Your browser doesn't support javascript.
loading
Show: 20 | 50 | 100
Results 1 - 20 de 484
Filter
1.
Brasília; Fiocruz Brasília;Instituto de Saúde de São Paulo; 29 set. 2021. 43 p. ilus.
Non-conventional in Portuguese | ColecionaSUS, LILACS, ColecionaSUS, PIE | ID: biblio-1358561

ABSTRACT

Esta síntese rápida de evidências foi comissionada e subsidiada pelo Ministério da Saúde, no âmbito do projeto GEREB-010-FIO-20 e faz parte da Coleção "Rapid response for health promotion". PROBLEMA: O uso contínuo do tabaco, por exposição direta ou indireta, é considerado um problema global de saúde pública, responsável por oito milhões de mortes ao ano. Cerca de 80% dos usuários da substância residem em países de baixa e média renda, como o Brasil. O principal problema de saúde decorrente do uso dos derivados de tabaco é o câncer de pulmão, terceiro tipo de câncer mais comum na população e o mais letal. Neste cenário é importante que equipes e serviços de Atenção Primária à Saúde (APS) estejam preparados para fornecer ações de prevenção e controle do fumo. Opções para enfrentar o problema: De 234 registros recuperados das bases de dados, após processo de seleção e elegibilidade, treze Revisões Sistemáticas (RS) foram incluídas nesta síntese narrativa. Os resultados foram organizados em quatro opções para políticas em contextos de APS. Efeitos positivos foram relatados nas RS para uma variedade de intervenções, no entanto, algumas incertezas também foram apontadas. Com relação à qualidade metodológica, uma RS foi classificada como de confiança moderada, duas de confiança baixa e dez de confiança criticamente baixa. Opção 1. Intervenções de aconselhamento conduzidas por profissionais de saúde: Seis RS apresentaram efeitos das intervenções de aconselhamento para cessação do uso do tabaco, conduzidas por profissionais farmacêuticos, enfermeiros, profissionais com treinamento específico para lidar com o tabagismo e profissionais não especificados. Uma variedade de modalidades de aconselhamento mostrou-se efetiva na comparação com nenhuma intervenção, cuidado habitual ou intervenções menos intensivas. Incertezas foram apontadas com relação aos efeitos da entrevista motivacional e na comparação do aconselhamento com intervenções mistas. Opção 2. Intervenções comportamentais únicas ou combinadas: Duas RS relataram que intervenções comportamentais se mostraram efetivas para lidar com o tabagismo em comparação a cuidados habituais, materiais educativos e aconselhamento breve. Incertezas foram relatadas em relação ao reforço contingente e com relação ao apoio comportamental para fumantes com sofrimento psíquico e jovens em diferentes situações de risco, sendo: adolescentes grávidas, adolescentes com doença mental, adolescentes em tratamento por uso abusivo de substâncias e estudantes residentes de comunidades socioeconomicamente vulneráveis (o risco e faixa etária não foi especificado em um estudo). Opção 3. Apoio de registro médico e feedback motivacional personalizado sobre riscos biomédicos: Duas RS investigaram os efeitos do apoio de registro médico nas consultas, e o feedback dos riscos biomédicos. As evidências são escassas para afirmar se essas intervenções são ou não efetivas na cessação do tabagismo. O uso de registro médico tem como base apenas dois estudos primários, um dos quais sem grupo controle. O uso de resultados de exames mostrou-se efetivo com o feedback sobre danos relacionados ao fumo, mas não teve o mesmo efeito quando esse feedback se referia à exposição ao fumo e ao risco de doenças relacionadas ao fumo. Opção 4. Intervenções multicomponentes: Oito RS apresentaram efeitos de diversas intervenções combinadas para redução ou cessação do uso do tabaco. Algumas intervenções foram realizadas por profissionais de farmácia, enfermagem, médicos ou equipe clínica. As intervenções multicomponentes mostraram-se efetivas para a cessação do tabagismo, particularmente nos estudos em que foram comparadas a nenhuma intervenção, cuidados habituais ou intervenções mais comumente utilizadas. No entanto, é importante considerar algumas incertezas de maior magnitude apontadas nos estudos, como a adição do aconselhamento por entrevista motivacional ou apoio por telefone


This rapid synthesis of evidence was commissioned and subsidized by the Ministry of Health, under the project GEREB-010-FIO-20 and is part of the "Rapid response for health promotion" Collection. PROBLEM: The continuous use of tobacco, through direct or indirect exposure, is considered a global public health problem, responsible for eight million deaths a year. About 80% of substance users reside in low- and middle-income countries, such as Brazil. The main health problem resulting from the use of tobacco derivatives is lung cancer, the third most common type of cancer in the population and the most lethal. In this scenario, it is important that Primary Health Care (PHC) teams and services are prepared to provide tobacco prevention and control actions. Options to tackle the problem: From 234 records retrieved from the databases, after a selection and eligibility process, thirteen Systematic Reviews (SR) were included in this narrative synthesis. The results were organized into four options for policies in PHC contexts. Positive effects were reported in the SRs for a variety of interventions, however, some uncertainties were also pointed out. Regarding methodological quality, one SR was classified as moderately confident, two as low confidence and ten as critically low confidence. Option 1. Counseling interventions conducted by health professionals: Six SRs showed effects of counseling interventions for tobacco use, conducted by pharmacists, nurses, professionals with specific training to deal with tobacco and unspecified professionals. A variety of counseling modalities have been shown to be effective in comparison with no intervention, usual care, or less intensive interventions. Uncertainties were pointed out regarding the effects of motivational interviewing and the comparison of counseling with mixed interventions. Option 2. Single or Combined Behavioral Interventions: Two SRs reported that behavioral interventions were effective in dealing with smoking compared to usual care, educational materials, and brief counseling. Uncertainties were reported in relation to contingent reinforcement and in relation to behavioral support for smokers with psychological distress and young people in different risk situations, namely: pregnant adolescents, adolescents with mental illness, adolescents undergoing treatment for substance abuse and students residing in communities socioeconomically vulnerable (risk and age group were not specified in one study). Option 3. Medical record support and personalized motivational feedback on biomedical risks: Two SRs investigated the effects of medical record support on appointments, and biomedical risk feedback. Evidence is scarce to state whether or not these interventions are effective in smoking cessation. The use of medical records is based on only two primary studies, one of which without a control group. The use of test results was effective with feedback on smoking-related harm, but did not have the same effect when that feedback referred to smoking exposure and risk of smoking-related illness. Option 4. Multicomponent Interventions: Eight SRs showed effects of several combined interventions to reduce or stop tobacco use. Some interventions were performed by pharmacy, nursing, medical or clinical staff professionals. Multicomponent interventions were shown to be effective for smoking cessation, particularly in studies where they were compared to no intervention, usual care, or more commonly used interventions. However, it is important to consider some uncertainties of greater magnitude pointed out in the studies, such as the addition of motivational interviewing counseling or telephone support


Subject(s)
Humans , Child , Adolescent , Adult , Primary Health Care/standards , Smoking Cessation , Tobacco Products , Patient Care Bundles , Smoking Prevention , Tobacco Products
2.
Brasília; Fiocruz Brasília;Instituto de Saúde de São Paulo; 14 jul. 2021. 40 p.
Non-conventional in Portuguese | ColecionaSUS, LILACS, ColecionaSUS, PIE | ID: biblio-1358489

ABSTRACT

Esta revisão rápida foi comissionada e subsidiada pelo Ministério da Saúde, no âmbito do projeto GEREB-010-FIO-20 e faz parte da Coleção "Rapid response for health promotion". Contexto: A Política Nacional de Promoção da Saúde reconhece a necessidade de implementação das ações de maneira integrada, transversal e intersetorial. A promoção da saúde é caracterizada como um conjunto de formas e estratégias, individuais e coletivas, de produzir saúde, em articulação intersetorial com forte participação social. Assim, seu processo de implementação contempla um novo paradigma da saúde e os processos que levam ao adoecimento, deslocando o foco da doença e acolhendo os modos e contextos de vida. Muitos avanços ocorreram nas políticas e programas de promoção à saúde, no entanto há uma necessidade de metodologias para monitorar e avaliar as ações nesse campo. Uma metodologia estruturada serve como um modelo que possibilita um passo a passo a fim de construir e avaliar um programa de intervenção e sua implementação. Pergunta: Quais são as metodologias que têm sido utilizadas para monitorar e avaliar o resultado e o impacto das ações de Promoção da Saúde na APS? Métodos: Três frameworks para avaliação e monitoramento de ações de promoção da saúde foram identificados: RE-AIM, PRECEDE-PROCEED, PROCTOR e colaboradores. Buscas manuais foram realizadas nas fontes de informação Pubmed e Google Acadêmico para identificar artigos que abordassem os conceitos e o modo de operação desses frameworks, bem como exemplos de estudos que os tenham aplicado. As buscas foram realizadas por uma revisora e as extrações de dados por três revisores. Não foi realizada a avaliação da qualidade metodológica dos estudos. Os resultados são apresentados em síntese narrativa. Resultados: As buscas manuais recuperaram treze publicações, das quais dez compuseram a síntese narrativa desta revisão rápida. Cinco artigos abordando o framework RE-AIM são apresentados, um que discorre sobre o modelo e quatro que ilustram suas possibilidades de aplicação (exemplos de estudos de desenhos diversos sobre intervenções em atividade física, obesidade infantil e mudanças no estilo de vida). Para o framework PRECEDE-PROCEED foram incluídos um artigo sobre o modelo e dois artigos que exemplificam sua aplicação na avaliação de programa de saúde comunitária para adultos hipertensos e aconselhamento de atividade física. O modelo de ciência de implementação proposto por Proctor e colaboradores é abordado em um artigo e exemplificado em outro sobre avaliação qualitativa de um programa de promoção de saúde para usuários com risco de desenvolver doenças. Considerações finais: São apresentados três frameworks para avaliação de ações de promoção da saúde em ambientes de APS. Os modelos são distintos entre si e, de maneira geral, os estudos que os utilizaram indicam que eles podem ser boas ferramentas para planejar, implementar, monitorar e avaliar programas e ações de promoção de saúde.


