e gatos no Hospital Veterinário da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), Patos, Paraíba, Brasil, entre os anos de 2003 a 2010. Foram revisados todos os protocolos de necropsias e biópsias realizadas no Laboratório de Patologia Animal da referida instituição, e computados os dados referentes aos animais afetados. Os tumores mais frequentes em cães ocorreram na pele e anexos (46,7%), seguido da glândula mamária (24%), sistema genital (10,3%) e sistema digestório (6,5%). Os tumores malignos foram mais frequentes que os benignos (p=0,001), representando 78% e 22% respectivamente. Em gatos, as frequências de neoplasmas de pele e glândula mamária foram idênticas (39,4% cada), seguidas das do sistema digestório (8,5%) e fígado (5,7%). Os tumores malignos representaram 95,8% dos tumores diagnosticados nesta espécie. Cães sem raça definida tiveram menor frequência (16%) de tumores do que animais de diferentes raças (37,2%) (p<0,0001). A ampla variedade de neoplasmas que acomete cães e gatos dificulta ao veterinário o diagnóstico clínico e o tratamento das mesmas, sendo recomendável o diagnóstico histológico sistemático de todas as lesões suspeitas de serem neoplasias. Além disso, são necessários estudos que determinem os fatores epidemiológicos envolvidos no desenvolvimento dos tumores que acometem os cães e gatos, nas diferentes regiões, a fim de serem tomadas medidas para diminuir sua ocorrência e letalidade.


This paper reports the frequency of tumors diagnosed in dogs and cats at the Veterinary Hospital of the Federal University of Campina Grande in Patos, northeastern Brazil, between 2003 and 2010. All necropsy and biopsy protocols from the Pathology Laboratory were revised and data related to the tumors were analyzed. In dogs, tumors of the skin and anexa were the most frequently diagnosed (46.7%), followed by tumors of the mammary gland (24%), genital system (10,3%), and alimentary system (6.5%). Malignant tumors (78%) were more frequent than bening tumors (22%) (p=0.001). In cats the frequency of skin and mammary gland tumors was the same (39.4%), followed by tumors of the digestive system (8.5%) and liver (5.7%). In cats, 95.8% of the tumors were malignant. Due to the diversity of the tumors observed in dogs and cats it is difficult for the practitioner to diagnose and treat tumors in these species. As a result, the systematic histologic diagnosis and the determination of the epidemiology of the tumors, in the different regions, are necessary to decrease tumor mortality.


Subject(s)
Animals , Cats , Dogs , Cats , Dogs , Neoplasms/veterinary , Cholangiocarcinoma/veterinary , Trematode Infections/veterinary
5.
Ciênc. rural ; 42(4): 670-674, abr. 2012. ilus
Article in Portuguese | LILACS | ID: lil-623073

ABSTRACT

Descrevem-se os achados clínicos, laboratoriais e histopatológicos de feo-hifomicose sistêmica em um cão. Clinicamente observou-se cansaço, ascite, apatia, hiporexia, perda de peso e polidipsia. O animal estava sendo tratado para erliquiose e babesiose. Após 11 dias, o cão retornou com hepatopatia grave e veio a óbito em 48 horas. Na necropsia, observaram-se nódulos enegrecidos em vários órgãos da cavidade abdominal. Histologicamente, havia reação granulomatosa necrosante com hemorragia, associada a miríades de hifas fúngicas pigmentadas intralesionais em múltiplos órgãos, caracterizando feo-hifomicose sistêmica. Ressalta-se a importância de incluir esta doença no diagnóstico diferencial de hepatopatias graves em cães com ascite.


The objective of this study was to describe clinical, laboratorial and histopathological findings of systemic phaeohyphomycosis in a dog. The animal was presented with a history of fatigue, ascites, lethargy, weight and appetite loss and polydipsia. The therapy for erliquiose and babesiosis was started. After 11 days, the dog returned with severe liver disease and died after forty-eight hours. At necropsy, there were black nodules in various abdominal organs. Histologically, necrotizing granulomatous reaction with hemorrhage associated with myriads of intralesional pigmented fungal hyphae was observed in multiple organs, characterizing systemic phaeohyphomycosis. Thus, it is important to include this illness in the differential diagnosis of severe liver diseases in dogs with ascites.

