Your browser doesn't support javascript.
loading
Show: 20 | 50 | 100
Results 1 - 20 de 187
Filter
1.
Rev. Soc. Bras. Med. Trop ; 52: e20180139, 2019. graf
Article in English | LILACS | ID: biblio-1041506

ABSTRACT

Abstract INTRODUCTION: High percentages of structural identity and cross-immunoreactivity have been reported between potato apyrase and Schistosoma mansoni ATP diphosphohydrolase (SmATPDases) isoforms, showing the existence of particular epitopes shared between these proteins. METHODS: Potato apyrase was employed using ELISA, western blot, and mouse immunization methods to verify IgE reactivity. RESULTS: Most of the schistosomiasis patient's (75%) serum was seropositive for potato apyrase and this protein was recognized using western blotting, suggesting that parasite and plant proteins share IgE-binding epitopes. C57BL/6 mice immunized with potato apyrase showed increased IgE antibody production. CONCLUSIONS: Potato apyrase and SmATPDases have IgE-binding epitopes.


Subject(s)
Animals , Female , Apyrase/immunology , Schistosoma mansoni/immunology , Schistosomiasis mansoni/immunology , Solanum tuberosum/enzymology , Immunoglobulin E/immunology , Antibodies, Helminth/immunology , Epitopes/immunology , Enzyme-Linked Immunosorbent Assay , Blotting, Western , Cross Reactions , Mice, Inbred C57BL
2.
Rev. Soc. Bras. Med. Trop ; 51(4): 546-549, July-Aug. 2018. graf
Article in English | LILACS | ID: biblio-1041472

ABSTRACT

Abstract INTRODUCTION: We evaluated IL-10, IL-2 and regulatory T cells (Treg), in response to ovalbumin (OA), in offspring from schistosomotic mouse mothers. METHODS: We used animals born (BIM) or suckled (SIM) from infected mothers; and mice born/suckled from infected (BSIM) or non-infected mothers (CONTROL). After OA+adjuvant immunization, spleen cells were cultured, with or without OA, and doubly marked for cytometry. RESULTS: BIM showed fewer CD4+/IL-2+ and more B220+/IL-10+ cells, whereas the SIM group showed increased Treg frequency. BSIM had fewer B220+/IL-10+ and Treg cells. CONCLUSIONS: Separately, gestation or nursing induced immunosuppressive cells in infected mothers, but improved anti-OA immunity when combined.


Subject(s)
Animals , Female , Schistosomiasis mansoni/immunology , Antibodies, Helminth/immunology , Interleukin-2/immunology , Interleukin-10/immunology , T-Lymphocytes, Regulatory/immunology , Animals, Suckling/immunology , Ovalbumin/immunology , Flow Cytometry , Animals, Suckling/parasitology , Mice
3.
Rev. Soc. Bras. Med. Trop ; 50(5): 652-657, Sept.-Oct. 2017. graf
Article in English | LILACS | ID: biblio-897016

ABSTRACT

Abstract INTRODUCTION Immunogenicity of Schistosoma mansoni egg surface was examined to determine whether intact eggshells have lower antigenicity than ruptured eggs. METHODS: Swiss Webster mice were inoculated with intact or ultrasonicated S. mansoni eggs isolated from infected human feces. Mice were separated into four groups of six animals each and immunizations were performed approximately every 20 days during a 60-day period. Groups 1-4 were administered with saline solution, sonicated eggs with Freund's adjuvant, sonicated eggs without Freund's adjuvant, and intact eggs, respectively. IgG humoral immune response was assessed by ELISA using Soluble Egg Antigen produced from eggs isolated from the livers of infected mice. RESULTS Sonicated eggs co-administered with adjuvant induced the highest humoral response at 58 days, which was 11.9-fold (95% CI 6.2-17.5) greater than the response induced by saline solution. Sonicated eggs without adjuvant induced a 4.3-fold stronger response (95% CI 2.4-6.2) than normal saline. Intact eggs induced humoral response that was nominally twice stronger (95% CI 0.8-3.2) than that induced by normal saline but the effect did not reach statistical significance. CONCLUSIONS Soluble antigens are not abundant on the surface of S. mansoni eggs and/or are not secreted in sufficient quantities to induce a significant immune response to intact eggs. Assuming that isolation procedures had not damaged the eggs used for inoculation, our observations suggest that intact eggs either do not induce a significant immune response or, if they do, the mechanism involves insoluble antigens from the egg surface.


Subject(s)
Animals , Schistosoma mansoni/immunology , Schistosomiasis mansoni/immunology , Eggs/parasitology , Immunity, Humoral/immunology , Parasite Egg Count , Schistosoma mansoni/parasitology , Time Factors , Enzyme-Linked Immunosorbent Assay , Immunogenetic Phenomena , Host-Parasite Interactions/immunology , Liver/parasitology , Mice
4.
Rev. Soc. Bras. Med. Trop ; 50(1): 141-144, Jan.-Feb. 2017. graf
Article in English | LILACS | ID: biblio-842824

ABSTRACT

Abstract: Here, we describe a case of hepatosplenic schistosomiasis that progressed to widespread persistent dermatophytosis. Significant T and B lymphocytopenia was confirmed. T-cell deficit is associated with increased susceptibility to fungal infections of skin and mucous membranes. The accumulation of a large amount of blood cells in the spleen could have played a crucial role in the development of lymphocytopenia in the present case. Alternatively, the schistosomiasis-induced increase in prostaglandin E2 levels could have inhibited the production of interferon-γ, a cytokine fundamental to fungal resistance. This case shows the potential of hepatosplenic schistosomiasis to impair the immune response.


