Your browser doesn't support javascript.
loading
Show: 20 | 50 | 100
Results 1 - 20 de 341
Filter
1.
Rev. eletrônica enferm ; 24: 1-12, 18 jan. 2022.
Article in English, Portuguese | LILACS, BDENF | ID: biblio-1379465

ABSTRACT

Objetivo: identificar a visibilidade da violência entre parceiros íntimos adolescentes e jovens reportados nas áreas de saúde e educação. Método: Revisão integrativa, realizada nas plataformas Biblioteca Virtual em Saúde, Scopus e PubMed/MEDLINE em novembro de 2019 e atualizada em junho de 2021. Os dados foram submetidos à análise de conteúdo temática. Resultados: foram selecionados 18 artigos e emergiram três categorias empíricas - a expressão da violência entre parceiros íntimos adolescentes e jovens de acordo com o sexo; impactos negativos e potenciais de proteção à violência entre parceiros íntimos adolescentes e jovens; a importância de intervenções em rede para o enfrentamento da violência entre parceiros íntimos adolescentes e jovens. Conclusão: adolescentes e jovens podem ser vítimas ou autores da violência, em ambas situações há determinação de gênero e as repercussões da violência podem perpetuar-se para a vida adulta. Conhecer as características desse fenômeno possibilita construir intervenções nos serviços de saúde e educação.


Objective: To identify the visibility of intimate partner violence among youths and adolescents reported in health care and education. Method: Integrative review using the platforms Virtual Health Library, Scopus, and PubMed/MEDLINE in November 2019 and updated in June 2021. The data were subjected to thematic content analysis. Result: 18 articles were selected, resulting in the following three empirical categories: the expression of intimate partner violence among youths and adolescents according to sex; negative impacts and potential protection factors for intimate partner violence among youths and adolescents; the importance of network interventions to confront intimate partner violence among youths and adolescents. Conclusion: Youths and adolescents can be the victims or perpetrators of violence. In both situations, gender is determinant and the repercussions of violence can be perpetuated in adult life. The characteristics of this phenomenon should be further investigated to create interventions in health care and education.


Subject(s)
Humans , Adolescent , Intimate Partner Violence , Adolescent , Gender and Health
2.
Evid. actual. práct. ambul ; 25(1): e006996, 2022. ilus, tab
Article in Spanish | LILACS, BINACIS, UNISALUD | ID: biblio-1367229

ABSTRACT

Hasta diciembre de 2020, en Argentina el aborto era legal ante determinadas causales. Sin embargo, era común que la implementación de esta legislación se viera entorpecida. El objetivo de esta investigación fue identificar las barreras y los factores facilitadores para la accesibilidad a la interrupción legal de embarazo en una institución del subsistema privado y de la seguridad social. Se realizó una investigación con enfoque cualitativo con entrevistas a profesionales del equipo de salud involucrados en el circuito de atención de interrupción legal de embarazo del Hospital Italiano de Buenos Aires. Los resultados se organizan en cinco ejes temáticos que surgieron luego de un proceso de lectura, interpretación y discusión:1) ausencia de una política institucional explícita, 2) los componentes de la práctica (falta de registro en la historia clínica electrónica, desarrollo de circuitos paralelos para acceder a la medicación: misoprostol), 3) el marco jurídico legal y las causales (falta de leyes claras, diversas interpretaciones en lo que respecta al causal salud), 4) la objeción de conciencia y 5) los aspectos contextuales (movimiento feminista, el proyecto de ley desaprobado en el senado en 2018). A pesar de que el equipo de salud contaba con un marco legal claro, implementar una política institucional interna resulta sumamente necesario. (AU)


Up until December 2020, abortion was legal in Argentina on certain grounds. However, it was common for the implementation of this legislation to be hindered. The purpose of this research was to identify the barriers and facilitating factors for the accessibility to legal abortion in both private and public health care institutions. A qualitative research was carried out with interviews with health professionals involved in the health team at Hospital Italiano de Buenos Aires legal interruption of pregnancy care circuit. The results are organized into five thematic axes that emerged after a process of reading, interpreting and discussing: 1) the absence of an explicit institutional policy, 2) the components of the practice (lack of registration in the electronic health records, development of parallel circuits to access medication: misoprostol), 3) the legal framework and grounds (lack of clear laws, different interpretations regarding health grounds), 4) conscientious objection, and 5) contextual aspects (feminist movement, the bill disapproved in the Senate in 2018). Even though the health teamhad a clear legal framework in place, implementing an internal institutional policy is extremely necessary. (AU)


Subject(s)
Humans , Male , Female , Middle Aged , Organizational Policy , Misoprostol/supply & distribution , Abortion, Legal/legislation & jurisprudence , Abortion, Legal/standards , Ethics, Clinical , Gender and Health/policies , Argentina , Health Maintenance Organizations/standards , Health Surveys , Hospitals, Private/standards , Abortion, Legal/instrumentation , Qualitative Research , Abortion
3.
Rev. enferm. UFSM ; 12: e14, 2022.
Article in English, Portuguese | LILACS, BDENF | ID: biblio-1371458

ABSTRACT

Objetivo: analisar as situações de vulnerabilidade e de proteção vivenciadas por mulheres com deficiência em contexto rural. Método: estudo qualitativo, descritivo e exploratório, realizado com dez mulheres com deficiência residentes em áreas rurais de cinco municípios das regiões norte e noroeste do Rio Grande do Sul, Brasil. As entrevistas ocorreram nos domicílios nos meses de janeiro a junho de 2019. O material empírico foi gravado, transcrito e submetido à análise temática de conteúdo. Resultados: as vulnerabilidades desveladas foram: restrições de responsabilidade, educação, trabalho, renda, autonomia e benefício social. Quanto às condições potencializadoras de proteção às vulnerabilidades, observaram-se vínculos fortes com a Estratégia Saúde da Família Rural e a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais e recebimento do Benefício de Prestação Continuada. Conclusão: ações de equipes de saúde rural articuladas na rede de atenção auxiliam na superação de fragilidades de mulheres com deficiência.


Objective: to analyze the situations of vulnerability and protection experienced by women with disabilities in the rural context. Method: qualitative, descriptive and exploratory study, carried out with ten women with disabilities living in rural areas of five municipalities in the north and northwest regions of Rio Grande do Sul, Brazil. The interviews took place in the households from January to June 2019. The empirical material was recorded, transcribed and subjected to thematic content analysis. Results: the revealed vulnerabilities were: restrictions on responsibility, education, work, income, autonomy and social benefit. As for the conditions improving the protection against vulnerabilities, strong links were observed with the Rural Family Health Strategy and the Association of Parents and Friends of Exceptional Children, besides the receipt of the Continuous Cash Benefit. Conclusion: actions of rural health teams articulated in the care network help to overcome the weaknesses of women with disabilities.


Objetivo: analizar las situaciones de vulnerabilidad y protección que viven las mujeres con discapacidad en el contexto rural. Método: estudio cualitativo, descriptivo y exploratorio, realizado con diez mujeres con discapacidad residentes en áreas rurales de cinco ayuntamientos de las regiones norte y noroeste de Rio Grande do Sul, Brasil. Las entrevistas tuvieron lugar en los hogares de enero a junio de 2019. El material empírico fue grabado, transcrito y sometido al análisis de contenido temático. Resultados: las vulnerabilidades reveladas fueron: restricciones de responsabilidad, educación, trabajo, ingreso, autonomía y beneficio social. En cuanto a las condiciones que potencian la protección contra las vulnerabilidades, se observaron fuertes vínculos con la Estrategia de Salud Familiar Rural y la Asociación de Padres y Amigos de los Excepcionales, además de la recepción del Beneficio de la Provisión Continua. Conclusión: las acciones de los equipos de salud rural articuladas en la red de atención ayudan a superar las debilidades de las mujeres con discapacidad.


