Your browser doesn't support javascript.
loading
Show: 20 | 50 | 100
Results 1 - 20 de 567
Filter
1.
Rev. Ciênc. Méd. Biol. (Impr.) ; 21(1): 123-129, maio 05,2022. ilus, tab, fig
Article in Portuguese | LILACS | ID: biblio-1370805

ABSTRACT

Introdução: a deficiência no sistema por obstrução crônica aos fluxos aéreos é uma doença caracterizada por inflamação, associada a alterações anatômicas e fisiológicas, podendo ocasionar exacerbações respiratórias. A oxigenoterapia tem sido uma alternativa usada em pacientes que possuem insuficiência respiratória decorrente da obstrução crônica, como tentativa de diminuir os sintomas e as complicações geradas. Objetivo: avaliar os efeitos da oxigenoterapia em pacientes com deficiência do sistema respiratório por obstrução crônica, com e sem hipercapnia, quanto aos desfechos pressão parcial de oxigênio, frequência respiratória, tempo de internamento e qualidade de vida.Metodologia: revisão de ensaios clínicos controlados e randomizados (ECR) nas bases de dados PubMed, Cochrane e PEDro. Incluídos estudos originais que utilizaram a oxigenoterapia como intervenção em pacientes com deficiência do sistema respiratório por obstrução crônica aos fluxos aéreos ou que outras síndromes. Resultados: na busca realizada nas bases de dados foram identificados um total de 387 estudos, reduzindo para 87 quando aplicado o descritor "ensaio clínico" e 7 estudos foram incluídos publicados entre os anos de 2004 e 2019. Conclusão: A oxigenoterapia mostrou-se incremento da pressão parcial de oxigênio, frequência respiratória e redução do tempo de internamento com impactos na melhora da qualidade de vida.


Introduction: system deficiency due to chronic airflow obstruction is a disease characterized by inflammation, associated with anatomical and physiological changes, which can cause respiratory exacerbations. Oxygen therapy has been an alternative used in patients who have respiratory failure due to obstruction of the obstruction as an attempt to reduce symptoms and as complications generated. Objective: to evaluate the effects of oxygen therapy in patients with respiratory system deficiency due to chronic obstruction, with and without hypercapnia, in terms of partial oxygen pressure, respiratory rate, length of stay and quality of life. Methodology: review of controlled clinical trials and (RCT) in the PubMed, Cochrane and PEDro databases. Included original studies that used oxygen therapy as an intervention in patients with respiratory system deficiency due to obstruction to flow flows or other syndromes. Results: in the search carried out in the databases, a total of 387 studies were identified, for 87 when the descriptor "clinical trial" was projected and 7 studies were included between the years 2004 and 2019. Conclusion: oxygen therapy showed an increase in pressure partial oxygen, respiratory rate and reduction in hospital stay with impacts on improving the quality due.


Subject(s)
Humans , Male , Female , Oxygen Inhalation Therapy , Respiratory Therapy , International Classification of Functioning, Disability and Health , Physical Therapy Modalities , Pulmonary Disease, Chronic Obstructive , Randomized Controlled Trial
2.
Brasília; CONITEC; mar. 2022.
Non-conventional in Portuguese | LILACS, BRISA | ID: biblio-1368853

ABSTRACT

INTRODUÇÃO: O baricitinbe, um imunomodulador que atua sobre a atividade da IL-6 (citocina pró-inflamatória), pode representar uma estratégia para o tratamento de pacientes com COVID-19 que tiveram comprometimento pulmonar devido a resposta hiperinflamátoria desencadeada pela tempestade de citocinas característica na infecção causada pelo vírus SARS-COV2. TECNOLOGIA: Baricitinibe (Olumiant®). EVIDÊNCIAS CLÍNICAS: Para seleção das evidências clínicas foi conduzida uma revisão sistemática da literatura em busca de ensaios clínicos randomizados (ECR), estudos observacionais (mundo real) e revisões sistemáticas que avaliassem os efeitos do baricitinibe como monoterapia ou associado aos cuidados usuais - definidos aqui como 'terapia padrão' (corticoesteróides sistêmicos, anticoagulantes, antimicrobianos/antivirais) no tratamento de pacientes adultos com COVID-19, hospitalizados e que necessitam de suplementação de oxigênio (máscara ou cateter nasal, alto fluxo de oxigênio ou ventilação não invasiva). As buscas eletrônicas foram realizadas nas bases de dados: the Cochrane Library, MEDLINE via Pubmed, Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS), EMBASE e Centre for Reviews and Dissemination (CRD). O risco de viés dos estudos primários incluídos foi avaliado pelas ferramentas Risk of Bias versão 2 da Cochrane (para ECR) ou ROBINS-I (para estudos observacionais), e a qualidade metodológica das revisões sistemáticas foi avaliada pela ferramenta AMSTAR-2. A qualidade da evidência foi avaliada pelo sistema GRADE. Seis artigos foram incluídos na presente revisão, sendo dois deles referentes a um ensaio clínico randomizado (ECR), um estudo observacional e três revisões sistemáticas com meta-análise (RSMA), sendo uma


