Your browser doesn't support javascript.
loading
Show: 20 | 50 | 100
Results 1 - 20 de 1.764
Filter
1.
Fisioter. Bras ; 23(1): 1-17, Fev 11, 2022.
Article in Portuguese | LILACS | ID: biblio-1358393

ABSTRACT

Estudos têm demonstrado que exercícios realizados em meio aquático produzem benefícios diversos para mulheres. Esta pesquisa objetivou avaliar a percepção subjetiva de saúde, mobilidade e humor de mulheres quinquagenárias saudáveis e sedentárias em decorrência de participação em programa de caminhada em imersão. Participaram 59 mulheres entre 50 e 59 anos, distribuídas em grupos de 10 a 12 pessoas. A atividade foi desenvolvida em piscina aquecida 2 vezes por semana, por 30 minutos, durante 12 meses. O programa foi dividido em 4 etapas de 3 meses com 5 tempos de avaliação. Para a avaliação subjetiva sobre o estado de saúde, mobilidade e humor, utilizou-se uma escala numérica de 0 a 10. Breve relato sobre os principais efeitos do programa também foi analisado em seu conteúdo. Observou-se melhora na percepção de saúde (p < 0,001), na mobilidade (p < 0,001) e no humor (p = 0,003). Na análise de conteúdo, 49,4% dos relatos relacionaram-se com a melhora da saúde; 22,9% com a autoestima e satisfação e 19,3% com a capacidade física. O estudo reforça a necessidade deste tipo de prática para a saúde integral da mulher de "meia idade" como medida preventiva do processo de envelhecimento saudável. (AU)


Subject(s)
Female , Middle Aged , Personal Satisfaction , Physics , Women , Health , Walking , Healthy Aging , Women's Health
2.
Rev. bras. ortop ; 57(1): 167-174, Jan.-Feb. 2022. tab, graf
Article in English | LILACS | ID: biblio-1365740

ABSTRACT

Abstract Objective To evaluate the biomechanical behavior of the medial longitudinal arch (MLA) of the foot and the kinematic parameters of the lower limbs with biomimetic footwear (BF) and non-biomimetic (NB1, NB2, NB3 and NB4) footwear in children at the beginning of the gait acquisition phase. Methods Four toddlers were evaluated at the beginning of the gait acquisition phase under the following conditions: walking barefoot, ambulation with BF and NB1, NB2, NB3 and NB4 footwear in hard floor. BF is described as biomimetic because of its property of emulating natural and irregular floors through a dynamic internal insole. The MLA and kinematics of the hip, knee, and ankle during gait were evaluated by three-dimensional motion analysis system. The similarity between the kinematic curves of barefoot and footwear conditions was analyzed by root mean square error (RMSE). Results The use of BF presented the highest magnitude of MLA and the greatest difference in relation to barefoot condition (higher RMSE). The BF showed less difference in the kinematics of the knee and ankle joints during gait when compared to barefoot condition (lower RMSE). NB2 footwear presented hip kinematics more similar to barefoot condition (lower RMSE). Conclusion Biomimetics footwear and NB2 shoes (both with wider forefoot region) generated smaller differences in lower limbs compared to barefoot. In addition, the MLA was higher in the BF, probably because different design from other shoes.


Resumo Objetivo Avaliar o comportamento do arco longitudinal medial do pé (ALM) e os parâmetros cinemáticos dos membros inferiores durante a deambulação com calçados biomiméticos (CBs) e não biomiméticos (NB1, NB2, NB3 e NB4) em crianças no início da fase de aquisição da marcha. Métodos Foram avaliadas quatro crianças no início da fase de aquisição da marcha nas seguintes condições: andar descalço, andar com CBs e calçados NB1, NB2, NB3 e NB4 em solo plano. O calçado biomimético é descrito como biomimético por emular pisos naturais e irregulares por meio de uma palmilha interna dinâmica. O ALM e a cinemática do quadril, joelho e tornozelo durante a marcha foram avaliados por meio de sistema de análise do movimento tridimensional. A similaridade entre as curvas cinemáticas das condições descalça e com calçado foi analisada por meio do cálculo de root mean square error (RMSE). Resultados O CB foi o que apresentou maior magnitude do ALM e maior diferença do ALM em relação à condição descalça (maior RMSE). O CB apresentou ainda menor diferença na cinemática das articulações do joelho e tornozelo durante a marcha quando comparado à condição descalça (menor RMSE). O calçado NB2 apresentou a cinemática do quadril mais semelhante à condição descalça (menor RMSE). Conclusão Os calçados CB e NB2 que apresentam a região do antepé mais larga geraram menores diferenças na cinemática dos membros inferiores. Além disso, o ALM foi maior no CB provavelmente devido a seu design ser diferente daquele dos demais calçados.


Subject(s)
Humans , Infant , Shoes , Walking , Biomimetics , Foot , Gait
3.
Arq. bras. cardiol ; 118(2): 411-419, 2022. tab, graf
Article in English, Portuguese | LILACS | ID: biblio-1364315

ABSTRACT

Resumo Fundamento Apesar de avanços em técnicas cirúrgicas e cuidados pós-operatórios em cardiopatia congênita, a morbidade cardiovascular permanece elevada. Objetivo Avaliar a associação do condicionamento pré-operatório de crianças e adolescentes com cardiopatias, mensurado por teste de caminhada de 6-minutos (TC6M) e variabilidade da frequência cardíaca (VFC), com a ocorrência de choque cardiogênico, séptico e morte no período pós-operatório. Métodos Estudo clínico prospectivo e observacional de 81 pacientes de 8 a 18 anos. No período pré-operatório foram realizados o TC6M (distância caminhada e SpO2) e a VFC. O escore de risco ajustado para cirurgia de cardiopatia congênita ( RACHS-1 ) foi aplicado para predizer o fator de risco cirúrgico para mortalidade. A ocorrência de pelo menos uma das complicações citadas foi considerada como evento combinado. Valores de p<0,05 foram considerados significantes. Resultados Dos 81 pacientes, 59% eram do sexo masculino, com idade média de 12 anos; 33% eram cianóticos; e 72% já tinham realizado cirurgias prévias. O choque cardiogênico foi a complicação mais comum, e 31% apresentaram evento combinado. Cirurgia prévia, tipo de cardiopatia atual, RACHS-1 , SpO2 em repouso, durante e após recuperação do TC6M foram selecionados para o estudo multivariado. A SpO2 após o TC6M permaneceu como fator de risco independente para aumentar a ocorrência de evento combinado no pós-operatório (OR: 0,93, IC95% [0,88 - 0,99], p=0,02). Conclusão O SpO2 após o TC6M no período pré-operatório foi o fator independente preditor de prognóstico no pós-operatório em crianças e adolescentes submetidos à correção cirúrgica; a distância caminhada e as variáveis da VFC não tiveram a mesma associação.