Subject(s)
Humans , Rural Population , Women's Health , Disabled Persons , Gender and Health , Health Vulnerability
4.
Enferm. foco (Brasília) ; 12(5): 908-913, dez. 2021. tab
Article in Portuguese | LILACS, BDENF | ID: biblio-1366867

ABSTRACT

Objetivo: Analisar a influência do sexo nas condições de saúde, estilo de vida e utilização de serviços médicos em pacientes internados em um hospital de ensino. Métodos: Realizou-se um estudo quantitativo, transversal, por inquérito telefônico, junto a 445 pacientes internados em um hospital universitário, no ano de 2018. Considerou-se o sexo como variável dependente e como variáveis independentes: as características de saúde, de estilo de vida e de utilização de serviços de saúde. Realizou-se análise bivariada e de regressão logística. Resultados: Houve associação entre o sexo masculino e a dependência atual (OR=2,9) ou anterior ao álcool (OR=8,3), o tempo de internação acima de três e de sete dias (OR=2,7) e o maior encaminhamento à unidade de básica de saúde (OR=2,1). Concluão: Conclui-se que os homens têm maior predileção ao uso de álcool, ficam mais tempo internados e têm maior encaminhamento aos serviços de saúde. (AU)


Objective: Analyze the influence of sex on health conditions, lifestyle and use of medical services in patients admitted to a teaching hospital. Methods: A quantitative and cross-sectional study was carried out by telephone survey with 445 patients admitted to a university hospital in 2018. Sex was considered as a dependent variable and as independent variables: the characteristics of health, lifestyle and use of health services. Bivariate analysis and logistic regression were performed. Results: There was an association between male gender and current addiction (OR = 2.9) or prior to alcohol (OR = 8.3), length of stay above three and seven days (OR = 2.7) and the longest referral to the primary health care unit (OR = 2.1). Conclusion: It was concluded that men have a higher predilection for alcohol use, stay longer hospitalized and have more referrals to health services. (AU)


Objetivo: Analizar la influencia del sexo enlas condiciones de salud, el estilo de vida y el uso de losservicios médicos en pacientes ingresados enun hospital universitario. Métodos: Se realizo um estudio transversal cuantitativo, por encuesta telefónica, con 445 pacientes ingresados enun hospital universitarioen 2018. El sexo se consideró como una variabledependiente y como variables independientes: características de salud, de estilo de vida y de uso de servicios de salud. Se realizaron análisis bivariados y regresión logística. Resultados: Hubo una asociación entre el género masculino y laadicciónactual (OR = 2.9) o antes delalcohol (OR = 8.3), laduración de laestadía por encima de tres y sietedías (OR = 2.7) y la más larga derivación a launidad básica de salud (OR = 2.1). Conclusion: Se concluyó que los hombres tienen mayor predilección por el consumo de alcohol, permanecen más tiempo hospitalizado y tienen más derivaciones a los servicios de salud. (AU)


Subject(s)
Gender and Health , Risk Factors , Process Assessment, Health Care , Hospitalization
5.
Pesqui. prát. psicossociais ; 16(3): 1-17, set.-dez. 2021.
Article in Portuguese | LILACS, INDEXPSI | ID: biblio-1351267

ABSTRACT

O objetivo do artigo é discutir sobre as relações de gênero na perspectiva de profissionais de uma Equipe de Atenção Básica Prisional (EABp) de uma penitenciária feminina. Os dados foram produzidos a partir da fala de profissionais da saúde em cinco encontros de apoio matricial, sendo o gênero utilizado como categoria de análise. Como resultados, foi possível organizar três subtemas como desdobramentos do tema principal: gestação e permanência dos bebês na prisão; normas corporais e saúde; e nome social de pessoas trans. A discussão segue referenciais dos estudos de diversidade sexual e de gênero e saúde coletiva, além de abordar a necessidade do direito à saúde integral da população encarcerada, especificamente de mulheres e população LGBTI. A centralidade do cuidado relativo à gestação e o papel da educação permanente para a redução do preconceito e qualificação no atendimento também aparecem como campos de trabalho a ser explorados.


The objective of this article is to discuss gender relations from the perspective of professionals of a Prison Basic Health Staff at a female prison. The speeches of health professionals were analyzed in five matrix support meetings and gender was used as category of analysis. Results were possible to be organized in three subthemes from the main theme: pregnancy and babies staying in prison; body norms and health; and transgender people social names. The discussion of these results follows theoretical aspects of gender and sexual diversity studies and collective health and mainly addresses the right to integral health care in prison, specifically to women and LGBTI population. The central role of health attention directed to motherhood in prison and the role of health education in order to reduce prejudice and to qualify health attention also appear as important fields of work to be explored.


El objetivo de este artículo es discutir las relaciones de género desde la perspectiva de los profesionales que componen un equipo de atención básica de salud en una prisión femenina. Los datos fueron producidos a partir de cinco encuentros de soporte matricial y el género fue utilizado como categoría de análisis. Los resultados fueron organizados en tres subtemas del tema principal: embarazo y bebés que permanecen en prisión; normas corporales y salud y nombres sociales de personas transgénero. La discusión toma en cuenta aspectos teóricos de la diversidad sexual y de género y la salud colectiva y aborda la necesidad del derecho a la atención integral a la salud en la prisión, específicamente dirigido a las mujeres y a la población LGBTI. La centralidad de la atención a la salud dirigida a la maternidad y la educación permanente para la reducción del prejuicios y calificación en la atención, también surgieron como campos de trabajo a explorar.


Subject(s)
Prisons , Primary Health Care , Work , Public Health , Parenting , Health Personnel , Gender and Health , Gender Diversity , Gender Identity , Right to Health , Interpersonal Relations
6.
ABCS health sci ; 46: e021310, 09 fev. 2021. ilus, tab
Article in English | LILACS | ID: biblio-1349417

ABSTRACT

The objective was to analyze the scientific evidence on assistance strategies provided to women, victims of gender violence, in several countries, in the COVID-19 pandemic. It is a narrative review of the literature, by searching PubMed, Scopus and Virtual Health Library databases, using the keywords "COVID-19" and "women" and "violence". Seventy-six publications were initially found. After the selection, based on the inclusion criteria and the answers to the guiding question, 25 articles were used, submitted to the analysis of semantic content. There were five categories of analysis: Internet accessibility, telehealth and digital exclusion; Emergency telephone lines for reporting violence during the pandemic; Readjustment/expansion of services to combat COVID-19 to assist women victims of violence; Health education and intersectoral actions - interface with media programs; State actions and society responses. It is concluded that the main evidenced actions are anchored in the support and intersectoral actions proposed by the governments. It will help the State to develop strategies, enabling health professionals to rethink their practice, in a contextualized way to the current reality, from welcoming women to notification of suspicion, as well as health education for the empowerment of victims.


Objetivou-se analisar as evidências científicas sobre estratégias assistenciais dispensadas às mulheres, vítimas de violência de gênero, em diversos países, na pandemia da COVID-19. Trata-se de uma revisão narrativa de literatura, por meio da busca em bases de dados PubMed, Scopus e Biblioteca Virtual em Saúde, usando os descritores de busca "COVID-19" and "women" and "violence". Foram encontradas inicialmente 76 publicações. Após a seleção, baseada nos critérios de inclusão e nas respostas à pergunta norteadora, foram aproveitados 25 artigos, submetidos à análise de conteúdo semântica. Evidenciou-se cinco categorias de análise: Acessibilidade à internet, telesaúde e exclusão digital; Linhas telefônicas de emergência para denúncia da violência durante a Pandemia; Readequação/ampliação dos serviços de combate à COVID-19 ao atendimento às mulheres vítimas de violência; Educação em saúde e ações intersetoriais - interface com programas midiáticos; Ações do Estado e respostas da sociedade. Conclui-se que as principais ações evidenciadas estão ancoradas no apoio e ações intersetoriais propostas pelos governos. Contribuirá para que o Estado desenvolva estratégias, possibilitando que profissionais de saúde repensem sua práxis, de forma contextualizada à realidade atual, desde o acolhimento à mulher até a notificação da suspeita, bem como educação em saúde para empoderamento das vítimas.


