Your browser doesn't support javascript.
Show: 20 | 50 | 100
Results 1 - 12 de 12
Filter
Add filters








Type of study
Year range
1.
Rev. bras. epidemiol ; 22(supl.1): e190010, 2019. tab, graf
Article in English | LILACS-Express | ID: biblio-1042213

ABSTRACT

ABSTRACT Introduction: Care continuum models have supported recent strategies against sexually transmitted diseases, such as HIV and Hepatitis C (HCV). Methods: HIV, HCV, and congenital syphilis care continuum models were developed, including all stages of care, from promotion/prevention to clinical control/cure. The models supported the intervention QualiRede, developed by a University-Brazilian National Health System (SUS) partnership focused on managers and other professionals from six priority health regions in São Paulo and Santa Catarina. Indicators were selected for each stage of the care continuum from the SUS information systems and from the Qualiaids and QualiAB facility's process evaluation questionnaires. The indicators acted as the technical basis of two workshops with professionals and managers in each region: the first one to identify problems and to create a Regional Technical Group; and the second one to design action plans for improving regional performance. Results: The indicators are available at www.qualirede.org. The workshops took place in the regions of Alto Tietê, Baixada Santista, Grande ABC, and Registro (São Paulo) and of Foz do Rio Itajaí (Santa Catarina), which resulted in regional action plans in São Paulo, but not in Santa Catarina. A lack of awareness was observed regarding the new HIV and HCV protocols, as well as an incipient use of indicators in routine practices. Conclusion: Improving the performance of the care continuum requires appropriation of performance indicators and coordination of care flows at local, regional, and state levels of management.


RESUMO Introdução: Modelos de cuidado contínuo baseiam recentes estratégias em HIV, infecções sexualmente transmissíveis e hepatite C (HCV). Métodos: Desenvolveram-se modelos de contínuo do cuidado em HIV, HCV e sífilis congênita incluindo todas as etapas da atenção, desde a promoção e a prevenção até o controle clínico/cura. O modelo baseou a intervenção QualiRede, desenvolvida em parceria entre universidade e Sistema Único de Saúde (SUS), direcionada a gestores e demais profissionais de 6 regiões de saúde prioritárias em São Paulo e Santa Catarina. Selecionaram-se indicadores para cada etapa do contínuo do cuidado, provenientes dos sistemas de informação do SUS e dos questionários de avaliação de processo Qualiaids e QualiAB. Os indicadores formaram a base técnica de duas oficinas com profissionais e gestores de cada região: a primeira para identificar problemas e formar um Grupo Técnico Regional; e a segunda para construir planos de ação e metas a fim de melhorar o desempenho regional. Resultados: Os indicadores estão disponíveis no website www.qualirede.org. As oficinas ocorreram em quatro regiões de São Paulo (Alto Tietê, Baixada Santista, Grande ABC e Registro) e uma região de Santa Catarina (Foz do Rio Itajaí), resultando em planos regionais em São Paulo, mas não em Santa Catarina. Observou-se domínio limitado dos novos protocolos para HIV e HCV e uso incipiente de indicadores na rotina dos serviços. Conclusão: Melhorar o desempenho do contínuo do cuidado exige apropriação dos indicadores de desempenho e coordenação integrada dos fluxos de atenção em todos os níveis de gestão.

2.
Epidemiol. serv. saúde ; 27(1): e20171678, 2018. tab
Article in Portuguese | LILACS (Americas) | ID: biblio-953370

ABSTRACT

Objetivo: descrever as características sociodemográficas e comportamentais e identificar os fatores associados à coinfecção pelo vírus da imunodeficiência humana (HIV) em casos de sífilis adquirida notificados em Centro de Referência de Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST) e Aids. Métodos: estudo transversal, com dados secundários de um Centro de Referência de DST e Aids do município de São Paulo, Brasil, em 2014; empregou-se regressão de Poisson para estimar razões de prevalência (RP) e intervalos de confiança de 95% (IC95%). Resultados: foram notificados 648 casos de sífilis adquirida, 98% do sexo masculino; 88% eram homens que fazem sexo com homens (HSH) e 57% apresentavam coinfecção com o HIV; foram fatores independentemente associados à coinfecção por HIV o sexo masculino (RP=1,95; IC95% 1,05;3,61) e HSH (RP=1,87; IC95% 1,38;2,53). Conclusão: encontrou-se elevada prevalência de coinfecção por HIV no serviço, afetando desproporcionalmente os HSH notificados com sífilis adquirida.