6.
Ciênc. agrotec., (Impr.) ; 31(3): 883-888, maio-jun. 2007. tab
Article in Portuguese | LILACS | ID: lil-456922

ABSTRACT

Este trabalho foi conduzido no Centro de Saúde e Tecnologia Rural da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), Paraíba. Foram utilizadas 12 fêmeas da raça Sindi, com idade média de 18 meses, com o objetivo de determinar os parâmetros fisiológicos e o índice de tolerância ao calor (ITC). Os parâmetros fisiológicos foram observados pela manhã e à tarde, semanalmente, durante 3 meses em cada estação (chuvosa e seca). Durante o período experimental as temperaturas máximas foram de 32,2 °C e 38,2 °C e mínimas de 24 °C e 26° C, e o índice de temperatura do globo e umidade (ITGU) na sombra à tarde foi de 88,8 e 88,7, nas estações chuvosa e seca, respectivamente. Observou-se efeito (P<0,05) de estações sobre os parâmetros fisiológicos (temperatura retal, freqüências respiratória e cardíaca) e os hematológicos. Contudo, os parâmetros observados encontram-se nos padrões normais para a espécie bovina. Com relação a tolerância ao calor, os animais apresentaram um índice de 9,83 (nove vírgula oitenta e três), que é considerado alto. Conclui-se que esta raça está bem adaptada às condições climáticas do semi-árido.


This experiment was carried out in the Health and Technology Center (CSTR) of the Federal University of Campina Grande (UFCG) in Paraiba. Twelve female of the Sindi breed with 18 months of age were utilized, with the objective to determine the physiological parameters and Heat Tolerance Index (HTI). The physiological parameters were observed weekly, in the morning and in the afternoon, during 3 months in each season (rainy and dry season). In the experimental period, the maximum temperatures were 32,2 °C and 38,2 °C, the minimum temperatures were 24 °C and 26 °C and the Black Globe-Humidity Index (BGHI) in the shade was 88,8 and 88,7, for the rainy and dry season, respectively. There was significant effect of the season on the physiological parameters (Rectal temperature, Respiratory Frequency and Cardiac Frequency) and on the hematological parameters. However, these parameters are considered normal to this specie. About the heat tolerance, the animals presented a index of 9,83, which is considered high. It was concluded that this breed is well adapted to the conditions of the Semi-arid region in Brazil.

7.
Ciênc. rural ; 37(2): 425-431, mar.-abr. 2007. tab
Article in Portuguese | LILACS | ID: lil-444004

ABSTRACT

Este experimento teve por objetivos avaliar as possíveis alterações cardiopulmonares e hemogasométricas decorrentes do uso do butorfanol em cães submetidos à anestesia pelo desfluorano sob ventilação espontânea. Para tal, foram utilizados vinte cães adultos, clinicamente saudáveis, pesando 12±3kg. Os animais foram distribuídos igualmente em dois grupos, GS e GB, e induzidos à anestesia com propofol (8,4±0,8mg kg-1, IV), intubados e submetidos à anestesia inalatória pelo desfluorano (10V por cento). Decorridos 40 minutos da indução, foi administrado aos animais do GS 0,05mL kg-1 de solução fisiológica a 0,9 por cento (salina), enquanto que, no GB, foi aplicado butorfanol na dose de 0,4mg kg-1, ambos pela via intramuscular. As observações das variáveis freqüências cardíaca (FC) e respiratória (f), pressões arteriais sistólica (PAS), diastólica (PAD) e média (PAM), pH arterial (pH), pressão parcial de oxigênio no sangue arterial (PaO2), pressão parcial de dióxido de carbono no sangue arterial (PaCO2), déficit de base (DB), bicarbonato (HCO3) e saturação de oxigênio na hemoglobina (SatO2) tiveram início imediatamente antes da aplicação do opióide ou salina (M0). Novas mensurações foram realizadas 15 minutos após a administração do butorfanol ou salina (M15) e as demais colheitas foram realizadas a intervalos de 15 minutos, por um período de 60 minutos (M30, M45, M60 e M75). Os dados numéricos dessas variáveis foram submetidos à Análise de Perfil (P<0,05). A freqüência cardíaca apresentou alteração no GB, com média de M0 maior que as demais. As PAS, PAD e PAM, assim como a f e o pH, apresentaram valores menores após a administração do opióide no GB, em comparação ao GS. A PaO2 apresentou discretas alterações, entretanto sem significado clínico, enquanto que a PaCO2 e o DB apresentaram valores de M0 menores que os demais após a aplicação do butorfanol. Os resultados obtidos permitem concluir que a administração do butorfanol em...