Subject(s)
Humans , Oxygen Inhalation Therapy/instrumentation , Janus Kinases/antagonists & inhibitors , Noninvasive Ventilation/instrumentation , SARS-CoV-2/drug effects , COVID-19/drug therapy , Immunosuppressive Agents/antagonists & inhibitors , Unified Health System , Brazil , Cost-Benefit Analysis/economics , Inpatients
5.
Brasília; CONITEC; ago. 2021.
Non-conventional in Portuguese | LILACS, BRISA | ID: biblio-1349271

ABSTRACT

INTRODUÇÃO: No dia 12 de março de 2021 a ANVISA concedeu o registro para comercialização de rendesivir no Brasil como primeiro e único medicamento com indicação aprovada em bula, para tratamento de pacientes com COVID-19 com pneumonia e necessidade de suplementação de oxigênio (baixo ou alto fluxo e ventilação mecânica não invasiva). A autorização fornecida pela ANVISA para uso do medicamento no Brasil, diverge da recomendação da OMS que desaconselha o uso do rendesivir para tratamento de pacientes hospitalizados por COVID-19, independente de sua gravidade usando como base os resultados interinos do estudo Solidarity (14). Este estudo revelou que o uso do rendesivir, assim como outros antivirais analisados, não foi capaz de reduzir de forma significativa a mortalidade geral ou de nenhum subgrupo estudado, nem retardar o início da ventilação mecânica ou reduzir o tempo de hospitalização. A redução do tempo de internação para a ANVISA foi um critério importante para o contexto brasileiro devido a constante falta de leitos disponíveis para o tratamento dos pacientes acometidos pela COVID-19. TECNOLOGIA: Remdesivir (Veklury®). PERGUNTA: O uso do rendesivir é eficaz e seguro para tratamento de pacientes hospitalizados com COVID-19 e que necessitam de suplementação de oxigênio (de baixo ou alto fluxo e ventilação mecânica não invasiva)? EVIDÊNCIAS CLÍNICAS: As evidências avaliadas baseiam-se em quatro ensaios clínicos randomizados, onde dois compararam rendesivir com placebo e outros dois comparando rendesivir com cuidado padrão. Foram obtidos resultados favoráveis ao rendesivir com maior probabilidade de recuperação no 29º dia (Hazard Ratio [HR] 1,29, 95%IC 1,12-1,49, p<0,001) em um dos estudos. Para o desfecho mortalidade no 29º dia, os resultados do mesmo ensaio foram significativos apenas para o subgrupo de pacientes que necessitavam de suplementação de oxigênio de baixo ou alto fluxo (HR = 0,30, 95%IC 0,14- 0,64). Ao sumarizar os dados dos quatro estudos observou-se que em pacientes hospitalizados com COVID-19, o uso do rendesivir comparado com o grupo controle não resultou em diferenças estatisticamente significativas tanto quanto os desfechos de mortalidade (Risco Relativo [RR]: 0,98, 95%IC 0,84-1,14); necessidade de ventilação mecânica (RR: 0,77, 95%IC 0,48-1,22) e recuperação (RR: 1,09, 95%IC 1,03-1,15), segundo três estudos. O rendesivir comparado com placebo e cuidado padrão pode reduzir em 25% o risco da ocorrência de eventos adversos sérios (RR: 0,75, 95%IC 0,63-0,90). AVALIAÇÃO ECONÔMICA: Os resultados do modelo econômico apresentado pelo demandante têm limitações que tornam incertos os resultados do modelo econômico apresentado, de forma que a sua utilização para tomada de decisão sobre a tecnologia é duvidosa. ANÁLISE DE IMPACTO ORÇAMENTÁRIO: O impacto orçamentário incremental após a proposta de redução de preço pelo demandante foi estimado em aproximadamente 28 bilhões de reais, como melhor cenário. MONITORAMENTO DO HORIZONTE TECNOLÓGICO: Foram identificadas oito tecnologias potenciais para a indicação clínica. O opaganib consiste no primeiro agente de uma nova classe farmacológica, a dos inibidores de esfingosina-quinases. Outro potencial medicamento para a indicação a ser administrado por via oral e em combinação ao cuidado padrão (não especificado no protocolo do estudo), é o fostamatinib. O reparixin é um análogo do ibuprofeno e sua eficácia para o tratamento de pacientes com pneumonia grave acometidos por COVID-19 está sendo avaliada. O BDB-001 e o ravulizumab têm como alvo farmacológico o fator C5a do sistema complemento. Os anticorpos monoclonais canaquinumab, mavrilimumab e tocilizumabe também estão em desenvolvimento. Além disso, foram identificados três depósitos de patentes relacionados ao rendesivir no Instituto Nacional da Propriedade Intelectual. CONSIDERAÇÕES FINAIS: O balanço entre os aspectos positivos e negativos do rendesivir foi desfavorável ao seu uso no tratamento de pacientes com COVID-19. Apesar do baixo risco de eventos adversos, houve uma baixa confiança na eficácia do medicamento, uma vez que os resultados dos estudos são discrepantes e baseados em uma análise de subgrupo de apenas um estudo. O impacto orçamentário estimado foi considerado elevado. RECOMENDAÇÃO PRELIMINAR DA CONITEC: Diante do exposto, a Conitec, em sua 98ª Reunião Ordinária, realizada no dia 10 de junho de 2021, deliberou que a matéria fosse disponibilizada em consulta pública com recomendação preliminar desfavorável à incorporação no SUS do rendesivir para o tratamento da doença causada pelo coronavírus 2019 (COVID19), em pacientes adultos com pneumonia que requerem suplementação de oxigênio de baixo ou alto fluxo. Foi discutido, emplenária, que a evidência disponívelsobre a tecnologia emavaliação foi baseada emestudos adaptativos heterogêneos, com importantes limitações metodológicas, que podem se traduzir em resultados devidos apenas ao acaso. Além disso, o perfil de segurança do rendesivir, quando comparado aos medicamentos de cuidado padrão, mostrou que o medicamento está associado a um risco aumentado de bradicardia em pacientes diagnosticados com COVID-19. CONSULTA PÚBLICA: Foram recebidas 90 contribuições, sendo 34 contribuições técnico-científicas e 56 de experiência e opinião. Diante das argumentações apresentadas, o plenário da Conitec entendeu que não houve argumentação suficiente para mudança de entendimento acerca de sua recomendação preliminar, com base nas evidências científicas apresentadas, tampouco na redução de preço proposta pelo fabricante. Desse modo, a Comissão, diante das incertezas quanto à eficácia do medicamento, manteve a posição desfavorável à incorporação do rendesivir para o tratamento dos pacientes hospitalizados com pneumonia provocada pelo COVID-19 com necessidade de suplementação de oxigênio. DELIBERAÇÃO FINAL: O Plenário da Conitec, em sua 100ª Reunião Ordinária, no dia 05 de agosto de 2021, deliberou por unanimidade recomendar a não incorporação do rendesivir para o tratamento de pacientes com COVID-19 com necessidade de suplementação de oxigênio (baixo ou alto fluxo, ventilação não invasiva) no âmbito do SUS, com base nas incertezas quanto à eficácia do medicamento. Foi assinado o Registro de Deliberaçã nº 651/2021. DECISÃO: Não incorporar o rendesivir para tratamento de pacientes com Covid-19 hospitalizados com pneumonia e necessidade de suplementação de oxigênio, no âmbito do Sistema Único de Saúde ­ SUS, conforme a Portaria nº 60, publicada no Diário Oficial da União nº 171, seção 1, página 77, em 9 de setembro de 2021.


