Your browser doesn't support javascript.
loading
Show: 20 | 50 | 100
Results 1 - 9 de 9
Filter
2.
Rev. Soc. Cardiol. Estado de Säo Paulo ; 29(3 Supl): 291-296, jul.-set. 2019. tab, graf
Article in English, Portuguese | LILACS | ID: biblio-1023081

ABSTRACT

Avaliar a eficácia diagnóstica da angiotomografia coronariana (AC) comparada com a cineangiocoronariografia (CAT). Material e Métodos: Foram avaliados retrospectivamente 146 pacientes submetidos a AC e CAT com angiografia coronariana quantitativa (ACQ), com intervalo médio de um mês entre os exames. O estudo foi realizado no Hospital Cardiológico Costantini. Foram avaliados os fatores de risco da amostra, a localização das lesões e o grau de severidade da obstrução coronariana nos grandes vasos (TCE, DA, CX e CD). Os resultados dos métodos diagnósticos foram comparados pelo coeficiente de correlação de Pearson. A partir dos achados positivos foi realizada a avaliação de correlação entre os métodos perante a severidade das lesões. Resultados: A amostra foi composta predominantemente por homens (73,97%), sendo a hipertensão arterial (HAS) (71,91%) o fator de risco mais frequente. A artéria mais acometida foi a DA. Quanto ao grau de severidade das lesões, os resultados foram os seguintes na comparação entre AC e CAT: lesões discretas com correlação r = 0,23; moderadas com r = 0,53 e severas com r = 0,70. Na comparação entre AC e ACQ: lesões discretas com correlação r = 0,45; moderadas com r = 0,70 e severas com r = 0,67. Conclusão: A AC apresentou moderada com ACQ e CAT em lesões moderadas e severas, e forte correlação na ausência de lesões quando comparada com ACQ


To evaluate the diagnostic efficacy of multislice CT coronary angiotomography compared with coronary cineangiography. Material and Methods: We retrospectively evaluated 146 patients submitted to MSCT and CA with quantitative coronary angiography (QCA), with a mean interval of one month between the exams. The study was carried out at the Costantini Cardiology Hospital. The risk factors for the sample, the location of the lesions and the degree of severity of the coronary obstruction in the large vessels (LCT, AD, CX and RC).The results of the diagnostic methods were compared using Pearson correlation coefficient. From the positive findings, a correlation evaluation was performed between the methods for the severity of the lesions. Results: The sample consisted predominantly of men (73.97%), and hypertension (SAH) (71.91%) was the most frequent risk factor. The most affected artery was AD. Regarding the degree of severity of the lesions, the results were as follows in the comparison between MSCT and CA: mild lesions with correlation r = 0.23, moderate with r = 0.53 and severe with r = 0.70. In the comparison between MSCT and QCA: mild lesions with correlation r = 0.45, moderate with r = 0.70 and severe with r = 0.67. Conclusion: MSCT showed moderate correlation with QCA and CA in moderate and severe lesions, and a strong correlation in the absence of lesions when compared with QCA


Subject(s)
Humans , Male , Female , Coronary Artery Disease/diagnostic imaging , Angiography/methods , Angiography, Digital Subtraction/methods , Coronary Angiography/methods , Diagnostic Imaging/methods , Cardiovascular Diseases/mortality , Retrospective Studies , Risk Factors , Magnetic Resonance Angiography/methods , Computed Tomography Angiography/methods , Hypertension
3.
Arq. bras. cardiol ; 108(1): 38-46, Jan. 2017. tab, graf
Article in English | LILACS | ID: biblio-838681