This rapid review was commissioned and subsidized by the Ministry of Health, within the scope of the GEREB-010-FIO-20 project and is part of the "Rapid response for health promotion" Collection. Context: The Brazilian National Health Promotion Policy recognizes the need to implement actions in an integrated, transversal and intersectoral manner. Health promotion is characterized as a set of individual and collective ways and strategies to produce health, in intersectoral articulation with strong social participation. Thus, its implementation process contemplates a new health paradigm and the processes that lead to illness, shifting the focus of the disease and welcoming the ways and contexts of life. Many advances have been made in health promotion policies and programs, however there is a need for methodologies to monitor and evaluate actions in this field. A structured methodology serves as a model that provides a step-by-step approach to building and evaluating an intervention program and its implementation. Question: What methodologies have been used to monitor and evaluate the result and impact of Health Promotion actions in PHC? Methods: Three frameworks for evaluating and monitoring health promotion actions were identified: RE-AIM, PRECEDE-PROCEED, PROCTOR and collaborators. Manual searches were carried out in Pubmed and Google Scholar information sources to identify articles that addressed the concepts and operation of these frameworks, as well as examples of studies that have applied them. Searches were performed by one reviewer and data extractions by three reviewers. The evaluation of the methodological quality of the studies was not performed. The results are presented in narrative synthesis. Results: Manual searches retrieved thirteen publications, ten of which composed the narrative synthesis of this quick review. Five articles addressing the RE-AIM framework are presented, one that discusses the model and four that illustrate its application possibilities (examples of studies of different designs on interventions in physical activity, childhood obesity and changes in lifestyle). For the PRECEDE-PROCEED framework, an article about the model and two articles that exemplify its application in the evaluation of a community health program for hypertensive adults and physical activity counseling were included. The implementation science model proposed by Proctor and collaborators is addressed in an article and exemplified in another on qualitative evaluation of a health promotion program for users at risk of developing diseases. Final considerations: Three frameworks for evaluating health promotion actions in PHC environments are presented. The models are distinct from each other and, in general, the studies that used them indicate that they can be good tools for planning, implementing, monitoring and evaluating health promotion programs and actions.


Subject(s)
Primary Health Care/standards , Health Impact Assessment , Health Promotion/methods
3.
Brasília; Fiocruz Brasília;Instituto de Saúde de São Paulo; 28 jun. 2021. 83 p.
Non-conventional in Portuguese | ColecionaSUS, LILACS, ColecionaSUS, PIE | ID: biblio-1358529

ABSTRACT

Esta síntese rápida de evidências foi comissionada e subsidiada pelo Ministério da Saúde, no âmbito do projeto GEREB-010-FIO-20 e faz parte da Coleção "Rapid response for health promotion". O problema: A Promoção da Saúde é composta por um conjunto de ações e estratégias, individuais e coletivas, com articulação intersetorial e especialmente com forte participação social. Todos esses fatores tornam sua implementação um grande desafio. Esta síntese rápida de evidências teve como finalidade identificar intervenções com abordagens comunitárias que podem ser promissoras para a promoção da saúde no âmbito da atenção primária à saúde. Opções para enfrentar o problema: De 1.429 publicações identificadas nas bases de dados, 36 revisões sistemáticas (RS) foram selecionadas para compor esta síntese narrativa. Com relação à qualidade metodológica, duas RS foram classificadas como de confiança alta, quatro de confiança moderada, duas de confiança baixa e vinte e oito de confiança criticamente baixa. A apresentação dos resultados foi organizada em sete opções de abordagens comunitárias para lidar com oproblema, agrupando-se as intervenções por similaridade. As estratégias apresentadas nas opções podem serimplementadas de forma única ou combinada, de acordo com os contextos locais. Embora muitos efeitospositivos das intervenções analisadas sejam relatados nas RS, é importante também considerar as incertezasapontadas com relação a algumas intervenções. Opção 1. Abordagens comunitárias para redução de morbimortalidade por doenças crônicas não transmissíveis: Treze RS apresentaram efeitos das intervenções para redução da morbimortalidade por doenças crônicas não transmissíveis (DCNT), entre as quais hipertensão arterial sistêmica, diabetes melito tipo 2, câncer, doenças cardiovasculares, transtorno mental, multimorbidades e DCNT não especificadas. De modo geral, os resultados foram benéficos com intervenções de educação, acompanhamento de profissionais da saúde e técnicas comportamentais, combinadas entre si ou não. Opção 2. Abordagens comunitárias para prevenção e controle de tabagismo: Oito RS identificaram efeitos positivos com intervenções de aconselhamento; educacionais e eventos culturais; conduzidas por farmacêuticos; dirigidas a profissionais de saúde; com múltiplos componentes. Opção 3. Abordagens comunitárias para redução de morbimortalidade em decorrência do uso abusivo de álcool e outras drogas: Seis RS mostraram resultados positivos com intervenções por meio de tecnologia digital; motivacionais; com participação da família e pessoas significativas; dirigidas a conselheiros; para população indígena; e com múltiplos componentes. Opção 4. Abordagens comunitárias para promoção de práticas corporais ou de atividade física: Seis RS apresentaram os efeitos positivos quanto a intervenções educacionais; caminhada; dança; esquemas de referência de exercícios; com abordagem participativa; uso de lembretes; aconselhamento, sessões em grupo ou por correio; com múltiplos componentes. Opção 5. Abordagens comunitárias para promoção de alimentação saudável: Duas RS relataram resultados positivos com intervenções de aconselhamento dietético ou aconselhamento nutricional; educacionais; consumo de dieta tradicional; suplementação de nutrientes; com participação do setor comercial; subsídio para consumo de frutas e vegetais; com múltiplos componentes; política de nutrição. Opção 6. Abordagens comunitárias para prevenção de violência e estímulo à cultura de paz: Uma RS mostrou resultados positivos de intervenções com foco em âmbitos primário (implementadas universalmente para prevenir o início da violência); secundário (implementadas seletivamente com jovens com maior risco de violência) e terciário (com foco em jovens que já tenham praticado comportamento violento). Opção 7. Abordagens comunitárias para redução de morbimortalidade por acidentes de trânsito: Uma RS apresentou os benefícios de intervenções com múltiplos componentes, incluindo envolvimento e coordenação da comunidade, estratégias com base em habilidades, detecção e redução de danos, redução da oferta de bebidas.


This rapid synthesis of evidence was commissioned and subsidized by the Ministry of Health, within the scope of the GEREB-010-FIO-20 project and is part of the "Rapid response for health promotion" Collection. The problem: Health Promotion is composed of a set of actions and strategies, individual and collective, with intersectoral articulation and especially with strong social participation. All these factors make its implementation a major challenge. This rapid synthesis of evidence aimed to identify interventions with community-based approaches that may hold promise for health promotion within primary health care. Options to tackle the problem: From 1,429 publications identified in the databases, 36 systematic reviews (SR) were selected to compose this narrative synthesis. Regarding the methodological quality, two SRs were classified as high confidence, four as moderate confidence, two as low confidence and twenty-eight as critically low confidence. The presentation of the results was organized into seven options of community approaches to deal with the problem, grouping the interventions by similarity. The strategies presented in the options can be implemented singly or in combination, according to local contexts. Although many positive effects of the analyzed interventions are reported in the SRs, it is also important to consider the uncertainties pointed out in relation to some interventions. Option 1. Community approaches to reduce morbidity and mortality from chronic non-communicable diseases: Thirteen RS showed effects of interventions to reduce morbidity and mortality from chronic non-communicable diseases (NCDs), including systemic arterial hypertension, type 2 diabetes mellitus, cancer, cardiovascular diseases , mental disorder, multimorbidities and unspecified NCDs. In general, the results were beneficial with education interventions, monitoring of health professionals and behavioral techniques, combined or not. Option 2. Community approaches to tobacco prevention and control: Eight SRs identified positive effects with counseling interventions; educational and cultural events; led by pharmacists; addressed to health professionals; with multiple components. Option 3. Community approaches to reducing morbidity and mortality from alcohol and drug abuse: Six SRs showed positive results with interventions using digital technology; motivational; with the participation of the family and significant others; addressed to advisers; for indigenous population; and with multiple components. Option 4. Community approaches to promoting body practices or physical activity: Six SRs showed positive effects in terms of educational interventions; walking; dance; exercise reference schemes; with a participatory approach; use of reminders; counseling, group or mail-in sessions; with multiple components. Option 5. Community approaches to promoting healthy eating: Two SRs reported positive results with dietary counseling or nutrition counseling interventions; educational; consumption of traditional diet; nutrient supplementation; with the participation of the commercial sector; subsidy for consumption of fruits and vegetables; with multiple components; nutrition policy. Option 6. Community Approaches to Preventing Violence and Encouraging a Culture of Peace: One SR showed positive results from interventions focused on primary levels (implemented universally to prevent the onset of violence); secondary (selectively implemented with youth at higher risk of violence) and tertiary (focused on youth who have already engaged in violent behavior). Option 7. Community approaches to reducing morbidity and mortality from road traffic accidents: An SR presented the benefits of multi-component interventions, including community involvement and coordination, skills-based strategies, harm detection and reduction, and beverage supply reduction.


Subject(s)
Humans , Primary Health Care/standards , Public Health/methods , Health Promotion
4.
Brasília; Fiocruz Brasília;Instituto de Saúde de São Paulo; 04 maio 2021. 19 p.
Non-conventional in Portuguese | ColecionaSUS, LILACS, ColecionaSUS, PIE | ID: biblio-1358463

ABSTRACT

Esta revisão rápida foi comissionada e subsidiada pelo Ministério da Saúde, no âmbito do projeto GEREB-010-FIO-20 e faz parte da Coleção "Rapid response for health promotion". A atividade física é um dos componentes que auxiliam na prevenção de doenças crônicas não transmissíveis. Considerando que menos de 50% da população brasileira pratica atividade física regularmente, é necessária a implementação de estratégias efetivas para mudança deste quadro. Esta revisão rápida investigou quais são os elementos das estratégias de aconselhamento de atividade física que se mostram mais efetivos no contexto de Atenção Primária à Saúde (APS). Pergunta: Quais são as ferramentas efetivas para o aconselhamento de atividade física por profissionais da APS? Métodos: Seguindo protocolo prévio, oito bases da literatura eletrônica foram buscadas em abril de 2021 para identificar estudos sobre estratégias efetivas de aconselhamento para o aumento da atividade física. Utilizando atalhos de revisão rápida para simplificar o processo, foram realizadas seleção de revisões sistemáticas (RS) e extração dos dados. As RS incluídas foram avaliadas por meio da ferramenta AMSTAR 2. Em seguida, os resultados foram reunidos em síntese narrativa. Resultados: As buscas recuperaram 1.450 referências únicas, que após seleção resultaram na inclusão de quatro RS, cuja confiança nos resultados foi considerada criticamente baixa. A maioria dos estudos primários analisados nessas RS foi conduzida em países de alta renda. As intervenções de aconselhamento foram realizadas por enfermeiros, nutricionistas, psicólogos, assistentes sociais, médicos e docentes de programas de residência. A maior parte dos estudos envolveu adultos e idosos de ambos os gêneros, por meio de encontros majoritariamente presenciais e individuais. Foram avaliados como elementos do aconselhamento: o número e duração dos encontros; o tempo de acompanhamento; o tipo de aconselhamento (teoria que fundamenta, personalização etc.); a redução progressiva dos encontros; o profissional responsável e o domínio profissional; a combinação com outras estratégias; a população alvo; e o treinamento dos profissionais. Não foram identificados efeitos diferenciais referentes à maior parte dos componentes da intervenção, mas a atividade física foi aumentada principalmente com maior número e duração de encontros e tempo de acompanhamento. Considerações finais: A síntese dos resultados sugere diferenças significativas para a realização do aconselhamento mais duradouras e em um período maior, por diferentes profissionais de saúde e adaptando às necessidades dos participantes. O treinamento de médicos para a prática de aconselhamento não afetou o número de pacientes aconselhados pelos profissionais. Contudo, a pequena quantidade de estudos e as falhas metodológicas das revisões sistemáticas incluídas comprometem a confiança dos resultados.