Subject(s)
Humans , Oxygen Inhalation Therapy/instrumentation , Adenosine/metabolism , SARS-CoV-2/drug effects , COVID-19/drug therapy , Unified Health System , Brazil , Cost-Benefit Analysis/economics
6.
J. pediatr. (Rio J.) ; 97(4): 409-413, July-Aug. 2021. tab, graf
Article in English | LILACS | ID: biblio-1287037

ABSTRACT

Abstract Objective This study aimed to identify the predictors and threshold of failure in neonatal acute respiratory distress syndrome. Methods Newborns with severe acute respiratory distress syndrome aged 0-28 days and gestational age ≥36 weeks were included in the study if their cases were managed with non-extra corporal membrane oxygenation treatments. Patients were divided into two groups according to whether they died before discharge. Predictors of non-extra corporal membrane oxygenation treatment failure were sought, and the threshold of predictors was calculated. Results A total of 103 patients were included in the study. A total of 77 (74.8%) survived hospitalization and were discharged, whereas 26 (25.2%) died. Receiver operating characteristic analysis of oxygen index, pH, base excess, and combinations of these indicators demonstrated the advantage of the combination of oxygen index and base excess over the others variables regarding their predictive ability. The area under the curve for the combination of oxygen index and base excess was 0.865. When the cut-off values of oxygen index and base excess were 30.0 and −7.4, respectively, the sensitivity and specificity for predicting death were 77.0% and 84.0%, respectively. The model with base excess added a net reclassification improvement of 0.090 to the model without base excess. Conclusion The combination of oxygen index and base excess can be used as a predictor of outcomes in neonates receiving non-extra corporal membrane oxygenation treatment for acute respiratory distress syndrome. In neonates with acute respiratory distress syndrome, if oxygen index >30 and base excess <−7.4, non-extra corporal membrane oxygenation therapy is likely to lead to death.


Subject(s)
Humans , Infant, Newborn , Infant , Respiratory Distress Syndrome, Newborn/therapy , Respiratory Distress Syndrome, Newborn , Respiratory Insufficiency , Oxygen , Oxygen Inhalation Therapy
7.
Rev. Bras. Saúde Mater. Infant. (Online) ; 21(3): 905-914, July-Sept. 2021. tab, graf
Article in English | LILACS | ID: biblio-1346995