ABSTRACT

Abstract Background: Functional assessment of coronary artery obstruction is used in cardiology practice to correlate anatomic obstructions with flow decrease. Among such assessments, the study of the coronary fractional flow reserve (FFR) has become the most widely used. Objective: To evaluate the correlation between FFR and findings of ischemia obtained by noninvasive methods including stress echocardiography and nuclear medicine and the presence of critical coronary artery obstruction. Methods: Retrospective study of cases treated with systematized and standardized procedures for coronary disease between March 2011 and August 2014. We included 96 patients with 107 critical coronary obstructions (> 50% in the coronary trunk and/or ≥ 70% in other segments) estimated by quantitative coronary angiography (QCA) and intracoronary ultrasound (ICUS). All cases presented ischemia in one of the noninvasive studies. Results: All 96 patients presented ischemia (100%) in one of the functional tests. On FFR study with adenosine 140 g/kg/min, 52% of the cases had values ≤ 0.80. On correlation analysis for FFR ≤ 0.80, the evaluation of sensitivity, specificity, positive and negative predictive values, accuracy, and ROC curve in relation to the stenosis degree and length, and presence of ischemia, no significant values or strong correlation were observed. Conclusion: Coronary FFR using a cut-off value of 0.80 showed no correlation with noninvasive ischemia tests in patients with severe coronary artery obstructions on QCA and ICUS.


Resumo Fundamento: A avaliação funcional da obstrução arterial coronariana é empregada na prática cardiológica para correlacionar a obstrução anatômica e a queda de fluxo. Dentre as formas de avaliação, o estudo da reserva fracionada de fluxo (RFF) coronariano se tornou a mais utilizada. Objetivo: Avaliar a correlação entre a RFF com achados de isquemia, obtidos por métodos não invasivos como a ecocardiografia de estresse ou medicina nuclear, e a presença de obstrução crítica da artéria coronária. Métodos: Estudo retrospectivo de casos tratados com procedimentos sistematizados e padronizados para doença coronariana entre março de 2011 e agosto de 2014. Foram incluídos 96 pacientes com 107 obstruções coronarianas críticas (> 50% no tronco da coronária e/ou ≥ 70% nos demais segmentos) estimadas por angiografia coronariana quantitativa (ACQ) e ultrassonografia intracoronariana (USIC). Todos os casos apresentaram isquemia em um dos estudos não invasivos. Resultados: Ao estudo da RFF com adenosina na dose de 140 µg/kg/min, valores ≤ 0,80 foram encontrados em 52% dos casos. Na análise de correlação para RFF ≤ 0,80, avaliando-se sensibilidade/especificidade, valor preditivo positivo/negativo, acurácia e curva ROC em relação ao grau de estenose, extensão da estenose e presença de isquemia, não foram observados valores de significância ou de forte correlação. Conclusão: A RFF coronariana a um valor de corte de 0,80 não apresentou correlação com testes não invasivos de isquemia em pacientes com obstruções coronarianas graves à ACQ e USIC.


Subject(s)
Humans , Male , Female , Middle Aged , Aged , Coronary Artery Disease/physiopathology , Coronary Artery Disease/diagnostic imaging , Fractional Flow Reserve, Myocardial/physiology , Reference Values , Severity of Illness Index , Cineangiography/methods , Retrospective Studies , Risk Factors , Analysis of Variance , Sensitivity and Specificity , Coronary Angiography/methods , Statistics, Nonparametric , Coronary Vessels/physiopathology , Coronary Stenosis/physiopathology , Coronary Stenosis/diagnostic imaging , Echocardiography, Stress/methods , Myocardial Perfusion Imaging/methods
4.
ABC., imagem cardiovasc ; 26(4): 267-275, out.-dez. 2013. ilus, tab
Article in Portuguese | LILACS | ID: lil-705122