This rapid review was commissioned and subsidized by the Ministry of Health, within the scope of the GEREB-010-FIO-20 project and is part of the "Rapid response for health promotion" Collection. Physical activity is one of the components that help prevent chronic non-communicable diseases. Considering that less than 50% of the Brazilian population practices physical activity regularly, it is necessary to implement effective strategies to change this situation. This quick review investigated which elements of physical activity counseling strategies are most effective in the context of Primary Health Care (PHC). Question: What are effective tools for physical activity counseling by PHC professionals? Methods: Following a previous protocol, eight databases from the electronic literature were searched in April 2021 to identify studies on effective counseling strategies to increase physical activity. Using quick review shortcuts to simplify the process, selection of systematic reviews (SR) and data extraction were performed. The SRs included were evaluated using the AMSTAR 2 tool. Then, the results were gathered in a narrative synthesis. Results: The searches retrieved 1,450 unique references, which after selection resulted in the inclusion of four RS, whose confidence in the results was considered critically low. Most of the primary studies analyzed in these SRs were conducted in high-income countries. Counseling interventions were carried out by nurses, nutritionists, psychologists, social workers, physicians and faculty from residency programs. Most of the studies involved adults and elderly people of both genders, through mostly face-to-face and individual meetings. The following were evaluated as elements of counseling: the number and duration of meetings; the follow-up time; the type of counseling (theory behind it, personalization, etc.); the progressive reduction of meetings; the responsible professional and the professional domain; the combination with other strategies; the target population; and training of professionals. No differential effects were identified for most components of the intervention, but physical activity was increased mainly with greater number and duration of meetings and follow-up time. Final considerations: The synthesis of the results suggests significant differences for the realization of more lasting counseling and in a longer period, by different health professionals and adapting to the needs of the participants. Training physicians to practice counseling did not affect the number of patients counseled by professionals. However, the small number of studies and the methodological flaws of the systematic reviews included compromise the reliability of the results.


Subject(s)
Humans , Primary Health Care/standards , Exercise , Health Promotion
5.
Brasília; Fiocruz Brasília;Instituto de Saúde de São Paulo; 24 maio 2021. 25 p.
Non-conventional in Portuguese | ColecionaSUS, LILACS, ColecionaSUS, PIE | ID: biblio-1358480

ABSTRACT

Esta revisão rápida foi comissionada e subsidiada pelo Ministério da Saúde, no âmbito do projeto GEREB-010-FIO-20 e faz parte da Coleção "Rapid response for health promotion". Contexto: As Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT) estão entre as principais causas de mortalidade no mundo. Diabetes mellitus tipo 2 (DM2), hipertensão arterial sistêmica (HAS) e obesidade são considerados problemas de saúde pública com alta prevalência em países pobres. A atividade física pode ser um fator protetivo para DCNT, auxiliando na prevenção e tratamento das doenças e da incapacidade funcional, por meio da redução da adiposidade corporal e da pressão arterial, melhora do perfil lipídico e da sensibilidade à insulina, entre outros benefícios. Pergunta: Quais intervenções de atividade física são efetivas para controle de diabetes, hipertensão e de sobrepeso/obesidade na Atenção Primária à Saúde (APS)? Métodos: Oito bases da literatura eletrônica foram buscadas em maio de 2021 para identificar revisões sistemáticas (RS) sobre intervenções de atividade física para controle ou melhoria dos quadros de diabetes, hipertensão e sobrepeso/obesidade. Utilizando atalhos de revisão rápida para simplificar o processo, foram realizadas seleção e extração dos dados com posterior avaliação da qualidade das RS. Em seguida, os resultados foram reunidos em síntese narrativa conforme similaridade. Resultados: A busca retornou 633 referências únicas, que após seleção resultaram na inclusão de 6 revisões sistemáticas, todas de confiança criticamente baixa na avaliação da qualidade metodológica. A maioria dos estudos foi realizada na Ásia e América do Norte, com destaque para China e Estados Unidos. Uma revisão sistemática incluiu estudos realizados no Brasil. O protocolo desta revisão previa a inclusão de estudos realizados em serviços de atenção primária à saúde, porém durante o processo de seleção foi necessário ampliar os critérios de elegibilidade, pois não foram identificados estudos restritos a contextos de APS. Algumas RS também incluíram o grupo de comparadores envolvendo atividade física e voluntários saudáveis. Os resultados foram apresentados em três categorias conforme a condição analisada: hipertensão, diabetes mellitus 2 e as três condições combinadas (HAS, DM2 e obesidade). Os estudos envolveram as seguintes intervenções: prática de tai chi chuan; treino de resistência e/ou aeróbico; aeróbico, musculação e educação sobre estilo de vida; yoga; treino de hidroginástica, fortalecimento, alongamento e Baduanjin; uso de monitores de atividade (acelerômetros ou pedômetros) e exercício de resistência progressiva; pedômetro com atividade física. A maioria dos resultados mostrou efeitos positivos (pressão arterial média; controle efetivo da pressão arterial - PA; redução das pressões arteriais sistólica (PAS) e diastólica (PAD); melhora na medida da hemoglobina glicada; diminuição significativa do índice de massa corporal - IMC), indicando também incertezas quanto a alguns desfechos. Conclusão: As RS que avaliaram pacientes hipertensos indicam redução na PA com a prática de atividade física, porém a certeza da evidência foi baixa em uma delas. O uso de monitores de atividade não resultou em melhora nos indicadores de pacientes com DM2. Uma das RS indicou que exercícios de resistência melhoraram a medida da hemoglobina glicada, mas não apresentaram efeito na composição corporal de pacientes com DM2 e sobrepeso. Já o uso de pedômetros, em uma RS, foi associado à diminuição no IMC e na PAS em pacientes com comorbidades. Os estudos incluídos devem ser avaliados com cautela, pois apresentaram falhas metodológicas que comprometem a confiança em seus resultados.


This rapid review was commissioned and subsidized by the Ministry of Health, within the scope of the GEREB-010-FIO-20 project and is part of the "Rapid response for health promotion" Collection. Context: Chronic Noncommunicable Diseases (NCDs) are among the leading causes of mortality in the world. Type 2 diabetes mellitus (DM2), systemic arterial hypertension (SAH) and obesity are considered public health problems with high prevalence in poor countries. Physical activity can be a protective factor for NCDs, helping to prevent and treat diseases and functional disability, by reducing body adiposity and blood pressure, improving lipid profile and insulin sensitivity, among other benefits. Question: Which physical activity interventions are effective for controlling diabetes, hypertension and overweight/obesity in Primary Health Care (PHC)? Methods: Eight electronic literature databases were searched in May 2021 to identify systematic reviews (SR) on physical activity interventions to control or improve diabetes, hypertension and overweight/obesity. Using quick review shortcuts to simplify the process, data selection and extraction were performed with subsequent evaluation of the SR quality. Then, the results were gathered in narrative synthesis according to similarity. Results: The search returned 633 unique references, which after selection resulted in the inclusion of 6 systematic reviews, all with critically low confidence in the assessment of methodological quality. Most studies were carried out in Asia and North America, with emphasis on China and the United States. A systematic review included studies carried out in Brazil. The protocol of this review provided for the inclusion of studies carried out in primary health care services, but during the selection process it was necessary to expand the eligibility criteria, as no studies restricted to PHC contexts were identified. Some SRs also included the group of comparators involving physical activity and healthy volunteers. The results were presented in three categories according to the condition analyzed: hypertension, diabetes mellitus 2 and the three conditions combined (SAH, DM2 and obesity). The studies involved the following interventions: practice of tai chi chuan; resistance and/or aerobic training; aerobics, strength training and lifestyle education; yoga; water aerobics, strengthening, stretching and Baduanjin training; use of activity monitors (accelerometers or pedometers) and progressive resistance exercise; pedometer with physical activity. Most of the results showed positive effects (mean blood pressure; effective control of blood pressure - BP; reduction of systolic (SBP) and diastolic (DBP) blood pressures; improvement in the measurement of glycated hemoglobin; significant decrease in body mass index - BMI ), also indicating uncertainties regarding some outcomes. Conclusion: The SRs that evaluated hypertensive patients indicated a reduction in BP with the practice of physical activity, but the certainty of the evidence was low in one of them. The use of activity monitors did not result in an improvement in the indicators of patients with DM2. One of the RS indicated that resistance exercises improved the measurement of glycated hemoglobin, but had no effect on the body composition of patients with DM2 and overweight. The use of pedometers in an SR was associated with a decrease in BMI and SBP in patients with comorbidities. The included studies should be evaluated with caution, as they had methodological flaws that compromise confidence in their results.


Subject(s)
Humans , Adult , Primary Health Care/standards , Exercise , Diabetes Mellitus, Type 2/prevention & control , Hypertension/prevention & control , Obesity/prevention & control
6.
Brasília; Fiocruz Brasília;Instituto de Saúde de São Paulo; 17 março 2021. 19 p.
Non-conventional in Portuguese | ColecionaSUS, LILACS, ColecionaSUS, PIE | ID: biblio-1358534

ABSTRACT

Esta revisão rápida de recomendações foi comissionada e subsidiada pelo Ministério da Saúde, no âmbito do projeto GEREB-010-FIO-20 e faz parte da Coleção "Rapid response for health promotion". Contexto: A diabetes mellitus tipo 2 (DM2) é um transtorno metabólico que afeta grande parte da população adulta, e pode estar relacionada a diversas comorbidades. O tratamento e acompanhamento dos indivíduos acometidos por essa doença dá-se preferencialmente por equipes de atenção primária à saúde (APS), cujo objetivo é garantir a coordenação de cuidado integral à pessoa com DM2. Pergunta: Quais medidas/intervenções são efetivas para o tratamento de adultos e idosos com DM2 na APS? Métodos: Foram realizadas buscas em março de 2021 na Base Internacional de Guías GRADE (BIGG) por guias de prática clínica (GPC) sobre o tratamento de DM2. Apenas o processo de seleção foi realizado por duas revisoras de modo independente. Os resultados foram agrupados em síntese narrativa conforme similaridade. Resultados: Foram encontrados 11 GPC e após o processo de seleção e elegibilidade 5 GPC atenderam aos critérios de inclusão. Os guias apresentaram 30 recomendações sobre tratamento farmacológico, 28 a respeito de intervenções não farmacológicas e 9 recomendações sobre metas de controle glicêmico. As recomendações de tratamento farmacológico referem-se ao início do tratamento, tratamento por via oral, tratamento após falhas na terapêutica inicial e eventos adversos. No tratamento não farmacológico são indicadas intervenções de apoio do paciente com diabetes para o seu autocuidado; cuidados centrados no paciente e tomada de decisão compartilhada; ações com base nas características dos pacientes, controle glicêmico e monitoramento; dieta; estratégias multifacetadas, bem como recomendações acerca de complicações e condições selecionadas. As metas de controle glicêmico têm como base os resultados de hemoglobina glicosilada/glicada. Conclusão: Esta revisão rápida apresenta diversas recomendações de GPC elaboradas com base em evidências científicas, bem como a força dessas evidências. Destaca-se que não foram avaliadas a qualidade dos GPC, o que deve ser levado em consideração na interpretação dos resultados. A implementação das recomendações sugeridas deve ser considerada de acordo com o contexto de saúde local.