Subject(s)
Humans , Female , Women's Health , Comprehensive Health Care , Gender and Health , Intimate Partner Violence , Gender-Based Violence , COVID-19 , Hotlines , Health Education , Telemedicine , Digital Divide , Internet Access
7.
Rev. bras. med. fam. comunidade ; 16(43): 2401, 20210126. tab
Article in Portuguese | LILACS | ID: biblio-1282450

ABSTRACT

Introducción: El embarazo adolescente todavía tiene una alta incidencia en Brasil, incluso después de una gran reducción en las últimas décadas, y puede estar relacionado con situaciones de vulnerabilidad social y violencia doméstica. La Estrategia de Salud de la Familia (ESF) es fundamental en la atención de la salud de los adolescentes, sin embargo, se ha demostrado que es poco activa en el abordaje de la violencia en este grupo de edad. Objetivo: Este estudio tuvo como objetivo describir el perfil socioeconómico, identificar características materno-fetales y situaciones de vulnerabilidad social de mujeres jóvenes con antecedentes de embarazo adolescente y posibles asociaciones con la ocurrencia de violencia intrafamiliar. Metodología: Se trata de un estudio transversal, con entrevista a 100 adolescentes entre 13y 19 años con antecedentes de embarazo en 2018 en un barrio pobre de Fortaleza - CE. Se aplicó un cuestionario con 57 preguntas y las variables analizadas se relacionaron con perfil socioeconómico, seguimiento prenatal, parto y exposición a violencia doméstica durante el embarazo. En el análisis se realizaron pruebas de chi-cuadrado (χ2) y Odds Ratio (OR). Resultados: La edad promedio de los entrevistados fue de 17,5 años (de = 1,65). El salario familiar promedio fue de 1,18 salario mínimo (de = 0,83), el 91% eran negros o morenos, el 57% estaban en unión consensuada y el 18% tenían un trabajo. En cuanto a educación, el 71% había interrumpido sus estudios, el 46,5% de ellas lo hizo antes de su primer embarazo y el 35,2% dejó de estudiar tras quedar embarazada. En el seguimiento prenatal, el 96,3% tuvo al menos una consulta, el 62,1% inició en el primer trimestre y el 69,1% tuvo 6 o más consultas. Entre los niños, el 7,6% y el 6,4% nacieron prematuros y con bajo peso, respectivamente. El porcentaje de violencia doméstica fue del 26% y el principal agresor fue la pareja. El sufrimiento de violencia doméstica tuvo una asociación estadísticamente significativa con baja educación (OR 4.06; IC del 95%: 1.27-12.97), menor edad materna (OR 4.2; IC del 95% 1.43-12.32) y "antecedentes de hospitalización del recién nacido" (OR 3.83; 95% CI 1,34-10,95). Conclusión: Las madres adolescentes se encontraban en un contexto de vulnerabilidad social y una parte considerable fue víctima de violencia durante el embarazo, situación asociada a baja escolaridad y menor edad de la adolescente. Las consecuencias negativas para la salud del recién nacido fueron más frecuentes en situaciones de violencia. Se observó que las adolescentes tuvieron una buena asistencia prenatal y esto pudo haber tenido una influencia positiva en los resultados obstétricos y neonatales. El embarazo es a menudo el primer contacto de esta joven con el servicio de salud y el acceso a la atención prenatal en la ESF puede reducir las complicaciones materno infantiles y ayudar a identificar la violencia doméstica.


Introduction: Teenage pregnancy still have a high incidence in Brazil, even after a great reduction in the last decades, and may be related to situations of social vulnerability and domestic violence. The Family Health Strategy (FHS) is fundamental in adolescent health care, although it has been little active in confronting violence against adolescents. Objective: This study aimed to describe the socioeconomic profile, identify maternal-fetal characteristics and situations of social vulnerability of young women with a history of teenage pregnancy and possible associations with the occurrence of domestic violence. Methodology: This is a cross-sectional study, with an interview of 100 adolescents between 13 and 19 years old with a history of pregnancy in 2018 in a poor neighborhood in Fortaleza - CE. A questionnaire with 57 questions was applied and the variables analyzed were related to socioeconomic profile, prenatal follow-up, childbirth and exposure to domestic violence during pregnancy. Chi-square test (χ2) and Odds Ratio (OR) were done in the analysis. Results: The average age of the interviewees was 17.5 years (sd = 1.65). The average family income was 1.18 minimum wage (sd = 0.83), 91% were black or brown, 57% were in a consensual union and 18% had a job. Regarding education, 71% stopped their studies, 46.5% of them did it before their first pregnancy and 35.2% stopped studying after becoming pregnant. In the prenatal follow-up, 96.3% had at least one medical appointment, 62.1% started in the first trimester and 69.1% had 6 or more medical appointments. Among the children, 7.6% and 6.4% were born premature and with underweight, respectively. The percentage of domestic violence was 26% and the main aggressor was the partner. Suffering domestic violence had a statistically significant association with low education (OR 4.06; 95% CI 1.27-12.97), lower maternal age (OR 4.2; 95% CI 1.43-12.32) and "history of newborn hospitalization" (OR 3.83; 95% CI 1.34-10.95). Conclusion: Adolescent mothers were in a context of social vulnerability and a part of them was a victim of violence during pregnancy, a situation associated with low schooling and a younger age of the adolescent. The negative consequences for the newborn's health tend to be more frequent in situations of violence. It was noted that adolescents had good prenatal attendance and that could have a positive influence on obstetric and neonatal outcomes. Pregnancy is often the young woman's first contact with the health service and access to prenatal care in the FHS for adolescents can reduce maternal and child complications and improve identification of domestic violence.


Introdução: A gravidez na adolescência tem ainda alta incidência no Brasil, mesmo após grande redução nas últimas décadas, e pode estar relacionada a situações de vulnerabilidade social e de violência doméstica. A Estratégia de Saúde da Família (ESF) é fundamental na atenção à saúde do adolescente, entretanto tem se mostrado pouco atuante no enfrentamento das violências nessa faixa etária. Objetivo: Este estudo objetivou descrever o perfil socioeconômico e identificar características materno-fetais e situações de vulnerabilidade social das jovens com histórico de gravidez na adolescência, analisando possíveis associações com a ocorrência de violência doméstica.Metodologia: Trata-se de estudo transversal, com entrevista de 100 adolescentes entre 13 e 19 anos com histórico de gravidez em 2018 de bairro pobre de Fortaleza - CE. Foi aplicado questionário com 57 questões e as variáveis analisadas foram as relacionadas ao perfil sociodemográfico, ao seguimento do pré-natal, ao nascimento da criança e à exposição à violência doméstica durante a gestação. Foram realizados teste qui-quadrado (χ2) e Odds Ratio (OR) na análise.Resultados: A idade média das entrevistadas foi 17,5 anos (dp=1,65). A renda familiar média foi 1,18 salário-mínimo (dp=0,83), 91% eram negras ou pardas, 57% estavam em união consensual e 18% tinham emprego. Com relação à escolaridade, 71% haviam interrompido os estudos, sendo que 46,5% delas o fez antes da primeira gravidez e 35,2% pararam de estudar depois de engravidar. No seguimento de pré-natal, 96,3% realizaram pelo menos uma consulta, 62,1% iniciaram no primeiro trimestre e 69,1% realizaram 6 ou mais consultas. Dentre as crianças, 7,6% e 6,4% nasceram prematuras e com baixo peso respectivamente. A porcentagem de violência doméstica foi 26% e o principal agressor foi o companheiro. Sofrer violência doméstica teve associação estatisticamente significativa com baixa escolaridade (OR 4,06; IC95% 1,27-12,97), menor idade materna (OR 4,2; IC95% 1,43-12,32) e "história de internação de recém-nascido" (OR 3,83; IC95% 1,34-10,95). Conclusão: As mães adolescentes estavam inseridas em contexto de vulnerabilidade social e parte considerável foi vítima de violência durante a gestação, situação associada à baixa escolaridade e menor idade da adolescente. As consequências negativas para saúde do recém-nascido foram mais frequentes em situações de violência. Notou-se que as adolescentes tiveram boa frequência no pré-natal e isso pode ter influenciado positivamente os desfechos obstétricos e neonatais. A gestação é, muitas vezes, o primeiro contato dessa jovem com o serviço de saúde e acesso à assistência pré-natal na ESF pode reduzir complicações materno-infantis e auxiliar na identificação da violência doméstica