Subject(s)
Humans , Male , Adult , Tinea/immunology , Schistosomiasis mansoni/immunology , Opportunistic Infections/microbiology , Splenic Diseases/complications , Splenic Diseases/immunology , Tinea/etiology , Schistosomiasis mansoni/complications , Chronic Disease , Immunocompromised Host
5.
Mem. Inst. Oswaldo Cruz ; 111(2): 83-92, Feb. 2016. tab, graf
Article in English | LILACS | ID: lil-772619

ABSTRACT

Schistosoma mansoni antigens in the early life alter homologous and heterologous immunity during postnatal infections. We evaluate the immunity to parasite antigens and ovalbumin (OA) in adult mice born/suckled by schistosomotic mothers. Newborns were divided into: born (BIM), suckled (SIM) or born/suckled (BSIM) in schistosomotic mothers, and animals from noninfected mothers (control). When adults, the mice were infected and compared the hepatic granuloma size and cellularity. Some animals were OA + adjuvant immunised. We evaluated hypersensitivity reactions (HR), antibodies levels (IgG1/IgG2a) anti-soluble egg antigen and anti-soluble worm antigen preparation, and anti-OA, cytokine production, and CD4+FoxP3+T-cells by splenocytes. Compared to control group, BIM mice showed a greater quantity of granulomas and collagen deposition, whereas SIM and BSIM presented smaller granulomas. BSIM group exhibited the lowest levels of anti-parasite antibodies. For anti-OA immunity, immediate HR was suppressed in all groups, with greater intensity in SIM mice accompanied of the remarkable level of basal CD4+FoxP3+T-cells. BIM and SIM groups produced less interleukin (IL)-4 and interferon (IFN)-g. In BSIM, there was higher production of IL-10 and IFN-g, but lower levels of IL-4 and CD4+FoxP3+T-cells. Thus, pregnancy in schistosomotic mothers intensified hepatic fibrosis, whereas breastfeeding diminished granulomas in descendants. Separately, pregnancy and breastfeeding could suppress heterologous immunity; however, when combined, the responses could be partially restored in infected descendants.


Subject(s)
Animals , Female , Male , Mice , Pregnancy , Animals, Suckling/immunology , Antibodies, Helminth/immunology , Granuloma, Foreign-Body/immunology , Immunity, Humoral/physiology , Liver Diseases, Parasitic/immunology , Schistosomiasis mansoni/immunology , Adjuvants, Immunologic , Animals, Newborn , Animals, Suckling/parasitology , /parasitology , Cercaria/immunology , Enzyme-Linked Immunosorbent Assay , Flow Cytometry , Forkhead Transcription Factors/blood , Granuloma, Foreign-Body/parasitology , Granuloma, Foreign-Body/pathology , Immunity, Heterologous/physiology , Immunoglobulin G/blood , Interferon-gamma/blood , /blood , /blood , Liver Cirrhosis/immunology , Liver Cirrhosis/parasitology , Liver Diseases, Parasitic/pathology , Mothers , Ovalbumin/immunology , Schistosoma mansoni/immunology , Spleen/immunology , Spleen/pathology
6.
Rev. Soc. Bras. Clín. Méd ; 14(2): 75-78, 2016.
Article in English | LILACS | ID: biblio-1246

ABSTRACT

Objective: To evaluate serum concentrations of interleukin 17A (IL17A) in mansonic schistosomiasis patients, while the secondary objectives were to detect atherosclerotic disease, and to evaluate serum concentrations of interleukin 22 (IL22). Methods: This study included 30 patients with an established diagnosis of hepatosplenic mansonic schistosomiasis and 10 healthy volunteers. Comparative analyses of IL17A and IL22 concentrations were performed on the sera of patients and controls. Atherosclerosis was evaluated through carotid artery intima-media thickness measurement of the first 15 patients enrolled. Results: There were no differences in IL17 A concentrations (15.63±0.00pg/mL vs. 15.63±0.00pg/mL; p=1) and in IL22 concentrations (7.81±0.00pg/mL vs. 7.81±0.00pg/ mL, p=1) between patients and controls. The overall mean of intima-media thickness was 0.7±0.2mm. Conclusions: Serum concentrations of IL17A and IL22 were equal between patients and controls (undetectable or low concentrations). No patients had atheroma.


Objetivo: Avaliar as concentrações séricas de interleucina 17A (IL17A) em pacientes com esquistossomose mansônica, enquanto os objetivos secundários foram detectar a doença aterosclerótica e avaliar as concentrações séricas de interleucina 22 (IL22). Métodos: Este estudo incluiu 30 pacientes com diagnóstico estabelecido de esquistossomose mansônica em sua forma hepatoesplênica e 10 voluntários saudáveis. Análises comparativas de concentrações de IL17A e IL22 foram realizadas em soros de pacientes e controles. A aterosclerose foi avaliada pela medida do complexo íntima-média dos primeiros 15 pacientes recrutados. Resultados: Não houve diferença nas concentrações de IL17A (15,63±0,00pg/mL vs. 15,63±0,00pg/mL; p=1) e nas concentrações IL 2 (7,81±0,00pg/mL vs. 7,81±0,00pg/mL; p=1) entre os pacientes e controles. A média geral da espessura da camada média da íntima foi de 0,7±0,2mm. Conclusões: As concentrações séricas de IL17A e IL22 foram iguais entre pacientes e controles (concentrações indetectáveis ou baixa). Nenhum dos pacientes apresentou ateroma.


Subject(s)
Humans , Male , Female , Adult , Middle Aged , Aged , Interleukin-17/blood , Schistosomiasis mansoni/immunology , Atherosclerosis/diagnosis , Interleukin-17/immunology
7.
Belo Horizonte; s.n; 2015. 116 p.
Thesis in Portuguese | LILACS | ID: lil-766565

ABSTRACT

O desenvolvimento de uma vacina para a esquistossomose, juntamente com a quimioterapia, seria de grande impacto para o controle e eliminação da doença. Nesse sentido, vários antígenos do parasito já foram testados a fim de avaliar a capacidade dos mesmos em induzirem proteção contra a infecção pelo Schistosoma mansoni. Porém, apesar de alguns antígenos apresentarem bons resultados na proteção contra a infecção, esses nunca foram testados em modelos experimentais previamente expostos a antígenos do parasito. No caso da esquistossomose, isso seria importante já que os moradores de áreas endêmicas, população alvo de uma vacina para a doença, passam por repetidas infecções ao longo de suas vidas. Diante dessa necessidade, duas proteínas de tegumento de Schistosoma mansoni, Sm22.6 e Sm29, merecem destaque já que têm sido associadas à resistência à infecção e reinfeção em moradores de áreas endêmicas, e por terem induzido proteção parcial em ensaios envolvendo a imunização de camundongos C57BL/6 naïve. Portanto, este trabalho objetivou avaliar a habilidade das proteínas recombinantes, Sm22.6 e Sm29, em induzirem proteção em animais BALB/c que já tenham sido previamente infectados e tratados. Nós também avaliamos a capacidade das proteínas Sm22.6r e Sm29r em induzirem proteção em camundongos BALB/c naïve, já que nos trabalhos anteriores essas foram testadas em animais da linhagem C57BL/6...