The cardiopulmonary and acid-base effects of butorphanol in desflurane anesthetized dogs breathing spontaneously were evaluated. Twenty adult healthy, male and female dogs were used. They were separated into two groups of 10 animals each (GS and GB). Anesthesia was induced with propofol (8.4±0.8mg kg-1 IV) and maintained with desflurane (10V percent). After 40 minutes of induction, the animals from GS received saline solution at 0.9 percent (0.05mL kg-1) and from GB received butorphanol (0.4mg kg-1), both applied intramuscularly. Heart (HR) and respiratory (RR) rates; systolic (SAP), diastolic (DAP) and mean (MAP) arterial pressures; arterial blood pH (pH), arterial partial pressure of O2 (PaO2) and arterial partial pressure of CO2 (PaCO2); base deficit (BD), arterial oxygen saturation (SaO2) and bicarbonate ion concentration (HCO3) were measured. The measurements were taken immediately before the application of the agents (M0). Serial measurements were carried out at 15 minutes intervals after the administration of butorphanol or saline up to 75 minutes (M15, M30, M45, M60 and M75). Data were submitted to Profile Analysis (P<0.05). After butorphanol administration HR, SAP, DAP and MAP decreased significantly. PaO2 had discreet alterations, however without clinical meaning. RR and pH decreased after butorphanol administration while PaCO2 increased significantly. It was possible to conclude that butorphanol administration in desflurane anesthetized dogs produced reduction in the averages of heart rate and arterial pressure and relatively to the respiratory parameters, the opioid produced hypoventilation in spontaneously breathing dogs.

8.
Ciênc. rural ; 36(5): 1429-1435, set.-out. 2006. tab
Article in Portuguese | LILACS | ID: lil-442485

ABSTRACT

Objetivou-se com este experimento avaliar os efeitos do butorfanol precedido ou não pela levomepromazina sobre a freqüência cardíaca (FC), as pressões arteriais sistólica, diastólica e média (PAS, PAD e PAM, respectivamente), a freqüência respiratória (f), a concentração de dióxido de carbono ao final da expiração (ETCO2), a saturação da oxihemoglobina (SpO2), o volume corrente (VC) e o volume minuto (VM), em cães. Para tal, foram empregados vinte animais adultos, clinicamente saudáveis, distribuídos igualmente em dois grupos (GC e GL). Ao GC administrou-se solução salina a 0,9 por cento (Controle), no volume de 0,2mL kg-1, pela via intravenosa (IV). Decorridos 15 minutos, administrou-se butorfanol na dose de 0,3mg kg-1 pela mesma via. Aos animais do GL foi adotada a mesma metodologia, porém substituindo-se a solução salina pela levomepromazina na dose de 1mg kg-1. As medidas das variáveis cardiorrespiratórias iniciaram-se imediatamente antes da aplicação dos fármacos (M1). Novas mensurações foram realizadas 15 minutos após a administração da solução salina a 0,9 por cento ou levomepromazina (M2) e 10 minutos após a administração de butorfanol (M3). As demais colheitas foram realizadas a intervalos de 10 minutos, durante 30 minutos (M4, M5 e M6, respectivamente). Os dados numéricos colhidos foram submetidos à Análise de Variância (ANOVA), seguida pelo teste de Tukey (p<0,05) para as comparações das médias. O emprego do butorfanol promoveu diminuição significativa das freqüências cardíaca e respiratória e do volume minuto no grupo previamente tratado pela levomepromazina; entretanto, essas alterações foram discretas, não comprometendo os demais parâmetros circulatórios e respiratórios.


This work was aimed at evaluating the effects of the butorphanol in dogs preceded or not buy levomepromazine on heart rate (HR), systolic, diastolic and mean arterial pressure (SAP, DAP and MAP, respectively), respiratory rate (RR), end tidal CO2 (ETCO2), oxyhemoglobin saturation (SpO2), minute volume (MV) and tidal volume (TV). Twenty adult animals, clinically health were randomly distributed in two groups with ten animals each one (CG and LG). The first one received intravenous administration (IV) of 0.2mL kg-1 of saline solution at 0.9 percent (control). After 15 minutes, 0.3mg kg-1 of butorphanol was administrated by the same way. The same methodology was adopted to the GL animals, however, the saline solution at 0.9 percent was substituted to 1mg kg-1 of levomepromazine. The cardiorespiratory parameters were measured before the administration of the drugs (M1). New measurements were carried 15 minutes after saline or levomepromazine administration (M2), and 10 minutes after butorphanol administration (M3). The next M4, M5 and M6 were carried out through at intervals of 10 minutes during 30 minutes. The numeric data were submitted to the Analysis of Variance (ANOVA) followed by Tukey test (p<0.05) for the comparisons of the averages. The butorfanol promoted significative decreasing on cardiac and respiratory rate and reduction on minute volume after administration of levomepromazine. However these changes were discreet and did not produce depression on other circulatory and breathing parameters.