Subject(s)
Humans , Female , Adolescent , Adult , Pregnancy in Adolescence , Primary Health Care , Domestic Violence , Social Vulnerability , Gender and Health
8.
Saúde Soc ; 30(4): e190829, 2021. tab, graf
Article in Portuguese | LILACS | ID: biblio-1352207

ABSTRACT

Resumo O estudo busca validar questões avaliativas para compreensão da inserção das temáticas de saúde LGBT na formação universitária na área da saúde. Para isso, foi realizado um estudo de validação de conteúdo em três etapas: construção de modelo lógico, construção de questões avaliativas e análise por especialistas. O modelo lógico foi elaborado a partir de consulta documental à legislação brasileira pertinente, dando origem a dimensões de análise traduzidas em questões avaliativas para, por fim, serem validadas por um painel de 19 especialistas por meio da técnica de consenso de Delfos, em 3 rodadas. Foi analisada a tendência central e dispersão para consolidação das questões, sendo validadas aquelas que obtiveram média >9, mediana 10 e desvio-padrão <1,5. O instrumento validado é composto por 39 itens, em duas dimensões, a saber: Formação de recursos humanos e Concepções, divididas em subdimensões. As subdimensões do primeiro caso são: identidade de gênero, orientação sexual, assistência à saúde e políticas públicas; as do segundo são: concepções individuais, comunitárias e sistêmicas. Este estudo propôs superar os desafios encontrados na literatura, transformando conceitos em categorias analíticas, para que assim possa ser utilizado para fins de pesquisa e/ou autoavaliação de currículos e disciplinas dos diferentes cursos.


Abstract This study aims to validate evaluative questions for the integration of LGBT health in undergraduate health training. To this end, a three-stage content validation study was conducted, including: logical model construction, evaluative questions construction, and expert analysis. The logical model was elaborated from a documentary consultation to the relevant Brazilian legislation, resulting in a set of dimensions of analysis that were translated into evaluative questions. These questions were then validated by a panel of 19 experts using the Delphi technique, which builds consensus through three rounds. Questions were consolidated by central tendency and dispersion analysis, and those with mean > 9, median = 10, and standard deviation <1.5 were validated. The final instrument comprises 39 questions divided into two dimensions: human resources formation, subdivided into sexual identity, sexual orientation, healthcare, and public policies; and Conceptions, including individual, community, and systemic conceptions. This study sought to bridge the gaps on the literature, turning ideas into analytical categories and thus enabling their use for research purposes and/or the evaluation of different courses curricula and disciplines.


Subject(s)
Humans , Male , Female , Public Policy , Quality Assurance, Health Care , Teaching , Comprehensive Health Care , Workforce , Gender and Health , Sexual and Gender Minorities
9.
Rev Rene (Online) ; 22: e61520, 2021. tab
Article in Portuguese | LILACS, BDENF | ID: biblio-1155272

ABSTRACT

RESUMO Objetivo identificar diferenças de gênero na mortalidade por suicídio no Nordeste brasileiro. Métodos analisaram-se os óbitos por suicídio registrados no Sistema de Informação sobre Mortalidade. Foram empregados os testes de Qui-Quadrado (x2) para independência e razão de chances. A tendência temporal foi avaliada pelo método Joinpoint. Resultados no período estudado ocorreram 27.101 óbitos por suicídio no Nordeste, com predominância do gênero masculino (79,5%). As mulheres adolescentes, com alta escolaridade, viúvas e divorciadas são mais propensas ao suicídio em comparação aos homens. O gênero masculino tem mais chances de utilizar armas de fogo e enforcamento, enquanto as mulheres utilizam mais fumaça, fogo e chamas e autointoxicação para cometer o ato. O aumento mais expressivo da mortalidade se deu entre os homens (3,1%; p<0,05). Conclusão houve maior prevalência e tendência de aumento do suicídio entre os homens, pois estes utilizam meios mais letais para cometer o ato em comparação às mulheres.


ABSTRACT Objective to identify gender differences in suicide mortality in Northeastern Brazil. Methods the deaths from suicide recorded in the Mortality Information System were analyzed. The Chi-square (x2) for independence and odds ratio tests were used. The time trend was evaluated by the Joinpoint method. Results in the period studied there were 27,101 suicide deaths in the Northeast, with a predominance of the male gender (79.5%). Adolescent women, with high schooling, widows, and divorcees are more prone to suicide than men. The male gender is more likely to use firearms and hanging, while the female gender uses more smoke, fire and flames and self-intoxication to commit the act. The most significant increase in mortality was among men (3.1%; p<0.05). Conclusion there was a greater prevalence and tendency to increase suicide among men, as they use more lethal means to commit the act compared to women.


Subject(s)
Suicide , Time Series Studies , Mortality , Gender and Health , Ecological Studies
10.
REVISA (Online) ; 10(1): 94-108, 2021.
Article in Portuguese | LILACS | ID: biblio-1177461

ABSTRACT

Objetivo: descrever o desenvolvimento de uma disciplina curricular no curso de graduação em Enfermagem na área de gênero, masculinidades e saúde de homens. Método: Estudo descritivo, qualitativo, oriundo de atividade curricular docente no curso de graduação em Enfermagem de uma Instituição de Ensino Superior de um município da Bahia, Brasil, entre os anos de 2014 a 2020. Foram consultadas fontes de dados institucionais, registros imagéticos, atividades de ensino-aprendizagem produzidos no componente e relatos de docentes. Os dados apreendidos foram tematizados a partir da análise de conteúdo proposta por e interpretada à luz do referencial de masculinidade na perspectiva de Raewyn Connell. Resultados: O desenvolvimento do componente curricular foi advindo de diálogos acadêmicos em consonância com a instituição de ensino, sob a convergência com as demandas e necessidades discentes e para a formação em Enfermagem. Buscou-se atender as iniciativas de fortalecimento da implementação da Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem do Ministério da Saúde brasileiro, tais quais dos indicadores epidemiológicos e da formação em Enfermagem sob a ótica relacional de gênero e das masculinidades na produção do cuidado à saúde direcionado ao público masculino. Conclusão: O desenvolvimento do componente curricular oportunizou a ampliação e o fortalecimento da formação qualificada de Enfermagem, a contribuição para a superação da invisibilidade do público masculino nas ações e na atenção em saúde, promoveu a integração ensino e serviço a partir da extensão acadêmica e fomentou a produção científica direcionada para a Enfermagem na saúde de homens.


Objective: to describe the development of a curricular discipline in the undergraduate nursing course in the area of gender, masculinities and men's health. Method: A descriptive, qualitative study, originating from teaching curricular activity in the undergraduate nursing course of a Higher Education Institution in a municipality in Bahia, Brazil, between the years 2014 to 2020. Sources of institutional data, imagery records, teaching-learning activities produced in the component and teachers' reports. The apprehended data were themed from the content analysis proposed by and interpreted in the light of the masculinity framework from the perspective of Raewyn Connell. Results: The development of the curricular component came from academic dialogues in line with the educational institution, under the convergence with the demands and needs of students and for nursing education. We sought to meet the initiatives to strengthen the implementation of the National Policy for Integral Attention to Men's Health of the Brazilian Ministry of Health, such as the epidemiological indicators and nursing education under the relational perspective of gender and masculinities in the production of health care. health directed at the male audience. Conclusion: The development of the curricular component provided an opportunity for the expansion and strengthening of qualified nursing training, the contribution to overcoming the invisibility of the male audience in actions and in health care, promoted the integration of teaching and service from the academic extension and fostered scientific production directed to Nursing in men's health.


