Your browser doesn't support javascript.
loading
Show: 20 | 50 | 100
Results 1 - 7 de 7
Filter
Add filters








Year range
1.
Braz. dent. sci ; 26(2): 1-6, 2023. tab, ilus
Article in English | LILACS, BBO | ID: biblio-1436276

ABSTRACT

Objective: Evaluate the protective effect of artificial saliva formulations associated or not with mucin on dentin. Materials and Methods: Bovine dentin specimens were randomly allocated to 10 groups (n = 20) according to the artificial saliva tested and the presence or absence of mucin: Amaechi et al. (1998); Klimek et al. (1982); Vieira et al. (2005) and Eisenburger et al. (2001) and deionized water (control). Samples were submitted to an erosive cycle consisting of two immersions of 120 min in the saliva, followed by 1 min in hydrochloric acid solution, and new storage in saliva for 120 min. Surface loss (µm) was measured before and after the cycle. Data were analyzed using 2-way ANOVA and Tukey's test (p < 0.05). Results: A significant difference was observed for the saliva formulation but not for the presence of mucin. The deionized water provided the highest surface loss and the Eisenburger's saliva formulation the lowest. The groups testing the Amaechi, Klimek, and Vieira saliva did not present significant differences. Conclusion: Eisenburger's saliva formulation provides a higher protective effect against dentin erosion. The presence of mucin did not increase the erosion-preventive effect of artificial saliva formulations. (AU)


Objetivo: Avaliar o efeito protetor de formulações de saliva artificial associadas ou não à mucina sobre a dentina submetida a erosão. Material e Métodos: Espécimes de dentina bovina foram alocados em 10 grupos (n = 20) de acordo com a saliva testada e a presença ou ausência de mucina: . Amaechi et al. (1998); Klimek et al. (1982); Vieira e cols. (2005), Eisenburger et al (2001) e agua deionizada (controle). As amostras foram submetidas a um ciclo erosivo composto por duas imersões de 120 min na saliva, seguidas de 1 min em solução de ácido clorídrico e novo armazenamento na saliva por 120 min. A perda de superfície (µm) foi medida antes e depois do ciclo. Os dados foram analisados usando ANOVA 2 fatores e teste de Tukey (p <0,05). Resultados: Foi observada diferença significativa para a formulação de saliva, mas não para a presença de mucina. A água deionizada proporcionou a maior perda de superfície e a formulação de saliva de Eisenburger a menor. Os grupos que testaram a saliva Amaechi, Klimek e Vieira não apresentaram diferenças significativas entre si. Conclusão: A formulação de saliva de Eisenburger fornece o maior efeito protetor contra a erosão dentinária e a presença de mucina não aumentou o efeito preventivo de erosão de formulações de saliva artificial (AU).


Subject(s)
Saliva, Artificial , Tooth Erosion , Tooth Wear , Mucins
2.
São José dos Campos; s.n; 2018. 141 p. il., tab., graf..
Thesis in Portuguese | LILACS, BBO | ID: biblio-911363