This rapid review of recommendations was commissioned and supported by the Ministry of Health, under the project GEREB-010-FIO-20 and is part of the "Rapid response for health promotion" Collection. Background: Type 2 diabetes mellitus (DM2) is a metabolic disorder that affects a large part of the adult population, and may be related to several comorbidities. The treatment and monitoring of individuals affected by this disease is preferably carried out by primary health care (PHC) teams, whose objective is to guarantee the coordination of comprehensive care for the person with DM2. Question: What measures/interventions are effective for the treatment of adults and elderly people with DM2 in PHC? Methods: Searches were carried out in March 2021 on the Base Internacional de Guías GRADE (BIGG) for clinical practice guides (GPC) on the treatment of DM2. Only the selection process was carried out by two reviewers independently. The results were grouped in narrative synthesis according to similarity. Results: 11 GPCs were found and after the selection and eligibility process, 5 GPCs met the inclusion criteria. The guides presented 30 recommendations on pharmacological treatment, 28 on non-pharmacological interventions, and 9 recommendations on glycemic control goals. Pharmacological treatment recommendations refer to initiation of treatment, oral treatment, treatment after failure of initial therapy and adverse events. In non-pharmacological treatment, interventions to support patients with diabetes are indicated for their self-care; patient-centered care and shared decision-making; actions based on patient characteristics, glycemic control and monitoring; diet; multifaceted strategies, as well as recommendations on selected complications and conditions. Glycemic control goals are based on glycosylated/glycated hemoglobin results. Conclusion: This rapid review presents several GPC recommendations based on scientific evidence, as well as the strength of that evidence. It is noteworthy that the quality of the GPC was not evaluated, which must be taken into account when interpreting the results. The implementation of the suggested recommendations should be considered according to the local health context.


Subject(s)
Humans , Adult , Primary Health Care/standards , Diabetes Mellitus, Type 2/prevention & control , Glycemic Control
7.
Brasília; Fiocruz Brasília;Instituto de Saúde de São Paulo; 15 mar. 2021. 33 p.
Non-conventional in Portuguese | ColecionaSUS, LILACS, ColecionaSUS, PIE | ID: biblio-1358530

ABSTRACT

Esta revisão rápida de recomendações foi comissionada e subsidiada pelo Ministério da Saúde, no âmbito do projeto GEREB-010-FIO-20 e faz parte da Coleção "Rapid response for health promotion". Contexto: A hipertensão arterial sistêmica (HAS) é um problema global de saúde pública, considerada um dos principais determinantes para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares. Trata-se de uma doença crônica cujo acompanhamento prioritário é realizado por equipes de atenção primária à saúde (APS), responsáveis por garantir a coordenação de um cuidado integral à pessoa com HAS. Pergunta: Quais são as intervenções efetivas para o tratamento de adultos e idosos com HAS na APS? Métodos: Nove bases da literatura eletrônica foram buscadas em março de 2021 por revisões sistemáticas (RS) e guias de prática clínica (GPC) sobre o tratamento de HAS. Utilizando atalhos de revisão rápida para simplificar o processo, foi realizada seleção e extração dos dados com posterior avaliação da qualidade das RS. Em seguida, os resultados foram reunidos em síntese narrativa conforme similaridade. Resultados: A busca retornou 771 referências únicas, que após seleção resultaram na inclusão de três GPC e 13 RS. Os guias apresentaram 33 recomendações sobre tratamento farmacológico e não farmacológico, além de metas pressóricas para o tratamento. As recomendações referem-se ao início do tratamento de pacientes sem contraindicações, fármacos em situações de saúde e populações específicas, como a afro-americana, mulheres e idosos; no tratamento não farmacológico são descritas recomendações direcionadas ao estilo de vida; metas pressóricas são indicadas para casos distintos. Nas RS foram identificadas estratégias para apoiar as recomendações dos guias, como monitoramento da pressão arterial, educação em saúde, e também intervenções incidindo diretamente sobre a gestão do trabalho das equipes de saúde ou programas complexos para controle da hipertensão. Conclusão: Esta revisão rápida apresenta recomendações de GPC elaboradas com base em evidências científicas, bem como a força dessas evidências. As RS incluídas mostram resultados positivos de várias estratégias para melhorar o tratamento da HAS. No entanto, esses achados devem ser analisados com cautela, considerando as falhas metodológicas da RS. Na tomada de decisão, também é necessário analisar os contextos em que foram realizados os estudos primários e as características das intervenções.


This rapid review of recommendations was commissioned and supported by the Ministry of Health, under the project GEREB-010-FIO-20 and is part of the "Rapid response for health promotion" Collection. Context: Systemic arterial hypertension (SAH) is a global public health problem, considered one of the main determinants for the development of cardiovascular diseases. It is a chronic disease whose priority monitoring is carried out by teams of primary health care (PHC), responsible for ensuring the coordination of comprehensive care for people with SAH. Question: What are the effective interventions for the treatment of adults and elderly people with SAH in PHC? Methods: Nine electronic literature databases were searched in March 2021 for systematic reviews (RS) and clinical practice guides (GPC) on the treatment of SAH. Using quick review shortcuts to simplify the process, data selection and extraction were performed with subsequent evaluation of the quality of the SRs. Then, the results were gathered in narrative synthesis according to similarity. Results: The search returned 771 unique references, which after selection resulted in the inclusion of three GPC and 13 RS. The guides presented 33 recommendations on pharmacological and non-pharmacological treatment, in addition to blood pressure targets for treatment. The recommendations refer to the initiation of treatment of patients without contraindications, drugs in health situations and specific populations, such as African Americans, women and the elderly; in the non-pharmacological treatment, recommendations directed to the lifestyle are described; pressure targets are indicated for different cases. Strategies were identified in the SRs to support the recommendations of the guides, such as blood pressure monitoring, health education, as well as interventions directly focusing on the management of the work of health teams or complex programs to control hypertension. Conclusion: This rapid review presents GPC recommendations based on scientific evidence, as well as the strength of that evidence. The SRs included show positive results from several strategies to improve the treatment of SAH. However, these findings must be analyzed with caution, considering the methodological flaws of RS. In decision making, it is also necessary to analyze the contexts in which the primary studies were carried out and the characteristics of the interventions.


Subject(s)
Humans , Adult , Aged , Primary Health Care/standards , Hypertension/prevention & control , Exercise , Hypertension/therapy
8.
Brasília; Fiocruz Brasilia;Instituto de Saúde de São Paulo; 26 fev. 2021. 13 p.
Non-conventional in Portuguese | ColecionaSUS, LILACS, ColecionaSUS, PIE | ID: biblio-1358434

ABSTRACT

Esta síntese rápida de evidências foi comissionada e subsidiada pelo Ministério da Saúde, no âmbito do projeto GEREB-010-FIO-20 e faz parte da Coleção "Rapid response for health promotion". O problema: Ao redor do mundo, a Promoção da Saúde é entendida como conjunto de estratégias que visam intensificar ações intersetoriais e participação social com a finalidade de produzir saúde. No Brasil, a Promoção da Saúde é estabelecida por meio da Política Nacional de Promoção da Saúde, onde ações integradas, transversais e intersetoriais são necessárias para sua implementação. Embora haja esforços para fortalecer essas ações, a complexidade da temática demonstra a incipiência de estratégias de implementação, especialmente na Atenção Primária à Saúde (APS). Essa síntese rápida tem o propósito de identificar estratégias que auxiliem nesse contexto. Busca de evidência: As buscas em nove bases de dados resultaram em 1.628 referências, entre as quais 12 revisões sistemáticas (RS) foram incluídas após o processo de seleção. Evidências: Das 12 RS, três RS avaliaram estratégias para promoção do aleitamento materno; seis avaliaram estratégias para a promoção da atividade física; duas avaliaram estratégias de promoção da alimentação saudável em ambientes de cuidado primário; uma analisou estratégias de promoção para ampliar a comunicação ou educação em ambientes de cuidado primário. Foram encontrados dados sobre barreiras e facilitadores dessas intervenções. No entanto, não são apresentados os resultados dessas RS, porque é bastante provável que elas representem apenas uma parcela de publicações sobre esses temas. Considerações finais: Apesar de terem sido realizadas buscas estruturadas e processo de seleção, houve um entendimento da equipe que as ações e temáticas identificadas são insuficientes para abarcar de maneira completa e adequada as ações de Promoção da Saúde recomendadas pelo Ministério da Saúde.


This rapid synthesis of evidence was commissioned and subsidized by the Ministry of Health, within the scope of the GEREB-010-FIO-20 project and is part of the "Rapid response for health promotion" Collection. The problem: Around the world, Health Promotion is understood as a set of strategies that aim to intensify intersectoral actions and social participation in order to produce health. In Brazil, Health Promotion is established through the National Health Promotion Policy, where integrated, transversal and intersectoral actions are necessary for its implementation. Although there are efforts to strengthen these actions, the complexity of the theme demonstrates the incipience of implementation strategies, especially in Primary Health Care (PHC). This rapid synthesis aims to identify strategies that help in this context. Search for evidence: Searches in nine databases resulted in 1,628 references, among which 12 systematic reviews (RS) were included after the selection process. Evidences: Of the 12 SRs, three SRs evaluated strategies to promote breastfeeding; six evaluated strategies to promote physical activity; two evaluated strategies to promote healthy eating in primary care settings; one analyzed promotion strategies to expand communication or education in primary care settings. Data on barriers and facilitators of these interventions were found. However, the results of these SRs are not presented, because it is quite likely that they represent only a portion of publications on these topics. Final considerations: Although structured searches and a selection process were carried out, the team understood that the actions and themes identified are insufficient to fully and adequately cover the Health Promotion actions recommended by the Ministry of Health.