Nossos resultados demonstraram que, diferentemente dos trabalhos anteriores, a imunização de animais BALB/c naïve com Sm22.6r ou Sm29r não foi capaz de induzir proteção. Apesar disso, através de um ensaio de imunofluorescência, foi possível observar que os anticorpos produzidos, em resposta à imunização com Sm22.6r ou Sm29r, foram capazes de reconhecer a forma nativa dessas proteínas, na superfície do parasito. A imunização de animais, infectados e tratados, com Sm22.6r+Freund, embora tenha desencadeado uma resposta imune robusta, também não foi capaz de conferir imunidade protetora. Por outro lado, camundongos, infectados/tratados, imunizados com Sm29r+Freund apresentaram significativa redução da carga parasitária (proteção de 26%-48%) após três doses da vacina. Esta formulação vacinal induziu uma produção significativa das citocinas IL-2, IFN-γ, IL-17 e IL-4; uma resposta humoral vigorosa com produção de IgG, IgG1, IgG2a e IgE específicos; e um aumento significativo no percentual de células TCD4+ de memória central. Os adjuvantes Alum e MPL também foram formulados juntamente com a Sm29r. Os resultados demonstraram que somente a formulação vacinal Sm29r+Alum foi capaz de conferir proteção (29%-37%), desencadeando uma produção significativa de IL-2, IL-17 e IL-10, e um aumento do percentual de células TCD4+ produtoras de IFN-γ. Além disso, esses animais apresentaram níveis significativos de anticorpos específicos IgG, IgG1, IgG2a e IgE e um aumento significativo no percentual de células B de memória. Nossos resultados confirmam o papel imunoprotetor da proteína Sm29r, reforçando seu potencial como candidata vacinal...


Subject(s)
Humans , Male , Female , Schistosomiasis mansoni/immunology , Schistosoma mansoni/parasitology , Vaccines/therapeutic use
8.
Belo Horizonte; s.n; 2015. 116 p.
Thesis in Portuguese | ColecionaSUS, LILACS, ColecionaSUS | ID: biblio-941601

ABSTRACT

O desenvolvimento de uma vacina para a esquistossomose, juntamente com a quimioterapia, seria de grande impacto para o controle e eliminação da doença. Nesse sentido, vários antígenos do parasito já foram testados a fim de avaliar a capacidade dos mesmos em induzirem proteção contra a infecção pelo Schistosoma mansoni. Porém, apesar de alguns antígenos apresentarem bons resultados na proteção contra a infecção, esses nunca foram testados em modelos experimentais previamente expostos a antígenos do parasito. No caso da esquistossomose, isso seria importante já que os moradores de áreas endêmicas, população alvo de uma vacina para a doença, passam por repetidas infecções ao longo de suas vidas. Diante dessa necessidade, duas proteínas de tegumento de Schistosoma mansoni, Sm22.6 e Sm29, merecem destaque já que têm sido associadas à resistência à infecção e reinfeção em moradores de áreas endêmicas, e por terem induzido proteção parcial em ensaios envolvendo a imunização de camundongos C57BL/6 naïve. Portanto, este trabalho objetivou avaliar a habilidade das proteínas recombinantes, Sm22.6 e Sm29, em induzirem proteção em animais BALB/c que já tenham sido previamente infectados e tratados. Nós também avaliamos a capacidade das proteínas Sm22.6r e Sm29r em induzirem proteção em camundongos BALB/c naïve, já que nos trabalhos anteriores essas foram testadas em animais da linhagem C57BL/6.


Nossos resultados demonstraram que, diferentemente dos trabalhos anteriores, a imunização de animais BALB/c naïve com Sm22.6r ou Sm29r não foi capaz de induzir proteção. Apesar disso, através de um ensaio de imunofluorescência, foi possível observar que os anticorpos produzidos, em resposta à imunização com Sm22.6r ou Sm29r, foram capazes de reconhecer a forma nativa dessas proteínas, na superfície do parasito. A imunização de animais, infectados e tratados, com Sm22.6r+Freund, embora tenha desencadeado uma resposta imune robusta, também não foi capaz de conferir imunidade protetora. Por outro lado, camundongos, infectados/tratados, imunizados com Sm29r+Freund apresentaram significativa redução da carga parasitária (proteção de 26%-48%) após três doses da vacina. Esta formulação vacinal induziu uma produção significativa das citocinas IL-2, IFN-γ, IL-17 e IL-4; uma resposta humoral vigorosa com produção de IgG, IgG1, IgG2a e IgE específicos; e um aumento significativo no percentual de células TCD4+ de memória central. Os adjuvantes Alum e MPL também foram formulados juntamente com a Sm29r. Os resultados demonstraram que somente a formulação vacinal Sm29r+Alum foi capaz de conferir proteção (29%-37%), desencadeando uma produção significativa de IL-2, IL-17 e IL-10, e um aumento do percentual de células TCD4+ produtoras de IFN-γ. Além disso, esses animais apresentaram níveis significativos de anticorpos específicos IgG, IgG1, IgG2a e IgE e um aumento significativo no percentual de células B de memória. Nossos resultados confirmam o papel imunoprotetor da proteína Sm29r, reforçando seu potencial como candidata vacinal.


Subject(s)
Male , Female , Humans , Schistosoma mansoni/parasitology , Schistosomiasis mansoni/immunology , Vaccines/therapeutic use
9.
Rev. Soc. Bras. Med. Trop ; 47(6): 770-774, Nov-Dec/2014. graf
Article in English | LILACS | ID: lil-732977

ABSTRACT

Introduction Schistosomiasis is endemic in 76 countries and territories. Several studies have found an inverse correlation between parasitic disease and the development of allergies. The purpose of the present study was to determine whether infection with Schistosoma mansoni in subjects with a low parasite load is protective against allergy. The final sample consisted of 39 S. mansoni-positive and 52 S. mansoni-negative residents of a small community in northeastern Brazil. Methods All subjects were submitted to the Kato-Katz test, anti-S. mansoni IgG measurement, the prick test for aeroallergens, eosinophil counts and serum IgE measurement. Results Subjects who reacted to one or more antigens in the prick test were considered allergic. Only 7 S. mansoni-positive subjects (17.9%) reacted to one or more antigens, whereas 20 S. mansoni-negative subjects (38.5%) tested positive for allergy. Conclusions Our findings suggest that, in areas of low endemicity, infection with S. mansoni significantly reduces the risk of the development of allergy in subjects with a low parasite load. .