Objetivo: describir el desarrollo de una disciplina curricular en la carrera de enfermería en el área de género, masculinidades y salud del hombre. Método: Estudio descriptivo, cualitativo, proveniente de la actividad curricular docente en el curso de pregrado en enfermería de una Institución de Educación Superior en un municipio de Bahía, Brasil, entre los años 2014 a 2020. Fuentes de datos institucionales, registros de imágenes, actividades de enseñanza-aprendizaje producidas en el componente e informes docentes. Los datos capturados fueron temáticos del análisis de contenido propuesto e interpretado a la luz del marco de masculinidad desde la perspectiva de Raewyn Connell. Resultados: El desarrollo del componente curricular provino de diálogos académicos en línea con la institución educativa, bajo la convergencia con las demandas y necesidades de los estudiantes y para la formación en enfermería. Buscamos atender las iniciativas para fortalecer la implementación de la Política Nacional de Atención Integral a la Salud del Hombre del Ministerio de Salud de Brasil, tales como los indicadores epidemiológicos y la educación de enfermería bajo la perspectiva relacional de género y masculinidades en la producción de atención de salud. salud dirigida al público masculino. Conclusión: El desarrollo del componente curricular brindó una oportunidad para la expansión y fortalecimiento de la formación calificada de enfermería, el aporte para superar la invisibilidad del público masculino en las acciones y en la atención de la salud, promovió la integración de la enseñanza y el servicio desde la extensión académica y fomentó producción científica dirigida a la Enfermería en Salud del Hombre.


Subject(s)
Nursing , Gender and Health , Men's Health , Masculinity , Men
11.
Belo Horizonte; s.n; 2021. 170 p. ilus.
Thesis in Portuguese | LILACS, BDENF | ID: biblio-1371167

ABSTRACT

Objetivo: Analisar, sob a perspectiva de Enfermeiras Obstétricas negras, a interseccionalidade de gênero, raça e classe no seu contexto de trabalho. Percurso Metodológico: Estudo exploratório, de abordagem qualitativa, norteado pela Teoria da Interseccionalidade, de Kimberlé Crenshaw (1989). Realizaram-se entrevistas individuais, por meio virtual, de março a julho de 2020. Participaram 25 Enfermeiras Obstétricas negras, formadas pelo Curso de Especialização em Enfermagem Obstétrica ­ Rede Cegonha (CEEO II), realizado em 20 IFES, sob coordenação da Escola de Enfermagem da Universidade Federal de Minas Gerais como coordenação geral. Realizou-se a análise hermenêutico-dialética das narrativas, com suporte do Software MAXQDA 20 para armazenamento, organização e codificação dos dados. Resultados: A análise das narrativas das Enfermeiras Obstétricas negras permitiu construir três categorias: i) Invisibilidade da Interseccionalidade: percebiam uma forma de opressão, que foram Classe socioeconômica (12), Classe profissional (11), Gênero (06), Raça (03), Etnia (02), Orientação sexual (01), Competência profissional (23), Caráter profissional (01), Ser usuária de drogas (01), Ser portadora de visão monocular (01). ii) Desigualdades interseccionais: duas ou mais formas de opressão associadas, como classe socioeconômica e raça (04); gênero e raça (02); gênero e classe profissional (01); idade e vítima de violência (01); e usuária de drogas e classe socioeconômica (01). iii) Naturalização das desigualdades ­ não percebiam ou tinham dúvida se era uma situação de desigualdade. Sentimentos como tristeza, incômodo, indignação, vergonha, dor, desmotivação, solidão, cansaço, desvalorização, "ter que pisar em ovos" e "parecer estar ocupando um lugar que não é seu" foram citados quando relacionados à vivência das situações de desigualdades em si e por presenciarem outras pessoas na situação de oprimidas. Sentimentos como empatia, respeito, determinação, paciência e fortalecimento estavam relacionados à necessidade identificada pelas participantes de enfrentar e combater situações de opressão ou apoiar pessoa oprimidas. Essas situações de desigualdade foram enfrentadas por meio de diálogo/confronto, silenciamento, a auto-reflexão e a criação e fortalecimento de redes de apoio. As consequências das desigualdades foram a invisibilidade, comprometimento da saúde mental e de sua atuação como Enfermeira Obstétrica, afronta aos direitos humanos das mulheres, resistência e enfrentamentos para (re)existir. Os apontamentos para enfrentamentos, para além do ambiente de trabalho foram: investimento em políticas públicas para melhoria do pré-natal; educação da sociedade em geral e formação profissional e no trabalho para o reconhecimento e enfrentamento das desigualdades. Considerações Finais: A Teoria da Interseccionalidade contribuiu para a compreensão da intersecção de gênero, raça e classe no contexto de trabalho de Enfermeiras Obstétricas negras, além de outras formas de opressão. Este estudo poderá subsidiar discussões sobre a temática, a fim de criar espaço no trabalho para uma convivência que reconheça as desigualdades, mas que elabore e implemente estratégias de enfrentamento e combate à sua reprodução no ambiente de trabalho.


Objective: To analyze, from the perspective of black midwives, the intersectionality of gender, race, and class in their work context. Methods: Exploratory study, with a qualitative approach, guided by the Theory of Intersectionality, by Kimberlé Crenshaw (1989). Individual interviews were conducted online from March to July 2020. 25 black midwives participated, all of whom graduated from the Specialization Course in Midwifery - Rede Cegonha (CEEO II), held at 20 federal educational institutes (IFES), coordinated by the Nursing School of Federal University of Minas Gerais, in Brazil. Hermeneutic-dialectic analysis of the narratives was carried out, with support from the MAXQDA 20 Software for data storage, organization, and coding. Results: The analysis of the black midwives' narratives allowed the construction of three empirical categories: i) Invisibility of Intersectionality: they perceived a form of oppression regarding Socioeconomic class (12), Professional class (11), Gender (06), Race (03), Ethnicity (02), Sexual orientation (01), Professional competence (23), Professional character (01), Being a drug user (01), Having a monocular view (01). ii) Intersectional inequalities: two or more associated forms of oppression, such as socioeconomic class and race (04); gender and race (02); gender and professional class (01); age and victim of violence (01); and drug user and socioeconomic class (01). iii) Naturalization of inequalities - did not realize or doubted whether it would be a situation of inequality or not. These inequality situations were addressed through dialogue / confrontation, silencing, self-reflection, and the creation and strengthening of support networks. The consequences of inequalities were invisibility, implications for their mental health and their performance as midwives, affront to the women's human rights, resistance, and confrontations to (re)exist. Conclusions: The Theory of Intersectionality contributed to the understanding of the intersection of gender, race, and class in the context of the work of black midwives, in addition to other forms of oppression. This study can support discussions on the theme, in order to create space at work for a coexistence that recognizes inequalities, but that elaborates and implements strategies for coping and fighting their reproduction in the work environment.


Subject(s)
Humans , Female , Adult , Middle Aged , Young Adult , Intersectional Framework , Nurse Midwives , Obstetric Nursing , Social Class , Gender and Health , Ethnic Health
12.
Interface (Botucatu, Online) ; 25(supl.1): e200762, 2021.
Article in Portuguese | LILACS | ID: biblio-1286896

ABSTRACT

A partir de ações do poder público durante o enfrentamento da pandemia de Covid-19 no que tange aos direitos sexuais e reprodutivos, busca-se refletir sobre o descaso do Estado brasileiro em relação à saúde das mulheres, sobretudo as usuárias do Sistema Único de Saúde, descumprindo princípios assegurados constitucionalmente. A pandemia vem atingindo sobremaneira no país populações historicamente excluídas por diversos eixos de opressão e subalternização social. Sublinha-se o arrefecimento da assistência em saúde sexual e reprodutiva, que pode redundar em gravidezes imprevistas, abortos inseguros e mortes maternas, agravando condições sociais de vida de um grande contingente populacional. Argumenta-se que aportes teóricos oriundos dos estudos do feminismo negro, nomeadamente interseccionalidade e justiça reprodutiva, ao articularem os marcadores sociais da diferença ao princípio de justiça social, auxiliam-nos na compreensão dessas desigualdades sociais e na resistência coletiva ao desmonte das políticas de saúde. (AU)