Abstract Background Despite advances in surgical technique and postoperative care in congenital heart disease, cardiovascular morbidity is still high. Objective To evaluate the association between preoperative cardiovascular fitness of children and adolescents, measured by the 6-minute walk test (6MWT) and Heart Rate Variability (HRV), and the occurrence of cardiogenic, septic shock and death in the postoperative period. Methods Prospective, observational clinic study including 81 patients aged from 8 to 18 years. In the preoperative period, the 6MWT (distance walked and SpO2) and HRV were performed. The adjusted risk score for surgeries for congenital heart disease (RACHS-1) was applied to predict the surgical risk factor for mortality. The occurrence of at least one of the listed complications was considered as a combined event. P values < 0.05 were considered as significant. Results Of the patients, 59% were male, with mean age of 12 years; 33% were cyanotic; and 72% had undergone previous cardiac surgery. Cardiogenic shock was the most common complication, and 31% had a combined event. Prior to surgery, type of current heart disease, RACHS-1, SpO2at rest, during the 6MWT and recovery were selected for the multivariate analysis. The SpO2at recovery by the 6MWT remained as an independent risk factor (OR 0.93, 95%CI [0.88 - 0.99], p=0.02) for the increasing occurrence of combined events. Conclusion SpO2after the application of the 6MWT in the preoperative period was an independent predictor of prognosis in children and adolescents undergoing surgical correction; the walked distance and the HRV did not present this association.


Subject(s)
Humans , Male , Child , Adolescent , Walking/physiology , Exercise Test , Postoperative Period , Prospective Studies , Walk Test
4.
Esc. Anna Nery Rev. Enferm ; 26: e20210182, 2022.
Article in Portuguese | LILACS, BDENF | ID: biblio-1350746

ABSTRACT

Resumo Objetivo descrever as contribuições terapêuticas da utilização de tecnologias não invasivas de cuidado, oferecidas por enfermeiras obstétricas, durante o trabalho de parto. Método estudo qualitativo e descritivo, com oito enfermeiras obstétricas da casa de parto do Rio de Janeiro. Os dados foram coletados de setembro a dezembro de 2018, através de entrevistas semiestruturadas, e submetidos à técnica de análise temática. Resultados para aliviar a dor e promover relaxamento, recorrem ao estímulo à participação do acompanhante e à respiração consciente, à aplicação da massagem, à promoção do ambiente acolhedor e ao uso da água morna e dos óleos essenciais. Para ativar o trabalho de parto, auxiliar na descida da apresentação e correção do posicionamento fetal, incentivam posicionamentos verticalizados e movimentos corporais, com alguns instrumentos. Conclusões e implicações para a prática tecnologias não invasivas de cuidado possuem contribuições terapêuticas e conformam um cuidado desmedicalizado, respeitoso e centrado na mulher, que promove a autonomia feminina.


Resumen Objetivo describir las contribuciones terapéuticas de la utilización de tecnologías de atención no invasivas que ofrecen las enfermeras obstétricas durante el trabajo de parto. Método estudio cualitativo y descriptivo, con ocho enfermeras obstétricas de una casa de partos de Río de Janeiro. Los datos fueron recolectados de septiembre a diciembre de 2018, a través de entrevistas semiestructuradas, y sometidos a la técnica de análisis temático. Resultados para aliviar el dolor y favorecer la relajación, se recurre a fomentar la participación del acompañante y la respiración consciente, la aplicación de masajes, la promoción de un ambiente acogedor y el uso de agua tibia y aceites esenciales. Para activar el trabajo de parto, facilitan en el descenso de la presentación y corrección del posicionamiento fetal, fomentan las posiciones verticales y los movimientos corporales, con algunos instrumentos. Conclusiones e implicaciones para la práctica las tecnologías de atención no invasiva tienen aportes terapéuticos y conforman un cuidado desmedicalizado, respetuoso y centrado en la mujer que promueve la autonomía femenina.


Abstract Objective to describe the therapeutics contributions of the use of non-invasive care technologies offered by obstetric nurses during labor. Method a qualitative and descriptive study, with eight obstetric nurses from a birthing center in Rio de Janeiro. Data were collected from September to December 2018, through semi-structured interviews, and subjected to thematic analysis technique. Results to relieve pain and promote relaxation, they resort to encouraging the companion's participation and conscious breathing, the application of massage, the promotion of a supportive environment and the use of warm water and essential oils. To activate labor, assist in descending the presentation and correction of fetal positioning, they encourage vertical positioning and body movements, with some instruments. Conclusions and implications for practice non-invasive care technologies have therapeutic contributions and form a not medicalized, respectful and women-centered care that promotes female autonomy.


Subject(s)
Humans , Female , Pregnancy , Adult , Middle Aged , Labor, Obstetric , Labor Pain/nursing , Humanization of Assistance , Nurse Midwives , Nursing Care , Oils, Volatile/therapeutic use , Walking , Aromatherapy/nursing , Personal Autonomy , Qualitative Research , Labor Pain/therapy , Hydrotherapy/nursing , Massage/nursing , Music Therapy
5.
Licere (Online) ; 24(2): 624-665, 20210630. ilus
Article in Portuguese | LILACS | ID: biblio-1291517

ABSTRACT

Neste artigo serão abordadas algumas questões relativas às mudanças na razão e na sensibilidade do trato do ser humano com o mundo natural e que possam fornecer alguns indícios do apreço que os indivíduos, na atualidade, têm acerca de realizaram caminhadas pelo campo, considerando os séculos XVIII e XIX como ápice desse processo de transformação da mentalidade.