9.
Ciênc. rural ; 35(6): 1339-1344, nov.-dez. 2005. tab
Article in Portuguese | LILACS | ID: lil-417672

ABSTRACT

Objetivou-se, com este estudo, avaliar os efeitos da buprenorfina sobre variáveis cardiovasculares e respiratórias em cães durante anestesia com desfluorano. Para tanto, foram utilizados 20 cães adultos, distribuídos em dois grupos (GB e GC). A anestesia foi induzida com propofol (8mg kg-1 IV) e em seguida os animais foram intubados com sonda de Magill, a qual foi conectada ao aparelho de anestesia para administração de desfluorano (1,5 CAM). Após 30 minutos, foi aplicado no GB buprenorfina (0,02mg kg-1) e no GC solução de NaCl à 0,9 por cento (0,05ml kg-1). Avaliaram-se: freqüências cardíaca e respiratória (FC e ¦); pressões arteriais sistólica, diastólica e média (PAS, PAD e PAM); débito cardíaco (DC); pressão venosa central (PVC); e as variáveis hemogasométricas pH, PaCO2, PaO2, HCO3, SatO2 e DB. As colheitas dos dados foram feitas aos 30 minutos após o início da administração do desfluorano (MO), 15 minutos após a administração do opióide ou placebo (M15), e a cada 15 minutos após Ml5 (M30, M45, M60 e M75). A avaliação estatística dos dados foi efetuada por meio de Análise de Perfil (P<0,05). Houve discreta redução da FC no GB, enquanto as outras variáveis cardiovasculares não tiveram redução significativa. A ¦ e o pH tiveram reduções no GB, enquanto a PaCO2 esteve aumentada. Concluiu-se que a inclusão da buprenorfina durante anestesia inalatória pelo desfluorano determina discretas alterações cardiovasculares, bem-como potencializa a hipoventilação promovida pelo desfluorano, com a manifestação de hipercapnia, o que não contra-indica o seu uso em pacientes estáveis.


Subject(s)
Animals , Anesthesia , Buprenorphine , Dogs , Narcotics
10.
Ciênc. rural ; 35(6): 1345-1350, nov.-dez. 2005. tab
Article in Portuguese | LILACS | ID: lil-417673

ABSTRACT

Avaliaram-se os efeitos do propofol ou sevofluorano sobre variáveis hemodinâmicas, em cães submetidos à mielografia. Para tanto, utilizaram-se trinta animais distribuídos em dois grupos de igual número, denominados GP e GS. Os animais do GP receberam propofol (10mg kg-1) por via intravenosa para intubação orotraqueal, e imediatamente após, administrou-se continuamente, por meio de bomba de infusão, propofol (0,55 ± 0,15mg kg-1 min-1). Decorridos 30 minutos, foi colhido liquor na cisterna magna e o meio de contraste iohexol foi injetado. No GS empregou-se a mesma metodologia adotada para o GP, utilizando indução anestésica pela administração de sevofluorano a 2,5 CAM, com o uso de máscara naso-oral vedada e manutenção com 1,5 CAM. As variáveis estudadas foram freqüência cardíaca (FC), pressões arteriais sistólica, diastólica e média (PAS, PAD e PAM, respectivamente), débito cardíaco (DC), volume sistólico (VS), pressão venosa central (PVC), freqüência respiratória (f), concentração de dióxido de carbono ao final da expiração (ETCO2) e saturação de oxihemoglobina (SpO2). As mensurações das variáveis foram realizadas imediatamente após a colheita do liquor (M1), logo após a aplicação de iohexol (M2), seguida das demais em intervalos de 10 minutos, durante uma hora. Utilizazou-se a Análise de Variância (ANOVA) seguida pelo teste F como métodos estatísticos, considerando p<0,05. Houve redução da pressão arterial em ambos os grupos, sendo menos intensa no grupo que recebeu propofol. No GS, observou-se redução da FC e aumento do DC e do VS. Referente a ETCO2 as médias do GP foram superiores às do GS. Os resultados obtidos permitiram concluir que tanto o propofol como o sevofluorano não promovem alterações hemodinâmicas que comprometam a técnica de mielografia.


Subject(s)
Animals , Anesthesia , Dogs , Iohexol , Myelography , Propofol
11.
Rev. bras. ciênc. vet ; 12(1/3): 72-76, jan.-dez. 2005. tab
Article in Portuguese | LILACS | ID: lil-435910