ABSTRACT

Abstract Objectives: to determine the prevalence and factors associated with recurrent wheezing in the first year of life among premature newborns from Neonatal Intensive Care Units, in the city of Montes Claros, northern Minas Gerais. Methods: cross-sectional study, with data collection from medical records of a follow-up clinic, interviews with mothers and, eventually, search in hospital records. Bivariate analyzes were carried out between sociodemographic and clinical characteristics and recurrent wheezing. Variables associated up to the level of 20% were analyzed by binary logistic regression, and associations defined by the Odds Ratio and respective 95% confidence intervals. Only variables associated with a 5% significance level were maintained in the final model of logistic regression. Results: among 277 infants studied, about one fifth (21.3%) were extremely low birth weight preterm and more than half (60.7%) had birth weight below 1500 grams. The prevalence of recurrent wheezing was 14.4% (CI95% = 10.3-18.4). Mechanical ventilation (OR = 2.12; CI95% = 1.09-4.76; p = 0.030) and oxygen therapy time ≥ 15 days (OR = 2.49; CI95%= 1.12-5.00; p = 0.010) were the risk factors for the event. Conclusions: there is a high prevalence of recurrent wheezing in the evaluated group and the associated variables reiterate the risk of prolonged oxygen therapy and mechanical ventilation for premature newborns.


Resumo Objetivos: determinar a prevalência e fatores associados à sibilância recorrente no primeiro ano de vida entre recém-nascidos prematuros egressos de Unidades de Terapia Intensiva Neonatais, na cidade de Montes Claros, norte de Minas Gerais. Métodos: estudo transversal, com coleta de dados em prontuários de ambulatório de seguimento, entrevistas com mães e, eventualmente, consultas aos prontuários hospitalares. Foram realizadas análises bivariadas entre as características sociodemográficas e clínicas e a sibilância recorrente. As variáveis associadas ao desfecho até um nível de significância de p ≤20% foram analisadas por regressão logística binária e as associações definidas pelas Odds Ratios e respectivos intervalos de confiança de 95%. Somente variáveis associadas a um nível de significância de 5% foram mantidas no modelo final de regressão logística. Resultados: entre 277 crianças estudadas, cerca de um quinto (21,3%) eram prematuros de extremo baixo peso e mais da metade (60,7%) tinha peso de nascimento abaixo de 1500 gramas. A prevalência de sibilância recorrente foi de 14,4% (IC95%=10,3-18,4). Ventilação mecânica (OR=2,12; IC95%= 1,09-4,76; p=0,030) e tempo de oxigenioterapia ≥15 dias (OR=2,49; IC95%=1,12-5,00; p=0,010) foram os fatores de risco para o evento. Conclusão: existe uma elevada prevalência de sibilância recorrente no grupo avaliado e as variáveis associadas reiteram o risco do uso prolongado de oxigenioterapia e da ventilação mecânica para recém-nascidos prematuros.


Subject(s)
Humans , Infant, Newborn , Infant , Oxygen Inhalation Therapy/adverse effects , Respiration, Artificial/adverse effects , Infant, Premature , Intensive Care Units, Neonatal , Odds Ratio , Survival Analysis , Respiratory Sounds/diagnosis , Prevalence , Risk Factors , Socioeconomic Factors , Brazil , Bronchopulmonary Dysplasia/complications , Medical Records , Cross-Sectional Studies , Infant, Extremely Low Birth Weight
11.
Actual. SIDA. infectol ; 29(105): 34-41, 2021 mar. fig, tab
Article in Spanish | LILACS, BINACIS | ID: biblio-1348955

ABSTRACT

Introducción: En COVID-19 grave, identificar pacientes con mayor riesgo de ventilación mecánica (VM) ayuda a optimizar el manejo. Materiales y métodos: Análisis retrospectivo de características clínico-epidemiológicas de pacientes con COVID-19 ingresados a UTI entre marzo/septiembre 2020. Se utilizó estadística descriptiva, análisis univariado (p significativa <0.05) y multivariado (variables significativas en el univariado).Resultados: Ingresaron 114 pacientes, 91 (79,8%) hombres, edad promedio 54,6 ±14,8 años. 66 (57,9%) eran obesos, 44 (38,6%) ≥ 60 años, 38 (33,3%) hipertensos (33,3%) y 28 (24,6%) diabéticos. 39 (23%) tenían ferritina elevada, 62 (76,5%) linfopenia y 33 (41,3%) LDH aumentada. Mortalidad global 34%. 72 pacientes (63,1%) requirieron VM. Los predictores independientes de requerimiento de VM en el análisis multivariado fueron sexo masculino, edad ≥60 años, diabetes, linfopenia y ferritina y LDH aumentadas. Conclusiones: En pacientes con COVID-19 grave, los predictores independientes de necesidad de VM fueron sexo masculino, edad ≥ 60 años, diabetes, niveles elevados de ferritina y LDH y linfopenia


Introduction: In severe COVID-19, identifying patients with a higher risk of mechanical ventilation (MV) helps to optimize management.Materials and methods: Retrospective analysis of clinical-epidemiological characteristics of patients with COVID-19 admitted to ICU between March / September 2020. Descriptive statistics, univariate and multivariate analysis were used. Results: 114 patients were admitted, 91 (79.8%) were men, mean age 54.6 ± 14.8 years. 66 (57.9%) were obese, 44 (38.6%) ≥60 years, 38 (33.3%) were hypertensive (33.3%) and 28 (24.6 %) diabetics. 39 (23%) had elevated ferritin, 62 (76.5%) had lymphopenia, and 33 (41.3%) had increased LDH. Overall mortality 34%. 72 patients (63.1%) required MV. The independent predictors of MV requirement in the multivariate analysis were male sex, age ≥60 years, diabetes, lymphopenia, and increased ferritin and LDH.Conclusions: In patients with severe COVID-19, the independent predictors of the need for MV were male sex, age ≥ 60 years, diabetes, elevated levels of ferritin and LDH, and lymphopenia