Subject(s)
Animals , Humans , Allergens/immunology , Antibodies, Helminth/blood , Antigens, Helminth/immunology , Hypersensitivity, Immediate/immunology , Schistosoma mansoni/immunology , Schistosomiasis mansoni/immunology , Brazil/epidemiology , Case-Control Studies , Feces/parasitology , Immunoglobulin E , Parasite Egg Count , Skin Tests , Schistosomiasis mansoni/epidemiology
10.
Recife; s.n; 2014. 90 p. ilus, graf, tab.
Thesis in Portuguese | LILACS | ID: lil-719867

ABSTRACT

Estudos indicam que citocinas Th1 (IL-2, TNF-alfa e IFN-gama) reduzem a fibrose na esquistossomose mansônica, enquanto que as Th2 (IL-4, IL-5, IL-6, IL-10 e IL-13) tem papel crítico na patogênese da doença. O desenvolvimento da resposta Th2 é dependente de IL-4, mas estudos revelaram a IL-13 como a mediadora da fibrose. Os mecanismos de controle da IL-13 estão ligados aos receptores desta citocina. O receptor IL-13Ra2, conhecida como receptor antagonista se liga com alta afinidade a IL-13, e estudos identificaram a sua participação na diminuição da fibrose e tamanho do granuloma. O principal objetivo desse projeto é avaliar o papel do IL-13Ra2 e da resposta imune celular nos diferentes graus de fibrose hepática e nas formas clínicas da esquistossomose mansônica humana. Os pacientes com diversas formas clínicas foram selecionados no Ambulatório de Gastroenterologia do HC- UFPE e avaliados através da ultrassonografia. As citocinas Th1 e Th2 foram dosadas através de citometria de fluxo e ELISA (IL-13 e IFN-gama), para a análise estatística foram utilizados testes de Mann-Whitney e Kruskal-Wallis e o teste de correlação de Spearman considerando um p 0,05 como significativo. Foi encontrado uma correlação negativa (p 0,05) entre o IL-13Ra2 e a IL-13, sugerindo um aumento da citocina no início da fibrose. Foi encontrada correlação inicialmente negativa nos pacientes sem fibrose e posteriormente positiva, nos pacientes com fibrose grave, entre IFN-gama e IL-13, salientando um novo mecanismo de regulação no processo de fibrose periportal na doença. Houve correlação positiva entre as citocinas do perfil Th1 e entre as citocinas do perfil Th2, sugerindo falta de supressão imunológica e presença de ambas às respostas, regulando a doença, com diferentes graus de fibrose periportal. Os resultados contribuirão para um melhor entendimento sobre os mecanismos imunes que controlam o processo de fibrogênese hepática em humanos e poderão ainda permitir um melhor entendimento da relação entre resposta imune celular e esquistossomose mansônica.


Subject(s)
Cytokines/immunology , Cytokines/blood , Cytokines/therapeutic use , Schistosomiasis mansoni/immunology , Schistosomiasis mansoni/parasitology , Schistosomiasis mansoni/blood , Receptors, Cytokine/immunology , Receptors, Cytokine/blood , Receptors, Cytokine/therapeutic use , Liver Cirrhosis/immunology , Liver Cirrhosis/parasitology , Liver Cirrhosis/blood , Health Profile , Th1 Cells
11.
Belo Horizonte; s.n; 2013. XV, 76 p.
Thesis in Portuguese | LILACS | ID: lil-760530

ABSTRACT

No presente trabalho investigou-se a relação entre infecções por geohelmintos e S. mansoni e os fatores de risco para alergia em duas áreas endêmicas com diferentes prevalências de infecção e co-infecção. A intensidade das infecções, eosinofilia,fatores de risco para alergia, co infecção e os níveis de IgE anti-Der p 1 e antiAscarisantes e 2 anos (população 1) e 3 anos (população 2) após o tratamento com drogas anti-helmínticas foram avaliados. Observou-se que na população com baixa prevalência e intensidade de infecção (população 2) apresentou menor contagem de eosinófilos (>600/mm3) e maior contato com animais do que a população com alta prevalência e intensidade de parasitos (população 1). Após o tratamento a intensidade da infecção por S. mansoni diminuiu, mas não foram observadas mudanças nos indivíduos infectados por geohelmintos ou co-infectados. Na população 1, o tratamento anti-helmíntico aumentou os níveis de densidade óptica pelo método de ELISA de IgE anti-Der p1 e anti-Ascaris nos subgrupos que se tornaram negativos para infecção helmíntica independente da condição prévia ao tratamento. Diante disso, avaliou-se o index de reatividade de IgE anti-Der p1, e a razão (após/antes tratamento) foi significativamente maior em pacientes coinfectados antes do tratamento. Por outro lado, nenhuma associação entre o index de reatividade de IgE anti-Der p1 e a intensidade foram observados. Conclui-se que o tratamento antihelmíntico de indivíduos de áreas endêmicas com alta prevalência para infecções por geohelmintos e S.mansoni aumenta os níveis de IgE anti-Der p1e que há uma correlação direta entre os níveis de IgE anti-Der p1 com os níveis de IgE e anti- Ascaris, mostrando que altos níveis de IgE anti- Ascaris e não somente a infecção, é um fator de risco para o desenvolvimento de doenças alérgicas...