In this article, some issues related to changes in the reason and sensitivity of the human being's treatment with the natural world will be approached, which may provide some indications of the appreciation that individuals, at present, have about undertaking walks in the countryside, considering the 18th and 19th centuries as the culmination of this mentality transformation process.


Subject(s)
Walking
8.
Revagog ; 3(3): 80-87, Jul-Sept. 2021. ilus.
Article in Spanish | LILACS, LIGCSA | ID: biblio-1343841

ABSTRACT

Caminar durante el embarazo, la actividad física preferida entre las mujeres embarazadas, tiene múltiples beneficios para la salud del binomio materno - fetal en comparación con otras modalidades de actividad física. El no requerir tanto esfuerzo, la facilidad de ejecución, posibilidad de interacción social y de integrarse de manera muy significativa en algunas actividades, como los desplazamientos y las actividades ocupacionales, cuando a las embarazadas les es imposible realizar actividad física en su tiempo libre, son algunas de las ventajas que la convierten en la elegida por la mayor parte de las embarazadas. La falta de tiempo, las molestias físicas, la fatiga o la falta de energía, son algunos de los factores que impiden caminar a las gestantes. Dados los múltiples beneficios que tiene caminar para las embarazadas, las autoridades sanitarias deberían fomentar campañas de concienciación que promovieran la importancia de la práctica de actividad física por las mujeres embarazadas, entre las cuales, debería estar muy presente caminar.


Walking during pregnancy, the preferred physical activity among pregnant women, has multiple health benefits for the maternalfetal pairing compared to other forms of physical activity. Not requiring so much effort, the ease of execution, the possibility of social interaction and of integrating in a very significant way in some activities, such as travel and occupational activities, when it is impossible for pregnant women to perform physical activity in their free time, are some of the advantages that make it the one chosen by most pregnant women. Lack of time, physical discomfort, fatigue or lack of energy are some of the factors that prevent pregnant women from walking. Given the multiple benefits that walking has for pregnant women, health authorities should promote awareness campaigns that promote the importance of practicing physical activity by pregnant women, among whom walking should be very present.


Subject(s)
Humans , Female , Exercise , Walking , Pregnant Women , Maternal Health , Pre-Eclampsia/prevention & control , Fetal Macrosomia/prevention & control , Infant, Newborn , Diabetes, Gestational/prevention & control , Obstetric Labor, Premature/prevention & control
10.
Arq. bras. cardiol ; 117(2): 309-316, ago. 2021. tab
Article in Portuguese | LILACS | ID: biblio-1339166

ABSTRACT

Resumo Fundamento: Embora a caminhada máxima e submáxima sejam recomendadas para pacientes com doença arterial periférica (DAP), a realização desses exercícios pode induzir diferentes respostas fisiológicas. Objetivos: Comparar os efeitos agudos de caminhada máxima e submáxima na função cardiovascular, a regulação e os processos fisiopatológicos associados pós-exercício em pacientes com DAP sintomática. Métodos: Trinta pacientes do sexo masculino foram submetidos a 2 sessões: caminhada máxima (protocolo de Gardner) e caminhada submáxima (15 períodos de 2 minutos de caminhada separados por 2 minutos de repouso ereto). Em cada sessão, foram medidos a pressão arterial (PA), a frequência cardíaca (FC), a modulação autonômica cardíaca (variabilidade da FC), os fluxos sanguíneos (FS) do antebraço e da panturrilha, a capacidade vasodilatadora (hiperemia reativa), o óxido nítrico (ON), o estresse oxidativo (a peroxidação lipídica) e a inflamação (quatro marcadores), pré e pós-caminhada. ANOVAs foram empregadas e p < 0,05 foi considerado significativo. Resultados: A PA sistólica e a PA média diminuíram após a sessão submáxima, mas aumentaram após a sessão máxima (interações, p < 0,001 para ambas). A PA diastólica não foi alterada após a sessão submáxima (p > 0,05), mas aumentou após a caminhada máxima (interação, p < 0,001). A FC, o equilíbrio simpatovagal e os FS aumentaram de forma semelhante após as duas sessões (momento, p < 0,001, p = 0,04 e p < 0,001, respectivamente), enquanto a capacidade vasodilatadora, o ON e o estresse oxidativo permaneceram inalterados (p > 0,05). As moléculas de adesão vascular e intercelular aumentaram de forma semelhante após as sessões de caminhada máxima e submáxima (momento, p = 0,001). Conclusões: Nos pacientes com a DAP sintomática, a caminhada submáxima, mas não a máxima, reduziu a PA pós-exercício, enquanto a caminhada máxima manteve a sobrecarga cardíaca elevada durante o período de recuperação. Por outro lado, as sessões de caminhada máxima e submáxima aumentaram a FC, o equilíbrio simpatovagal cardíaco e a inflamação pós-exercício de forma semelhante, enquanto não alteraram a biodisponibilidade de ON e o estresse oxidativo pós-exercício.


Abstract Background: Although maximal and submaximal walking are recommended for patients with peripheral artery disease (PAD), performing these exercises may induce different physiological responses. Objectives: To compare the acute effects of maximal and submaximal walking on post-exercise cardiovascular function, regulation, and associated pathophysiological processes in patients with symptomatic PAD. Methods: Thirty male patients underwent 2 sessions: maximal walking (Gardner's protocol) and submaximal walking (15 bouts of 2 minutes of walking separated by 2 minutes of upright rest). In each session, blood pressure (BP), heart rate (HR), cardiac autonomic modulation (HR variability), forearm and calf blood flows (BF), vasodilatory capacity (reactive hyperemia), nitric oxide (NO), oxidative stress (lipid peroxidation), and inflammation (four markers) were measured pre- and post-walking. ANOVAs were employed, and p < 0.05 was considered significant. Results: Systolic and mean BP decreased after the submaximal session, but they increased after the maximal session (interactions, p < 0.001 for both). Diastolic BP did not change after the submaximal session (p > 0.05), and it increased after maximal walking (interaction, p < 0.001). HR, sympathovagal balance, and BF increased similarly after both sessions (moment, p < 0.001, p = 0.04, and p < 0.001, respectively), while vasodilatory capacity, NO, and oxidative stress remained unchanged (p > 0.05). Vascular and intercellular adhesion molecules increased similarly after both maximal and submaximal walking sessions (moment, p = 0.001). Conclusions: In patients with symptomatic PAD, submaximal, but not maximal walking reduced post-exercise BP, while maximal walking maintained elevated cardiac overload during the recovery period. On the other hand, maximal and submaximal walking sessions similarly increased post-exercise HR, cardiac sympathovagal balance, and inflammation, while they did not change post-exercise NO bioavailability and oxidative stress.