Subject(s)
Humans , Middle Aged , Aged , Aged, 80 and over , Oxygen Inhalation Therapy , Respiration, Artificial , Multivariate Analysis , Retrospective Studies , Risk Assessment , COVID-19 Testing , COVID-19/therapy , Intensive Care Units
12.
Washington; Organización Panamericana de la Salud; feb. 26, 2021. 32 p.
Non-conventional in Spanish | LILACS | ID: biblio-1151146

ABSTRACT

Este documento tiene como objetivo dar las facilitar recomendaciones para asegurar la capacidad de suministro de oxígeno para oxigenoterapia en los módulos asistenciales de los equipos médicos de emergencia (EMT) y en los sitios alternativos de atención médica (SAAM). El documento incluye conocimientos básicos sobre los diferentes tipos de instalaciones de oxigenoterapia, así como las orientaciones para que el personal de apoyo operacional del EMT pueda realizar una adaptación óptima de sus equipos para atender las necesidades clínicas de los pacientes COVID-19.


Subject(s)
Oxygen/supply & distribution , Oxygen Inhalation Therapy/methods , Pneumonia, Viral/prevention & control , Coronavirus Infections/prevention & control , Hospital Rapid Response Team/organization & administration , Pandemics/prevention & control
13.
Einstein (Säo Paulo) ; 19: eAO5846, 2021. tab
Article in English | LILACS | ID: biblio-1286286

ABSTRACT

ABSTRACT Objective: To evaluate the evolution of clinical outcomes in children with bronchiolitis who used a high-flow nasal cannula, and to determine after long of non-clinical improvement the therapy should be discontinued, and treatment should be escalated to other forms of ventilatory support. Methods: An observational retrospective study of infants with bronchiolitis who used a high-flow nasal cannula. Patients were divided into two study groups according to success or failure of high-flow nasal cannula therapy, namely the Success Group and the Failure Group. The main demographics and clinical variables were assessed 30 minutes and 6 hours after initiating therapy until removal of the high-flow nasal cannula. Results: A total of 83 children were studied and 18 children (21.7%) failed therapy. Among subjects with successful therapy, a significant decrease in respiratory rate (p<0.001), and a significant increase in peripheral oxygen saturation (p<0.001) were observed within 30 minutes. The Success Group was significantly different from the Failure Group after 6 hours, for both respiratory rate (p<0.01) and peripheral oxygen saturation (p<0.01). Conclusion: The absence of clinical sign improvement within 30 minutes and for up to a maximum of 6 hours can be considered as failure of the high-flow nasal cannula therapy. If this time elapses with no improvements, escalating to another type of ventilatory support should be considered.


RESUMO Objetivo: Avaliar a evolução de desfechos clínicos em crianças com bronquiolite que utilizaram cânula nasal de alto fluxo, e determinar com quanto tempo de não melhora clínica a terapia deve ser interrompida para escalonamento do tratamento para outras formas de suporte ventilatório. Métodos: Estudo observacional retrospectivo, de lactentes com bronquiolite que utilizaram cânula nasal de alto fluxo. Os pacientes foram divididos em dois grupos de estudo, de acordo com o sucesso ou não da terapêutica com cânula nasal de alto fluxo, nomeados Grupo Sucesso e Grupo Falha. Foram analisadas as principais características demográficas e variáveis clínicas, tendo sido avaliadas 30 minutos e 6 horas após o início do tratamento até a retirada da cânula nasal de alto fluxo. Resultados: Foram estudados 83 crianças; destas, 18 crianças (21,7%) falharam. Entre os pacientes que tiveram sucesso na terapia, observou-se diminuição significativa da frequência respiratória (p<0,001), e também aumento significativo da saturação de oxigênio (p<0,001) já nos primeiros 30 minutos. O Grupo Sucesso foi significativamente diferente do Grupo Falha a partir de 6 horas, tanto para frequência respiratória (p<0,01), quanto para saturação de oxigênio (p<0,01). Conclusão: Na ausência de melhora dos sinais clínicos, a falha da terapia com cânula nasal de alto fluxo já pode ser considerada a partir de 30 minutos e, no máximo, em até 6 horas após o início da terapia. Após esse período sem melhora, o escalonamento para outro tipo de suporte ventilatório deve ser avaliado.