Through the analysis of government actions during the response to the Covid-19 pandemic related to sexual and reproductive rights, this article reflects on the Brazilian government's neglect of women's health, especially in relation to users of the country's unified health system, violating the principles enshrined in the constitution. The pandemic has particularly affected populations who have been historically excluded by various forms of oppression and subjugation. The findings highlight the slackening of sexual and reproductive health care, which can result in unplanned pregnancy, unsafe abortion and maternal death, worsening the social conditions of a large segment of the population. By articulating the social markers of difference and the principle of social justice, it is argued that theoretical contributions from the field of black feminism, namely intersectionality and reproductive justice, can help understand social inequalities and promote collective resistance to the dismantling of the country's health policies. (AU)


A partir de acciones del poder público durante el enfrentamiento de la pandemia de Covid-19 en lo que se refiere a los derechos sexuales y reproductivos, se busca reflexionar sobre la desatención del Estado brasileño con relación a la salud de las mujeres, principalmente de las usuarias del Sistema Único de Salud, incumpliendo principios asegurados constitucionalmente. La pandemia ha golpeado en el país principalmente a poblaciones históricamente excluidas por diversos ejes de opresión y subalternización social. Se subraya la disminución de la asistencia de salud sexual y reproductiva que puede causar embarazos imprevistos, abortos inseguros, muertes maternas, agravando condiciones sociales de vida de un gran grupo poblacional. Se argumenta que contribuciones teóricas provenientes de los estudios del feminismo negro, notablemente interseccionalidad y justicia reproductiva, por articular los marcadores sociales de la diferencia al principio de justicia social, nos auxilian en la comprensión de estas desigualdades sociales y en la resistencia colectiva al desmontaje de las políticas de salud. (AU)


Subject(s)
Humans , Reproductive Health , Gender and Health/policies , Intersectional Framework , COVID-19 , Social Justice , Brazil
13.
Interface (Botucatu, Online) ; 25: e200711, 2021.
Article in Portuguese | LILACS | ID: biblio-1286887

ABSTRACT

Estudo qualitativo que teve como objetivo compreender os desafios de profissionais de saúde para a realização de ações de educação sexual e reprodutiva durante o puerpério no contexto da Atenção Primária. Foram realizadas entrevistas com a equipe de saúde de uma Unidade de Saúde da Família em um município do interior de São Paulo. A análise foi conduzida por meio da análise dos sentidos. Evidenciou-se que a discussão de gênero e os aspectos culturais influenciam na forma da abordagem da temática, além de existirem resistências na esfera da gestão, na falta de investimento em recursos humanos e materiais que favoreçam a problematização, e na sensibilização sobre o papel da Atenção Primária para a garantia dos direitos sexuais e reprodutivos das mulheres no período puerperal. (AU)


This qualitative study aimed to understand the challenges faced by health professionals when carrying out sexual and reproductive education actions during the puerperium in the context of Primary Care. Interviews were conducted with the health team of a Family Health Unit in an inland city of the state of São Paulo. The analysis was carried out by means of the analysis of meanings and showed that the gender discussion and cultural aspects influence the way in which the theme is approached. Furthermore, there is resistance in the sphere of management, manifested in lack of investments in human and material resources that could favor problematization and awareness-raising about the role of Primary Care in guaranteeing women's sexual and reproductive rights in the puerperium. (AU)


Estudio cualitativo cuyo objetivo fue comprender los desafíos de profesionales de salud para la realización de acciones de educación sexual y reproductiva durante el puerperio en el contexto de la Atención Primaria. Se realizaron entrevistas con el equipo de salud de una Unidad de Salud de la Familia en un municipio del interior del Estado de São Paulo. El análisis se dirigió por medio del análisis de los sentidos. Quedó en evidencia que la discusión de género y aspectos culturales influyen sobre la forma del abordaje de la temática, además de haber resistencias en la esfera de la gestión, en la falta de inversión en recursos humanos y materiales que favorezcan la problematización y sensibilización sobre el papel de la atención primaria para la garantía de los derechos sexuales y reproductivos de las mujeres en el período puerperal. (AU)


Subject(s)
Humans , Female , Primary Health Care , Sex Education/trends , Postpartum Period , Reproductive Rights , Women's Health , Gender and Health , Reproductive Health/education
14.
Rev. Esc. Enferm. USP ; 55: e03734, 2021.
Article in Portuguese | LILACS, BDENF | ID: biblio-1250723

ABSTRACT

RESUMO Objetivo Analisar sentidos atribuídos à meia-idade a partir da experiência de mulheres que a vivenciam em suas relações familiares. Método Estudo qualitativo do tipo Pesquisa Convergente Assistencial. Gênero foi utilizado como categoria analítica, desenvolvida com treze mulheres de meia-idade de área de cobertura da Estratégia Saúde da Família em um município do sudoeste baiano, por oficinas de reflexão e entrevistas. Os dados foram analisados por meio da análise de discurso. Resultados Expressam a relação afetiva com filhos/as e netos/as como maior marca da meia-idade em sobreposição à relação com parceiros e outros vínculos, o que inviabiliza sua singularidade e identificação de demandas para o cuidado à saúde. Conclusão A meia-idade feminina é marcada por concepções de feminilidade que emergem a partir da sua condição de mulher-mãe, de completa doação. A pesquisa aponta para uma necessidade urgente de agregar gênero como referencial para o cuidado à mulher de meia-idade, de modo a considerar os entrelaçamentos biopsíquicos e sociais na sua experiência de vida e que delineiam demandas para o cuidado.


RESUMEN Objetivo Analizar los significados adjudicados a la mediana edad desde la experiencia de mujeres que la viven en sus relaciones familiares. Método Se trata de un estudio cualitativo de la clase Investigación de Cuidados Convergentes en el que se utilizó el género como categoría analítica. Se llevó a cabo mediante talleres de reflexión y entrevistas entre trece mujeres de mediana edad que estaban bajo la Estrategia de Salud Familiar de un municipio del suroeste de Bahía. Los datos se analizaron a través del análisis del discurso. Resultados Se identificó la relación afectiva con hijos/as y nietos/as como una marca importante de la mediana edad que se superpone a la relación con la pareja y otros vínculos, lo que restringe la identificación de su singularidad y las demandas para el cuidado de la salud. Conclusión La mediana edad femenina está marcada por concepciones de feminidad que surgen de su condición de mujer-madre, de entrega total. La investigación señala la necesidad urgente de añadir el género como referencia para el cuidado de las mujeres de mediana edad, con el fin de considerar el entramado biopsicosocial en su experiencia de vida que perfila las demandas del cuidado.


ABSTRACT Objective To analyze meanings attributed to middle-aged women from their experience in their family relationships. Method Qualitative study of the Convergent Care Research method. Gender was used as an analytical category, developed with a total of thirteen middle-aged women from the coverage area of the Family Health Strategy program in a city in the southwest of Bahia state, through reflection workshops and interviews. Data were analyzed using discourse analysis. Results They express the affective relationship with children and grandchildren as the greatest highlight of middle age in overlap with the relationship with partners and other bonds, which makes their uniqueness and identification of demands for health care unfeasible. Conclusion Female middle-aged are marked by conceptions of femininity that emerge from their condition as a woman-mother, from her complete donation. The research points to an urgent need to add gender as a reference for the care of middle-aged women, in order to consider the biopsychic and social interlaces in their life experience and that outline demands for care.


Subject(s)
Women's Health , Gender and Health , Family Relations , Integrality in Health , Middle Aged
15.
Physis (Rio J.) ; 31(2): e310223, 2021.
Article in Portuguese | LILACS | ID: biblio-1287546

ABSTRACT

Resumo Este artigo tem como objetivo debater práticas de cuidado com gestantes usuárias de drogas nas políticas públicas, considerando o modo como relações de gênero influenciam as práticas de saúde. Partimos de uma pesquisa etnográfica realizada em uma unidade de internação psiquiátrica de um Hospital público e em um Consultório na Rua, no Rio Grande do Sul, focando na atenção voltada a gestantes que fazem uso de crack nesses espaços. Fundamentamo-nos teoricamente em estudos feministas interseccionais e descoloniais, bem como na noção de Economia Moral. O uso de drogas para fins recreativos por mulheres é comumente considerado inapropriado e motivo de estigmatizações, pois, ao afastarem-se da normatividade do que se espera sobre ser mulher, elas são, geralmente, julgadas moralmente. Junto a isso, a análise aponta para o modo como a produção biopolítica de um imaginário único sobre a maternidade incide nas maneiras segundo as quais as políticas públicas operam em relação às mulheres, o que se torna um ponto fundamental ao se considerar o contexto social no qual elas estão inseridas. Assim, o artigo destaca a importância de análises interseccionais de gênero, raça e classe no campo das políticas públicas de drogas.