Subject(s)
Humans , Male , Walking , Peripheral Arterial Disease , Blood Pressure , Exercise Test , Heart Rate , Intermittent Claudication
11.
Revista Brasileira de Ciência e Movimento ; 28(4): 30-41, ago. 2021. tab
Article in Portuguese | LILACS | ID: biblio-1342054

ABSTRACT

O objetivo do estudo foi verificar o nível de atividade física e os fatores associados em adolescentes. Foi realizado um estudo transversal com 114 indivíduos (14 a 21 anos), estudantes do ensino médio, da cidade de Morro Redondo - RS. A atividade física foi mensurada pelo questionário de prática de atividade física para adolescentes (PAQ-A). Os resultados apontaram que na atividade física total, 55,7% dos adolescentes alcançaram as recomendações de atividade física (300 minutos por semana). Sujeitos que relataram percepção de saúde excelente apresentaram uma probabilidade 140% maior de praticar atividade física total quando comparados aos com percepção de saúde regular/ruim. Estudantes que já fumaram em algum momento da vida (RP=1,44; IC 95%= 1,06; 1,96) e aqueles que ingeriram mais de cinco doses de bebidas alcoólicas nos últimos 30 dias foram mais ativos que seus pares (RP=1,40; IC 95%= 1,01; 1,96). Na atividade física de lazer, 43,4% foram considerados ativos. Indivíduos de cor da pele não branca apresentaram 85% mais probabilidade de praticar atividade física no lazer (RP = 1,85; IC 95% = 1,26; 2,72), e a medida que melhora a percepção de saúde dos adolescentes, maior foi a chance de serem ativos. A atividade física mais praticada foi a caminhada como meio de transporte (57,9 %), seguida de andar de bicicleta (33,3%), correr (33,3 %) e jogar futebol (32,5%). Conclui-se que a prevalência de atividade física de lazer e total é semelhante à de estudos com adolescentes em diferentes cidades do país, e sua prática esteve associada a percepção de saúde positiva, ao consumo de bebidas alcóolicas e tabaco. A atividade mais realizada foi a caminhada como meio de transporte.


The aim of the study was to verify the level of physical activity and associated factors in adolescents. A cross-sectional study was carried out with 114 individuals (age between 14 and 21 years), students of the high school, in the city of Morro Redondo - RS. The physical activity was measured using a physical activity questionnaire for adolescents (PAQ-A). The results showed that concerning total physical activity, 55.7% of the adolescents reached the recommendations of physical activity (300 minutes per week). Subjects who reported excellent health perception presented a 140% higher probability of practicing total physical activity when compared to those with regular/poor health perception. Subjects who have smoked at some point in their life (PR = 1.44, 95% CI = 1.06, 1.96) and those who have consumed more than five doses of alcohol in the last 30 days are more active than their peers (PR = 1.40, 95% CI = 1.01, 1.96). In the leisure time physical activity prevalence of active students was 43.4%. Individuals with non-white skin color had 85% more probability to practice physical activity during leisure time (PR = 1.85, 95% CI = 1.26, 2.72), whereas, as adolescents' health perception improves the greater the chance of being active. The most practiced physical activity was walking as a means of transportation (57.9%), followed by cycling (33.3%), running (33.3%) and playing soccer (32.5%). In conclusion, the prevalence of leisure and total physical activity is similar to studies with adolescents in different cities in the country, and its practice was associated with the positive health perception, consumption of alcoholic beverages and tobacco. The most performed activity was walking as a mode of transport....(AU)


Subject(s)
Humans , Male , Female , Adolescent , Adult , Tobacco Use Disorder , Alcohol Drinking , Exercise , Adolescent , Adolescent Health , Leisure Activities , Soccer , Students , Tobacco , Health , Walking
12.
Alerta (San Salvador) ; 4(3): 158-151, jul. 29, 2021.
Article in Spanish | LILACS, BISSAL | ID: biblio-1282995

ABSTRACT

Las enfermedades cardiovasculares constituyen la primera causa de mortalidad mundial debido al efecto sinérgico entre sus factores de riesgo modificables. La actividad física, específicamente la caminata diaria, en conjunto con el podómetro, está asociada a la reducción significativa de eventos cardiovasculares y mortalidad prematura. Se pretende describir los beneficios de la caminata cuantificada por podometría en la prevención de factores de riesgo cardiovascular modificables. Se realizó una revisión a partir de la lectura de artículos originales, de revisión y meta-análisis, utilizando las bases de datos PubMed e HINARI y el buscador Google Académico. se utilizó la ecuación de búsqueda «podometría AND hipertensión¼ con obsolescencia menor de 5 años en el 86 % de referencias. Se demuestra que caminar con podómetro promueve un incremento de actividad física diaria al brindar motivación mediante retroalimentación positiva inmediata. Los beneficios cardiovasculares pueden obtenerse realizando al menos 10 000 pasos diarios y consisten en la mejora de la presión arterial, glicemia, perfil lipídico y la composición corporal. La caminata diaria con podómetro promueve hábitos saludables y previene la aparición o progresión de factores de riesgo cardiovascular modificables, principalmente en personas con morbilidad previa