Subject(s)
Humans , Infant , Child , Bronchiolitis/therapy , Retrospective Studies , Cannula , Oxygen Inhalation Therapy
14.
Rev. méd. Minas Gerais ; 31: 31203, 2021.
Article in Portuguese | LILACS | ID: biblio-1291272

ABSTRACT

Introdução: A Organização Mundial da Saúde define como Cuidados Paliativos abordagens que melhoram a qualidade de vida dos pacientes (adultos e crianças) e de suas famílias que enfrentam problemas associados a doenças de risco de vida. Um dos principais objetivos dos Cuidados Paliativos é o alívio da dispneia. Objetivo: Esta revisão sistemática buscou encontrar na literatura evidências que indicam a efetividade das intervenções não invasivas para alívio da dispneia em fase final dos cuidados paliativos. Metodologia: Utilizou-se o guia metodológico da Cochrane Handbook. Resultados: Após a pesquisa inicial,110 artigos foram encontrados, 11 foram removidos por duplicação, 86 excluídos por não preencherem os critérios de inclusão. Após filtragem, 13 estudos foram recuperados em texto completo, e após leitura dos textos completos, 11 não corresponderam aos critérios de elegibilidade. Dois estudos foram incluídos na síntese qualitativa para avaliação da qualidade metodológica, e passaram para a síntese quantitativa. Nesta revisão sistemática, 230 pacientes incluídos foram alocados de forma aleatória para VNI (n=113) e Oxigenoterapia (n=117) seguindo uma randomização simples. Conclusão: Esta revisão sistemática apontou que as duas intervenções são métodos capazes de melhorar a dispneia dos pacientes em fase final dos Cuidados Paliativos Oncológicos, contudo a VNI mostrou ser superior à oxigenoterapia convencional e ao HFCN, principalmente nos pacientes hipercápnicos. Embora o HFCN também tenha apresentado dados significativos, seu uso ainda é controverso.


Introduction: The World Health Organization defines Palliative Care as approaches that improve the quality of life of patients (adults and children) and their families who face problems associated with lifethreatening diseases. One of the main objectives of Palliative Care is the relief of dyspnea. Objective: This systematic review sought to find evidence in the literature that indicates the effectiveness of non-invasive interventions for the relief of dyspnea in the final stage of palliative care. Methodology: The Cochrane Handbook methodological guide was used. Results: After the initial search, 110 articles were found, 11 were removed by duplication, 86 were excluded for not meeting the inclusion criteria, after filtering 13 studies were retrieved in full text, and after reading the full texts, 11 did not meet the criteria eligibility criteria. Two studies were included in the qualitative synthesis to assess methodological quality, and moved on to the quantitative synthesis. In this systematic review, 230 included patients were randomly allocated to NIV (n = 113) and oxygen therapy (n = 117) following simple randomization. Conclusion: This systematic review pointed out that the two interventions are methods capable of improving the dyspnea of patients in the final stage of Oncology Palliative Care, however NIV has been shown to be superior to conventional oxygen therapy and HFCN, especially in hypercapnic patients. Although HFCN has also presented significant data, its use is still controversial. Although supplemental oxygen therapy is widely prescribed, there is little evidence of benefit


Subject(s)
Humans , Adult , Middle Aged , Aged , Aged, 80 and over , Oxygen Inhalation Therapy , Noninvasive Ventilation , Palliative Care , Quality of Life , Hospice Care , Dyspnea
15.
Neumol. pediátr. (En línea) ; 16(2): 69-74, 2021. tab, ilus
Article in Spanish | LILACS | ID: biblio-1293287

ABSTRACT

La bronquiolitis aguda es una condición respiratoria frecuente en los niños menores de 2 años. Representa la principal causa de hospitalización infantil y se caracteriza por la presencia de sibilancias asociada a signos de una infección respiratoria alta. El agente etiológico más común es el virus respiratorio sincicial. Existe una falta de consenso con respecto a su definición clínica; y por ello, su tratamiento varía en todo el mundo. El diagnóstico es clínico, sin necesidad de emplear laboratorio o imágenes en forma rutinaria. Diversas revisiones han demostrado que los broncodilatadores, adrenalina, corticoides y antibióticos, entre otros, carecen de eficacia por lo que no se sugiere su empleo. El tratamiento sigue siendo de soporte, mediante la administración de oxígeno y manteniendo una adecuada hidratación. Cuando no se logra disminuir el trabajo respiratorio o corregir la hipoxemia se puede utilizar la presión positiva en la vía aérea para prevenir y controlar la insuficiencia respiratoria. Este artículo desarrolla una breve revisión de las principales características clínicas, epidemiológicas, radiológicas, así como algunos de los diferentes tratamientos publicados en las últimas dos décadas.


Acute bronchiolitis is a common respiratory condition in children under 2 years old. It represents the main cause of childhood hospitalization characterized by the presence of wheezing associated with signs of an upper respiratory infection. The most common etiologic agent is respiratory syncytial virus. There is a lack of consensus regarding its clinical definition; and therefore, its treatment varies around the world. Diagnosis is clinical, without the need for routine laboratory or imaging. Various reviews have shown that bronchodilators, epinephrine, corticosteroids, and antibiotics, among others, lack efficacy, so their use is not suggested. Treatment continues to be supportive, by administering oxygen and maintaining adequate hydration. When it is not possible to reduce the work of breathing or correct the hypoxemia, positive airway pressure can be used to prevent and control respiratory failure. This article develops a brief review of the main clinical, epidemiological, and radiological characteristics, as well as some of the different treatments published in the last two decades.


