Your browser doesn't support javascript.
loading
Show: 20 | 50 | 100
Results 1 - 2 de 2
Filter
Add filters








Type of study
Year range
1.
Article in Spanish | LILACS, BNUY, UY-BNMED | ID: biblio-1142100

ABSTRACT

Introducción: El cáncer es una enfermedad asociada al envejecimiento y tiene una alta prevalencia en los adultos mayores. La valoración geriátrica integral (VGI) mejora los cuidados de los adultos mayores (AM) con cáncer. En contextos sanitarios con recursos limitados, no todos los AM podrán ser evaluados por un geriatra. Un modelo en 2 pasos, incluyendo el test G8, en la consulta habitual del oncólogo, permite seleccionar aquellos pacientes que se beneficiarán de una VGI. Esta puede aportar en la toma de decisiones del tratamiento oncológico específico. Objetivo: Evaluar el beneficio del test G8 y la VGI en ≥ 70 años con cáncer candidatos a recibir quimioterapia. Material y Métodos: Estudio observacional, descriptivo, de corte transversal, de una muestra no probabilística de pacientes ≥ de 70 años con diagnóstico de cáncer y candidatos a recibir quimioterapia. Se aplicó el G8 por el oncólogo y se completó la VGI en los que presentaron alteración en algunas de las áreas evaluadas. Resultados: Se analizaron 32 pacientes. Se realizó G8 a todos, en 21 de ellos se completó la VGI. En estos, en reunión multidisciplinaria con oncólogo y geriatra se discutió el tratamiento. En el 38% de los pacientes se cambió la conducta oncológica tras contar con la valoración geriátrica integral. Conclusión: Creemos que la incorporación del G8 en la práctica clínica del oncólogo aporta una herramienta de cribado útil para identificar los pacientes ≥70 años que se benefician de una VGI previa al inicio de tratamiento oncoespecífico, optimizando de esta manera los recursos.


Introduction: Cancer is a disease associated with aging and has a high prevalence in older adults. Comprehensive geriatric assessment (CGA) improves the care of older adults (OA)with cancer. In healthcare settings with limited resources, not all OA may be evaluated by a geriatrician. A 2-step model, including the G8 test, in the usual oncologist consultation, allows selecting those patients who will benefit from CGA. This can contribute to decision-making regarding specific cancer treatment. Objective: To evaluate the benefit of the incorporation of the G8 test and CGA in the ≥ 70 years with cancer candidates for chemotherapy. Material and Methods: Observational, descriptive, cross-sectional study of a non-probability sample of patients ≥ 70 years of age with a diagnosis of cancer and candidates for chemotherapy. The G8 was applied by the oncologist and the CGA was completed in those who presented alteration in some of the evaluated areas. Results: 32 patients were analyzed. G8 was performed in all, in 21 of them the CGA was completed. In these, the treatment was discussed in a multidisciplinary meeting with an oncologist and a geriatrician. Oncological behavior was changed in 38% of patients after having a comprehensive geriatric evaluation. Conclusion: We believe that the incorporation of the G8 test in the clinical practice of the oncologist provides a useful screening tool to identify patients ≥70 years who benefit from CGA prior to the start of oncospecific treatment, thus optimizing resources.


Introdução: O câncer é uma doença associada ao envelhecimento e tem alta prevalência em idosos. A avaliação geriátrica ampla (AGA) melhora o atendimento a idosos com câncer. Em ambientes de saúde com recursos limitados, nem todos eles podem ser avaliadas por um geriatra. Um modelo de duas etapas, incluindo o teste G8, na consulta oncológica usual, permite selecionar os pacientes que serão beneficiados pela AGA. Isso pode contribuir para a tomada de decisões em relação ao tratamento específico do câncer. Objetivo: Avaliar o benefício da incorporação do teste G8 e AGA nos ≥ 70 anos com câncer, candidatos à quimioterapia. Material e Métodos: Estudo observacional, descritivo e transversal de uma amostra não probabilística de pacientes com idade ≥ 70 anos com diagnóstico de câncer e candidatos à quimioterapia. O G8 foi aplicado pelo oncologista e a AGA foi realizada naqueles que apresentaram alteração em algumas das áreas avaliadas. Resultados: 32 pacientes foram analisados. O G8 foi realizado em todos, em 21 deles a AGA foi aplicada. Nesses, o tratamento foi discutido em reunião multidisciplinar com oncologista e geriatra. O tratamento oncológico foi alterado em 38% dos pacientes após uma avaliação geriátrica amplia. Conclusão: Acreditamos que a incorporação do teste G8 na prática clínica do oncologista fornece uma ferramenta de triagem útil para identificar pacientes com idade ≥70 anos que se beneficiam da AGA antes do início do tratamento oncoespecífico, otimizando recursos.


Subject(s)
Humans , Male , Female , Aged , Geriatric Assessment/statistics & numerical data , Triage , Neoplasms/drug therapy , Antineoplastic Agents/adverse effects , Uruguay , Epidemiology, Descriptive , Cross-Sectional Studies , Decision Making
2.
RBM rev. bras. med ; 68(5,n.esp)maio 2011.
Article in Portuguese | LILACS | ID: lil-593615

ABSTRACT

Graças à melhoria global das condições de saúde e de vida, a população mundial está envelhecendo. Aproximadamente 60% da incidência de câncer ocorre em adultos de 65 anos ou mais. O câncer é um importante problema de saúde na população idosa. Oncologia geriátrica é definido pela abordagem multidimensional e multidisciplinar dos idosos portadores de câncer. A avaliação geriátrica ampla (AGA) foi desenvolvida para avaliar individualmente o estado de saúde dos pacientes idosos e é a ferramenta mais adequada para detectar os problemas funcionais nestes pacientes. O objetivo deste estudo, através de uma revisão da literatura, foi analisar o impacto da AGA em pacientes idosos com câncer. Resultados: A AGA pode detectar vários problemas sub ou não diagnosticados em pacientes com câncer. Alguns estudos sugerem que os critérios utilizados pela AGA são preditores de morbidade e mortalidade e podem influenciar as decisões do tratamento oncológico, tendo um impacto positivo no prognóstico dos pacientes com esta doença. Conclusões: Avaliação geriátrica ampla é um importante instrumento que pode ajudar a definir o prognóstico e influenciar na decisão e resultado do tratamento do idoso com câncer.


Subject(s)
Humans , Male , Female , Aged , Geriatric Assessment/methods , Comorbidity , Aging/pathology , Aging/psychology , Neoplasms/complications , Neoplasms/diagnosis , Neoplasms/psychology
SELECTION OF CITATIONS
SEARCH DETAIL