Subject(s)
Humans , Male , Female , Allergy and Immunology/trends , Schistosomiasis mansoni/immunology , Hypersensitivity, Immediate/immunology , Schistosoma mansoni
12.
Article in English | WPRIM | ID: wpr-103959

ABSTRACT

This study aimed to evaluate the efficacy of fructose-1,6-bis phosphate aldolase (SMALDO) DNA vaccination against Schistosoma mansoni infection using different routes of injection. The SMALDO has been cloned into the eukaryotic expression vector pcDNA3.1/V5-His TOPO-TA and was used in injecting Swiss albino mice intramuscularly (IM), subcutaneously (SC), or intraperitoneally (IP) (50 microg/mouse). Mice vaccinated with non-recombinant pcDNA3.1 served as controls. Each group was immunized 4 times at weeks 0, 2, 4, and 6. Two weeks after the last booster dose, all mice groups were infected with 80 S. mansoni cercariae via tail immersion. At week 8 post-infection, animals were sacrificed for assessment of parasitological and histopathological parameters. High anti-SMALDO IgG antibody titers were detected in sera of all vaccinated groups (P<0.01) compared to the control group. Both the IP and SC vaccination routes resulted in a significant reduction in worm burden (46.2% and 28.9%, respectively, P<0.01). This was accompanied by a significant reduction in hepatic and intestinal egg counts (41.7% and 40.2%, respectively, P<0.01) in the IP group only. The number of dead eggs was significantly increased in both IP and IM groups (P<0.01). IP vaccination recorded the highest significant reduction in granuloma number and diameter (54.7% and 29.2%, respectively, P<0.01) and significant increase in dead miracidia (P<0.01). In conclusion, changing the injection route of SMALDO DNA vaccination significantly influenced the efficacy of vaccination. SMALDO DNA vaccination via IP route could be a promising protective and anti-pathology vaccine candidate against S. mansoni infection.


Subject(s)
Animals , Antibodies, Helminth/blood , Disease Models, Animal , Female , Fructose-Bisphosphate Aldolase/genetics , Histocytochemistry , Immunoglobulin G/blood , Injections, Intramuscular , Injections, Intraperitoneal , Injections, Subcutaneous , Mice , Parasite Load , Schistosoma mansoni/enzymology , Schistosomiasis mansoni/immunology , Vaccination/methods , Vaccines, DNA/administration & dosage , Vaccines, Synthetic/administration & dosage
13.
Belo Horizonte; s.n; 2013. XV, 76 p.
Thesis in Portuguese | ColecionaSUS, LILACS, ColecionaSUS | ID: biblio-940867

ABSTRACT

No presente trabalho investigou-se a relação entre infecções por geohelmintos e S. mansoni e os fatores de risco para alergia em duas áreas endêmicas com diferentes prevalências de infecção e co-infecção. A intensidade das infecções, eosinofilia,fatores de risco para alergia, co infecção e os níveis de IgE anti-Der p 1 e antiAscarisantes e 2 anos (população 1) e 3 anos (população 2) após o tratamento com drogas anti-helmínticas foram avaliados. Observou-se que na população com baixa prevalência e intensidade de infecção (população 2) apresentou menor contagem de eosinófilos (>600/mm3) e maior contato com animais do que a população com alta prevalência e intensidade de parasitos (população 1). Após o tratamento a intensidade da infecção por S. mansoni diminuiu, mas não foram observadas mudanças nos indivíduos infectados por geohelmintos ou co-infectados. Na população 1, o tratamento anti-helmíntico aumentou os níveis de densidade óptica pelo método de ELISA de IgE anti-Der p1 e anti-Ascaris nos subgrupos que se tornaram negativos para infecção helmíntica independente da condição prévia ao tratamento. Diante disso, avaliou-se o index de reatividade de IgE anti-Der p1, e a razão (após/antes tratamento) foi significativamente maior em pacientes coinfectados antes do tratamento. Por outro lado, nenhuma associação entre o index de reatividade de IgE anti-Der p1 e a intensidade foram observados. Conclui-se que o tratamento antihelmíntico de indivíduos de áreas endêmicas com alta prevalência para infecções por geohelmintos e S.mansoni aumenta os níveis de IgE anti-Der p1e que há uma correlação direta entre os níveis de IgE anti-Der p1 com os níveis de IgE e anti- Ascaris, mostrando que altos níveis de IgE anti- Ascaris e não somente a infecção, é um fator de risco para o desenvolvimento de doenças alérgicas.


Subject(s)
Male , Female , Humans , Allergy and Immunology/trends , Hypersensitivity, Immediate/immunology , Schistosoma mansoni , Schistosomiasis mansoni/immunology
14.
Rev. Soc. Bras. Med. Trop ; 45(5): 627-632, Sept.-Oct. 2012. ilus
Article in English | LILACS | ID: lil-656220

ABSTRACT

INTRODUCTION: Authors describe human schistosomal granuloma in late chronic phase, from the morphological and evolutionary viewpoints. METHODS: The study was based on a histological analysis of two fragments obtained from a surgical biopsy of peritoneum and large intestine of a 42-year-old patient, with a pseudotumoral form mimicking a peritoneal carcinomatosis associated to the schistosomiasis hepatointestinal form. RESULTS: Two hundred and three granulomas were identified in the pseudotumor and 27 in the intestinal biopsy, with similar morphological features, most in the late chronic phase, in fibrotic healing. A new structural classification was suggested for granulomas: zone 1 (internal), 2 (intermediate) and 3 (external). CONCLUSIONS: Regarding granuloma as a whole, we may conclude that fibrosis is likely to be controlled by different and independent mechanisms in the three zones of the granuloma. Lamellar fibrosis in zone 3 seems to be controlled by matrix mesenchymal cells (fibroblasts and myoepithelial cells) and by inflammatory exudate cells (lymphocytes, plasmocytes, neutrophils, eosinophils). Annular fibrosis in zone 2, comprising a dense fibrous connective tissue, with few cells in the advanced phase, would be controlled by epithelioid cells involving zone 1 in recent granulomas. In zone 1, replacing periovular necrosis, an initialy loose and tracery connective neoformation, housing stellate cells or with fusiform nuclei, a dense paucicellular nodular connctive tissue emerges, probably induced by fibroblasts. In several granulomas, one of the zones is missing and granuloma is represented by two of them: Z3 and Z2, Z3 and Z1 or Z2 and Z1 and, ultimately, by a scar.