Subject(s)
Humans , Bronchiolitis/diagnosis , Bronchiolitis/therapy , Oxygen Inhalation Therapy , Bronchiolitis/etiology , Bronchiolitis/physiopathology , Bronchiolitis/drug therapy , Radiography, Thoracic , Physical Therapy Modalities , Diagnosis, Differential , Noninvasive Ventilation
17.
Ciênc. cuid. saúde ; 20: e57572, 2021. graf
Article in Portuguese | LILACS, BDENF | ID: biblio-1356106

ABSTRACT

RESUMO Introdução: A principal causa de mortalidade pelo novo coronavírus é a insuficiência respiratória. Assim, os cuidados intensivos devem ser prontamente prestados ao paciente crítico. Objetivo: Explorar as evidências acerca dos achados clínicos, tratamento e desfecho de pacientes infectados pelo Sars-CoV-2 internados em Unidades de Terapia Intensiva. Método: Revisão de escopo, realizada em abril de 2021, em oito fontes de dados nacionais e internacionais, conforme orientações do Instituto Joanna Briggs, seguindo o checklist Preferred Reporting Items for Systematic reviews and Meta-Analysesextension for Scoping Reviews, sem restrição de idioma ou temporal. Adotou-se a estratégia Population, Concept and Contextpara a elaboração da questão de pesquisa. Resultados: Incluíram-se 15 artigos científicos, com predominância de publicações na China, Estados Unidos da América e Canadá. Dos estudos, 80% foram com adultos e idosos em Unidade de Terapia Intensiva. Os principais achados clínicos foram a febre, tosse, Síndrome do Desconforto Respiratório Agudo e lesão renal, tratamento com ventilação mecânica invasiva e não invasiva, oxigenoterapia de alto fluxo e corticoesteroides. Como principal desfecho, o óbito. Conclusão: A maioria dos pacientes apresentou febre, tosse e Síndrome do Desconforto Respiratório Agudo, recebendo cuidados como ventilação mecânica, oxigenoterapia de alto fluxo e corticoesteroides, com alto índice de óbitos.


RESUMEN Introducción: La principal causa de mortalidad por el nuevo coronavirus es la insuficiencia respiratoria. Por lo tanto, los cuidados intensivos deben ser proporcionados rápidamente al paciente crítico. Objetivo: Explorar las evidencias acerca de los hallazgos clínicos, tratamiento y desenlace de pacientes infectados por el Sars-CoV-2 internados en Unidades de Cuidados Intensivos. Método: Scoping review, realizada en abril de 2021, en ocho fuentes de datos nacionales e internacionales, conforme orientaciones del Instituto Joanna Briggs, siguiendo el check list Preferred Reporting Items for Systematic Reviews and Meta-Analyses Extension for Scoping Reviews, sin restricción de idioma o temporal. Se adoptó la estrategia Population, Concept and Context para la elaboración de la cuestión de investigación. Resultados: Se incluyeron 15 artículos científicos, con predominio de publicaciones en China, Estados Unidos de América y Canadá. De los estudios, el 80% fue con adultos y ancianos en Unidad de Cuidados Intensivos. Los principales hallazgos clínicos fueron fiebre, tos, Síndrome Respiratorio Agudo Severo y lesión renal, tratamiento con ventilación mecánica invasiva y no invasiva, oxigenoterapia de alto flujo y corticoesteroides. Como principal desenlace: el óbito. Conclusión: La mayoría de los pacientes presentó fiebre, tos y Síndrome Respiratorio Agudo Severo, recibiendo cuidados como ventilación mecánica, oxigenoterapia de alto flujo y corticoesteroides, con alto índice de óbitos.


ABSTRACT Introduction: The leading cause of mortality from the new coronavirus is respiratory failure. Accordingly, intensive care must be promptly provided to the critically ill patient. Objective: To explore the evidence about the clinical findings, treatment and outcome of Sars-CoV-2 infected patients admitted to Intensive Care Units. Method: Scoping review, carried out in April 2021, in eight national and international data sources, according to the guidelines of the Joanna Briggs Institute, following the Preferred Reporting Items for Systematic reviews and Meta-Analyses extension for Scoping Reviews checklist, without language or time restrictions. The Population, Concept and Context strategy was adopted for the development of the research question. Results: A total of 15 scientific articles were included, with a predominance of publications in China, the United States of America and Canada. Of the studies, 80% were with adults and elderly in Intensive Care Unit. The main clinical findings were fever, cough, Acute Respiratory Distress Syndrome and kidney injury, treatment with invasive and non-invasive mechanical ventilation, high flow oxygen therapy and corticosteroids. The main outcome was death. Conclusion: Most patients presented with fever, cough and Acute Respiratory Distress Syndrome, receiving care such as mechanical ventilation, high flow oxygen therapy and corticosteroids, with a high death rate.