Subject(s)
Humans , Primary Health Care/standards , Health Policy , Ordinances
9.
Brasília; Fiocruz Brasília;Instituto de Saúde de São Paulo; 23 fev. 2021. 23 p.
Non-conventional in Portuguese | ColecionaSUS, LILACS, ColecionaSUS, PIE | ID: biblio-1358452

ABSTRACT

Esta síntese rápida de evidências foi comissionada e subsidiada pelo Ministério da Saúde, no âmbito do projeto GEREB-010-FIO-20 e faz parte da Coleção "Rapid response for health promotion". O problema: O cuidado integral e longitudinal da pessoa com hipertensão arterial sistêmica (HAS) e da diabetes mellitus tipo 2 (DM2) estão inseridas nas práticas do SUS, sobretudo na Atenção Primária à Saúde (APS), sendo a adesão ao tratamento um dos seus maiores desafios. Essa revisão rápida visa descrever as barreiras e os facilitadores da adesão ao tratamento terapêutico de HAS e DM2 na APS. Busca de evidência: Foram realizadas buscas em nove bases de dados que resultaram em 222 referências, e após o processo de seleção de acordo com os critérios de elegibilidade, 7 revisões sistemáticas (RS) foram incluídas nesta síntese narrativa. Na avaliação da qualidade metodológica (AMSTAR 2), uma RS foi classificada como de confiança baixa e seis de confiança criticamente baixa. As barreiras e facilitadores encontrados foram sintetizados, agrupando-se as estratégias conforme sua similaridade quanto aos usuários, profissionais de saúde e sistema de saúde. Barreiras: Sete RS apresentaram barreiras para a adesão ao tratamento de HAS ou DM. As intervenções encontradas foram: eHealth, acompanhamento clínico e tratamento farmacológico. Para os usuários, os aspectos emocionais (medo, angústia ou vergonha entre outros), aspectos sociais (acesso aos serviços, educação, custo) e aspectos individuais (estilo de vida, autocuidado, crenças, família) foram mencionados como barreiras à adesão ao tratamento. Os trabalhadores de saúde, por sua vez, referiram a falta de treinamento adequado, fluxo de trabalho, recursos humanos incipientes, além de suas emoções (medo e frustração com a baixa adesão do paciente ao tratamento) como aspectos impeditivos para a adesão dos pacientes de forma satisfatória. Recursos limitados, recursos humanos insuficiente, mão de obra desqualificada e sobrecarga de trabalho foram apontadas como barreiras ao nível do sistema de saúde. Facilitadores: Foram identificados facilitadores para a adesão ao tratamento de DM2 e de HAS em seis RS. Entre os usuários, organizar a atenção para que tenham experiências positivas no início do uso da insulina facilitou a adesão. Também, a oferta de cuidado integral, com a participação de farmacêuticos e agentes comunitários de saúde, foi benéfica inclusive por estimular ações de educação em saúde. Em relação aos trabalhadores, a adoção de abordagem centrada na pessoa e a participação de especialistas foi benéfica para adesão ao tratamento. Ações que tornam mais simples o uso de tecnologias de comunicação, melhorando sua utilização pelos usuários, aumentaram o uso dessas ferramentas para assegurar a adesão. Ademais, garantir o acesso aos medicamentos facilita enormemente que se cumpra o tratamento, bem como ter serviços com recursos físicos e equipes suficientes. Considerações finais: Esta síntese rápida de evidências encontrou barreiras e facilitadores relacionados aos usuários, aos profissionais de saúde e ao sistema de saúde. As intervenções identificadas foram eHealth, acompanhamento clínico, tratamentos farmacológicos com destaque para iniciação à insulina que podem ser aplicadas no contexto da APS. Embora algumas RS não trouxessem informações relativas ao contexto de saúde, decidiu-se incluí-las por haver um entendimento que essas estratégias poderiam ser realizadas em um ambiente de atenção primária. Além disso, houve algumas limitações metodológicas das revisões sistemáticas que devem ser consideradas. Essa síntese rápida não envolveu resultados sobre opções para enfrentamento do problema, uma vez que foram realizadas sínteses com esse foco anteriormente.


This rapid synthesis of evidence was commissioned and subsidized by the Ministry of Health, within the scope of the GEREB-010-FIO-20 project and is part of the "Rapid response for health promotion" Collection. The problem: Comprehensive and longitudinal care for people with systemic arterial hypertension (SAH) and type 2 diabetes mellitus (DM2) are part of SUS practices, especially in Primary Health Care (PHC), with adherence to treatment being one of the its biggest challenges. This quick review aims to describe the barriers and facilitators of adherence to the therapeutic treatment of SAH and T2DM in PHC. Search for evidence: Searches were carried out in nine databases that resulted in 222 references, and after the selection process according to the eligibility criteria, 7 systematic reviews (SR) were included in this narrative synthesis. In the methodological quality assessment (AMSTAR 2), one SR was classified as low confidence and six as critically low confidence. The barriers and facilitators found were synthesized, grouping the strategies according to their similarity in terms of users, health professionals and the health system. Barriers: Seven RS presented barriers to adherence to treatment for SAH or DM. The interventions found were: eHealth, clinical follow-up and pharmacological treatment. For users, emotional aspects (fear, anguish or shame, among others), social aspects (access to services, education, cost) and individual aspects (lifestyle, self-care, beliefs, family) were mentioned as barriers to treatment adherence. . Health workers, in turn, mentioned the lack of adequate training, workflow, incipient human resources, in addition to their emotions (fear and frustration with the patient's low adherence to treatment) as impediments to patient adherence to treatment. satisfactory way. Limited resources, insufficient human resources, unskilled labor and work overload were identified as barriers at the health system level. Facilitators: Facilitators were identified for adherence to DM2 and SAH treatment in six SRs. Among users, organizing attention so that they have positive experiences at the beginning of insulin use facilitated adherence. Also, the provision of comprehensive care, with the participation of pharmacists and community health agents, was beneficial, including encouraging health education actions. Regarding workers, the adoption of a person-centered approach and the participation of specialists was beneficial for treatment adherence. Actions that make the use of communication technologies simpler, improving their use by users, increased the use of these tools to ensure adherence. In addition, ensuring access to medicines greatly facilitates compliance with treatment, as well as having services with sufficient physical resources and staff. Final considerations: This rapid synthesis of evidence found barriers and facilitators related to users, health professionals and the health system. The interventions identified were eHealth, clinical follow-up, pharmacological treatments with emphasis on insulin initiation that can be applied in the context of PHC. Although some SRs did not bring information related to the health context, it was decided to include them because there was an understanding that these strategies could be carried out in a primary care environment. In addition, there were some methodological limitations of systematic reviews that should be considered. This quick synthesis did not involve results on options for coping with the problem, since syntheses with this focus were carried out previously.


Subject(s)
Humans , Adult , Primary Health Care/standards , Diabetes Mellitus, Type 2/prevention & control , Treatment Adherence and Compliance , Hypertension/prevention & control , Insulin/therapeutic use
10.
Brasília; Fiocruz Brasília;Instituto de Saúde de São Paulo; 28 jan. 2021. 19 p.
Non-conventional in Portuguese | ColecionaSUS, LILACS, ColecionaSUS, PIE | ID: biblio-1358445

ABSTRACT

Esta síntese rápida de evidências foi comissionada e subsidiada pelo Ministério da Saúde, no âmbito do projeto GEREB-010-FIO-20 e faz parte da Coleção "Rapid response for health promotion". O problema: A diabetes mellitus tipo 2 (DM2) refere-se à resistência à insulina e pode ter início insidioso e sintomas brandos, acometendo principalmente adultos com longa história de excesso de peso e com história familiar de DM2. Os tratamentos são parte importante do controle da DM2 e com frequência são desafios a serem enfrentados por profissionais e pacientes. Esta síntese rápida de evidências procurou identificar estratégias para aumentar a adesão ao tratamento de pacientes com DM2. Opções para enfrentar o problema: A busca nas bases de dados resultou em 1.518 referências, sendo selecionadas 9 revisões sistemáticas (RS) para compor esta síntese narrativa. Na avaliação da qualidade metodológica (AMSTAR 2), uma revisão foi classificada como de confiança moderada e as demais de confiança criticamente baixa. Duas opções para abordar o problema foram sintetizadas, agrupando-se as estratégias conforme sua similaridade quanto aos profissionais de saúde e/ou ações realizadas. Opção 1. Promoção de intervenções realizadas por farmacêuticos: Os efeitos de intervenções por farmacêuticos voltadas à adesão ao tratamento de adultos com DM2 foram avaliadas em 5 RS. As estratégias utilizadas variaram entre combinação de lembretes de recarga de prescrição e embalagem especializada, programa de cuidado farmacêutico, ações educativas e acompanhamento de saúde e monitoramento relacionado à medicação, realizadas em unidades de Atenção Primária à Saúde (APS) e farmácias. Todas as revisões trouxeram resultados significativos acerca da adesão ao tratamento. Contudo, duas RS apresentaram incertezas, o que pode interferir na avaliação geral da opção. Opção 2. Promoção de estratégias de monitoramento, comunicação, educação em saúde e cuidado compartilhado: Seis RS trouxeram resultados sobre monitoramento, comunicação, educação em saúde e cuidado compartilhado, sendo essas ações realizadas por outros profissionais envolvidos no cuidado em saúde numa variedade de ambientes, mas que podem ser aplicadas na APS. Todas as intervenções apresentaram resultados positivos relacionados à adesão, entretanto foram encontradas incertezas quanto a programas educativos, uso de mensagem de texto e intervenções com o apoio de agentes comunitários de saúde e de enfermeiros. Considerações finais: Esta síntese rápida de evidências encontrou intervenções relativas a assistência farmacêutica, cuidado compartilhado, monitoramento, comunicação e educação em saúde que apresentaram resultados a respeito da adesão ao tratamento de adultos com DM2 que podem ser aplicadas no contexto da APS. No entanto, a qualidade metodológica das revisões foi em sua maioria criticamente baixa, o que requer cautela em seus achados. Esta síntese rápida não envolveu considerações de implementação e implicações relativas à equidade quanto a cada uma das opções. As estratégias apresentadas nas opções podem ser implementadas de forma única ou combinada, de acordo com os contextos locais.