Cardiovascular diseases are the leading cause of mortality worldwide due to the synergistic effect between your modifiable risk factors. Physical activity, specifically daily walking, in conjunction with the pedometer, it is associated with a significant reduction in cardiovascular events and premature mortality. It is intended to describe the your modifiable risk factors. Physical activity, specifically daily walking, in conjunction with the benefits of walking quantified by podometry in the prevention of modifiable cardiovascular risk factors. A review was carried out from the reading of original articles, review and meta-analysis, using the databases PubMed and HINARI and the Google Scholar search engine. the search equation «pedometrics AND hypertension¼ was used with less than 5 years obsolescence in 86% of references. Walking with a pedometer is shown to promote increased daily physical activity by providing motivation through immediate positive feedback. The benefits cardiovascular measures can be obtained by performing at least 10,000 steps a day and consist of improving blood pressure blood glucose, lipid profile and body composition. Daily walking with a pedometer promotes healthy habits and prevents the appearance or progression of modifiable cardiovascular risk factors, mainly in people with previous morbidity


Subject(s)
Humans , Cardiovascular Diseases , Risk Factors , Exercise , Morbidity , Walking , Hypertension
13.
Medicina (Ribeirão Preto) ; 54(1)jul, 2021. tab
Article in Portuguese | LILACS | ID: biblio-1354277

ABSTRACT

RESUMO: Fundamentos e objetivos: Apesar dos reconhecidos benefícios da prática de atividade física em pacientes com doença cardiovascular, acredita-se que pacientes com insuficiência cardíaca e fração de ejeção reduzida com comportamento não sedentário, mesmo que não pratiquem exercício físico regular, apresentem melhora da função cardiovascular e qualidade de vida em comparação a pacientes sedentários. Objetivo: comparar a capacidade funcional, função ventricular e quali-dade de vida de pacientes com insuficiência cardíaca sedentários e não sedentários. Métodos: Foram avaliados pacientes com Insuficiência Cardíaca e Fração de ejeção <50%, sendo compostos dois grupos, sedentários (n=45) e não sedentários (n=36), de acordo com o Questionário Internacional de Atividade Física. Os grupos foram submetidos à avaliação clínica e de qualidade de vida, teste de caminhada de Cooper, ecocardiograma e comparação pelo teste Qui-Quadrado para variáveis categóricas ou teste T de Student ou Mann-Whitney para variáveis contínuas. Nível de significância de 5%. Resultados: Os grupos foram homogêneos em relação às características basais e etiologia. Os pacientes do Grupo Não Sedentário apre-sentaram menos sintomas limitantes (p<0,01), menor necessidade de digitálicos (p=0,02), melhor fração de encurtamento ventricular (p=0,03) e menor aumento do volume indexado do átrio esquerdo (p=0,004). Não foram encontradas diferen-ças no teste de caminhada entre os grupos. Houve maior prejuízo do quesito capacidade funcional da qualidade de vida do grupo Sedentário. Conclusão: Considerando a limitação da amostra, pacientes com insuficiência cardíaca e comporta-mento não sedentário apresentam maior tolerabilidade ao exercício por apresentarem sintomas menos limitantes, melhor função ventricular e melhor qualidade de vida no quesito capacidade funcional quando comparados a pacientes sedentáriosRESUMOFundamentos e objetivos: Apesar dos reconhecidos benefícios da prática de atividade física em pacientes com doença cardiovascular, acredita-se que pacientes com insuficiência cardíaca e fração de ejeção reduzida com comportamento não sedentário, mesmo que não pratiquem exercício físico regular, apresentem melhora da função cardiovascular e qualidade de vida em comparação a pacientes sedentários. Objetivo: comparar a capacidade funcional, função ventricular e quali-dade de vida de pacientes com insuficiência cardíaca sedentários e não sedentários. Métodos: Foram avaliados pacientes com Insuficiência Cardíaca e Fração de ejeção <50%, sendo compostos dois grupos, sedentários (n=45) e não sedentários (n=36), de acordo com o Questionário Internacional de Atividade Física. Os grupos foram submetidos à avaliação clínica e de qualidade de vida, teste de caminhada de Cooper, ecocardiograma e comparação pelo teste Qui-Quadrado para variáveis categóricas ou teste T de Student ou Mann-Whitney para variáveis contínuas. Nível de significância de 5%. Resultados: Os grupos foram homogêneos em relação às características basais e etiologia. Os pacientes do Grupo Não Sedentário apre-sentaram menos sintomas limitantes (p<0,01), menor necessidade de digitálicos (p=0,02), melhor fração de encurtamento ventricular (p=0,03) e menor aumento do volume indexado do átrio esquerdo (p=0,004). Não foram encontradas diferen-ças no teste de caminhada entre os grupos. Houve maior prejuízo do quesito capacidade funcional da qualidade de vida do grupo Sedentário. Conclusão: Considerando a limitação da amostra, pacientes com insuficiência cardíaca e comporta-mento não sedentário apresentam maior tolerabilidade ao exercício por apresentarem sintomas menos limitantes, melhor função ventricular e melhor qualidade de vida no quesito capacidade funcional quando comparados a pacientes sedentários. (AU)


ABSTRACT: Purpose: Despite the recognized benefits of practicing physical activity in patients with cardiovascular disease, it is believed that patients with heart failure and reduced ejection fraction with non-sedentary behavior may present an improvement in cardiovascular function and quality of life compared to sedentary patients, even if they do not practice regular physical ex-ercise. The aim of the present study was to compare functional capacity, systolic and diastolic cardiac function and quality of life of sedentary and non-sedentary patients with heart failure and reduced ejection fraction. Methods: Patients with heart failure and ejection fraction below 50% were divided into two groups, Sedentary (n = 45) and Non-Sedentary (n = 36), using the IPAQ questionnaire. These two groups were evaluated with clinical evaluation, quality of life SF-36 questionnaire, Cooper walking test and transthoracic echocardiography. They were compared by Chi-Square test for categorical variables or Test T or Man-Whitney for continuous variables; the level of significance adopted in the statistical analysis was 5%. Results: The groups were homogeneous in relation to the baseline characteristics and etiology. The Non-Sedentary Group had fewer patients with severe symptoms (p <0.01), less necessity of digitalis (p = 0.02) and better left ventricle fractional shorten-ing (p = 0.03). There was no apparent difference in the walk-test data between groups. Additionally, there was a greater impairment in the functional capacity of the SF-36 Questionnaire in the Sedentary Group. Conclusion: Considering the sample limitation, patients with heart failure and non-sedentary behavior have greater tolerability to exercise because they have fewer limiting symptoms and better quality of life in the functional capacity domain than sedentary patients.