ABSTRACT

Fundamento: A oclusão percutânea do Apêndice Atrial Esquerdo (AAE) representa estratégia alternativa para a prevenção de acidente vascular cerebral isquêmico na Fibrilação Atrial (FA) de alto risco.Objetivo: Avaliar exequibilidade, segurança e efeito sobre parâmetros ecocardiográficos da oclusão do AAE com o dispositivo Amplatzer Cardiac Plug (ACP).Métodos: Foram incluídos no estudo portadores de FA paroxística ou permanente, não valvar, com escore de risco CHADS2 ≥ 2 e contraindicação ao anticoagulante oral. Sob monitorização do Ecocardiograma Transesofágico (ETE), o ACP foi implantado no AAE de acordo com as medidas ecocardiográficas apropriadas. Controle clínico e ecocardiográfico foi realizado no segundo e no oitavo meses.Resultados: O grupo foi constituído por 11 pacientes (7 homens), com idade 73 ± 8 anos e escore CHADS2 médio 3 ± 1. O procedimento foi realizado com sucesso em todos os pacientes, com alta hospitalar após 7 ± 3 dias. O ETE não mostrou interferência com estruturas adjacentes ou embolização do dispositivo. Houve dois tamponamentos cardíacos, tratados com boa evolução clínica. Após o acompanhamento, não houve nenhum evento clínico, embora dois pacientes tenham apresentado mínimo fluxo residual pelo ACP e um paciente mostrado trombo recobrindo o dispositivo. Não houve diferenças no tamanho e na fração de ejeção do ventrículo esquerdo, nem na dimensão e no volume do átrio esquerdo.Conclusão: A oclusão percutânea do AAE com o ACP é tecnicamente viável e não interfere nos parâmetros usuais de anatomia e função cardíacas. Entretanto, complicações sérias podem advir e a segurança e a eficácia clínica devem ser testadas em estudos prospectivos randomizados.


Background: Percutaneous left atrial appendage (LAA) occlusion is an alternative strategy for the prevention of stroke in patients with high-risk atrial fibrillation (AF).Objective: To assess the feasibility and safety of LAA occlusion with the Amplatzer Cardiac Plug (ACP) as well as the effect on echocardiographic parameters.Methods: Patients with nonvalvular paroxysmal or permanent AF, with CHADS2 risk score ≥ 2 and contraindication to oral anticoagulation were included in the study. Under monitoring of transesophageal echocardiography (TEE), the ACP device was implanted in the AAE, according to appropriate echocardiographic measurements. Clinical and echocardiographic controls in the second and eighth months were performed. Results: The group consisted of 11 patients (7 men), aged 73 ± 8 years and CHADS2 score 3 ± 1. The procedure was successfully performed in all patients with hospital discharge after 7 ± 3 days. TEE showed no interference with adjacent structures or device embolization. There were two cardiac tamponade, treated with good clinical outcome. After follow-up, there was no clinical event, although two patients have shown minimal residual flow through the ACP, and one patient shown thrombus covering the device. There were no differences in the left ventricular dimension and ejection fraction, or the left atrial size and volume.Conclusion: The percutaneous LAA closure with ACP is technically feasible and does not interfere with usual parameters of cardiac anatomy and function. However, serious complications can arise and their clinical safety and efficacy must be tested in randomized prospective studies.


Subject(s)
Humans , Male , Female , Aged , Atrial Appendage/pathology , Cardiac Catheterization/instrumentation , Echocardiography , Atrial Fibrillation/complications , Statistical Analysis
5.
Rev. bras. cardiol. invasiva ; 19(3): 286-291, set. 2011. tab
Article in Portuguese | LILACS | ID: lil-607265

ABSTRACT

Introdução: Os stents farmacológicos (SFs) melhoraram a evolução clínica dos pacientes submetidos a intervenção coronária percutânea (ICP). Novos SFs foram desenvolvidos com o propósito de superar as atuais limitações da geração mais antiga de SFs. Este estudo teve como objetivo avaliar os aspectos angiográfico e ultrassonográfico tardios do SF eluidor de sirolimus FirebirdTM. Métodos: Entre dezembro de 2007 e março de 2008, 15 pacientes portadores de lesões de novo foram submetidos a ICP com implante de stent FirebirdTM. Avaliação com angiografia e USIC foi realizada em todos os pacientes aos 24 meses de seguimento. O objetivo primário foi a avaliação da perda luminal tardia à angiografia coronária quantitativa e o porcentual de obstrução volumétrica intrastent pelo ultrassom intracoronário (USIC) Resultados: A média de idade foi de 57 ± 7,1 anos, 87% eram do sexo masculino e 27% eram diabéticos. A artéria descendente anterior foi o vaso mais frequentemente tratado (36%) e a maioria das lesões era do tipo B2/C (82%). Aos 24 meses, a perda luminal tardia foi de 0,17 ± 0,36 mm e a revascularização do vaso tratado foi de 6,6%. O porcentual de obstrução volumétrica intrastent foi de 9,6 ± 4,6%. Não houve casos de óbito, infarto ou trombose de stent. Conclusões: Neste estudo de centro único brasileiro, o stent FirebirdTM apresentou resultados tardios satisfatórios. Esses achados, em conjunto com os disponíveis na literatura, fornecem evidências adicionais para o uso do stent FirebirdTM na prática clínica diária.