This rapid synthesis of evidence was commissioned and subsidized by the Ministry of Health, within the scope of the GEREB-010-FIO-20 project and is part of the "Rapid response for health promotion" Collection. The problem: Type 2 diabetes mellitus (DM2) refers to insulin resistance and can have an insidious onset and mild symptoms, affecting mainly adults with a long history of being overweight and with a family history of DM2. Treatments are an important part of managing T2DM and are often challenges to be faced by professionals and patients. This rapid synthesis of evidence sought to identify strategies to increase treatment adherence in patients with T2DM. Options to face the problem: The search in the databases resulted in 1,518 references, being selected 9 systematic reviews (SR) to compose this narrative synthesis. In the assessment of methodological quality (AMSTAR 2), one review was classified as moderately confident and the others as critically low. Two options to address the problem were synthesized, grouping the strategies according to their similarity in terms of health professionals and/or actions taken. Option 1. Promotion of interventions performed by pharmacists: The effects of interventions by pharmacists aimed at treatment adherence in adults with T2DM were evaluated in 5 SRs. The strategies used ranged from a combination of prescription refill reminders and specialized packaging, a pharmaceutical care program, educational actions and health monitoring and medication-related monitoring, carried out in Primary Health Care units (PHC) and pharmacies. All reviews brought significant results about adherence to treatment. However, two SRs presented uncertainties, which may interfere in the general evaluation of the option. Option 2. Promotion of monitoring, communication, health education and shared care strategies: Six SRs brought results on monitoring, communication, health education and shared care, with these actions being carried out by other professionals involved in health care in a variety of environments , but which can be applied in PHC. All interventions showed positive results related to adherence, however uncertainties were found regarding educational programs, use of text messages and interventions with the support of community health agents and nurses. Final considerations: This rapid synthesis of evidence found interventions related to pharmaceutical care, shared care, monitoring, communication and health education that presented results regarding adherence to treatment of adults with DM2 that can be applied in the context of PHC. However, the methodological quality of the reviews was mostly critically low, which calls for caution in their findings. This quick summary did not involve implementation considerations and equity implications for each of the options. The strategies presented in the options can be implemented singly or in combination, according to local contexts.


Subject(s)
Humans , Adult , Primary Health Care/standards , Diabetes Mellitus, Type 2/prevention & control , Treatment Adherence and Compliance
11.
Braz. J. Pharm. Sci. (Online) ; 57: e18113, 2021. tab
Article in English | LILACS | ID: biblio-1339307

ABSTRACT

The effective insertion of the pharmacist into primary care is an important goal for health policies. The objective of this study was to describe and analyze pharmacists and Pharmaceutical Care in the primary health centers (UBS) of São Bernardo do Campo. Data were obtained through an interview applied to pharmacists. The instrument has three sections: (1) Pharmacist identification; (2) Pharmacist work; and (3) Pharmaceutical activities. Items in section 3 correspond to the guidelines of agencies that promote Pharmaceutical Care in the primary health system. All 24 pharmacists working in UBS in São Bernardo do Campo were interviewed. Every center dispensing medicines has a responsible pharmacist. These pharmacists are predominantly women and postgraduates. Activities of Pharmaceutical Care reported were: daily prescription analysis (75% of interviewees); monthly participation in patient groups (70.8%); monthly follow-up of pharmacotherapy adherence (58.3%); monthly participation in multiprofessional team meetings (54.2%); monthly home visits (12.5%); health education to the community (83.3%); and pharmacist consultation (37.5%). Frequency of prescription analysis and home visits was weakly associated with aspects of the pharmacist and the facility. This study showed that Pharmaceutical Services are structured in primary care in São Bernardo do Campo and many Pharmaceutical Care activities are offered in its UBS


Subject(s)
Humans , Male , Female , Pharmaceutical Services/classification , Primary Health Care/standards , Health Centers , Patients/classification , Pharmacists/ethics , Referral and Consultation/classification , Health Systems/organization & administration , Prescriptions/standards , House Calls/trends
12.
Brasília; Fiocruz Brasília;Instituto de Saúde de São Paulo; 30 dez. 2020. 23 p.
Non-conventional in Portuguese | ColecionaSUS, LILACS, ColecionaSUS, PIE | ID: biblio-1358443

ABSTRACT

Esta síntese rápida de evidências foi comissionada e subsidiada pelo Ministério da Saúde, no âmbito do projeto GEREB-010-FIO-20 e faz parte da Coleção "Rapid response for health promotion". O problema: A hipertensão arterial é uma condição clínica multifatorial e crônica de alta prevalência no Brasil. Um dos maiores desafios é a adesão do paciente ao tratamento. Esta síntese rápida de evidências visa identificar estratégias para aumentar a adesão ao tratamento de pacientes com hipertensão arterial. Opções para enfrentar o problema: A busca nas bases de dados resultou em 179 referências, sendo selecionadas 13 revisões sistemáticas (RS) para compor esta síntese narrativa. Na avaliação da qualidade metodológica (AMSTAR 2), uma revisão foi classificada como de confiança moderada, três de confiança baixa e nove de confiança criticamente baixa. Quatro opções para abordar o problema foram sintetizadas, agrupando-se as estratégias conforme sua similaridade quanto aos profissionais de saúde e/ou ações realizadas. Opção 1. Promoção de intervenções realizadas por farmacêuticos: Os efeitos de intervenções por farmacêuticos voltadas ao tratamento farmacológico foram avaliados em quatro RS. As estratégias utilizadas variaram entre contratação de profissional clínico para compor a equipe, programa de cuidado farmacêutico, aconselhamento e ações combinadas para gerenciar o uso dos medicamentos, ações educativas e sessões de acompanhamento, realizadas em clínicas de atenção primária à saúde e farmácias comunitárias. Três revisões trouxeram resultados significativos para o tratamento e uma apresentou resultados mais moderados, compreendendo incerteza quanto a sua efetividade. Opção 2. Promoção de intervenções realizadas por outros profissionais: As intervenções realizadas por Agentes Comunitários de Saúde (ACS) e equipe de enfermagem foram avaliadas em quatro revisões sistemáticas. Houve resultados positivos para ações de treinamento, aconselhamento e definição de metas para aderir aos tratamentos, especialmente os farmacológicos. Contudo, intervenções envolvendo gestão de caso, uso de embalagens e educação (presencial, por telefone, vídeo e/ou correspondência) apresentaram evidência fraca porém benéfica quanto ao seu efeito. Opção 3. Uso de intervenções de automonitoramento, aplicativos de celular e mensagens de texto: Empregar estratégias para o automonitoramento da pressão arterial levou a efeitos positivos na adesão ao tratamento, mas os resultados não foram consistentes em subgrupos de estudo que mediram a adesão por meio de autorrelato ou registros das farmácias; a monitorização domiciliar também não apresentou resultados consolidados. O uso de aplicativos de celular levou a melhoras significativas na adesão das pessoas hipertensas ao tratamento farmacológico. Todavia, o uso de SMS como lembretes para automonitoramento não foi capaz de melhorar a adesão dos participantes. Opção 4. Oferta de subsídios para aquisição de medicamentos: A implementação de um programa de subsídios, assegurando a cobertura completa de medicamentos anti-hipertensivos a adultos de baixa renda, esteve associada a um aumento na adesão a medicamentos em uma revisão sistemática. Considerações finais: Esta síntese rápida de evidências encontrou intervenções relativas a assistência farmacêutica (especialmente com a ações de farmacêuticos e outros profissionais de saúde), automonitoramento e uso de aplicativos de celular e SMS que apresentavam resultados a respeito da adesão ao tratamento de adultos hipertensos que podem ser aplicadas no contexto da APS. Apesar de várias revisões sistemáticas não informarem o contexto de saúde onde as intervenções foram realizadas decidiu-se incluí-las por haver um entendimento que essas estratégias poderiam ser realizadas em um ambiente de atenção primária. Além disso, houve algumas limitações metodológicas das revisões sistemáticas que devem ser consideradas. Essa síntese rápida não envolveu considerações de implementação e implicações relativas à equidade quanto a cada uma das opções. As estratégias apresentadas nas opções podem ser implementadas de forma única ou combinada, de acordo com os contextos locais.


This rapid synthesis of evidence was commissioned and subsidized by the Ministry of Health, within the scope of the GEREB-010-FIO-20 project and is part of the "Rapid response for health promotion" Collection. The problem: Arterial hypertension is a multifactorial and chronic clinical condition with high prevalence in Brazil. One of the biggest challenges is patient adherence to treatment. This rapid synthesis of evidence aims to identify strategies to increase treatment adherence in patients with hypertension. Options to face the problem: The search in the databases resulted in 179 references, being selected 13 systematic reviews (SR) to compose this narrative synthesis. In the assessment of methodological quality (AMSTAR 2), one review was rated as moderately confident, three as low confidence, and nine as critically low. Four options to address the problem were synthesized, grouping the strategies according to their similarity in terms of health professionals and/or actions taken. Option 1. Promotion of interventions carried out by pharmacists: The effects of interventions by pharmacists aimed at pharmacological treatment were evaluated in four SRs. The strategies used ranged from hiring a clinical professional to compose the team, a pharmaceutical care program, counseling and combined actions to manage the use of medicines, educational actions and follow-up sessions, held in primary health care clinics and community pharmacies. Three reviews brought significant results for the treatment and one presented more moderate results, comprising uncertainty about its effectiveness. Option 2. Promotion of interventions performed by other professionals: Interventions performed by Community Health Agents (CHA) and nursing staff were evaluated in four systematic reviews. There were positive results for training, counseling and goal setting actions to adhere to treatments, especially pharmacological ones. However, interventions involving case management, packaging use, and education (face-to-face, telephone, video, and/or mail) showed weak but beneficial evidence of effect. Option 3. Use of self-monitoring interventions, cellphone apps, and text messaging: Employing strategies for self-monitoring of blood pressure led to positive effects on treatment adherence, but results were not consistent across study subgroups that measured adherence through self-report or pharmacy records; home monitoring also did not show consolidated results. The use of cell phone applications led to significant improvements in the adherence of hypertensive people to pharmacological treatment. However, the use of SMS as reminders for self-monitoring was not able to improve participants' adherence. Option 4. Subsidy provision for drug procurement: Implementation of a subsidy program, ensuring full coverage of antihypertensive drugs to low-income adults, was associated with an increase in medication adherence in a systematic review. Final considerations: This rapid synthesis of evidence found interventions related to pharmaceutical care (especially with the actions of pharmacists and other health professionals), self-monitoring and use of mobile and SMS applications that presented results regarding adherence to treatment of hypertensive adults who can be applied in the context of PHC. Although several systematic reviews did not inform the health context where the interventions were carried out, it was decided to include them because there was an understanding that these strategies could be carried out in a primary care environment. In addition, there were some methodological limitations of systematic reviews that should be considered. This quick summary did not involve implementation considerations and equity implications for each of the options. The strategies presented in the options can be implemented singly or in combination, according to local contexts.