ABSTRACT

Estudaram-se possíveis alterações cardiovasculares e respiratórias provocadas pelo desfluorano associado ou não ao Np.Para tal, utilizaram-se 30 cães adultos, machos ou fêmeas, sem raça definida e hígidos, distribuídos em dois grupos de igual número denominados GD e GDN. Os animais do GD receberam propofol para a indução anestésica e imediatamente após, 11, 5V% de desfluorano diluído em 100% de O2 Decorridos 30 minutos do início da administração do anestésico volátil, o balão reservatório foi esvaziado, reduziu-se a concentração em 1,44V% e o circuito anestésico foi saturado com a nova mistura. Repetiu-se o protocolo em intervalos de 15 minutos, até atingir a concentração anestésica equivalente a 8,64V%. O GDN foi submetido ao mesmo protocolo, porém substituiu-se o fluxo diluente por 30% O2 e 70% Np. Foram mensuradas as freqüências cardíaca (FC) e respiratória (FR), pressões arteriais sistólica (PAS), diastólica (PAD) e média (PAM), concentração de dióxido de carbono ao final da expiração (ETC02) e saturação de oxi-hemoglobina (Sp02). As mensurações foram realizadas antes da indução anestésica (MO), aos 30 (M30), 45 (M45) e 60 (M60) minutos de anestesia. Observou-se aumento da FC com discreta redução da PA e diminuição da FR com conseqüente aumento da ETC02, coincidindo com a maior dose de desfluorano administrada. Concluiu-se que maiores concentrações de desfluorano induzem alterações discretas nas variáveis testadas e que a adição de Np na mistura diluente não determina interferências significativas nos achados)


Subject(s)
Anesthesia , Dogs , Nitrous Oxide , Respiration
12.
Arq. bras. oftalmol ; 68(4): 521-526, jul.-ago. 2005. ilus
Article in Portuguese | LILACS | ID: lil-417794

ABSTRACT

OBJETIVOS: Observar o comportamento da pressão intra-ocular, segundo os efeitos cardiorrespiratórios e hemodinâmicos induzidos pela anestesia geral com desflurano, em cães submetidos à hipovolemia experimental. MÉTODOS: Foram utilizados 18 cães, machos e fêmeas, com peso entre 10 e 15 kg. A hipovolemia foi realizada retirando-se 40 ml de sangue/kg de peso. A seguir, a anestesia foi induzida com desflurano através de máscara facial, até que a intubação orotraqueal fosse permitida. A pressão intra-ocular foi medida por tonometria de aplanação. Valores para freqüência cardíaca, débito cardíaco, pressão arterial média, pressão venosa central e pressão parcial de CO2 ao final da expiração e freqüência respiratória foram mensurados. Os parâmetros da avaliação foram registrados após a instrumentalização e antes de qualquer outro procedimento (T0), quinze minutos depois da indução da hipovolemia experimental (T45) e após 30 minutos da indução anestésica (T75). RESULTADOS: A pressão intra-ocular apresentou relação direta somente com a pressão parcial de CO2 no final da expiração. CONCLUSÕES: Não foi possível estabelecer correlação entre alterações da pressão arterial média e da pressão venosa central com a pressão intra-ocular e houve relação direta entre os valores da pressão intra-ocular e os de ETCO2.


Subject(s)
Animals , Male , Female , Anesthetics, Inhalation/therapeutic use , Dogs/surgery , Hypovolemia/physiopathology , Intraocular Pressure , Isoflurane/analogs & derivatives , Arterial Pressure/drug effects , Analysis of Variance , Anesthesia/veterinary , Cardiac Output/drug effects , Cardiac Output/physiology , Hypovolemia/veterinary , Intraocular Pressure , Isoflurane/therapeutic use , Arterial Pressure/physiology , Hemodynamics/physiology
13.
Ciênc. rural ; 34(4): 1105-1111, jul.-ago. 2004. tab
Article in Portuguese | LILACS | ID: lil-382984

ABSTRACT

Objetivou-se com este experimento avaliar as possíveis alterações eletrocardiográficas decorrentes do uso do butorfanol em cães, durante anestesia geral inalatória com desfluorano. Para tal, foram utilizados vinte cães adultos, clinicamente saudáveis, distribuídos em dois grupos (n=10) denominados de GS e GB. Os animais foram induzidos à anestesia com propofol (8,4 ± 0,8mg kg-1, IV) intubados com sonda orotraqueal de Magill e submetidos à anestesia inalatória pelo desfluorano (10V por cento). Decorridos 40 minutos da indução, foi administrado aos animais do GS, por via intramuscular, 0,05mL kg-1 de solução fisiológica a 0,9 por cento (salina), enquanto que no GB, foi aplicado butorfanol na dose de 0,4mg kg-1 pela mesma via e em volume equivalente ao empregado no grupo anterior. As observações das variáveis freqüência cardíaca (FC), duração e amplitude da onda P (Ps e PmV), intervalo entre as ondas P e R (PR), duração do complexo QRS (QRSs), amplitude da onda R (RmV), duração do intervalo entre as ondas Q e T (QT) e intervalo entre duas ondas R (RR) tiveram início imediatamente antes da aplicação do opióide ou salina (M0). Novas mensurações foram realizadas 15 minutos após a administração do butorfanol ou salina (M15) e as demais colheitas foram realizadas à intervalos de 15 minutos, por um período de 60 minutos (M30, M45, M60 e M75). Os dados numéricos destas variáveis foram submetidos à Análise de Perfil (p<0,05). A freqüência cardíaca apresentou alteração no GB, com média de M0 maior que as demais enquanto que os intervalos RR e QT apresentaram valores de M0 menor que os demais no GB. Os resultados obtidos permitem concluir que a administração do butorfanol em cães submetidos à anestesia pelo desfluorano reduz a freqüência cardíaca e promove retardo na repolarização ventricular.