Subject(s)
Humans , Male , Female , Adult , Middle Aged , Aged , Aged, 80 and over , Patients , COVID-19 , Oxygen Inhalation Therapy , Patient Discharge , Respiration, Artificial , Respiratory Distress Syndrome, Newborn , Respiratory Insufficiency , Signs and Symptoms , Comorbidity , Mortality , Adrenal Cortex Hormones , Coronavirus Infections , Cough , Critical Care , Dyspnea , Acute Kidney Injury , Fever , Hospitalization , Intensive Care Units , Anti-Bacterial Agents
18.
Rev. baiana enferm ; 35: e45064, 2021. tab
Article in Portuguese | LILACS, BDENF | ID: biblio-1351617

ABSTRACT

Objetivo descrever o perfil dos usuários de oxigenoterapia domiciliar assistidos pelo Programa Melhor em Casa. Método estudo transversal com coleta de dados retrospectiva e análise descritiva de prontuários dos usuários de oxigenoterapia domiciliar de um município do interior do Rio Grande do Sul. Resultados dentre os 59 usuários cadastrados no programa para uso da oxigenoterapia domiciliar, identificaram-se portadores de Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (n=35), cuidados paliativos (n=13) e outras patologias (n=11), idade média de 69,3 anos, sexo feminino (52,5%), oxigenoterapia intermitente (57,6%), tabagismo pregresso (71,2%), tabagismo atual (8,5%), tempo médio de uso da oxigenoterapia de 17 meses. Como desfecho, foi identificado: morte (45,7%), alta (11,9%) e em uso de oxigenoterapia (40,7%). Conclusão os usuários de oxigenoterapia domiciliar assistidos pelo Programa Melhor em Casa do município estudado apresentavam idade avançada, sexo feminino, ex-tabagistas, baixa escolaridade, doença pulmonar obstrutiva crônica como doença de base e cuidados prestados por cuidadores familiares.


Objetivo describir el perfil de los usuarios de oxigenoterapia domiciliaria asistidos por el Programa Melhor em Casa. Método estudio transversal con recolección retrospectiva de datos y análisis descriptivo de registros médicos de usuarios domiciliarios de oxigenoterapia en un municipio del interior de Rio Grande do Sul. Resultados entre los 59 usuarios inscritos en el programa para el uso de oxigenoterapia domiciliaria, se identificaron pacientes con Enfermedad Pulmonar Obstructiva Crónica (n=35), cuidados paliativos (n=13) y otras patologías (n=11), edad media de 69,3 años, sexo femenino (52,5%), oxigenoterapia intermitente (57,6%), tabaquismo previo (71,2%), tabaquismo actual (8,5%), tiempo medio de uso de oxigenoterapia de 17 meses. Como resultado, se identificaron la muerte (45,7%), el alta (11,9%) y la oxigenoterapia (40,7%). Conclusión los usuarios de oxigenoterapia domiciliaria atendidos por el Programa Melhor em Casa del municipio estudiado fueron mujeres de edad avanzada, exfumadores, baja escolaridad, enfermedad pulmonar obstructiva crónica como enfermedad subyacente y atención brindada por cuidadores familiares.


Objective to describe the profile of home oxygen therapy users assisted by the Melhor em Casa Program. Method cross-sectional study with retrospective data collection and descriptive analysis of medical records of home oxygen therapy users in a municipality in the countryside of Rio Grande do Sul. Results among the 59 users enrolled in the program for the use of home oxygen therapy, Patients with Chronic Obstructive Pulmonary Disease (n=35), palliative care (n=13) and other pathologies (n=11), mean age of 69.3 years, female gender (52.5%), intermittent oxygen therapy (57.6%), previous smoking (71.2%), current smoking (8.5%), mean time of oxygen therapy use of 17 months were identified. As an outcome, death (45.7%), discharge (11.9%) and oxygen therapy (40.7%) were identified. Conclusion home oxygen therapy users assisted by the Melhor em Casa Program of the municipality studied had advanced age, female, ex-smokers, low schooling, chronic obstructive pulmonary disease as an underlying disease and care provided by family caregivers.


Subject(s)
Humans , Male , Female , Oxygen Inhalation Therapy , Primary Health Care , Pulmonary Disease, Chronic Obstructive , Home Care Services , Nursing Care , Cross-Sectional Studies
19.
In. Machado Rodríguez, Fernando; Cluzet, Óscar; Liñares Divenuto, Norberto Jorge; Gorrasi Delgado, José Antonio. La pandemia por COVID-19: una mirada integral desde la emergencia del hospital universitario. Montevideo, Cuadrado, 2021. p.121-159, tab.
Monography in Spanish | LILACS, BNUY, UY-BNMED | ID: biblio-1344075
20.
Lima; Perú. Ministerio de Salud; 20201100. 39 p. ilus.
Monography in Spanish | MINSAPERU, LILACS, MINSAPERU | ID: biblio-1130139

ABSTRACT

El documento contiene las disposiciones y criterios técnicos para el uso de oxígeno medicinal en las Instituciones Prestadoras de Servicios de Salud, públicas, privadas y mixtas del sector salud. Deroga a la R.M N° 879-2020


Subject(s)
Oxygen , Oxygen Inhalation Therapy , Guidelines as Topic , Health Facilities , Health Services
SELECTION OF CITATIONS
SEARCH DETAIL