ABSTRACT

O efeito protetor do flúor contra erosão tem sido relacionado principalmente à formação de depósitos de fluoreto de cálcio e à adsorção de íons flúor na superfície dental, assim hipotetizou-se que a incorporação ao polímero Carbopol 980 poderia potencializar o efeito protetor de soluções fluoretadas no controle do desgaste erosivo do esmalte com a formação de um filme superficial protetor. A proposta foi dividida em duas etapas. A primeira etapa consistiu em um estudo in vitro no qual foi testada a associação do polímero Carbopol ao Fluoreto de sódio (NaF) e Fluoreto de Sódio mais Cloreto de Estanho (NaF + Sn) quanto ao efeito remineralizante e protetor contra a erosão inicial, na presença da película adquirida. O teste de estabilidade de pH (pH stat) foi realizado, tratando cristais de hidroxiapatita com as soluções descritas, a fim de testar o potencial protetor dos componentes isolados ou associados, quanto à dissolução da hidroxiapatita, prevendo assim o potencial protetor das soluções testadas. Em seguida, espécimes cilíndricos em esmalte bovino polido (3 mm diâmetro) foram desmineralizados com ácido cítrico a 0,3% (pH 2,6) por 2 minutos (n=15). Os espécimes foram imersos em saliva humana por 2 horas para formação da película adquirida e foi então realizado o tratamento com as soluções experimentais por 2 minutos [NaF (500 ppm F), NaF + Carbopol (0,1%), NaF + Sn (500 ppm F + 800 ppm Sn), NaF + Sn + Carbopol], água deionizada (controle negativo) e solução comercial (Elmex ­ controle positivo). Uma nova imersão em saliva humana (2 h) foi realizada para remineralização, seguida por novo desafio ácido. A microdureza Knoop foi medida em diferentes tempos: inicial, após o primeiro desafio ácido, após a imersão nas soluções de tratamento (potencial de remineralização) e após o segundo desafio ácido (potencial protetor). Foi realizada uma nova imersão nas soluções-teste para mensuração do fluoreto solúvel em álcali da superfície do esmalte. Foram utilizados os testes ANOVA e Tukey (5%). Observou-se que a dissolução da hidroxiapatita foi menor nos grupos tratados com NaF + Sn + Carbopol se comparado aos demais grupos, resultado que corrobora com o maior potencial remineralizante e protetor, medidos por microdureza.A mensuração de flúor adsorvido na superfície também foi maior para o grupo com associação NaF + Sn + Carbopol comparado aos demais grupos. A segunda etapa foi um estudo in situ, realizado com as soluções experimentais que apresentaram o maior potencial protetor no estudo in vitro. Para tal, os espécimes em esmalte bovino polido foram divididos em três grupos (n=60): solução NaF + Sn (controle positivo), solução NaF + Sn + Carbopol, e água deionizada (controle negativo). Foi testado um modelo in situ em 3 fases. Quinze voluntários participaram do estudo. Em cada fase, os voluntários usaram um dispositivo palatal contendo 4 espécimes cada, sendo que dois foram submetidos a um ciclo de erosão e remineralização por 5 dias. Este ciclo consistiu na utilização dos dispositivos palatais por 2 horas para formação da película, seguido por imersão extra oral em ácido cítrico 1% (pH 2,3 - 5 minutos -4x/dia), com intervalos de 1 hora de exposição à saliva in situ entre os desafios, e tratamento com as soluções 2x/dia, por 1 minuto. Os outros dois espécimes foram submetidos à erosão/abrasão/remineralização, sendo a abrasão realizada 2x/dia, por 15 segundos com a escova elétrica ativa sobre os espécimes, antes dos tratamentos diários com as soluções e a erosão/remineralização conforme descrito. Ao final do experimento, a perda superficial (em µm) dos espécimes foi avaliada por perfilometria e os dados foram submetidos aos testes ANOVA dois fatores e Tukey (5%). Houve diferença entre os desafios (erosão e erosão+abrasão), assim como os tratamentos com soluções fluoretadas foram capazes de proteger o esmalte contra o desgaste erosivo, significantemente diferentes do controle negativo. Pode-se concluir que tanto para o estudo in vitro quanto para o estudo in situ a associação do NaF ao Sn e também estes ao Carbopol apresentaram resultados promissores diminuindo o desenvolvimento do desgaste erosivo(AU)