14.
Ciênc. rural ; 34(3): 815-820, maio-jun. 2004. tab
Article in Portuguese | LILACS | ID: lil-362500

ABSTRACT

Objetivou-se com a realização deste experimento, estudar possíveis alterações nas variáveis cardiovasculares e intracranianas promovidas pela buprenorfina, em cães anestesiados com desflurano. Para tanto, foram utilizados oito cães adultos, clinicamente saudáveis. A anestesia foi induzida com propofol (8 mg/kg IV) e em seguida os animais foram intubados com sonda orotraqueal de Magill, a qual foi conectada ao aparelho de anestesia volátil para administração de desflurano (1,5 CAM). Os animais foram mantidos sob ventilação controlada durante todo o período experimental. Após 20 minutos do posicionamento do cateter de pressão intracraniana (PIC), administrou-se buprenorfina (0,02 mg/kg IV). Foram avaliados: PIC; pressão de perfusão cerebral (PPC); FC; PAS, PAM e PAD; débito cardíaco (DC); pressão venosa central (PVC); e pressão da artéria pulmonar (PAP). As colheitas foram feitas nos seguintes momentos: M1 - 20 minutos após o posicionamento do cateter de PIC; M2 - 15 minutos após a administração do opióide; M3, M4 e M5 - de 15 em 15 minutos após M2. A avaliação estatística dos dados foi efetuada por meio de ANOVA seguida do Teste de Tukey (p<0,05). A PIC permaneceu estável durante todo o período experimental. Entretanto, registrou-se uma queda acentuada, estatisticamente significativa, da PPC após o M2. As variáveis cardiovasculares FC, PAS, PAM, PAD, DC e PAP, apresentaram redução significativa de seus valores após M2, mantendo-se estáveis no restante do período experimental. Quanto à PVC, o teste estatístico não registrou alterações significativas. Assim, pôde-se concluir que a buprenorfina não interferiu na PIC. Entretanto, a queda dos índices cardiovasculares, especialmente da PAM, determinada pela administração do opióide, causa redução da PPC em cães anestesiados com desflurano.


Subject(s)
Anesthesia , Dogs , Narcotics
15.
Ciênc. rural ; 34(3): 809-814, maio-jun. 2004. tab
Article in Portuguese | LILACS | ID: lil-362522

ABSTRACT

Objetivou-se avaliar comparativamente os efeitos da buprenorfina, administrada pelas vias intramuscular(IM) ou intravenosa (IV), sobre variáveis cardiovasculares, em cães anestesiados com desfluorano. Para tanto, foram utilizados dezesseis cães adultos, clinicamente saudáveis, distribuídos em dois grupos (n=8) denominados de GI e GII. Em ambos os grupos, a anestesia foi induzida com propofol (8 mg/kg, IV) e em seguida os animais foram intubados com sonda orotraqueal de Magill, a qual foi conectada ao aparelho de anestesia volátil para administração de desfluorano (1,5 CAM). Após 30 minutos do início da anestesia inalatória, foi aplicado no GI buprenorfina na dose de 0,02 mg/kg pela via IV, enquanto no GII administrou-se o opióide na mesma dose porém pela via IM. Avaliaram-se: freqüência cardíaca (FC); pressões arteriais sistólica, diastólica e média (PAS, PAD e PAM); débito cardíaco (DC); pressão venosa central (PVC) e pressão da artéria pulmonar (PAP). As colheitas foram feitas nos seguintes momentos: M1 - 30 minutos após o início da anestesia inalatória antes da aplicação do opióide; M2 - 15 minutos após a administração da buprenorfina; M3, M4 e M5 - de 15 em 15 minutos após M2. A avaliação estatística dos dados foi efetuada por meio de Análise de Perfil (p<0,05). As variáveis PAS, PAM, DC, PVC e PAP, não apresentaram alterações significativas de seus valores em ambos os grupos. Entretanto, a FC e a PAD apresentaram reduções significativas após a administração do opióide apenas no GI. Assim, pôde-se concluir que a buprenorfina administrada pelas vias IV ou IM não interferiu nos índices cardiovasculares de forma a manifestar efeitos clínicos importantes em cães anestesiados com desfluorano.