Subject(s)
Humans , Male , Female , Middle Aged , Angioplasty/methods , Angioplasty , Coronary Restenosis , Drug-Eluting Stents , Drug-Eluting Stents , Coronary Thrombosis/complications , Coronary Thrombosis/diagnosis , Ultrasonics , Aspirin/administration & dosage , Heparin/administration & dosage
6.
Rev. bras. cardiol. invasiva ; 19(3): 327-331, set. 2011. ilus
Article in Portuguese | LILACS | ID: lil-607271

ABSTRACT

O pseudoaneurisma da zona fibrosa intervalvar mitroaórtica (PFMA) é uma doença pouco frequente, em geral secundária a endocardite da valva aórtica, particularmente em próteses valvares. Seu curso clínico é variável e pode ocasionar complicações graves, como ruptura para o pericárdio, aorta ou átrio esquerdo, compressão sistólica das artérias coronárias ou compressão sistólica da valva mitral, ocasionando regurgitação mitral acentuada, motivo pelo qual se recomenda seu tratamento cirúrgico. Neste relato é apresentado o caso de paciente com 69 anos de idade, assintomático, com antecedente de duas cirurgias de revascularização miocárdica, a última associada a troca valvar aórtica. O PFMA foi diagnosticado incidentalmente na evolução pós-operatória tardia, optando-se pelo tratamento percutâneo com a prótese AmplatzerTM Muscular VSD Occluder.


Subject(s)
Humans , Male , Aged , Aneurysm, False/complications , Aneurysm, False/diagnosis , Heart Valve Prosthesis , Aortic Valve/surgery , Endocarditis, Bacterial/complications
7.
Rev. bras. cardiol. invasiva ; 19(2): 153-159, jul. 2011. tab
Article in Portuguese | LILACS | ID: lil-595228

ABSTRACT

Introdução: Recentemente a intervenção coronária percutânea (ICP) com stents farmacológicos (SFs) tem se mostrado uma opção viável em pacientes selecionados com lesão de tronco de coronária esquerda não-protegido (TCE-NP). Este estudo teve como objetivo avaliar a efetividade e a segurança da ICP com SFs em lesões de TCE-NP da prática diária, analisando a ocorrência combinada de eventos cardíacos adversos maiores (ECAM) a longo prazo. Métodos: Foram tratados 142 pacientes consecutivos, com média de seguimento clínico de 917 + 743 dias. A decisão de utilizar um ou dois stents e inibidor da glicoproteína IIb/IIIa ficou a critério do operador. Angiografia coronária no seguimento não foi realizada de rotina, mas deixada a critério clínico. Resultados: A média de idade foi de 67,5 + 16 anos, três quartos dos pacientes eram do sexo masculino, 29% eram portadores de diabetes e 39% apresentavam angina instável. Foram utilizados 2,75 + 1,25 stents por paciente. Lesões com comprometimento da bifurcação foram identificadas em 90,1% e as técnicas mais frequentemente utilizadas foram o provisional stent em 36% e o small crush em 29% dos pacientes. Ultrassom intracoronário foi realizado em 92,3% dos pacientes, e reintervenção ocorreu em 21,3% dos stents, por apresentarem aposição incompleta de suas hastes após o implante. ECAM na evolução tardia ocorreram em 15,4%, óbito cardíaco ocorreu em 3,6%, revascularização do vaso-alvo em 11,2% e trombose definitiva / provável do stent em 1,4%. Conclusões: A ICP com SFs em lesões de TCE-NP neste estudo mostrou ser segura e eficazna evolução tardia, com baixas taxas de óbito cardíaco e de trombose do stent.