The protective effect of fluoride against erosion has been related mainly to the formation of calcium fluoride deposits and the adsorption of fluoride ions on the dental surface, so it was hypothesized that the incorporation to the Carbopol 980 polymer could potentiate the protective effect of fluoride solutions in the control of the enamel erosive wear with the formation of a protective film. The proposal was divided in two stages. The first stage consisted of an in vitro study in which the association of Carbopol polymer to sodium fluoride (NaF) and sodium fluoride with tin chloride (NaF + Sn) was tested in the presence of acquired pellicle. The ph stat test was used to test the protective potential of these components isolated or associated, in relation to the dissolution of hydroxyapatite, thus predicting the protective potential of the solutions tested. The remineralizing and protective effect against initial erosion measured by microhardness was investigated. Cylindrical polished bovine enamel specimens (3 mm diameter) was prepared and demineralized with 0.3% citric acid (pH 2.6) for 2 minutes (n=15). The specimens were immersed in human saliva for 2 hours to allow acquired pellicle formation and then, treatment with experimental solutions for 2 minutes were performed [NaF (500 ppm F), NaF + Carbopol (0,1%), NaF + Sn (500 ppm F + 800 ppm Sn), NaF + Sn + Carbopol], deionized water (negative control) and comercial mouthrinse (Elmex ­ positive control). A new immersion in human saliva (2 h) for remineralization and then new acid challenge were performed. The Knoop microhardness was measured at different times: baseline, after the first acid challenge, after treatments (remineralization potential), and after second acid challenge (protective potential). Additionally, a new immersion in test solutions was conducted for the measurement of alkalisoluble fluoride on enamel surface. ANOVA and Tukey tests were applied (5%). It was observed that the dissolution of hydroxyapatite was lower in the groups treated with NaF + Sn + Carbopol compared to the other groups. This result was also observed with the remineralizing and protective potentials, measured by microhardness. The measurement of alkali-soluble fluoride on enamel surface was also higher to the NaF + Sn + Carbopol association group compared to the other groups.The second stage was an in situ study carried out with the experimental solutions that present the greatest protective potential in the previous in vitro study. For this, polished enamel specimens were divided into three groups (n = 60): NaF + Sn (positive control), NaF + Sn + Carbopol, and deionized water (negative control). An in situ model with three stages was tested. Fifteen volunteers participated in the study. In each phase, volunteers used a palatal appliance containing 4 specimens each, in which two were submitted to an erosion and remineralization cycle for 5 days. This cycle consisted of using the appliance for 2 hours for pellicle formation, followed by extra oral immersion in 1% citric acid (pH 2.3 - 5 minutes - 4x/day) with intervals of 1 hour of in situ saliva exposure between challenges and treatment with the solutions 2x/day for 1 minute. The other two specimens were subjected to erosion/abrasion/remineralization cycle, in which abrasion was performed 2x/day - 15 seconds, with active electric toothbrush, before the daily treatment with the solutions, and erosion/remineralization as previously described. At the end of the experiment, enamel surface loss (µm) was evaluated by profilometry and the data were analyzed by two-way ANOVA and Tukey tests (5%). There were differences between the challenges (erosion and erosion + abrasion), as well as treatments with fluoride solutions were able to protect the enamel against erosive wear, significantly different from the negative control. It can be concluded that for both the in vitro and the in situ study, the association of NaF to Sn, and these to Carbopol, presented promising results reducing the development of erosive wear(AU)


Subject(s)
Humans , Tooth Abrasion , Polymers , Sodium Fluoride/administration & dosage , Tooth Erosion/classification
3.
Braz. dent. sci ; 19(4): 83-89, 2016. ilus
Article in English | LILACS, BBO | ID: biblio-850491

ABSTRACT

Objetivo: Esse trabalho tem como objetivo determinar e diferenciar a erosão e o desgaste erosivo do esmalte induzidos pelos ácidos cítrico e clorídrico. Materiais e Métodos: Quarenta amostras de esmalte foram divididas em 2 grupos: 1) 0,05 M de ácido cítrico (pH 2,5) simulando a erosão extrínseca e 2) 0,01 M de ácido clorídrico (pH 2,2) simulando a erosão intrínseca. Amostras de esmalte foram submetidas aos desafios erosivos. A microdureza de superfície (erosão) ou a perfilometria (desgaste erosivo) foi realizada após 30 s, depois a cada 60 s até 10 min, depois a cada 5 min até 30 min e depois de 60, 90 e 120 min. Resultados: A erosão (perda de dureza do esmalte) foi mensurável até 1 e 2 min de exposição aos ácidos clorídrico e cítrico, respectivamente. O desgaste erosivo aumentou significativamente ao longo do tempo para ambos os ácidos. Após 8 min, o ácido cítrico foi mais agressivo comparado ao clorídrico (p < 0,001). Conclusão: A progressão da erosão do esmalte do amolecimento ao desgaste erosivo é altamente dependente do tipo de ácido, sendo o ácido cítrico mais agressivo em estágios avançados. Portanto, este resultado deve ser considerado na escolha do método de análise para estudos laboratoriais.


Objective: This study aimed to determine and differentiate erosive softening and enamel erosive loss induced by citric and hydrochloric acids. Material and Methods: Forty enamel specimens were divided into 2 groups: 1) 0.05 M citric acid (pH 2.5) simulating extrinsic erosion and 2) 0.01 M hydrochloric acid (pH 2.2) simulating intrinsic erosion. The enamel specimens were submitted to erosive challenges. Surface microhardness (softening) or contact profilometry (loss) was done after 30 s, after each 60 s up to 10 min, after each 5 min up to 30 min and after 60, 90 and 120 min. Results: Erosive softening (enamel hardness loss) was measurable up to 1 and 2 min for hydrochloric and citric acids, respectively. Erosive loss was significantly increased over time for both types of acids. After 8 min, citric acid was more aggressive than hydrochloric acid (p < 0.001). Conclusion: The progression of enamel erosion from erosive softening to erosive loss is highly dependent on the type of acid, being citric acid more aggressive in later stages. Therefore, this finding should be considered when choosing the method of analysis for laboratory studies