Subject(s)
Anesthesia , Dogs , Narcotics
16.
Rev. bras. ciênc. vet ; 10(3): 131-135, set.-dez. 2003. tab
Article in Portuguese | LILACS | ID: lil-435922

ABSTRACT

Objetivou-se, com este experimento, estudar possiveís .alterações nas variáveis cardiovasculares e intracranianas promovidas pela buprenorfina, em cães anestesiados com sevoflurano. Utilizaram-se oito cães adultos, clinicamente saudáveis. A aflestesia foi induzida com propofol (8 mg/kg IV) e em seguida os animais foram entubados com sonda orotraqueal de Magill, a qual foi conectada ao aparelho de anestesia volátil para administração de.sevoflurano (1,3 CAM). Os animais foram mantidos sob ventilação controlada durante o periodo experimental. Após 20 minutos do posicionamento do cateter de pressão intracraniana (PIC), foi aplicada buprenorfina (0,02 mg/kg IV). Avaliou-se: PIC; temperatura intracraniana (TIC); pressão de perfusão cerebral (PPC); freqüência cardiaca (FC); pressões arteriais sistólica, média e diastólica (PAS, PAM e PAD, respecti¬vamente); débito cardiaco (DC); pressão venosa central (PVC); pressão da artéria pulmonar (PAP); e temperatura corporal (TC). As colheitas foram feitas nos seguintes momentos: M1 - 20 minutos após posicionamento do cateter de PIC; M2 - 15 minutos após a administração do opióide; M3, M4 e M5 - de 15 em 15 minutos após M2. A avaliação estatistica dos dados foi efetuada por meio do Teste de Tukey (P< 0,05). A PIC permaneceu estável durante todo o periodo experimental, sendo observada discreta elevação em M2, mas sem significado clinico ou estatistico. Entretanto, registrou-se uma queda acentuada, estatisticamente significativa, da PPC após o M2. As variáveis cardiovasculares FC, PAS, PAM; PAD, DC e PAP apresentaram redução significativa de seus valores após M2, mantendo-se estáveis no restante do periodo experimental. Quanto à PVC, o teste estatístico não registrou alterações significativas, porém pode-se observar uma discreta elevação desta variável após a aplicação da buprenorfina. Assim, pode-se concluir que a buprenorfina não interferiu na PIC. Entretanto, a queda da PAM, determinada pela administração do opióide, causa...


Subject(s)
Anesthesia , Buprenorphine , Dogs
17.
Acta cir. bras ; 18(2): 107-115, mar.-abr. 2003. ilus
Article in Portuguese | LILACS | ID: lil-331122

ABSTRACT

A técnica de preservação de membro é uma alternativa à amputaçãoOBJETIVO: O desenvolvimento da técnica preservadora aos moldes da original descrita por Straw1. MÉTODOS: O procedimento cirúrgico foi realizado com modificações, substituindo-se o método de conservação dos implantes pela glicerina e o cimento ósseo utilizado no preenchimento do canal medular do implante pela poliuretana de mamona, e para avaliação da incorporação do implante foram feitos exames clínico, radiográfico e histopatológico em diferentes tempos pós-operatórios. RESULTADOS: Observada a boa função do membro no pós-operatório, a formação de calo ósseo e fechamento das linhas de interfaces com remodelação óssea em avaliação radiográfica e ao exame histopatológico foi notada a reabsorção do implante ósseo com sua substituição por tecido conjuntivo fibroso e tecido ósseo compacto, neovascularização e presença de infiltrado inflamatório plasmocitário. em cães com osteossarcoma do esqueleto apendicular. CONCLUSÕES: A poliuretana de mamona mostrou-se uma boa substituta ao cimento originalmente utilizado, aumentando a resistência do implante, sem causar reações do tipo corpo estranho e sem sua osteointegração. O implante ósseo conservado em glicerina apresentou ação osteoindutora e osteocondutora, sem sinais de rejeição; desta forma, a glicerina mostrou ser uma meio alternativo viável. Portanto, a técnica de preservação do membro, com suas modificações, caracterizou-se como alternativa à técnica original e à amputação do membro para cães com osteossarcoma de esqueleto apendicular.