Subject(s)
Humans , Adult , Primary Health Care/standards , Treatment Adherence and Compliance , Hypertension/prevention & control
13.
Rev. medica electron ; 42(5): 2262-2276, sept.-oct. 2020. tab, graf
Article in Spanish | LILACS, CUMED | ID: biblio-1144732

ABSTRACT

RESUMEN Introducción: al diseñar organizaciones de salud, es preciso considerar una de las características primordiales que tienen los servicios: su carácter perecedero, es decir, éstos no admiten inventarios, haciéndose necesario satisfacer la demanda de los pacientes a medida que se solicita. Por consiguiente, el estudio de la capacidad del servicio, constituye un componente importante en la planificación de estos. Objetivo: evaluar la capacidad de los servicios de urgencia- emergencia en la Atención Primaria de Salud con apoyo de la simulación. Métodos: se realizó un estudio evaluativo en el proceso de urgencia-emergencia perteneciente al Policlínico Universitario Carlos Verdugo, de la provincia de Matanzas. Las principales técnicas utilizadas fueron: la observación y autoobservación, la revisión de documentos, la entrevista individual, fichas y diagramas de representación de procesos, pronósticos y la simulación económica-matemática. Resultados: en el servicio estudiado sobresale la existencia de una capacidad que supera la demanda en una semana, excepto en el horario de la mañana. Se estimó que el domingo constituye el día de menor número de pacientes y el lunes resulta el de mayor, para una semana cualquiera. Conclusiones: el método empleado demostró que el estudio de la capacidad, constituye un componente importante en la planificación de los servicios de Atención Primaria de Salud, por lo que se deben establecer estrategias que permitan alcanzar una utilización adecuada de la capacidad del sistema y al mismo tiempo brindar una atención personalizada, sin esperas excesivas; aspecto este, que incide de manera relevante en la satisfacción de los pacientes (AU).


SUMMARY Introduction: When designing health organizations, one of the primary characteristics of the services must be considered: their perishable nature. It means that they do not allow inventories, making it necessary to meet the demand of patients as requested. Therefore, the study of the capacity of the service constitutes an important component in their planning. Objective: to evaluate the capacity of urgent-emergency services in the Primary Health Care with simulation support. Methods: the evaluative research came true in the urgency-emergency process belonging to the University Polyclinic Carlos Verdugo, of the province of Matanzas. The main tools and techniques used were observation and auto-observation, documents review, individual interview, presentation cards and diagrams of process, forecasts and the cost-reducing mathematical simulation. Results: there is a capacity that surpasses the request in a week, except in the morning, in the studied service. It was considered that in any week, Sunday is the day with a lower number of patients, whereas Monday is the one with a higher number. Conclusions: the used method showed that the study of capacity is an important component in planning Primary Health Care services, which is why managers should succeed in establish strategies that allow them to make a proper use of the system´s capacity and at the same time offering a personalized attention, without excessive waits; the latest being deeply affecting patient's satisfaction (AU).


Subject(s)
Humans , Male , Female , Primary Health Care/methods , Emergency Medical Services/methods , Primary Health Care/standards , Patient Satisfaction , Simulation Exercise , Surge Capacity/organization & administration
14.
Palmas; [Secretaria de Estado da Saúde]; 3 jul 2020. 8 p.
Non-conventional in Portuguese | ColecionaSUS, LILACS, ColecionaSUS, CONASS, SES-TO | ID: biblio-1120800

ABSTRACT

Orienta os serviços de Atenção Primária à Saúde (APS) ou Atenção Básica (AB), por meio da Estratégia Saúde da Família (ESF), no manejo e controle da infecção COVID-19. Indica os instrumentos de orientação clínica para os profissionais do Sistema Único de Saúde (SUS) a partir da transmissão do novo Coronavírus (COVID-19) no Tocantins.


It guides the Primary Health Care (PHC) or Basic Care (AB) services, through the Family Health Strategy (FHS), in the management and control of the COVID-19 infection. Indicates the instruments of clinical guidance for professionals of the Unified Health System (SUS) from the transmission of the new Coronavirus (COVID-19) in Tocantins.


Orienta a los servicios de Atención Primaria de Salud (APS) o Atención Básica (AB), a través de la Estrategia de Salud de la Familia (ESF), en el manejo y control de la infección por COVID-19. Indica los instrumentos de orientación clínica para profesionales del Sistema Único de Salud (SUS) a partir de la transmisión del nuevo Coronavirus (COVID-19) en Tocantins.


Subject(s)
Humans , Pneumonia, Viral/prevention & control , Primary Health Care/standards , Coronavirus Infections/prevention & control , Pandemics , Transportation of Patients/standards , Dental Care/standards , Nursing Care/standards
15.
Brasília; Brasil. Ministério da Saúde; maio 2020. ilus, tab.
Non-conventional in Portuguese | ColecionaSUS, LILACS, ColecionaSUS | ID: biblio-1095920

ABSTRACT

No fim de 2019, o Novo Coronavírus foi nomeado como SARS-CoV-2. Este Novo Coronavírus produz a doença classificada como COVID-19, sendo agente causador de uma série de casos de pneumonia na cidade de Wuhan (China) [1]. Ainda não há informações plenas sobre a história natural, nem medidas de efetividade inquestionáveis para manejo clínico dos casos de infecção humana pelo SARS-CoV-2, restando ainda muitos detalhes a serem esclarecidos [1]. No entanto, sabe-se que o vírus tem alta transmissibilidade e provoca uma síndrome respiratória aguda que varia de casos leves ­ cerca de 80% ­ a casos muito graves com insuficiência respiratória ­entre 5% e 10% dos casos. Sua letalidade varia, principalmente, conforme a faixa etária (Quadro 1) e condições clínicas associadas. Portanto, é necessário agir. Para esse fim, as melhores e mais recentes evidências foram utilizadas na redação deste documento. Pela dinâmica da epidemia e da produção de conhecimento associada a ela, as informações podem sofrer alterações conforme avance o conhecimento sobre a doença. Dessa forma, este protocolo específico para serviços de Atenção Primária à Saúde / Estratégia Saúde da Família (APS/ESF) nos cenários de transmissão comunitária vai ser atualizado sempre que necessário. A APS/ESF é a porta de entrada do Sistema Único de Saúde. Durante surtos e epidemias, a APS/ ESF tem papel fundamental na resposta global à doença em questão. A APS/ESF oferece atendimento resolutivo, além de manter a longitudinalidade e a coordenação do cuidado em todos os níveis de atenção à saúde, com grande potencial de identificação precoce de casos graves que devem ser manejados em serviços especializados. O objetivo deste documento é definir o papel dos serviços de APS/ESF no manejo e controle da infecção COVID-19, bem como disponibilizar os instrumentos de orientação clínica para os profissionais que atuam na porta de entrada do SUS a partir da transmissão comunitária de COVID-19 no Brasil. Considerando a existência de fase de transmissão comunitária da COVID-19, é imprescindível que os serviços de APS/ESF trabalhem com abordagem sindrômica do problema, não exigindo mais a identificação do fator etiológico por meio de exame específico. Desta forma, este protocolo foca na abordagem clínica da Síndrome Gripal e da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), independentemente do agente etiológico. Como é de conhecimento de todos, múltiplos agentes virais são responsáveis por essas duas síndromes, sendo o vírus da Influenza o de maior magnitude nos últimos anos. Entretanto, há evidências e dados internacionais indicando que a transcendência da COVID-19 pode superar a da Influenza. Portanto, a abordagem pragmática deste protocolo unifica as condutas referentes a esses dois grupos de vírus.


Subject(s)
Humans , Primary Health Care/standards , Clinical Protocols/standards , Coronavirus Infections/diagnosis , Coronavirus Infections/therapy , Coronavirus Infections/transmission , Patient Isolation/methods , Brazil , Coronavirus Infections/prevention & control
16.
Brasília; Brasil. Ministério da Saúde; abr. 2020. tab.
Non-conventional in Portuguese | ColecionaSUS, LILACS, ColecionaSUS | ID: biblio-1095396

ABSTRACT

No fim de 2019, o Novo Coronavírus foi nomeado como SARS-CoV-2. Este Novo Coronavírus produz a doença classificada como COVID-19, sendo agente causador de uma série de casos de pneumonia na cidade de Wuhan (China) [1]. Ainda não há informações plenas sobre a história natural, nem medidas de efetividade inquestionáveis para manejo clínico dos casos de infecção humana pelo SARS-CoV-2, restando ainda muitos detalhes a serem esclarecidos [1]. No entanto, sabe-se que o vírus tem alta transmissibilidade e provoca uma síndrome respiratória aguda que varia de casos leves ­ cerca de 80% ­ a casos muito graves com insuficiência respiratória ­entre 5% e 10% dos casos. Sua letalidade varia, principalmente, conforme a faixa etária (Quadro 1) e condições clínicas associadas. Portanto, é necessário agir. Para esse fim, as melhores e mais recentes evidências foram utilizadas na redação deste documento. Pela dinâmica da epidemia e da produção de conhecimento associada a ela, as informações podem sofrer alterações conforme avance o conhecimento sobre a doença. dessa forma, este protocolo específico para serviços de Atenção Primária à Saúde / Estratégia Saúde da Família (APS/ESF) nos cenários de transmissão comunitária vai ser atualizado sempre que necessário. A APS/ESF é a porta de entrada do Sistema Único de Saúde. Durante surtos e epidemias, a APS/ESF tem papel fundamental na resposta global à doença em questão a APS/ESF oferece atendimento resolutivo, além de manter a longitudinalidade e a coordenação do cuidado em todos os níveis de atenção à saúde, com grande potencial de identificação precoce de casos graves que devem ser manejados em serviços especializados. O objetivo deste documento é definir o papel dos serviços de APS/ESF no manejo e controle da infecção COVID-19, bem como disponibilizar os instrumentos de orientação clínica para os profissionais que atuam na porta de entrada do SUS a partir da transmissão comunitária de CoVId-19 no Brasil. Considerando a existência de fase de transmissão comunitária da COVID-19, é imprescindível que os serviços de APS/ESF trabalhem com abordagem sindrômica do problema, não exigindo mais a identificação do fator etiológico por meio de exame específico. Desta forma, este protocolo foca na abordagem clínica da Síndrome Gripal e da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), independentemente do agente etiológico. Como é de conhecimento de todos, múltiplos agentes virais são responsáveis por essas duas síndromes, sendo o vírus da Influenza o de maior magnitude nos últimos anos. Entretanto, há evidências e dados internacionais indicando que a transcendência da COVID-19 pode superar a da Influenza. Portanto, a abordagem pragmática deste protocolo unifica as condutas referentes a esses dois grupos de vírus.