Subject(s)
Dental Enamel , Tooth Erosion , Tooth Wear
4.
São José dos Campos; s.n; 2016. 120 p. ^cil.120, tab. , graf..
Thesis in Portuguese | LILACS, BBO | ID: biblio-847846

ABSTRACT

A erosão dental é um processo multifatorial que envolve a desmineralização do esmalte/dentina pela ação química de ácidos extrínsecos ou intrínsecos. A película adquirida é um filme, livre de bactérias, que cobre os dentes e atua como barreira de difusão ou membrana permeável seletiva, prevenindo o contato direto de ácidos com a superfície dos dentes. Os dentifrícios, normalmente usados no controle do biofilme bucal, possuem agentes tensoativos, que podem influenciar na adsorção de proteínas salivares, e atuar diretamente na formação da película adquirida e na liberação de fluoretos para o meio bucal. Assim, verificou-se a ação destes agentes na formação e proteção da película adquirida, sua interação com fluoreto de sódio (NaF) no esmalte, e consequentemente sua interferência na proteção contra a erosão dental. Foram testados três tensoativos (Lauril Sulfato de Sódio - LSS, Tween 20 ­ T20 e Cocoamidopropil Betaína - CAPB), em duas concentrações (1,0% e 1,5%). A água foi utilizada como controle negativo. Amostras de esmalte bovino foram submetidas a um modelo de des/remineralização com ácido cítrico durante 5 dias, imersão em saliva humana para formação de película adquirida e em soluções com os tensoativos testados, associados ou não ao NaF (275 ppm). A solução de NaF foi utilizada como controle positivo. A análise da energia de superfície do esmalte foi determinada por goniometria e a formação de película adquirida quantificada por espectroscopia (FTIR). A erosão inicial foi determinada por microdureza no primeiro dia (mensurada após o primeiro ácido, após o tratamento e após o segundo ácido) e a perda de estrutura de esmalte foi definida por perfilometria ao final de cinco dias de ciclo. Ainda, foi quantificado o flúor solúvel em KOH adsorvido na superfície do esmalte com eletrodo específico. Os resultados de goniometria mostraram que apenas o LSS e o CAPB em ambas concentrações diminuíram o ângulo de contato entre a água e o esmalte. Quanto à quantificação da formação de película, não foi possível verificar diferença significante entre os grupos testados. Com relação à erosão, os dados de dureza mostraram que os tensoativos, independente da concentração, não interferiram no reendurecimento do esmalte, porém o LSS a 1% e 1,5% interferiu no potencial de proteção do NaF, e o T20 a 1% e 1,5% e o CAPB a 1,5% protegeram o esmalte, porém não foram superiores ao efeito do NaF. Já a análise perfilometria mostrou que o T20 a 1% resultou em menores valores de perda que a 1,5%, e ainda que o CAPB 1% e 1,5% foi capaz de proteger comparado ao controle negativo, no entanto nenhum agente associado ao NaF protegeu mais do que o controle positivo. Os dados da concentração de flúor KOH-solúvel indicaram que os tensoativos reduziram a adsorção do CaF2 ao esmalte. Conclui-se que os tensoativos testados reduziram o ângulo de contato da água com o esmalte (exceção do T20). O LSS reduziu o potencial protetor do NaF e da película na erosão inicial e nenhum agente testado interferiu na capacidade protetora do NaF contra a progressão do desgaste erosivo(AU)