Objetivo: describir las características sociodemográficas y comportamentales, e identificar los factores asociados a coinfección por el virus de inmunodeficiencia humana (VIH) en casos de sífilis adquirida, notificados en un Centro de Referencia de Enfermedades de Transmisión Sexual (ETS) y Sida. Métodos: estudio transversal, con datos secundarios del Centro de Referencia de ETS y SIDA del municipio de São Paulo, Brasil, en 2014; se empleó regresión de Poisson para estimar razones de prevalencia (RP) e intervalos de confianza al 95% (IC95%). Resultados: se notificaron 648 casos de sífilis adquirida, 98% del sexo masculino, 88% hombres que tienen sexo con hombres (HSH) y 57% con coinfección por VIH; fueran associados independientemente con la coinfección por VIH el sexo masculino (RP=1,95; IC95% 1,05;3,61) y HSH (RP=1,87; IC95% 1,38;2,53). Conclusión: se encontró elevada prevalencia de coinfección por VIH que afectó desproporcionadamente los HSH notificados con sífilis adquirida en ese servicio.


Objective: to describe sociodemographic and behavioral characteristics and to identify factors associated with human immunodeficiency virus (HIV) co-infection in cases of acquired syphilis reported in a Reference Center for Sexually Transmitted Diseases (STD) and AIDS. Methods: cross-sectional study with secondary data from a Reference Center for STD and AIDS in the municipality of São Paulo, Brazil, in 2014; the Poisson regression was used to estimate prevalence ratios (PR) and 95% confidence intervals (95%CI). Results: 648 cases of acquired syphilis were reported, and 98% were male; 88% were men who have sex with men (MSM) and 57% had HIV co-infection; male sex (PR=1.95; 95%CI 1.05;3.61) and MSM (PR=1.87; 95%CI 1.38;2.53) were factors independently associated with HIV co-infection. Conclusion: there was a high prevalence of HIV co-infection in the service analyzed, disproportionately affecting MSM who were notified with acquired syphilis.


Subject(s)
Humans , Male , Female , Adult , Sexually Transmitted Diseases, Bacterial , Syphilis , HIV Infections , Epidemiological Monitoring , Cross-Sectional Studies
3.
São Paulo; SES-SP; 2014. 239 p. ilus, graf, tab.
Monography in Portuguese | LILACS (Americas), SES-SP | ID: lil-773059

ABSTRACT

Na transmissão vertical do HIV, o impacto positivo das intervençõesassistenciais, laboratoriais, profiláticas e medicamentosas no Estado deSão Paulo é demonstrado pela redução de casos notificados de aids portransmissão vertical, no período de 1997 a 2011, que caiu de 445 casospara 50 casos respectivamente; pela redução da taxa de transmissão de16% em 1997 (Tess, 1998) para uma taxa de 3,2% em 2002 (Succi, 2003); etambém pelo significativo aumento da sobrevida média de 6,7 meses em1991 (Grangeiro, 1995) para uma sobrevida mediana de 84,4 meses nos casosdiagnosticados até o ano de 1998 (Matida, 2003). A probabilidade de sobrevidaem 9 anos, para crianças diagnosticada no período de 1999 a 2002 e seguidaambulatorialmente até março/2007, foi de 0,9023 (IC de 95%[0,8376- 0,9421])respectivamente (Matida, 2009). A infecção pelo HIV em crianças mantém-secomo um importante problema de saúde pública no Brasil.Estudo realizado em São Paulo estimou as taxas de transmissão vertical deHIV, baseadas em mulheres grávidas diagnosticadas e notificadas em 2006,identificando os fatores potencialmente associados a sua ocorrência. Esteestudo envolve uma análise transversal e retrospectiva dos sistemas deinformação e registros de mulheres grávidas infectadas e crianças expostasao HIV. A taxa de transmissão vertical no Estado de São Paulo foi de 2,7%(intervalo de confiança 95%: 1,86-3,94), em 2006, diminuindo em 83,1%quando comparada com o período de 1988-1993. As principais variáveisassociadas à transmissão vertical foram a ausência de consultas de prénatalou um número inferior a 6 consultas de pré-natal, ausência de profilaxiaantirretroviral durante o parto ou uso neonatal por menos de 6 semanas,como também realização de aleitamento materno ou aleitamento cruzado. Oestudo reforça a tendência decrescente da transmissão...