Background: Recently, percutaneous coronary intervention (PCI) with drug-eluting stents (DES) has proven to be a feasible option in selected patients with unprotected left main (LM) disease. This study was aimed at assessing the efficacy and safety of PCI with DES in LM lesions in the daily practice, analyzing the long-term occurrence of major adverse cardiac events (MACE). Methods: A total of 142 consecutivepatients were treated with a mean follow-up of 917 + 743 days. The decision to use one or two stents or glycoprotein IIb/IIIa inhibitors was left to the operator’s discretion. Coronaryangiography was not performed routinely in the follow-up. Results: Mean age was 67.5 + 16 years, 75% of the patients were male, 29% had diabetes and 39% had unstable angina. A total of 2.75 + 1.25 stents were implanted per patient. Bifurcation lesions were identified in 90.1% and the most frequent techniques were the provisional stent in 36% and small crush in 29% of the patients. Intravascular ultrasound was performed in 92.3% of the patients and reinterventions in 21.3% of the stents due to incomplete appositionof the struts after implantation. In the late follow-up, MACE was observed in 15.4% of the patients, cardiac deathin 3.6%, target-vessel revascularization in 11.2% and definitive/probably stent thrombosis in 1.4%. Conclusions: In thisstudy, PCI with DES proved to be safe and effective in the late follow-up of LM lesions, with low cardiac death and stentthrombosis rates.


Subject(s)
Humans , Male , Female , Aged , Angioplasty/methods , Angioplasty , Coronary Artery Disease/complications , Coronary Artery Disease/diagnosis , Myocardial Infarction/complications , Myocardial Infarction/mortality , Drug-Eluting Stents , Aspirin/administration & dosage , Stents
8.
Rev. bras. cardiol. invasiva ; 17(4): 545-548, out.-dez. 2009. ilus
Article in Portuguese | LILACS | ID: lil-543389

ABSTRACT

Relatamos o caso de um paciente com reestenose de stent não-farmacológico, secundária a hipoexpansão da prótese, decorrente de grave calcificação da placa aterosclerótica subjacente, a qual não foi adequadamente reconhecida na angiografia. A utilização do ultrassom intracoronário foi de grande importância para reconhecer o mecanismo da reestenose e orientar na escolha da estratégia intervencionista mais adequada. A aterectomia rotacional foi realizada com sucesso para debilitar o cálcio peristent, permitindo a expansão posterior da prótese com balões de alta pressão.


Subject(s)
Humans , Male , Middle Aged , Calcinosis , Coronary Restenosis , Coronary Disease , Angioplasty , Stents
9.
Arq. bras. cardiol ; 92(1): 2-9, jan. 2009. tab
Article in English, Spanish, Portuguese | LILACS | ID: lil-505194

ABSTRACT

FUNDAMENTO: A eficácia dos stents farmacológicos em reduzir os índices de eventos cardíacos não é uniforme a todos os subgrupos de lesões ou pacientes. OBJETIVO: Avaliar a evolução clínica tardia dos pacientes submetidos a implante de stents farmacológicos nas lesões ateroscleróticas da artéria descendente anterior e identificar, entre as características clínicas, angiográficas e do ultra-som intravascular, quais as que permitem predizer risco de eventos cardíacos. MÉTODOS: De maio de 2002 a agosto de 2005, foram tratados 205 pacientes com implante de 236 stents farmacológicos guiados pelo ultra-som intravascular. RESULTADOS: Com um acompanhamento médio de 711 dias, a taxa de trombose do stent foi de 0,48 por cento, a mesma observada para infarto agudo do miocárdio ou cirurgia de revascularização. A taxa de revascularização da lesão tratada foi de 7,31 por cento e a taxa global de eventos de 10,24 por cento. Os indicadores de eventos, conforme análise multivariada, foram o implante de mais de um stent na mesma artéria, lesões concêntricas e área mínima intra-stent medida pelo ultra-som intravascular menor que 3,88 mm². CONCLUSÃO: Baseados nos dados obtidos, concluímos que a revascularização da artéria descendente anterior com implante de stents farmacológicos escolhidos e otimizados pelo ultra-som intravascular apresenta baixo índice de eventos tardios. O implante de dois stents farmacológicos para o tratamento das lesões longas foi o principal fator independente para a ocorrência de eventos tardios. A área luminal final maior que 3,88 mm² obtidos nos segmentos de pequenos diâmetros de referência é um indicador independente de evolução livre de eventos.