INTRODUÇÃO: Os autores descrevem o granuloma esquistossomótico no homem, na fase crônica tardia, do ponto de vista morfológico e evolutivo. MÉTODOS: O estudo baseou-se na análise histológica de dois fragmentos obtidos de biópsia cirúrgica do peritônio e do intestino grosso de um paciente de 42 anos de idade, com a forma pseudotumoral mimetizando carcinomatose peritoneal associada à forma hepatointestinal da esquistossomose. RESULTADOS: Foram identificados 203 granulomas no pseudotumor e 27 na biópsia intestinal, com aspectos morfológicos semelhantes, a maioria na fase crônica tardia, em cura por fibrose. Foi sugerida nova classificação estrutural para os granulomas: zona 1 (interna), zona 2 (intermediária) e zona 3 (externa). CONCLUSÕES: Considerando o granuloma como um todo, concluímos que, provavelmente, a fibrose é comandada por mecanismos diferentes e independentes nas três zonas do granuloma. A fibrose lamelar na zona 3 parece ser comandada pelas células mesenquimais da matriz (fibroblastos e células mioepiteliais) e pelas células do exsudato inflamatório (linfócitos, plasmócitos, neutrófilos, eosinófilos). A fibrose anular na zona 2, composta por conjuntivo fibroso denso, pouco celular na fase avançada, seria comandada pelas células epitelioides que envolvem a zona 1 nos granulomas recentes. Na zona 1, substituindo a necrose periovular, a neoformação conjuntiva inicialmente frouxa, rendilhada, albergando células estreladas ou com núcleos fusiformes, surge um conjuntivo denso, paucicelular, nodular, provavelmente induzido pelos fibroblastos. Em muitos granulomas falta uma das zonas descritas e o granuloma é representado apenas por duas delas: Z3 e Z2, Z3 e Z1 ou Z2 e Z1 e, no final, por uma cicatriz.


Subject(s)
Adult , Animals , Humans , Male , Granuloma/pathology , Intestinal Diseases, Parasitic/pathology , Neglected Diseases/pathology , Peritoneal Diseases/pathology , Schistosoma mansoni , Schistosomiasis mansoni/pathology , Fibrosis , Granuloma/parasitology , Immunomodulation/physiology , Intestinal Diseases, Parasitic/parasitology , Liver Diseases, Parasitic/pathology , Liver/parasitology , Liver/pathology , Neglected Diseases/parasitology , Schistosomiasis mansoni/immunology
15.
Rev. Soc. Bras. Med. Trop ; 45(4): 505-509, July-Aug. 2012. graf
Article in English | LILACS | ID: lil-646905

ABSTRACT

INTRODUCTION: The correlation between the immunological assay and the antibody titer can offer a tool for the experimental analysis of different phases of the disease. METHODS: Two simple immunological assays for Schistosoma mansoni in mice sera samples based on specific IgG detection for worms soluble antigens and eggs soluble antigens were standardized and evaluated in our laboratory. Fifty mice were used in negative and positive groups and the results obtained by enzyme-linked immunosorbent assays (ELISA) assays were compared with the number of worms counted and the IgG titers at different times of infection. RESULTS: Data showed that ELISA using adult worm antigens (ELISA-SWAP) presented a satisfactory correlation between the absorbance value of IgG titers and the individual number of worms counted after perfusion technique (R²=0.62). In addition, ELISA-SWAP differentially detected positive samples with 30 and 60 days post infection (p=0.011 and 0.003, respectively), whereas ELISA using egg antigens (ELISA-SEA) detected samples after 140 days (p=0.03). CONCLUSIONS: These data show that the use of different antigens in immunological methods can be used as potential tools for the analysis of the chronological evolution of S. mansoni infection in murine schistosomiasis. Correlations with human schistosomiasis are discussed.


INTRODUÇÃO: A correlação entre o ensaio imunológico e o título de anticorpos serve como ferramenta para a determinação das diferentes fases da doença. MÉTODOS: Dois ensaios imunológicos simples para detecção de IgG específico para antígenos de vermes adultos e ovos do Schistosoma mansoni com amostras de soro murino foram padronizados e avaliados em nosso laboratório. Cinquenta camundongos negativos e positivos foram avaliados e os resultados obtidos por enzyme-linked immunosorbent assays (ELISA) foram comparados com o número de vermes adultos contados em tempos diferentes de infecção. RESULTADOS: Os dados mostraram que a ELISA com antígenos de vermes adultos (ELISA-SWAP) apresentou uma correlação satisfatória entre a absorbância obtida para os títulos de IgG e o número individual de vermes contados por perfusão do sistema porta hepático (R2=0,62). Adicionalmente, a ELISA-SWAP foi capaz de detectar diferencialmente amostras positivas com 30 e 60 dias de infecção (p=0,011 e 0,003, respectivamente), enquanto a ELISA com antígenos de ovos (ELISA-SEA) detectou amostras positivas com 140 dias de infecção (p=0,03). CONCLUSÕES: Estes dados mostram que o uso de antígenos diferentes em métodos imunológicos pode ser usado como ferramentas potenciais para a análise da evolução cronológica da infecção por S. mansoni na esquistossomose murina. Correlações com a esquistossomose humana devem ser discutidas.


Subject(s)
Animals , Female , Mice , Antibodies, Helminth/immunology , Antigens, Helminth/immunology , Immunoglobulin G/immunology , Ovum/immunology , Schistosoma mansoni/immunology , Schistosomiasis mansoni/immunology , Enzyme-Linked Immunosorbent Assay , Parasite Egg Count , Time Factors
16.
Belo Horizonte; s.n; 2012. XXVI,150 p.
Thesis in Portuguese | LILACS | ID: lil-645962