Subject(s)
Humans , HIV , Health Programs and Plans , Acquired Immunodeficiency Syndrome/transmission , Infectious Disease Transmission, Vertical , Brazil
4.
In. São Paulo. Centro de Referência e Treinamento em DST/AIDS. Manual para manejo das doenças sexualmwente transmiissíveis em pessoas vivendo com HIV. São Paulo, São Paulo. Centro de Referência em DST/AIDS, 2011. p.12-25, tab.
Monography in Portuguese | LILACS (Americas), SES-SP | ID: lil-638480
5.
Cad. saúde pública ; 27(supl.1): s79-s92, 2011. graf, tab
Article in English | LILACS (Americas), SES-SP | ID: lil-582634

ABSTRACT

The aim of this study was to evaluate survival time for AIDS patients 13 years and older in the South and Southeast regions of Brazil, according to socio-demographic, clinical, and epidemiological characteristics. The sample was selected from all cases diagnosed in 1998 and 1999 and notified to the Epidemiological Surveillance System of the National STD/AIDS Program. Use of a questionnaire allowed analyzing 2,091 patient charts. Based on the Kaplan-Meier method, estimated survival was at least 108 months after diagnosis in 59.5 percent of patients in the Southeast and 59.3 percent in the South. Cox regression models showed, in both regions, an increase in survival in patients on antiretroviral therapy, those classified as AIDS cases according to the CD4 T-cell criterion, females, and those with more schooling. Other factors associated with longer survival in the Southeast were: white skin color, no history of tuberculosis since the AIDS diagnosis, negative hepatitis B serology, and access to a multidisciplinary health team. In the South, age below 40 years was associated with longer survival.


O estudo objetivou avaliar o tempo de sobrevida de pacientes de AIDS, com 13 anos ou mais de idade, das regiões Sul e Sudeste do país, segundo características sóciodemográficas e clínico-epidemiológicas. A amostra foi sorteada a partir da totalidade dos casos notificados no Sistema de Vigilância Epidemiológica do Programa Nacional de DST/AIDS, diagnosticados em 1998 e 1999. Utilizando-se questionário foi possível analisar 2.091 prontuários médicos. Pelo método Kaplan-Meier, foi estimada sobrevivência de pelo menos 108 meses após o diagnóstico em 59,5 por cento dos pacientes no Sudeste e 59,3 por cento no Sul. Por meio de modelos de regressão de Cox, foi verificado, nas duas regiões, aumento da sobrevivência nos pacientes que usaram antirretrovirais, que foram classificados como caso de AIDS pelo critério CD4, que eram do sexo feminino e com maior escolaridade. Os fatores associados a tempos maiores de sobrevida no Sudeste foram ainda: possuir cor da pele branca, não ter tido tuberculose após seu diagnóstico de AIDS, não ser reagente à hepatite B e ter tido acesso à equipe multidisciplinar. No Sul, ter idade abaixo de 40 anos possibilitou maior sobrevida.