Abstract This paper aims to discuss care practices used with pregnant drug users in public policies, considering how gender relations influence health practices. This is an ethnographic research on attention to pregnant women, who are crack users, in a psychiatric unit in a public hospital and a Clinic in the Street in Rio Grande do Sul. This research was based on intersectional and decolonial feminist studies, as well as the notion of moral economy. The use of drugs by women for recreational purposes is often considered inappropriate and grounds for stigma because it deviates from the normativity of what is expected from being a woman, that are often morally judged. Moreover, the analysis points out how the biopolitical production of a unique imaginary o nmotherhood affects the way in which public policies act towards women. This becomes a fundamental point when considering the social context in which these women are inserted. Thus, the article highlights the importance of intersectional analysis of gender, race and class for public drug policies.


Subject(s)
Humans , Female , Pregnancy , Health Knowledge, Attitudes, Practice , Crack Cocaine , Cocaine-Related Disorders/therapy , Gender and Health , Drug Users , Health Policy , Brazil , Parenting , Delivery of Health Care
16.
Saúde Soc ; 30(4): e200784, 2021.
Article in Portuguese | LILACS | ID: biblio-1341691

ABSTRACT

Resumo Este estudo buscou compreender como a epidemia do zika vírus e suas consequências sobre o desenvolvimento fetal influenciaram a percepção de gestantes de diferentes situações socioeconômicas sobre os direitos sexuais e reprodutivos em uma capital da região nordeste do Brasil. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, desenvolvida a partir de dezoito entrevistas semiestruturadas, sendo nove com gestantes do setor público de saúde e nove com gestantes do setor privado de saúde. Os resultados demonstraram que entre gestantes atendidas pelo setor público de saúde há uma alta ocorrência de gestações não intencionais, relacionadas principalmente a dificuldades no acesso aos serviços de saúde e informação. As gestantes de uma maneira geral passaram a desenvolver cuidados a fim de reduzir o risco de infecção pelo zika vírus, comportamento não compartilhado por seus parceiros, apesar da possibilidade de transmissão sexual do vírus. Por fim, a ampliação da discussão sobre os direitos reprodutivos, proposta pela Ação Direta de Inconstitucionalidade 5581, ainda divide opiniões entre as mulheres quanto a possibilidade de interrupção da gestação em casos de infecção pelo zika vírus, sendo que as argumentações favoráveis denunciam as injustiças sociais, enquanto as contrárias mobilizam questões de cunho moral e religioso.


Abstract This study sought to understand how the Zika virus epidemic and its consequences on fetal growth influenced the way pregnant women from various socioeconomic status perceive sexual and reproductive rights in a capital city in the northeast of Brazil. The data used in this qualitative research was collected by means of eighteen semi-structured interviews: nine conducted with pregnant women attended at the public health sector and nine at the private health sector. Results show a high occurrence of unintended pregnancy among women attended at the public health sector, which may be justified by barriers in accessing health and information services. Although women adopted prevention measures related to Zika virus infection after pregnancy, their partners did not develop the same behavior - despite the risk of sexual transmission. The Direct Action of Unconstitutionality 5581 fostered the discussion on reproductive rights, presenting, on the one hand, arguments in favor of terminating pregnancy in cases of Zika virus infection by denouncing social injustices and, on the other, mobilizing questions of moral and religious nature, thus dividing opinions on this matter among women.


Subject(s)
Humans , Male , Female , Pregnancy , Reproductive Rights , Family Development Planning , Gender and Health , Zika Virus
17.
Saúde Soc ; 30(2): e210023, 2021.
Article in Portuguese | LILACS | ID: biblio-1280651

ABSTRACT

Resumo A intersecção de gênero, raça e classe marca os territórios de exclusão social, especialmente em um país que carrega cicatrizes da colonialidade patriarcal e capitalista em suas estruturas, como é o caso do Brasil. O objetivo deste trabalho é compreender o cuidado em um desses territórios: a cidade de Cubatão/SP. A investigação, feita entre 2017 e 2020, incluiu a pandemia da covid-19, que sobrecarregou o cuidado no território. O método foi a pesquisa qualitativa, com oficinas, observação participante e entrevistas de profundidade. O cuidado era majoritariamente oferecido por mulheres, líderes comunitárias e profissionais da atenção primária do Sistema Único de Saúde. Para analisar os dados, utilizou-se a hermenêutica de profundidade. O referencial teórico foi a costura das teorias feministas da ética do cuidado, ecofeministas e interseccionais. A pesquisa revelou diversos desafios e potencialidades, como o cuidado ético-político, eixo da busca por justiça socioambiental.


Abstract The intersection of gender, race and class marks the territories of social exclusion, especially in a country that carries scars of a patriarchal and capitalist colonialism in its structures, as is the case in Brazil. The objective was to understand care in this territory of exclusion in Cubatão, São Paulo, Brazil. The research, conducted between 2017 and 2020, included the pandemic of COVID-19, which overloaded care in this territory. The method was qualitative research, with workshops, participant observation and in-depth interviews. The care delivered by community leaders and primary health care professionals from the Brazilian National Health System was mostly performed by women. For data analysis, depth hermeneutics was used. The theoretical reference was the perspective of feminists: ecofeminist, intersectional and Care Ethics. The study showed several challenges and the ethical-political care as an axis in the search for social and environmental justice.


Subject(s)
Humans , Female , Public Policy , Social Isolation , Qualitative Research , Gender and Health , COVID-19
18.
Rev. Esc. Enferm. USP ; 55: e20200238, 2021. graf
Article in English | LILACS, BDENF | ID: biblio-1287926

ABSTRACT

ABSTRACT Objective: To analyze the potentialities and limits of the board game Violetas to address violence against women, from the perspective of the professionals who work in assisting the victims. Method: This is an interventional study with a qualitative approach. Thirty professionals from the Casas da Mulher Brasileira (Brazilian Women's Houses) in Brasília, Campo Grande and Curitiba participated. Data collection was carried out during Critical-Emancipatory Workshops. Data were subjected to thematic content analysis with the support of the software webQDA. Results: As potentialities, the professionals mentioned the game design, the collaborative participation, and the ludicity as learning facilitators, stimulating reflections on the visibility of violence, assistance to victimized women, and the articulation of the supportive network services. As limitations of the study, the lack of familiarity with games, the understanding of the rules, and some issues contained in the game were mentioned. Conclusion: The game proved to be a powerful educational strategy for the training and qualification of the professionals involved in the supportive network.


RESUMEN Objetivo: Analizar las potencialidades y los límites del juego Violetas para el enfrentamiento de la violencia contra la mujer, en la perspectiva de los profesionales que actúan en el atendimiento a las víctimas. Método: Estudio de intervención con abordaje cualitativo. Participaron 30 profesionales de las Casas da Mulher Brasileira (Casas de la Mujer Brasileña) de Brasília, Campo Grande y Curitiba. La colecta de datos fue realizada durante Talleres de Trabajo Crítico-emancipatorios. Los datos fueron sometidos al análisis de contenido temático con el apoyo del software webQDA. Resultados: Como potencialidades, los profesionales refirieron el diseño del juego, la participación colaborativa y lo lúdico como facilitadores del aprendizaje, estimulando reflexiones acerca de la visibilidad de la violencia, la asistencia a las víctimas y la articulación de los servicios de la red de enfrentamiento. Se destacó como limitaciones: la falta de proximidad con juegos, la comprensión de las reglas y de algunas cuestiones referentes al juego. Conclusión: El juego demostró ser una estrategia educativa potente para la formación y cualificación de los profesionales comprometidos en la red de enfrentamiento.