ABSTRACT

Neste estudo foram avaliadas as principais alterações hematológicas e imunofenotípicasem pacientes portadores da fase crônica da esquistossomose (INF), subcategorizadospor cargas parasitárias distintas, apresentando menos de 100 ovos por grama de fezes(<100) e mais de 100 ovos por grama de fezes (>100) e indivíduos negativos para ovosresidentes (CA) ou não (CT) em áreas endêmicas para a doença. Amostras de fezes esangue periférico foram coletadas para realização de exame parasitológico pelo métodode Kato-Katz e hemograma, respectivamente. Logo após, foi realizado a avaliação doperfil imunofenotípico ex vivo dos leucócitos circulantes e a produção de citocinas emculturas de células mononucleares do sangue periférico, após estimulação antigênica invitro por 12 horas na ausência ou presença de antígenos solúveis do ovo (SEA), doverme adulto (SWAP) e proteínas recombinantes (Sm22.6 e Sm29) do Schistosomamansoni. Os resultados mostraram aumento no número absoluto de eosinófilos nosgrupos INF e >100. Em relação ao perfil imunofenotípico, foi observado aumento daexpressão dos receptores do Tipo Toll-2, CD80, CD86 e CD54 em monócitos dosgrupos CA, INF, e >100 em relação ao grupo CT. Foi observado também aumento doreceptor CD18 em linfócitos T CD4+ dos grupos CA e <100 em relação ao grupo CT,diminuição do CD18 no grupo >100 em relação ao grupo <100 e aumento da expressãodo CD18 no grupo <100 em relação ao grupo CA. Em linfócitos T CD8+ foi observadoaumento na expressão do receptor do tipo Toll-2 nos grupos INF, <100 e >100 emrelação ao grupo CT, aumento do CD18 nos grupos <100 e CA em relação ao grupo CTe diminuição do CD18 no grupo >100 em relação ao grupo <100. Em linfócitos B, foiobservado aumento da expressão do receptor CD80 e CD86 no grupo <100 em relaçãoao CT e aumento na expressão do CD86 no grupo CA em relação ao grupo CT. Aanálise após estimulação antigênica revelou, em monócitos, aumento da síntese de TGF-nos grupos INF e >100 estimulados com Sm22.6 e SEA em relação ao CA, reduçãona síntese de IL-10 e IL-12 no grupo INF em relação ao grupo CA estimulado comSm22.6 e redução na síntese de IL-1nos grupos CAINF, <100 e >100estimuladoscom Sm22.6 e SEA em relação ao meio. Houve também, redução de expressão de IL-5no grupo <100 em relação ao CA estimulado com Sm22.6, aumento na síntese de IFN- nos grupo INF e >100 estimulados com SEA em relação ao meio e aumento nasíntese de F-e IL-10 nos grupo INF e >100 estimulados com Sm22.6 e SEAem relação ao grupo CA em linfócitos T CD4+. Além disso, houve aumento da síntese deIL-12 e TNF-no grupo INF em relação ao CA estimulado com SEA, redução de IL-8no grupo >100 em relação ao grupo <100 estimulados com SEA, SWAP e Sm22.6 eredução de síntese de IL-5 no grupo INF estimulado com SWAP em relação ao CA emlinfócitos T CD8+. Após a realização desse trabalho, pode-se concluir que indivíduosportadores da fase crônica e residentes em área endêmica para a doença apresentamforte expressão de moléculas co-estimuladoras, de adesão e de ativação celular emmonócitos, linfócitos B, linfócitos T CD4+ e CD8+ do sangue periférico, sugerindo queestes indivíduos possuam intensa atividade das células envolvidas na resposta imunecontra a infecção pelo S. mansoni. Além disso, de uma maneira geral, os indivíduosinfectados apresentaram, após estimulação antigênica com antígenos recombinantes,redução na síntese de citocinas pró inflamatórias e aumento da síntese de citocinasreguladoras tanto para monócitos quanto para linfócitos. Isto mostra uma enormecapacidade que esses antígenos possuem em induzir uma modulação da resposta imunerelacionada à resistência a infecção e a uma menor gravidade da doença. Acategorização da população estudada, segundo intensidades de infecção distintas,definiu a contribuição dessa variável para os mecanismos de resistência esusceptibilidade durante a infecção esquistossomótica.


Subject(s)
Schistosomiasis mansoni/immunology , Immunity, Mucosal/immunology , Recombinant Proteins/immunology , Schistosoma mansoni/parasitology
17.
Belo Horizonte; s.n; 2012. XXVI,150 p.
Thesis in Portuguese | ColecionaSUS, LILACS, ColecionaSUS | ID: biblio-936777

ABSTRACT

Neste estudo foram avaliadas as principais alterações hematológicas e imunofenotípicasem pacientes portadores da fase crônica da esquistossomose (INF), subcategorizadospor cargas parasitárias distintas, apresentando menos de 100 ovos por grama de fezes(100) e indivíduos negativos para ovosresidentes (CA) ou não (CT) em áreas endêmicas para a doença. Amostras de fezes esangue periférico foram coletadas para realização de exame parasitológico pelo métodode Kato-Katz e hemograma, respectivamente. Logo após, foi realizado a avaliação doperfil imunofenotípico ex vivo dos leucócitos circulantes e a produção de citocinas emculturas de células mononucleares do sangue periférico, após estimulação antigênica invitro por 12 horas na ausência ou presença de antígenos solúveis do ovo (SEA), doverme adulto (SWAP) e proteínas recombinantes (Sm22.6 e Sm29) do Schistosomamansoni. Os resultados mostraram aumento no número absoluto de eosinófilos nosgrupos INF e >100


Em relação ao perfil imunofenotípico, foi observado aumento daexpressão dos receptores do Tipo Toll-2, CD80, CD86 e CD54 em monócitos dosgrupos CA, INF, e >100 em relação ao grupo CT. Foi observado também aumento doreceptor CD18 em linfócitos T CD4+ dos grupos CA e 100 em relação ao grupo 100 emrelação ao grupo CT, aumento do CD18 nos grupos 100 em relação ao grupo 100 estimulados com Sm22.6 e SEA em relação ao CA, reduçãona síntese de IL-10 e IL-12 no grupo INF em relação ao grupo CA estimulado comSm22.6 e redução na síntese de IL-1nos grupos CAINF, 100estimuladoscom Sm22.6 e SEA em relação ao meio. Houve também, redução de expressão de IL-5no grupo 100 estimulados com SEA em relação ao meio e aumento nasíntese de F-e IL-10 nos grupo INF e >100 estimulados com Sm22.6 e SEAem


relação ao grupo CA em linfócitos T CD4+. Além disso, houve aumento da síntese deIL-12 e TNF-no grupo INF em relação ao CA estimulado com SEA, redução de IL-8no grupo >100 em relação ao grupo <100 estimulados com SEA, SWAP e Sm22.6 eredução de síntese de IL-5 no grupo INF estimulado com SWAP em relação ao CA emlinfócitos T CD8+. Após a realização desse trabalho, pode-se concluir que indivíduosportadores da fase crônica e residentes em área endêmica para a doença apresentamforte expressão de moléculas co-estimuladoras, de adesão e de ativação celular emmonócitos, linfócitos B, linfócitos T CD4+ e CD8+ do sangue periférico, sugerindo queestes indivíduos possuam intensa atividade das células envolvidas na resposta imunecontra a infecção pelo S. mansoni. Além disso, de uma maneira geral, os indivíduosinfectados apresentaram, após estimulação antigênica com antígenos recombinantes,redução na síntese de citocinas pró inflamatórias e aumento da síntese de citocinasreguladoras tanto para monócitos quanto para linfócitos. Isto mostra uma enormecapacidade que esses antígenos possuem em induzir uma modulação da resposta imunerelacionada à resistência a infecção e a uma menor gravidade da doença. Acategorização da população estudada, segundo intensidades de infecção distintas,definiu a contribuição dessa variável para os mecanismos de resistência esusceptibilidade durante a infecção esquistossomótica