Subject(s)
Adolescent , Adult , Female , Humans , Male , Young Adult , Acquired Immunodeficiency Syndrome/mortality , Brazil , Kaplan-Meier Estimate , Risk Factors , Socioeconomic Factors , Survival Analysis
6.
In. Pimenta, Cristina; Raxach, Juan Carlos; Terto Júnior, Veriano. Seminário estudos e pesquisas em DST/HIV/AIDS: determinantes epidemiológicos e sociocomportamentais, 14 a 16 de dezembro de 2009. Rio de Janeiro, ABIA, 2010. p.11-13.
Monography in Portuguese | LILACS (Americas), SES-SP, SESSP-DSTPROD, SES-SP | ID: lil-607694
7.
DST j. bras. doenças sex. transm ; 19(3/4): 111-119, nov. 25, 2007. ilus
Article in Portuguese | LILACS (Americas) | ID: lil-530215

ABSTRACT

Introdução: a definição de caso representa uma estratégia da vigilância epidemiológica para o monitoramento de um agravo ou doença de interesse para a saúde pública. Além disso, permite a descrição de sua ocorrência, o registro e a avaliação de estratégias de controle adotadas em uma determinada população. Objetivo: o presente artigo resgata o processo de definição de caso da sífilis congênita no Brasil desde 1986 até 2004, um evento que ainda persiste como um importante desafio. Métodos: revisão sistemática de documentos técnico-científicos sobre definição de casos de sífilis no Brasil e em outros países. Resultados: o artigo subsidia o entendimento da atual definição de caso, vigente desde janeiro de 2004, contextualizando o processo de vigilância epidemiológica. Conclusão: ressalta-se a importância da adequada definição de caso para as ações de vigilância da sífilis congênita, bem como o reconhecimento dos limites e potencialidades das diferentes modalidades de vigilância epidemiológica com o objetivo de gerar informações de qualidade para programar as ações de controle.


Introduction: the process of case definition represents an important strategy of epidemiological surveillance to follow important diseases and eventsfor public health. Moreover, it allows the description of occurrence, besides the registry and control strategies’ evaluation adopted in a certain population. Objective: this article rebuilds the process of congenital syphilis case definition in Brazil since 1986 up to 2004, an event that still persists as an important challenge in many countries. Methods: systematic review of technical-scientific documents about the definition of congenital syphilis cases in Brazil and in other countries. Results: this analysis subsidizes, therefore, the understanding of the current case definition, effective since January 2004, as the basis for the development of the epidemiological surveillance process. Conclusion: the importance of the appropriate case definition and revision for surveillance actions of congenital syphilis are emphasized, as well as the recognition of limits and potentialities of differentmodalities of epidemiological surveillance in order to generate good information to subsidize the control actions.


Subject(s)
Humans , Sexually Transmitted Diseases , Syphilis, Congenital/history , Syphilis, Congenital/prevention & control
8.
Rev. bras. epidemiol ; 5(3): 286-310, dez. 2002. tab
Article in Portuguese | LILACS (Americas), SES-SP | ID: lil-334091

ABSTRACT

O HIV, inicialmente vinculado a homens que fazem sexo com homens (HSH), particularmente nos países industrializados e na América Latina, disseminou-se rapidamente entre os diversos segmentos, alcançado mulheres, homens com prática heterossexual e crianças. A crescente desigualdade entre países desenvolvidos e em desenvolvimento reflete-se, tanto na propagaçäo do HIV, quanto na mortalidade por aids. Na medida em que se acentuam as diferenças de acesso ao tratamento, diminui a mortalidade por aids no países mais ricos e aumenta nos países mais pobres, exceçäo feita ao Brasil, um dos poucos países que adotaram a política de distribuiçäo gratuita de antiretrovirais. Os maiores coeficientes de incidência aparecem nos indivíduos de 30 a 39 anos, sendo que tanto o número de casos como o de óbitos mostra um ligeiro aumento nas idades mais avançadas, indicando um leve ôenvelhecimentoö da epidemia. O crescimento do número de casos entre homens heterossexuais, junto ao marcante predomínio desta forma de transmissäo na populaçäo feminina, corrobora a hipótese de heterossexualizaçäo da epidemia. O atual sistema de vigilância epidemiológica de aids é baseado na notificaçäo de casos e tem sido utilizado como principal fonte de informaçäo para observaçäo das tendências da epidemia e para o planejamento das atividades de prevençäo e assistência, assim como para divulgaçäo da doença para a populaçäo em geral. Reflete uma situaçäo de vários anos após a infecçäo ter acontecido, e este intervalo de tempo tende a aumentar em virtude de diversos fatores, tais como a introduçäo dos anti-retrovirais, entre outros, levando ao aumento do tempo para os casos entrarem no sistema de informaçäo, fazendo com que as informaçöes do sistema atual fiquem cada vez mais distantes da real magnitude da infecçäo pelo HIV. Dessa forma, outras estratégias têm sido implementadas para se avaliar as tendências da infecçäo pelo HIV e para subsidiar novas atividades de prevençäo e controle, tais como: a notificaçäo compulsória de gestantes HIV positivas e crianças expostas ao HIV; notificaçäo dos portadores assintomáticos do HIV; aprimoramento da investigaçäo sobre a situaçäo de risco dos casos de HIV/aids e incorporaçäo do quesito cor/raça na notificaçäo de casos de aids para subsidiar a definiçäo de grupos de risco acrescido e de maior vulnerabilidade; assim como os sistemas de vigilância de segunda geraçäo, que objetivam identificar as tendências do comportamento e de prevalência da infecçäo