Subject(s)
Humans , Quality of Life , Echocardiography , Cardiovascular Diseases , Exercise , Surveys and Questionnaires , Walking , Sedentary Behavior , Walk Test , Heart Failure , Heart Ventricles
14.
Arq. ciências saúde UNIPAR ; 25(2): 87-94, maio-ago. 2021.
Article in Portuguese | LILACS | ID: biblio-1252350

ABSTRACT

O objetivo do presente estudo foi comparar os níveis de estado de humor de mulheres adultas praticantes de atividade física regular com os de mulheres adultas sedentárias. Participaram do estudo 57 mulheres (53,36 ± 10,68 anos de idade), divididas em dois grupos: ativas e sedentárias. Utilizou-se um questionário para caracterização da amostra e a Escala de Humor de Brunel (BRUMS). Os resultados do presente estudo demonstraram que as mulheres ativas apresentaram estado de humor positivo, além de apresentaram baixos escores para o estado de humor negativo, quando comparadas aos escores das mulheres sedentárias. Pode-se concluir que a atividade física pode influenciar positivamente o estado de humor.


The aim of this study was to compare mood levels of adult women engaged in regular physical activity with those of sedentary adult women. Fifty-seven women participated in the study (53.36 ± 10.68 years' old), divided into two groups: active and sedentary. A questionnaire was used to characterize the sample, and the Brunel Mood Scale (BRUMS) was also applied. The results demonstrated that active women had a positive mood state in addition to having low scores for negative mood state when compared to the scores of sedentary women. It can be concluded that physical activity can have a positive influence on mood state.


Subject(s)
Humans , Female , Middle Aged , Wit and Humor as Topic/psychology , Exercise/psychology , Stress, Psychological , Walking/psychology , Confusion/prevention & control , Depression , Fatigue/psychology , Sedentary Behavior , Psychology, Sports
15.
Dement. neuropsychol ; 15(1): 79-87, Jan.-Mar. 2021. tab, graf
Article in English | LILACS | ID: biblio-1286184

ABSTRACT

ABSTRACT. Action observation (AO) has been proved to be of benefit in several neurological conditions, but no study has previously been conducted in idiopathic normal pressure hydrocephalus (iNPH). Objective: This study aimed to investigate the feasibility of AO in iNPH patients. Methods: A single-group pretest-posttest design was conducted in twenty-seven iNPH patients. Gait and mobility parameters were assessed using the 2D gait measurement in the timed up and go (TUG) test for two trials before and after immediate AO training. The outcomes included step length and time, stride length and time, cadence, gait speed, sit-to-stand time, 3-m walking time, turning time and step, and TUG. In addition, early step length and time were measured. AO consisted of 7.5 min of watching gait videos demonstrated by a healthy older person. Parameters were measured twice for the baseline to determine reproducibility using the intraclass correlation coefficient (ICC3,1). Data between before and after immediately applying AO were compared using the paired t-test. Results: All outcomes showed moderate to excellent test-retest reliability (ICC3,1=0.51 0.99, p<0.05), except for the step time (ICC3,1=0.19, p=0.302), which showed poor reliability. There were significant improvements (p<0.05) in step time, early step time, gait speed, sit-to-stand time, and turning time after applying AO. Yet, the rest of the outcomes showed no significant change. Conclusions: A single session of AO is feasible to provide benefits for gait and mobility parameters. Therapists may modify this method in the training program to improve gait and mobility performances for iNPH patients.


RESUMO. A observação de ação (OA) teve benefícios comprovados em diversas condições neurológicas, mas nenhum estudo foi conduzido anteriormente em Hidrocefalia de Pressão Normal idiopática (HPNi). Objetivo: O presente estudo teve como objetivo investigar a viabilidade da OA em pacientes com HPNi. Métodos: Um projeto de pré-teste e pós-teste de grupo único foi realizado em 27 pacientes com HPNi. Parâmetros de marcha e mobilidade foram avaliados por meio de parâmetros 2D para a medida da marcha com o teste timed up and go (TUG) com duas tentativas antes e imediatamente depois do OA. Os resultados incluíram comprimento e tempo do passo, comprimento e tempo da passada, cadência, velocidade da marcha, tempo para sentar-e-levantar, tempo de caminhada de 3 metros, tempo de virada e passo, e tempo do teste (TUG). Além disso, o comprimento do passo inicial e o tempo da etapa inicial foram medidos. A OA consistia em assistir 7,5 minutos de vídeos de marcha demonstrados por um idoso saudável. Os parâmetros foram medidos duas vezes para a linha de base para determinar a reprodutibilidade usando o coeficiente de correlação intraclasse (CCI3,1). Os dados entre antes e depois da aplicação imediata de OA foram comparados com o teste t pareado. Resultados: Todos os resultados mostraram confiabilidade teste-reteste moderada a excelente (CCI3,1=0,51 0,99, p<0,05), exceto para o tempo do passo (CCI3,1=0,19, p=0,302), que apresentou confiabilidade pobre. Houve melhorias significativas (p<0,05) no tempo do passo, tempo do passo inicial, velocidade da marcha, tempo sentar-e-levantar e tempo de virar após a aplicação de OA. Os demais resultados não mostraram nenhuma mudança significativa. Conclusões: Uma única sessão de aplicação de OA é viável para proporcionar benefícios aos parâmetros de marcha e mobilidade. Os terapeutas podem modificar esse método no programa de treinamento para obter desempenho de marcha e mobilidade para pacientes com HPNi.