Subject(s)
Humans , Primary Health Care/standards , Clinical Protocols/standards , Coronavirus Infections/diagnosis , Coronavirus Infections/therapy , Coronavirus Infections/transmission , Patient Isolation/methods , Brazil , Coronavirus Infections/prevention & control
17.
Washington; Organización Panamericana de la Salud; abr. 23, 2020. 5 p.
Non-conventional in Spanish | LILACS | ID: biblio-1096788

ABSTRACT

Esta Notaa desarrolla la recomendación 1 del documento sobre Reorganización y ampliación de los Servicios de Saludb como marco de referencia para la reorganización de los servicios de salud del Primer Nivel de Atención (PNA) y la estructuración progresiva de los programas prioritarios, asi como del conjunto de actividades que cada pais definirá esencial para asegurar la continuidad de la atención a las personas, familias y comunidades en el marco de la transmisión comunitaria sostenida de COVID 19 y el contexto de cada pais. La continuidad de servicios esenciales durante la pandemia implica la suspensión de algunas actividades que de forma rutinaria se realiza en el PNA, implementar otras modalidades o formas de brindar los servicios, reforzar las capacidades resolutivas del PNA para brindar efectivamente servicios como urgencias las 24 horas, centros de dia, cirugías ambulatorias, atención del parto, dispensación de medicamentos, colectas de sangre, reubicación de personal especializado en el PNA, reforzar los equipos de PNA con personal para manejo de casos y contactos de COVID-19 en la comunidad, establecer áreas físicas separadas para manejo de sintomáticos respiratorios, uso de telemedicina y tele mensajes, entre otras. La progresión de la pandemia debe generar la adaptación de guías, recomendaciones y orientaciones acerca de cómo el PNA puede asegurar la continuidad de los programas priori


Subject(s)
Humans , Pneumonia, Viral/prevention & control , Primary Health Care/methods , Primary Health Care/standards , Coronavirus Infections/prevention & control , Coronavirus Infections/epidemiology , Pandemics/prevention & control , Betacoronavirus
18.
Brasília; Brasil. Ministério da Saúde; mar. 2020. tab.
Non-conventional in Portuguese | ColecionaSUS, LILACS, ColecionaSUS | ID: biblio-1097463

ABSTRACT

No fim de 2019, o Novo Coronavírus foi nomeado como SARS-CoV-2. Este Novo Coronavírus produz a doença classificada como COVID-19, sendo agente causador de uma série de casos de pneumonia na cidade de Wuhan (China) [1]. Ainda não há informações plenas sobre a história natural, nem medidas de efetividade inquestionáveis para manejo clínico dos casos de infecção humana pelo SARS-CoV-2, restando ainda muitos detalhes a serem esclarecidos [1]. No entanto, sabe-se que o vírus tem alta transmissibilidade e provoca uma síndrome respiratória aguda que varia de casos leves ­ cerca de 80% ­ a casos muito graves com insuficiência respiratória ­entre 5% e 10% dos casos. Sua letalidade varia, principalmente, conforme a faixa etária (Quadro 1) e condições clínicas associadas. Portanto, é necessário agir. Para esse fim, as melhores e mais recentes evidências foram utilizadas na redação deste documento. Pela dinâmica da epidemia e da produção de conhecimento associada a ela, as informações podem sofrer alterações conforme avance o conhecimento sobre a doença. Dessa forma, este protocolo específico para serviços de Atenção Primária à Saúde / Estratégia Saúde da Família (APS/ESF) nos cenários de transmissão comunitária vai ser atualizado sempre que necessário.


Subject(s)
Humans , Primary Health Care/standards , Clinical Protocols/standards , Coronavirus Infections/diagnosis , Coronavirus Infections/therapy , Coronavirus Infections/transmission , Patient Isolation/methods , Brazil , Coronavirus Infections/prevention & control
19.
Brasília; Brasil. Ministério da Saúde; mar. 2020. tab.
Non-conventional in Portuguese | ColecionaSUS, LILACS, ColecionaSUS | ID: biblio-1087335

ABSTRACT

No fim de 2019, o Novo Coronavírus foi nomeado como SARS-CoV-2. Este Novo Coronavírus produz a doença classificada como COVID-19, sendo agente causador de uma série de casos de pneumonia na cidade de Wuhan (China) [1]. Ainda não há informações plenas sobre a história natural, nem medidas de efetividade inquestionáveis para manejo clínico dos casos de infecção humana pelo SARS-CoV-2, restando ainda muitos detalhes a serem esclarecidos [1]. No entanto, sabe-se que o vírus tem alta transmissibilidade e provoca uma síndrome respiratória aguda que varia de casos leves ­ cerca de 80% ­ a casos muito graves com insuficiência respiratória ­entre 5% e 10% dos casos. Sua letalidade varia, principalmente, conforme a faixa etária (Quadro 1) e condições clínicas associadas. Portanto, é necessário agir. Para esse fim, as melhores e mais recentes evidências foram utilizadas na redação deste documento. Pela dinâmica da epidemia e da produção de conhecimento associada a ela, as informações podem sofrer alterações conforme avance o conhecimento sobre a doença. Dessa forma, este protocolo específico para serviços de Atenção Primária à Saúde / Estratégia Saúde da Família (APS/ESF) nos cenários de transmissão comunitária vai ser atualizado sempre que necessário. Fique atento a novas versões! A APS/ESF é a porta de entrada do Sistema Único de Saúde. Durante surtos e epidemias, a APS/ESF tem papel fundamental na resposta global à doença em questão. A APS/ESF oferece atendimento resolutivo, além de manter a longitudinalidade e a coordenação do cuidado em todos os níveis de atenção à saúde, com grande potencial de identificação precoce de casos graves que devem ser manejados em serviços especializados.O objetivo deste documento é definir o papel dos serviços de APS/ESF no manejo e controle da infecção COVID-19, bem como disponibilizar os instrumentos de orientação clínica para os profissionais que atuam na porta de entrada do SUS a partir da transmissão comunitária de CoVId-19 no Brasil. Considerando a existência de fase de transmissão comunitária da COVID-19, é imprescindível que os serviços de APS/ESF trabalhem com abordagem sindrômica do problema, não exigindo mais a identificação do fator etiológico por meio de exame específico. Desta forma, este protocolo foca na abordagem clínica da Síndrome Gripal e da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), independentemente do agente etiológico. Como é de conhecimento de todos, múltiplos agentes virais são responsáveis por essas duas síndromes, sendo o vírus da Influenza o de maior magnitude nos últimos anos. Entretanto, há evidências e dados internacionais indicando que a transcendência da COVID-19 pode superar a da Influenza. Portanto, a abordagem pragmática deste protocolo unifica as condutas referentes a esses dois grupos de vírus.


Subject(s)
Humans , Primary Health Care/standards , Clinical Protocols/standards , Coronavirus Infections/diagnosis , Coronavirus Infections/therapy , Coronavirus Infections/transmission , Patient Isolation/methods , Brazil , Coronavirus Infections/prevention & control
20.
Cad. Saúde Pública (Online) ; 36(2): e00231518, 2020. tab
Article in Portuguese | LILACS | ID: biblio-1089432

ABSTRACT

Este estudo tem como objetivo verificar a existência de associação entre os diferentes tipos de agentes contratantes atuantes na atenção básica brasileira, e a qualidade do cuidado ofertado medida pelo Programa de Melhoria e Acesso da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ). Trata-se de pesquisa quantitativa, com abordagem descritiva e inferencial por meio de regressão logística. Foram analisados 4.469 municípios brasileiros. Os resultados mostraram que não houve associação entre o tipo de agente contratante, se público ou privado, e a nota obtida no processo de certificação (valor de p > 0,05). Verificou-se que os municípios maiores e socioeconomicamente mais dinâmicos concentram as maiores parcelas de municípios que têm os serviços de atenção básica gerenciados por agentes contratantes privados (23,2%). No que se refere à nota da certificação obtida, também foram esses municípios que obtiveram as notas mais altas. Por fim, em todas as categorias tanto de agentes contratantes públicos quanto de agentes contratantes privados, a maioria dos municípios teve notas classificadas como média (entre 50 e 69,99). Dessa forma, identificou-se que a qualidade do cuidado ofertado na atenção básica brasileira medida pelo PMAQ não está associada ao tipo de agente contratante envolvido na gestão do serviço quando os dados são municipalizados. Além disso, encontrou-se que os agentes contratantes privados e as notas mais altas obtidas no processo de certificação estão concentrados nos municípios maiores e com melhores indicadores socioeconômicos.


This study aims to investigate a potential association between different categories of service providers in primary healthcare in Brazil and the quality of care provided, as measured by the Program for Improvement of Access and Quality of Basic Care (PMAQ). The study adopted a quantitative design with a descriptive and inferential approach via logistic regression. A total of 4,469 Brazilian municipalities (counties) were analyzed. The results showed that there was no association between type of service provider (public vs. private) and the score obtained in the certification process (p-value > 0.05). Larger and more socioeconomically dynamic municipalities concentrated the largest proportions of municipalities with primary care services managed by private providers (23.2%). They also received the highest certification scores. Finally, for both categories (public and private), most municipalities obtained intermediate scores (from 50 to 69.99). We thus found that the quality of care in basic healthcare in Brazil, as measured by the PMAQ, is not associated with the type of provider involved in management of the service when the data are analyzed at the municipal level. Private providers and the highest scores in the certification process are concentrated in larger municipalities and those with the best socioeconomic indicators.


El objetivo de este estudio es verificar la existencia de asociación entre los diferentes tipos de agentes contratantes, que actúan en la atención básica brasileña, y la calidad del cuidado ofertado, medido por el Programa de Mejoría y Acceso de la Calidad de la Atención Básica (PMAQ). Se trata de una investigación cuantitativa, con un abordaje descriptivo e inferencial mediante regresión logística. Se analizaron 4.469 municipios brasileños. Los resultados mostraron que no hubo asociación entre el tipo de agente contratante, sea público o privado, y la nota obtenida en el proceso de certificación (valor de p > 0,05). Se verificó que los municipios mayores y socioeconómicamente más dinámicos concentran las mayores cuotas de municipios que cuentan con servicios de atención básica gestionados por agentes contratantes privados (23,2%). En lo que se refiere a la nota de la certificación obtenida, también fueron esos municipios los que obtuvieron las calificaciones más altas. Finalmente, en todas las categorías tanto de agentes contratantes públicos, como de agentes contratantes privados, la mayoría de los municipios obtuvieron notas clasificadas como medias (entre 50 y 69,99). De esta forma, se identificó que la calidad del cuidado ofrecido en la atención básica brasileña, medido por el PMAQ, no está asociada al tipo de agente contratante implicado en la gestión del servicio cuando los datos están gestionados por los municipios. Asimismo, se verificó que los agentes contratantes privados y las notas más altas obtenidas en el proceso de certificación están concentrados en los municipios mayores y con mejores indicadores socioeconómicos.


Subject(s)
Primary Health Care/standards , Health Personnel/classification , Delivery of Health Care/standards , Socioeconomic Factors , Brazil , Cities
SELECTION OF CITATIONS
SEARCH DETAIL