Subject(s)
Immunity, Mucosal/immunology , Recombinant Proteins/immunology , Schistosoma mansoni/parasitology , Schistosomiasis mansoni/immunology
18.
Article in English | WPRIM | ID: wpr-223078

ABSTRACT

Although schistosomicidal drugs and other control measures exist, the advent of an efficacious vaccine remains the most potentially powerful means for controlling this disease. In this study, native fatty acid binding protein (FABP) from Fasciola gigantica was purified from the adult worm's crude extract by saturation with ammonium sulphate followed by separation on DEAE-Sephadex A-50 anion exchange chromatography and gel filtration using Sephacryl HR-100, respectively. CD1 mice were immunized with the purified, native F. gigantica FABP in Freund's adjuvant and challenged subcutaneously with 120 Schistosoma mansoni cercariae. Immunization of CD1 mice with F. gigantica FABP has induced heterologous protection against S. mansoni, evidenced by the significant reduction in mean worm burden (72.3%), liver and intestinal egg counts (81.3% and 80.8%, respectively), and hepatic granuloma counts (42%). Also, it elicited mixed IgG1/IgG2b immune responses with predominant IgG1 isotype, suggesting that native F. gigantica FABP is mediated by a mixed Th1/Th2 response. However, it failed to induce any significant differences in the oogram pattern or in the mean granuloma diameter. This indicated that native F. gigantica FABP could be a promising vaccine candidate against S. mansoni infection.


Subject(s)
Animals , Antibodies, Helminth/immunology , Fasciola/chemistry , Fatty Acid-Binding Proteins/administration & dosage , Female , Helminth Proteins/administration & dosage , Humans , Immunization , Mice , Mice, Inbred Strains , Schistosoma mansoni/immunology , Schistosomiasis mansoni/immunology
19.
Mem. Inst. Oswaldo Cruz ; 106(7): 837-843, Nov. 2011. ilus, tab
Article in English | LILACS | ID: lil-606647

ABSTRACT

The development of a more sensitive diagnostic test for schistosomiasis is needed to overcome the limitations of the use of stool examination in low endemic areas. Using parasite antigens in enzyme linked immunosorbent assay is a promising strategy, however a more rational selection of parasite antigens is necessary. In this study we performed in silico analysis of the Schistosoma mansoni genome, using SchistoDB database and bioinformatic tools for screening immunogenic antigens. Based on evidence of expression in all parasite life stage within the definitive host, extracellular or plasmatic membrane localization, low similarity to human and other helminthic proteins and presence of predicted B cell epitopes, six candidates were selected: a glycosylphosphatidylinositol-anchored 200 kDa protein, two putative cytochrome oxidase subunits, two expressed proteins and one hypothetical protein. The recognition in unidimensional and bidimensional Western blot of protein with similar molecular weight and isoelectric point to the selected antigens by sera from S. mansoni infected mice indicate a good correlation between these two approaches in selecting immunogenic proteins.


Subject(s)
Animals , Humans , Mice , Antigens, Helminth , Schistosoma mansoni/immunology , Schistosomiasis mansoni/diagnosis , Blotting, Western , Enzyme-Linked Immunosorbent Assay/methods , Sensitivity and Specificity , Schistosomiasis mansoni/immunology
20.
Mem. Inst. Oswaldo Cruz ; 106(7): 901-904, Nov. 2011. ilus, graf, tab
Article in English | LILACS | ID: lil-606655

ABSTRACT

Distinct patterns of glomerular lesions, including membranoproliferative glomerulonephritis and focal segmental glomerulosclerosis, are associated with infection by Schistosoma mansoni or Schistosoma japonicum. Evidence suggests that immune complex deposition is the main mechanism underlying the different forms of schistosomal glomerulonephritis and that immune complex deposition may be intensified by portal hypertension. The relationship between focal segmental glomerulosclerosis and schistosomiasis remains poorly understood. A clinicopathologic classification of schistosomal glomerulopathies was proposed in 1992 by the African Association of Nephrology. In Brazil, mass treatment with oral medications has led to a decrease in the occurrence of schistosomal glomerulopathy. In a survey of renal biopsies performed in Salvador, Brazil, from 2003-2009, only 24 (4 percent) patients were identified as positive for S. mansoni infection. Among these patients, only one had the hepatosplenic form of the disease. Focal segmental glomerulosclerosis was found in seven patients and membranoproliferative glomerulonephritis was found in four patients. Although retrospective studies on the prevalence of renal diseases based on kidney biopsies may be influenced by many patient selection biases, a change in the distribution of glomerulopathies associated with nephrotic syndrome was observed along with a decline in the occurrence of severe forms of schistosomiasis.


Subject(s)
Humans , Glomerulonephritis, Membranoproliferative/parasitology , Glomerulosclerosis, Focal Segmental/parasitology , Schistosomiasis japonica/complications , Schistosomiasis mansoni/complications , Biopsy , Glomerulonephritis, Membranoproliferative/immunology , Glomerulonephritis, Membranoproliferative/pathology , Glomerulosclerosis, Focal Segmental/immunology , Glomerulosclerosis, Focal Segmental/pathology , Schistosomiasis japonica/immunology , Schistosomiasis japonica/pathology , Schistosomiasis mansoni/immunology , Schistosomiasis mansoni/pathology
SELECTION OF CITATIONS
SEARCH DETAIL