Subject(s)
Humans , Hydrocephalus, Normal Pressure , Walking , Observation , Gait , Movement
16.
Rev. bras. ativ. fís. saúde ; 26: 1-9, mar. 2021. tab
Article in Portuguese | LILACS | ID: biblio-1282607

ABSTRACT

Analisar o padrão do deslocamento ativo da Região Metropolitana Campinas, levando em conside-ração particularidades dos residentes e suas viagens. Utilizando as bases de dados obtidas através da Pesquisa Origem e Destino da Região Metropolitana de Campinas dos anos de 2003 e 2011, foram realizadas estatísticas descritivas e temporais a partir das características dos sujeitos, municípios e via-gens. Para identificarmos diferenças adotamos o intervalo de confiança de 95% (IC 95%). Utilizamos a regressão de Poisson para verificação da correlação entre características individuais e o desfecho ser ciclista ou caminhante, adotando o valor de p < 0,05. Todos os dados foram analisados levando-se em consideração os procedimentos de amostragem para que a amostra fosse representativa. Cons-tatou-se que a frequência de ciclistas e caminhantes e suas respectivas viagens caíram. Encontramos associação positiva para ciclista ser homem e classes econômicas mais baixas, para os caminhantes houve associação positiva ser mulher e crianças/adolescentes. Quanto ao tempo de viagem, notou-se aumento na mediana para os ciclistas e queda para os caminhantes. Não encontramos nenhuma via-gem de bicicleta que faça integração com outro modo de transporte. Quanto ao porte do município, observou-se uma queda em viagens de bicicleta tanto nos municípios pequenos, médios e grandes, e os residentes de Campinas apresentaram as menores frequências


This study analyzes the active commuting pattern of the Metropolitan Region of the City of Campinas, Brazil, by considering its commuters and their features. By using the database of Pesquisa Origem e Destino (a Brazilian instrument for transportation planning) of Campinas Metropolitan Region 2003-2011, we present descriptive and temporal statistics concerning the characteristics of the region's commuters, cities, and journeys. To assess those, we adopted a confidence interval of 95% (CI 95%). We used the Poisson regression to check the correlation between individual characteristics and outcomes of being a cyclist or a pedestrian, adopting the value of p < 0.05. We took into consideration the procedures for datum obtaining to present representative samples, verifying that the number of both cyclists and pedestrians has dropped. We found pos-itive associations regarding low-income males and being a cyclist; as well as females and children/teenagers and being pedestrians. The mean length of commuting time has increased for cycling journeys and decreased for pedestrian ones. We could not find a bicycle journey that integrates with another mean of transportation. Regarding the size of a city, we observed that the number of cycling journeys has dropped in small, medium, and large municipalities; Campinas presents the lowest index


Subject(s)
Bicycling , Off-Road Motor Vehicles , Walking
18.
Fisioter. Mov. (Online) ; 34: e34120, 2021. tab, graf
Article in English | LILACS | ID: biblio-1350762

ABSTRACT

Abstract Introduction: Knee osteoarthritis is a degenerative and inflammatory disease that causes skeletal muscle dysfunction and induces limitation of functional activities, such as gait. Objective: To assess the relationship between gait speed and functional performance in elderly women with knee osteoarthritis. Methods: 38 elderly women were divided into two groups: knee osteoarthritis group (KOAG) (n = 24, 68 ± 4.42) and control group (CG) (n = 14, 66.35 ± 3.54). Gait speed data was assessed through Qualisys system and functional performance through a checklist of the International Classification of Functioning, Disability and Health (ICF). Results: Comparing with CG (p < 0.05), KOAG patients had lower gait speed (p = 0.004) and worse functional performance in d4500 (walking short distances), d4501 (walking long distances), d4502 (walking on different surfaces), and d4503 (walking around obstacles) ICF categories. By associating gait speed and functional performance in KOAG, significant differences were found in the d4500 (p = 0.019) and d4501 (p = 0.035) categories, but none for either the d4502 (p = 0.511) or d4503 (p = 0.076) categories. Gait speed was negatively correlated with d4500 (rho = -0.585, p = 0.003), d4501 (rho= -0.552, p = 0.005), and d4502 (rho = -0,548, p = 0,006). Conclusion: Gait speed is related to functional performance in elderly women with knee osteoarthritis for the activities of walking short distances, walking long distances, and walking on different surfaces. However, it seems that gait speed is not related to walking around obstacles.


Resumo Introdução: A osteoartrite de joelho (OJ) é uma doença degenerativa e inflamatória que causa incapacidade musculoesquelética, acarretando limitação de atividades funcionais como a marcha. Objetivo: Avaliar a relação entre velocidade da marcha e desempenho funcional em idosas com OJ. Métodos: Trinta e oito idosas foram divididas em grupo com osteoartrite de joelho (GOAJ) (n = 24, 68 ± 4,42) e grupo controle (GC) (n = 14, 66,35 ± 3,54) e avaliadas quanto à velocidade da marcha, utilizando o sistema Qualisys, e quanto ao desempenho funcional através de um checklist da Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde (CIF). Resultados: GOAJ apresentou menor velocidade da marcha (p = 0,004) e pior desempenho funcional nas categorias da CIF d4500 (andar distâncias curtas), d4501 (andar distâncias longas), d4502 (andar em superfícies diferentes) e d4503 (andar contornando obstáculos) em comparação ao GC (p < 0,05). Ao associar velocidade da marcha e desempenho funcional do GOAJ, encontrou-se diferenças nas categorias d4500 (p = 0,019) e d4501 (p = 0,035), mas não em relação às categorias d4502 (p = 0,511) e d4503 (p = 0,076). Velocidade da marcha correlacionou-se negativamente com d4500 (rho = - 0,585, p = 0,003), d4501 (rho = -0,552, p = 0,005) e d4502 (rho = -0,548, p = 0,006). Conclusão: Existe relação entre velocidade da marcha e desempenho funcional de idosas com OJ quanto às atividades de andar distâncias curtas e longas e sobre superfícies diferentes; no entanto, a velocidade da marcha parece não interferir na atividade de andar contornando obstáculos.