Dental erosion can be defined as a multifactorial process that induces tooth dissolution by intrinsic or extrinsic acids. Acquired pellicle is a film, free from bacteria, that covers all tooth tissues, and acts as a selective membrane that prevents direct contact of the acids with enamel/dentin surface. Dentifrices, frequently used in the biofilm control, have some constituents, such as surfactant agents, which influence on the adsorption of salivary proteins, and may directly affect the formation of salivary pellicle and the fluoride release on oral environment. Thus, it was verified the influence of surfactants over the protective effect of the acquired pellicle, and on the interaction of fluoride with enamel. Three different surfactants were tested (Sodium Lauryl Sulphate - SLS, Tween 20 ­ T20 and Cocoamidopropyl Betaine - CAPB), in 2 different concentrations (1.0% and 1.5%). Water was used as negative control. Bovine enamel samples were selected and submitted to an in vitro des/remineralization model with citric acid during 5 days, immersion in human saliva for acquired pellicle formation and immersion in the surfactant solutions, associated or not with sodium fluoride (NaF ­ 275ppm). A NaF solution was used as positive control. The surface wettability was determined by contact angle between water and the enamel using a tensiometer, and the acquired enamel pellicle formation was assessed using a spectrophotometer (FTIR). Initial erosion was defined by microhardness at the first cycle day (measured after the first acid, after treatment and after the second acid), and the structure loss was determined by profilometry. The KOH-soluble fluoride was also quantified after the end of the cycle. The surface energy analysis showed that only SLS and CAPB in both concentrations decreased the contact angle between enamel and water. Regarding the proteins quantification, no differences were found between the groups. Concerning initial erosion, microhardness data showed that all surfactants, in both concentrations, did not interfered with enamel remineralization, but 1% and 1,5% SLS interfered on NaF protective effect. 1% and 1,5% T20 and 1,5%, CAPB despite presenting some protective effect against new acid challenge, did not promote the same protection as NaF. Profilometry results showed that the 1% T20 promoted lower surface loss than at 1.5%, while 1% and 1.5% CAPB protected enamel compared to negative control group. However, no agent associated with NaF showed higher protection than the positive control. KOH-soluble fluoride analysis showed that all surfactants reduced the CaF2 adsorption over enamel surface. It can be concluded that the surfactants tested reduced the enamel contact angle (except for T20). The SLS decreased the protective potential of NaF associated with the pellicle in initial erosion and no agent tested interfered with the protective effect of NaF on enamel erosive wear(AU)


Subject(s)
Humans , Saliva , Fluorine , Surface-Active Agents , Tooth Erosion
5.
São José dos Campos; s.n; 2014. 72 p. ilus, tab, graf.
Thesis in Portuguese | LILACS, BBO | ID: biblio-867586

ABSTRACT

O objetivo deste estudo foi avaliar os efeitos da escovação, utilizando dentifrícios com diferentes graus de abrasividade após a exposição ao agente clareador peróxido de hidrogênio (PH) 7,5% com ou sem a adição de gluconato de cálcio em diferentes intervalos de tempo (imediatamente e após 1 h). Foi analisada a alteração no tecido dental decorrente destas interações no desgaste de superfície do esmalte. Neste estudo foram utilizados 144 espécimes de esmalte bovino, os quais foram distribuídos em 12 grupos (n = 12) de acordo com o gel clareador utilizado (com e sem cálcio), o grau de abrasividade (alto ou baixo) e o intervalo de tempo decorrido após a utilização do gel clareador (imediatamente e após 1 h). Para o controle, 4 grupos não foram expostos ao gel clareador, apenas passaram pelos ciclos de abrasão, de acordo com o tipo de abrasivo e o intervalo de tempo. O gel clareador foi aplicado por 1 h e após este período, os grupos que foram escovados imediatamente, passaram para o ciclo de abrasão e os do intervalo de 1 h permaneceram na saliva artificial antes da realização dos ciclos abrasivos. Os espécimes foram submetidos a 45 ciclos de escovação, correspondentes a 3x ao dia (135 ciclos por dia - 1 min e 30 s). Estes procedimentos foram repetidos por 7 dias, totalizando 945 ciclos ao final do estudo. O desgaste da superfície do esmalte foi medido (μm) por perfilometria. Para verificação dos resultados foi aplicado o teste ANOVA três fatores e o teste de Tukey. O nível de significância foi de 5%. Foram observadas diferenças estatisticamente significantes (p=0,0001) para os três fatores testados. Os valores de média (± DP) e os resultados do teste de Tukey para o fator clareamento foram: SC- 0,45(± 0,01)a, PH+Ca- 0,51(± 0,03)b, PH- 0,82(± 0,01)c. Para o fator abrasivo, foram: Baixo- 0,44(± 0,01)a e Alto- 0,74(± 0,05)b e para o intervalo de tempo, foram: 1 h- 0,41(± 0,01)a, imediatamente- 0,77(± 0,05)b. Pode-se concluir que: a) o clareamento com PH ...