RESUMO Objetivo: Analisar as potencialidades e os limites do jogo Violetas para o enfrentamento da violência contra a mulher, na perspectiva dos profissionais que atuam no atendimento às vítimas. Método: Estudo interventivo de abordagem qualitativa. Participaram 30 profissionais das Casas da Mulher Brasileira de Brasília, Campo Grande e Curitiba. A coleta de dados foi realizada durante Oficinas de Trabalho Crítico-emancipatórias. Os dados foram submetidos à análise de conteúdo temática com o apoio do software webQDA. Resultados: Como potencialidades, os profissionais referiram o design do jogo, a participação colaborativa e a ludicidade como facilitadores do aprendizado, estimulando reflexões sobre a visibilidade da violência, a assistência às mulheres vitimadas e a articulação dos serviços da rede de enfrentamento. Como limitações, foram citados a falta de proximidade com jogos, o entendimento das regras e de algumas questões contidas no jogo. Conclusão: O jogo revelou-se como uma estratégia educativa potente para a formação e qualificação dos profissionais envolvidos na rede de enfrentamento.


Subject(s)
Violence Against Women , Nursing Care , Education , Gender and Health , Games, Experimental
19.
Texto & contexto enferm ; 30: e20190389, 2021.
Article in English | LILACS, BDENF | ID: biblio-1156977

ABSTRACT

ABSTRACT Objective to identify the power devices used by nurses to fight domestic violence against women from the perspective of parrhesia. Method qualitative study addressing 20 nursts from 13 Primary Heath Care units located in Rio Grande, South of Brazil. Interviews were held from April to June 2018, and data were treated using NVIVO 11 under the light of the Discursive Textual Analysis and Foucault's philosophical framework. Result two categories emerged from the analysis: (1) knowledge devices and (2) administrative/institutional devices. The first refers to the nurses' actions, such as sharing information concerning domestic violence against women and the second concerns the health units' actions to fight violence and referrals to other sectors focused on providing care to women experiencing domestic violence. Conclusion nurses use power devices to support women so they can transform their lives. Nursing can promote social transformations as it is engaged with actions intended to promote health.


RESUMEN Objetivo identificar los dispositivos de poder utilizados por los enfermeros para el enfrentamiento de la violencia doméstica contra la mujer bajo la perspectiva del ejercicio de la parresia. Método investigación cualitativa realizada con 20 enfermeros, de 13 Unidades Básicas de Salud del Municipio de Rio Grande, en el extremo Sur del país. Fueron entrevistados entre abril y junio de 2018 y los datos tratados por el software NVIVO 11 bajo la luz del Análisis Textual Discursivo, así como el referencial filosófico Foucaultiano. Resultado el análisis permitió la generación de dos categorías: (1) dispositivos de saber/conocimiento y (2) dispositivos administrativos/institucionales. La primera se refiere a las acciones realizadas por los enfermeros, dirigidas a compartir informaciones acerca de la violencia doméstica contra la mujer. La segunda presenta la programación de las acciones de enfrentamiento y los encaminamientos para otros sectores comprometidos con la atención a la mujer, en situación de violencia doméstica. Conclusión el enfermero utiliza los dispositivos de poder que tiene disponibles para auxiliar a las mujeres en la transformación de las situaciones de violencia. La enfermería puede generar transformaciones sociales, ya que está comprometida con acciones que objetivan la promoción de la salud.


RESUMO Objetivo identificar os dispositivos de poder utilizados pelos enfermeiros para o enfrentamento da violência doméstica contra a mulher sob a perspectiva do exercício da parresia. Método pesquisa qualitativa realizada com 20 enfermeiros de 13 Unidades Básicas de Saúde do Município do Rio Grande, extremo Sul do país. Foram entrevistados entre abril e junho de 2018 e os dados tratados pelo software NVIVO 11 sob a luz da Análise Textual Discursiva, bem como, o referencial filosófico foucaultiano. Resultado a análise permitiu a geração de duas categorias (1) dispositivos de saber/conhecimento e (2) dispositivos administrativos/institucionais. A primeira refere-se às ações realizadas pelos enfermeiros, direcionadas para o compartilhamento de informações acerca da violência doméstica contra a mulher. A segunda apresenta a programação das ações de enfrentamento e os encaminhamentos para outros setores engajados na atenção à mulher em situação de violência doméstica. Conclusão o enfermeiro faz uso dos dispositivos de poder que tem disponível para auxiliar as mulheres na transformação das situações de violência. A enfermagem pode gerar transformações sociais, uma vez que está engajada em ações que visam à promoção da saúde.


Subject(s)
Humans , Female , Nursing , Domestic Violence , Violence Against Women , Gender and Health
20.
Psicol. ciênc. prof ; 41: e225110, 2021.
Article in Portuguese | LILACS, INDEXPSI | ID: biblio-1346791

ABSTRACT

Este estudo tem como objetivo investigar o que psicólogos na atenção básica de Porto Alegre identificam como necessidades em saúde mental das mulheres atendidas, buscando verificar se sua escuta profissional permite estabelecer nexos entre o sofrimento psíquico e a desigualdade de gênero vivenciada pelas usuárias. Em 2017, foi realizado grupo focal com nove psicólogas que atuam em unidades de Saúde da Família, em que foi construída coletivamente uma narrativa segundo o método de Grupo Focal Narrativo. Constituem a narrativa final oito núcleos argumentais: "Sofrimento mascarado"; "Os homens também sofrem com isso"; "Várias gerações de mulheres cuidadoras"; "Aquele desejo de constituir uma família a qualquer custo"; "Por que o homem acha que pode usar uma mulher como se fosse um objeto?"; "Maternidade compulsória"; "Novas formas de exercício da sexualidade"; e "O hospital tomou como uma afronta o empoderamento da mulher". Considera-se que o estudo proporcionou às participantes um espaço de reflexão coletiva sobre si mesmas e suas práticas.(AU)


This study aims to investigate the mental health need of female patient as to psychologists working in primary healthcare services in Porto Alegre - Brazil, verifying whether their psychological listening establishes associations between the psychological suffering and gender inequality experienced by the users. Based on a Narrative Focus Group methodology, a focus group with nine psychologists from Family Health services was conducted in 2017. The final narrative consists of eight argumentative nuclei: "masked suffering," "men also suffer from this," "several generations of female caregivers," "that desire to set up a family at any cost," "why do men think they can use a woman as if she were an object?," "compulsory maternity", "new ways of exercising sexuality," and "the hospital took woman's empowerment as an affront." This study provided participants a space for collectively reflecting on themselves and on their practices.(AU)


Este estudio tiene como objetivo conocer lo que los psicólogos en la atención primaria de Porto Alegre (Brasil) identifican como necesidades en salud mental de las mujeres que procuran atención, con el fin de verificar si su escucha profesional posibilita establecer nexos entre el sufrimiento psíquico y la desigualdad de género vivida por las usuarias. En el 2017, se realizó un grupo focal con nueve psicólogas que actúan en Unidades de Salud Familiar y se construyó colectivamente una narrativa conforme al método de grupo focal narrativo. Ocho núcleos argumentales constituyeron la narrativa final: "Sufrimiento enmascarado"; "Los hombres también sufren con eso"; "Varias generaciones de mujeres cuidadoras"; "La intención de constituir una familia sin importar el costo"; "¿Por qué el hombre cree que puede usar a una mujer como un objeto?"; "Maternidad obligatoria"; "Nuevas formas de ejercicio de la sexualidad"; y "El hospital cree ser una afrenta el empoderamiento femenino". Se considera que el grupo focal proporcionó a las participantes un espacio de reflexión colectiva acerca de sí mismas y de sus prácticas.(AU)


Subject(s)
Humans , Female , Primary Health Care , Psychology , Women , Public Health , Gender and Health , Socioeconomic Factors , Family , Parenting , Caregivers , Sexuality , Gender Inequality , Psychological Distress , Gender Role
SELECTION OF CITATIONS
SEARCH DETAIL