BACKGROUND: The efficacy of pharmacological stents in decreasing the incidence of cardiac events is not homogeneous for all lesions or patient subgroups. OBJECTIVE: 1) To evaluate the late clinical evolution of patients submitted to pharmacological stent implantation in atherosclerotic lesions of the left anterior descending artery; 2) to identify, among the clinical, angiographic and intravascular ultrasonographic characteristics, the ones predictive of cardiac event risk. METHODS: From May 2002 to August 2005, 205 patients were treated with 236 pharmacological stent implants, guided by the intravascular US (IVUS). RESULTS: After a mean follow-up period of 711 days, the rate of stent thrombosis was 0.48 percent, the same observed for acute myocardial infarction or revascularization surgery. The revascularization rate of the treated lesion was 7.31 percent and the general event rate was 10.24 percent. The event indicators, according to the multivariate analysis were the implant of more than one stent in the same artery, concentric lesions and the minimal intra-stent area measured by IVUS < 3.88 mm². CONCLUSION: Based on the data obtained, we conclude that the revascularization of the left anterior descending artery with pharmacological stent implant, chosen and optimized by IVUS, presents a low incidence of late events. The implant of two pharmacological stents for the treatment of long lesions was the main independent factor for the occurrence of late events. The final luminal area > 3.88 mm² obtained in the small reference-diameter segments is an independent indicator of event-free evolution.


FUNDAMENTO: La eficacia de los stents farmacológicos para reducir los índices de eventos cardiacos no es la misma para todos los subgrupos de lesiones o pacientes. OBJETIVO: Evaluar la evolución clínica tardía de los pacientes sometidos a implante de stents farmacológicos en las lesiones ateroscleróticas de la arteria descendente anterior e identificar, entre las características clínicas, angiográficas y de ultrasonido intravascular, cuales son las que permiten predecir riesgos de eventos cardiacos MÉTODOS: De mayo de 2002 a agosto de 2005, se trataron a 205 pacientes con implante de 236 stents farmacológicos guiados por ultrasonido intravascular. RESULTADOS: Con un seguimiento promedio de 711 días, la tasa de trombosis del stent fue del 0,48 por ciento, la misma que se observó para infarto agudo de miocardio o cirugía de revascularización. La tasa de revascularización de la lesión tratada fue del 7,31 por ciento y la tasa global de eventos fue del 10,24 por ciento. Los indicadores de eventos, conforme análisis multivariada, fueron el implante de más de un stent en la misma arteria, lesiones concéntricas y área mínima intrastent medida por el ultrasonido intravascular menor que 3,88 mm². CONCLUSIÓN: Tomando como base los datos obtenidos con esta investigación, concluimos que la revascularización de la arteria descendente anterior con implante de stents farmacológicos, elegidos y optimizados por el ultrasonido intravascular, presenta un bajo índice de eventos tardíos. El implante de dos stents farmacológicos para el tratamiento de las lesiones largas fue el principal factor independiente para la ocurrencia de eventos tardíos. El área luminal final mayor que 3,88 mm², obtenida en los segmentos de pequeños diámetros de referencia es un indicador independiente de evolución libre de eventos.


Subject(s)
Adult , Aged , Female , Humans , Male , Middle Aged , Coronary Artery Disease/surgery , Drug-Eluting Stents/adverse effects , Prosthesis Implantation/adverse effects , Coronary Artery Disease/epidemiology , Follow-Up Studies , Multivariate Analysis , Myocardial Infarction/epidemiology , Myocardial Infarction/etiology , Myocardial Revascularization/statistics & numerical data , Prosthesis Implantation/methods , Prosthesis Implantation/mortality , Risk Factors , Thrombosis/epidemiology , Thrombosis/etiology
SELECTION OF CITATIONS
SEARCH DETAIL