The objective of this study was to evaluate the effects of brushing, using toothpastes with different degrees of abrasiveness after exposure to bleaching agent hydrogen peroxide (HP) 7.5% with or without the addition of calcium gluconate in different time intervals (immediately and after 1 h). The alteration in dental tissue resulting from these interactions on enamel surface wear was analyzed. In this study 144 bovine enamel specimens were divided into 12 groups (n = 12) according to the whitening gel used (with and without calcium), the grade of abrasive (high or low) and the time interval elapsed after use of the bleaching gel (immediately and after 1h). For the control, four groups were not exposed to the bleaching gel and were just submitted to abrasion cycles according to the type of abrasive and the time interval. The bleaching gel was applied for 1 h and after this period, the groups that were brushed immediately were submitted to abrasion cycle, and the ones tested after 1h, remained in artificial saliva before the performance of abrasive cycles. The specimens were subjected to 45 cycles of brushing, corresponding to 3x a day (135 cycles per day - 1 min 30 s). These procedures were repeated for 7 days, totaling 945 cycles at the end of the study. The enamel wear was measured (μm) by profilometry. To check the results, three-way ANOVA and Tukey's test was applied. The significance level was 5%. Statistically significant differences (p =0.0001) for the three tested factors were observed. Mean values (± SD) and results of Tukey test for whitening factor were: NB- 0.45(± 0.01)a, HP+Ca- 0.51(± 0.03)b, HP - 0.82(± 0.01)c. For the abrasive factor were: Low- 0.44(± 0.01)a and High- 0.74(± 0.05)b and for the time interval, were: 1h- 0.41(± 0.01)a, immediately- 0.77(± 0.05) b. It can be concluded that: a) HP 7.5% bleaching increased the enamel susceptibility to abrasion, b) the high degree of abrasiveness increased enamel wear, and c) the 1h delayed brushing ...


Subject(s)
Humans , Dental Enamel , Tooth Abrasion , Tooth Bleaching
6.
São José dos Campos; s.n; 2014. 72 p. ilus, tab, graf.
Thesis in Portuguese | LILACS, BBO | ID: biblio-870189

ABSTRACT

O objetivo deste estudo foi avaliar os efeitos da escovação, utilizando dentifrícios com diferentes graus de abrasividade após a exposição ao agente clareador peróxido de hidrogênio (PH) 7,5% com ou sem a adição de gluconato de cálcio em diferentes intervalos de tempo (imediatamente e após 1 h). Foi analisada a alteração no tecido dental decorrente destas interações no desgaste de superfície do esmalte. Neste estudo foram utilizados 144 espécimes de esmalte bovino, os quais foram distribuídos em 12 grupos (n = 12) de acordo com o gel clareador utilizado (com e sem cálcio), o grau de abrasividade (alto ou baixo) e o intervalo de tempo decorrido após a utilização do gel clareador (imediatamente e após 1 h). Para o controle, 4 grupos não foram expostos ao gel clareador, apenas passaram pelos ciclos de abrasão, de acordo com o tipo de abrasivo e o intervalo de tempo. O gel clareador foi aplicado por 1 h e após este período, os grupos que foram escovados imediatamente, passaram para o ciclo de abrasão e os do intervalo de 1 h permaneceram na saliva artificial antes da realização dos ciclos abrasivos. Os espécimes foram submetidos a 45 ciclos de escovação, correspondentes a 3x ao dia (135 ciclos por dia - 1 min e 30 s). Estes procedimentos foram repetidos por 7 dias, totalizando 945 ciclos ao final do estudo. O desgaste da superfície do esmalte foi medido (μm) por perfilometria. Para verificação dos resultados foi aplicado o teste ANOVA três fatores e o teste de Tukey. O nível de significância foi de 5%. Foram observadas diferenças estatisticamente significantes (p=0,0001) para os três fatores testados. Os valores de média (± DP) e os resultados do teste de Tukey para o fator clareamento foram: SC- 0,45(± 0,01)a, PH+Ca- 0,51(± 0,03)b, PH- 0,82(± 0,01)c. Para o fator abrasivo, foram: Baixo- 0,44(± 0,01)a e Alto- 0,74(± 0,05)b e para o intervalo de tempo, foram: 1 h- 0,41(± 0,01)a, imediatamente- 0,77(± 0,05)b. Pode-se concluir que: a) o clareamento com PH...