Subject(s)
Humans , Female , Aged , International Classification of Functioning, Disability and Health , Osteoarthritis, Knee , Gait Analysis , Walking , Physical Functional Performance
19.
Cad. Saúde Pública (Online) ; 37(1): e00028720, 2021. tab
Article in English | LILACS | ID: biblio-1153676

ABSTRACT

Abstract: Public spaces could promote health equity by providing a place for people to engage in physical activity. Whereas most studies show a positive association between public spaces and physical activity, there are still mixed results, especially in low- and middle-income countries. The objectives of this mixed-methods study were: (i) to assess the quantitative association between access to public spaces and physical activity; (ii) to assess the modification of the association by public spaces quality, area-level walkability, and social stratifiers; (iii) to explain the quantitative results using qualitative data. Quantitative data were obtained with a household survey in two arid-climate Mexican cities in 2017-2018. physical activity was measured with the Global Physical Activity Questionnaire. Access to public spaces was measured in buffers centered on survey blocks, walkability with area-level indicators, and public spaces quality with the Physical Activity Resources Assessment. Qualitative data were obtained with semi-structured interviews and neighborhood observation. No quantitative association between access to public spaces and physical activity was found, as well as no interactions between access to public spaces and other variables. Walkability was positively associated with physical activity. Qualitative analysis showed that local public spaces were rarely used by adults because they were perceived as small, unequipped, unattractive, and unsafe. The results shed light on the relationship between public spaces and physical activity, highlighting the improvements in design and upkeep of public spaces that are necessary to achieve their potential health benefit.


Resumen: Los espacios públicos podrían promover la equidad en salud, proporcionando un lugar para que todas las personas practiquen actividades físicas. Mientras que la mayoría de los estudios muestran una asociación positiva entre espacios públicos y actividades físicas, existen todavía resultados mixtos, especialmente en países de ingresos medios y bajos. Los objetivos de estos métodos combinados fueron: (i) evaluar la asociación cuantitativa entre el acceso a espacios públicos y actividades físicas; (ii) evaluar la modificación de la asociación por la calidad de los espacios públicos, nivel de transitabilidad del área y estratificadores sociales; (iii) explicar resultados cuantitativos usando datos cualitativos. Los datos cuantitativos se obtuvieron a través de una encuesta por hogares en dos ciudades mejicanas de clima árido en 2017-2018. La actividad física se midió mediante el Cuestionario Mundial sobre Actividad Física. El acceso a los espacios públicos se midió con áreas de influencia centradas en encuestas por bloques, la transitabilidad según indicadores de nivel del área, y la calidad de los espacios públicos con la Physical Activity Resources Assessment [Evaluación de Recursos de Actividad Física]. Los datos cualitativos se obtuvieron a través de entrevistas semiestructuradas y observación del barrio. No hallamos ninguna asociación cuantitativa entre el acceso a los espacios públicos y actividades físicas, ni tampoco interacciones entre el acceso a espacios públicos y otras variables. La transitabilidad estuvo positivamente asociada con actividades físicas. El análisis cualitativo mostró que los espacios públicos locales eran raramente usados por adultos, porque los percibían como pequeños, faltos de equipamiento, poco atractivos e inseguros. Los resultados clarificaron la relación entre espacios públicos y actividades físicas, y resaltaban las mejoras en el diseño y el mantenimiento de los espacios públicos que se necesitan para lograr beneficios potenciales en la salud de la población.


Resumo: Os espaços públicos podem promover a equidade na saúde, ao prover um lugar para todas as pessoas praticarem atividades físicas. A maioria dos estudos mostra uma associação positiva entre espaços públicos e atividade física, mas ainda há resultados conflitantes, principalmente em países de renda baixa e média. Os objetivos deste estudo de métodos mistos foram: (i) avaliar a associação quantitativa entre o acesso aos espaços públicos e atividade física; (ii) avaliar a modificação da associação pela qualidade dos espaços públicos, a caminhabilidade das áreas e fatores de estratificação social; e (iii) explicar os resultados quantitativos com base nos dados qualitativos. Os dados quantitativos foram obtidos com um inquérito domiciliar em duas cidades do semiárido mexicano em 2017-2018. A atividade física foi medida com o Questionário Global de Atividade Física. Os autores mediram o acesso aos espaços públicos com buffers centrados nos quarteirões do inquérito, a caminhabilidade com indicadores em nível de área e a qualidade dos espaços públicos com a Physical Activity Resources Assessment [Avaliação de Recursos de Atividade Física]. Os dados qualitativos foram obtidos com entrevistas semiestruturadas e observação dos bairros. Não foi encontrada associação quantitativa entre acesso aos espaços públicos e atividade física, ou interações entre o acesso aos espaços públicos e outras variáveis. A caminhabilidade mostrou associação positiva com atividade física. A análise qualitativa mostrou que os espaços públicos locais eram usados raramente por adultos, porque eram percebidos como pequenos, sem equipamentos, pouco atraentes e inseguros. Os resultados ajudam a entender a relação entre os espaços públicos e atividade física, e destacam as melhorias no desenho e na manutenção dos espaços públicos que são necessárias para realizar os benefícios para a saúde da população.


Subject(s)
Humans , Adult , Exercise , Walking , Brazil , Residence Characteristics , Cities , Environment Design
20.
Clinics ; 76: e1802, 2021. tab, graf
Article in English | LILACS | ID: biblio-1153948

ABSTRACT

OBJECTIVES: Although the practice of physical exercise in patients with intermittent claudication (IC) is often encouraged, adherence is low. The difficulty in performing physical training may be related to the psychological characteristics of patients with claudication. To verify the association between anxiety and depression symptoms and barriers to physical exercise and walking capacity in patients with IC. METHODS: One-hundred and thirteen patients with a clinical diagnosis of IC were included in the study. Patients underwent clinical evaluation by a vascular surgeon, answered the Beck Depression Inventory, and Beck Anxiety Inventory tests were applied by the psychologist. The patients performed the 6-minute test and reported their barriers to physical activity practice in a questionnaire. RESULTS: Patients with signs of depression had a shorter pain-free walking distance (p=0.015) and total walking distance (p=0.035) compared to patients with no signs of depression. Pain-free walking distance (p=0.29) and total walking distance (p=0.07) were similar between patients with and without signs of anxiety. Patients with symptoms of moderate to severe depression reported more barriers to physical activity practice compared to patients without signs of depression. CONCLUSION: Symptoms of anxiety and depression are prevalent among patients with peripheral arterial occlusive disease (PAD). Depression symptoms are associated with personal barriers to exercise, while anxiety symptoms are not. The main barriers to physical activity among patients with IC are exercise-induced pain and the presence of other diseases.


Subject(s)
Humans , Depression , Intermittent Claudication , Anxiety , Walking , Gait
SELECTION OF CITATIONS
SEARCH DETAIL