Subject(s)
Animals , Male , Female , Dogs , Bone Cements , Bone Transplantation , Glycerol , Implants, Experimental , Osteosarcoma , Polyurethanes
18.
Ciênc. rural ; 32(5): 787-791, set.-out. 2002. tab
Article in Portuguese | LILACS | ID: lil-337749

ABSTRACT

A cetamina, fármaco derivado da fenciclidina, há muito é usada na anestesia veterinária, sendo que o seu isômero (+), a cetamina S, recém-lançada no mercado, tem tido emprego principalmente na anestesia humana. Em vista disso, objetivou-se, com este experimento avaliar comparativamente, as possíveis alteraçöes eletrocardiográficas em cäes anestesiados com cetamina S ou cetamina e avaliar as freqüências respiratória e cardíaca, saturaçäo de oxihemoglobina e pressäo arterial. Para tanto, foram utilizados 10 cäes adultos, machos e fêmeas, sem raça definida e hígidos. Os animais foram distribuídos em dois grupos (G1 e G2) de igual número. Ao G1 administrou-se, por via intramuscular, cetamina S na dose de 20mg/kg, e ao G2, cetamina na mesma dose e via de administraçäo empregados no G1. As observaçöes das variáveis tiveram início imediatamente antes da aplicaçäo dos fármacos (M1) e a cada 10 minutos (M2, M3 e M4, respectivamente). Os dados numéricos foram submetidos ao teste de Tukey, para análises repetidas no grupo, a fim de verificar significado estatístico ou näo entre as médias, nos vários momentos, sendo considerado o nível de significância de 5 por cento (p<0,05). Os resultados apresentados foram elevaçäo da freqüência cardíaca com o uso de ambos os fármacos, discretas alteraçöes na pressäo arterial, nenhuma variaçäo da SpO2 e impossibilidade de identificar alteraçöes eletrocardiográficas de importância clínica entre os grupos estudados. Assim, pode-se admitir como hipótese conclusiva que as cetaminas S e racêmica apresentam efeitos similares na condutividade elétrica do miocárdio.


Subject(s)
Animals , Male , Female , Dogs , Anesthetics, Dissociative/pharmacology , Anesthesia, General , Electrocardiography , Ketamine
19.
Ciênc. rural ; 32(4): 589-594, 2002. tab
Article in Portuguese | LILACS | ID: lil-337535

ABSTRACT

Objetivando avaliar a influência do butorfanol na anestesia com propofol na espécie felina, durante ovariosalpingohisterectomia eletiva, utilizaram-se 20 gatas, adultas, distribuídas em dois grupos (G1 e G2) de igual número. O G1 foi pré-tratado com levomepromazina (1mg/kg via IM), enquanto no G2 adicionou-se butorfanol na dose de 0,4mg/kg via IM, à pré-medicaçäo. A induçäo anestésica foi feita com propofol IV, em dose suficiente para permitir a intubaçäo. Para a manutençäo da anestesia por 60 minutos, o propofol foi utilizado em doses complementares de 3 mg/kg, sempre que necessário. Em ambos os grupos, houve reduçäo significativa da temperatura corporal, com valores abaixo do considerado fisiológico para a espécie. Os demais parâmetros fisiológicos (freqüências cardíaca e respiratória e pressäo arterial), de uma forma geral, tiveram alteraçöes porém sem significado clínico para a espécie. As concentraçöes de cortisol sérico no G2 permaneceram dentro dos limites considerados fisiológicos, enquanto no G1 houve elevaçäo desses valores durante o procedimento cirúrgico. Assim, pode-se concluir que o butorfanol näo reduziu a dose do propofol, porém determinou maior conforto para os animais durante a cirurgia o que indicaria a sua inclusäo em protocolos anestésicos para esta espécie

20.
Rev. bras. ciênc. vet ; 8(2): 100-104, maio-ago. 2001. graf
Article in Portuguese | LILACS | ID: lil-319100

ABSTRACT

Visando avaliar a influência do óxido nitroso na anestesia pela associaçäo tiletamina-zolazepam (T-Z), foram utilizadas 24 cadelas, distribuídas aleatoriamente em dois grupos (G1 e G2), nas quais a ovário-histerectomia foi executada. Todos os animais foram pré-tratados com 1.0 mg/kg de levomepromazina por via IV e após 15 minutos receberam 2,0 mg/kg da associaçäo T-Z pela mesma via, como induçäo anestésica. Nos animais do G1, a anestesia foi mantida por reaplicaçöes sucessivas T-Z na dose de 1,0 mg/kg, via IV, sempre que necessário; enquanto no G2, os animais receberam 70 por cento de óxido nitroso e 30 por cento de O2, além das reaplicaçöes de T-Z. O período anestésico foi de 60 minutos. A análise das variáveis fisiológicas e clínicas obtidas mostrou que a adiçäo do óxido nitroso no G2 näo foi capaz de reduzir a dose da associaçäo T-Z necessária à manutençäo da anestesia, permitindo concluir que seu uso como complemento da anestesia pela associaçäo T-Z, näo oferece vantagens apreciáveis, em cäes.


Subject(s)
Animals , Female , Dogs , Anesthetics, Dissociative/pharmacology , Anesthetics, Inhalation/pharmacology , Anesthesia , Hypnotics and Sedatives , Nitrous Oxide/pharmacology , Tiletamine , Zolazepam
SELECTION OF CITATIONS
SEARCH DETAIL