The objective of this study was to evaluate the effects of brushing, using toothpastes with different degrees of abrasiveness after exposure to bleaching agent hydrogen peroxide (HP) 7.5% with or without the addition of calcium gluconate in different time intervals (immediately and after 1 h). The alteration in dental tissue resulting from these interactions on enamel surface wear was analyzed. In this study 144 bovine enamel specimens were divided into 12 groups (n = 12) according to the whitening gel used (with and without calcium), the grade of abrasive (high or low) and the time interval elapsed after use of the bleaching gel (immediately and after 1h). For the control, four groups were not exposed to the bleaching gel and were just submitted to abrasion cycles according to the type of abrasive and the time interval. The bleaching gel was applied for 1 h and after this period, the groups that were brushed immediately were submitted to abrasion cycle, and the ones tested after 1h, remained in artificial saliva before the performance of abrasive cycles. The specimens were subjected to 45 cycles of brushing, corresponding to 3x a day (135 cycles per day - 1 min 30 s). These procedures were repeated for 7 days, totaling 945 cycles at the end of the study. The enamel wear was measured (μm) by profilometry. To check the results, three-way ANOVA and Tukey's test was applied. The significance level was 5%. Statistically significant differences (p =0.0001) for the three tested factors were observed. Mean values (± SD) and results of Tukey test for whitening factor were: NB- 0.45(± 0.01)a, HP+Ca- 0.51(± 0.03)b, HP - 0.82(± 0.01)c. For the abrasive factor were: Low- 0.44(± 0.01)a and High- 0.74(± 0.05)b and for the time interval, were: 1h- 0.41(± 0.01)a, immediately- 0.77(± 0.05) b. It can be concluded that: a) HP 7.5% bleaching increased the enamel susceptibility to abrasion, b) the high degree of abrasiveness increased enamel wear, and c) the 1h delayed brushing...


Subject(s)
Humans , Dental Enamel , Tooth Abrasion , Tooth Bleaching
7.
Ciênc. agrotec., (Impr.) ; 33(2): 574-579, mar.-abr. 2009. ilus, graf
Article in Portuguese | LILACS | ID: lil-514009

ABSTRACT

A perfilometria é uma técnica amplamente utilizada na construção de mapas e gráficos de relevos aplicados a uma vasta área do conhecimento. Frente às necessidades de suprir a demanda da indústria e da área de desenvolvimento de protótipos quanto a técnicas não invasivas na investigação da superfície de materiais em geral, o presente trabalho buscou propor uma metodologia de calibração aplicada à técnica de moiré para investigações perfilométricas em protótipos mecânicos buscando baixos custos e flexibilidade. A técnica de moiré consiste na comparação de dois retículos periódicos, onde um segue o comportamento da superfície do objeto (retículo modelo - Rm) e outro não está deformado, seguindo o comportamento de um plano de referência, (retículo de referência - Rr). A luz que passa entre os retículos se sobrepõe formando padrões de moiré ou franjas de moiré que se comportam como ondas senoidais. Nos ensaios de calibração, usou-se um cone de relevo conhecido para a determinação de uma constante de correção de mapas gerados digitalmente. Os ensaios realizados aplicaram a metodologia para a determinação do perfil de um mouse de computador e para a determinação da deformação de uma chapa metálica. A metodologia proposta para a calibração da técnica de moiré mostrouse capaz de realizar os mapeamentos, com resolução máxima na ordem de centésimos de milímetros, podendo então ser usada em aplicações com níveis de precisão inferiores a essa ordem.


Profilometry is a measurement technique widely used in map and relief graphic construction, being applied to vast areas of knowledge. The aim of the present investigation was to introduce a calibration method applied to a moiré technique in experiments of mechanical archetypes, with low cost and flexibility, due to the need for supplying demands from both industry and mechanical archetype development for non-invasive techniques. The moiré technique basically consists of the comparison of two periodic structures. One of them follows the behavior of the object surface (reticulum model - Rm) and the other one is kept constant without deformation, working as a reference plane (reference reticulum - Rr). The light that passes between the reticulum overlaps and forms a moiré standard, also called moiré fringe which behaves as sinusoidal waves. In the present calibration tests, a relief cone was used to determine a correction constant in the generated maps. The technique was applied to draw the profile of a computer mouse, and to determine deformation on a metallic blade, mounted over a deformation test table. The proposed methodology for the calibration applied to the moiré technique showed to allow the construction of maps with maximum resolution of hundredths of millimeters. Results also showed that the technique might be used in applications with lower levels of precision as well.

SELECTION OF CITATIONS
SEARCH DETAIL