Subject(s)
Aging , HIV , Heterosexuality , Feminization , Acquired Immunodeficiency Syndrome , Epidemiological Monitoring
9.
Säo Paulo; s.n; 2001. 116 p. ilus, tab.
Thesis in Portuguese | LILACS (Americas) | ID: lil-290581

ABSTRACT

A tendência da mortalidade por Sífilis Congênita (SC) é de queda, o coeficiente de mortalidade por sífilis congênita no Município de Säo Paulo diminuiu de 884/100.000 Nascidos Vivos (NV), em 1935, para 1,8 óbitos/100.000 NV, em 1997. No Estado de Säo Paulo declinou de 11,2 óbitos/100.000 NV em 1970, para 1,1 óbito/100.000 NV, em 1997. A proposta de eliminaçäo de sífilis congênita nas Américas, em 1992, reforçou a necessidade da implementaçäo do Sistema de Vigilância Epidemiológica esta doença. Foram estudados 2.311 casos notificados no Estado de Säo Paulo, no período de 1989 a 1997. Em 1989 o coeficiente de incidência foi 2,5 casos/100.000 NV, aumentando para 79,3 casos/100.000 NV em 1997. Os casos foram notificados por 22,0 por cento dos hospitais/maternidades conveniados ao Sistema Unico de Saúde. A proporçäo de casos assintomáticos aumentou de 11,8 por cento, em 1989, para 67,4 por cento, em 1997, em decorrência o aumento do número de casos com classificaçäo por critério laboratorial. Esse aumento é atribuído, sobretudo, à adoçäo de definiçäo de casos para SC com maior sensibilidade a partir de 1993-94. A falta de informaçöes sobre tratamento das mäes definiu como 36,0 por cento dos casos notificados. Foi avaliado o cumprimento de recomendaçöes de tratamento e de diagnóstico para os casos de SC, 70,0 por cento das crianças foram tratadas e somente 10,0 por cento foram avaliadas quanto ao diagnóstico com sorologia para sífilis em sangue periférico, líquor e radiografia de ossos longos. Na avaliaçäo das mäes, observou-se que 68,5 por cento delas realizaram o Pré Natal, contudo näo cumpriram as recomendaçöes para prevençäo de SC durante o período gestacional. Concluiu-se que o Sistema de Vigilância vem sendo aprimorado, com melhora das informaçöes e intervençöes oportunas na criança, e propiciou o conhecimento das oportunidades perdidas de prevençäo no Pré-Natal.


Subject(s)
Humans , Pregnancy , Infant, Newborn , Disease Notification/statistics & numerical data , Syphilis, Congenital/epidemiology , Sexually Transmitted Diseases/prevention & control , Syphilis, Congenital/diagnosis , Syphilis, Congenital/therapy
SELECTION OF CITATIONS
SEARCH DETAIL