Your browser doesn't support javascript.
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 20 de 1.299
Filtrar
1.
Acta bioeth ; 26(1): 107-116, mayo 2020.
Artigo em Espanhol | LILACS (Américas) | ID: biblio-1114604

RESUMO

La comprensión de la conciencia ha sido durante siglos uno de los caballos de batalla del devenir intelectual, en tanto contexto en el que se han definido y redefinido las diferentes percepciones socioculturales, científicas, filosóficas e ideológicas del ser humano. Lejos de tratarse de un problema superado, se trata de una cuestión que, reformulada una y otra vez, en distintos ámbitos y contextos, retorna sin cesar al epicentro del debate intelectual, dadas sus consecuencias epistémicas y necesariamente éticas. En este trabajo se trata de mostrar cómo tal debate y sus posturas se alimentan de una percepción que se estima "anticuada" del problema, al afrontarlo desde una óptica esencialista (cifrada sobre un modelo de pensamiento basado en esquemas de razón-objeto), a la par que se propone una reformulación de la cuestión en términos procesuales, inspirada en la propuesta del emergentismo sistémico. Con ello, se pretende aportar un enfoque superador de un modelo intelectual que se estima obsoleto, a la par que se propicia una reflexión ética en torno a las consecuencias intelectuales ideológicas y prácticas devenidas de un sostenimiento artificioso del mismo en el ámbito de la ciencia.


For centuries, the understanding of conciousness has been one of the topic issues of intellectual development, and a context in which the different sociocultural, scientific, philosophical and ideological perceptions of the human being have been defined and redefined. Far from being a solved problem, it's a theme that, reformulated again and again in different fields and contexts, returns endlessly to the epicenter of intellectual discussion because it has, necessarily, trascendental epistemic and ethical consequences. This paper tries to show how such confrontation and its positions are fed by an "outdated" perception of the problem, when faced it from an essentialist perspective (encrypted on a model of thought based on reason-object schemes). Therefore is proposed a reformulation of the question in procedural terms inspired by the theory of systemic emergentism. So, it is intended to provide an overcoming approach to an intellectual model that is considered obsolete, while fostering an ethical reflection on the ideological intellectual consequences and practices derived from its artificial support in the field of Science.


A compreensão de consciência tem sido, durante séculos, um dos cavalos de batalha do tornar-se intelectual, no contexto em que se definiu e se redefiniu as diferentes percepções socioculturais, científicas, filosóficas e ideológicas do ser humano. Longe de se tratar de um problema superado, trata-se de uma questão que, reformulada uma ou outra vez, em distintos âmbitos e contextos, retorna ao epicentro do debate intelectual, dadas suas consequências epistêmicas e necessariamente éticas. Tratamos demonstrar neste trabalho como tal debate e suas posturas alimentam-se de uma percepção que se estima ser "antiquada" do problema, ao enfrenta-lo a partir de uma visão essencialista (codificada sobre um modelo de pensamento baseado em esquemas de razão-objeto), ao mesmo tempo em que se propõe uma reformulação da questão em termos processuais, inspirada na proposta do emergentismo sistêmico. Com isto, pretende-se aportar um enfoque que supera um modelo intelectual que se estima obsoleto, ao mesmo tempo em que se propicia uma reflexão ética em torno das consequências intelectuais ideológicas e práticas decorrentes de um apoio artificial do mesmo no âmbito da ciência.


Assuntos
Filosofia , Consciência , Conhecimento , Estado de Consciência
2.
Arq. bras. psicol. (Rio J. 2003) ; 72(1): 25-39, jan.-abr. 2020. ilus
Artigo em Português | LILACS (Américas), INDEXPSI | ID: biblio-1114670

RESUMO

A partir da obra final de Merleau-Ponty e de suas reflexões sobre visível e invisível, carne e linguagem, arte e vida, neste ensaio abordamos o tema da visibilidade e da invisibilidade. Transitando entre psicologia, arte e filosofia, dialogamos com as propostas de Didi-Huberman sobre ver e ser olhado e de Roland Barthes sobre o fotográfico, tendo em vista pensar a experiência e os processos de produção de subjetividade e de mundo. Tomando como referência duas cenas de performances teatrais protagonizadas por moradores de favelas, discutimos o estatuto da visibilidade e da invisibilidade em relação com a problemática da imagem na produção e reprodução de cultura, subjetividades e modos de perceber. Sendo imagens-clichês sedimentações culturais fixadas que se reproduzem como cópias, perpetuando-se como verdades e promovendo uma espécie de apagamento do invisível, consideramos que a arte traz a possibilidade da experiência de abrir o tempo, visibilizar o invisível e encontrar o outro.


Considering the last works of Merleau-Ponty and his reflections on visible and invisible, flesh and language, art and life, in this essay we discuss visibility and invisibility. Moving between psychology, art and philosophy, we stablish a dialogue with Didi-Huberman's work on seeing and being seen and Roland Barthes on the photographic, in order to think about experience and the processes of subjectivation. Based on two scenes of theatrical performances by favela dwellers, we discuss the status of visibility and invisibility in relation to the problematic of image in the production and reproduction of subjectivities and ways of perceiving. Considering images-cliché as cultural sedimentation that reproduce as copies, perpetuating themselves as truths and promoting a kind of erasure of the invisible, we argue that art allows a kind of experience capable of opening time, making the invisible visible and encountering otherness.


Del trabajo final de Merleau-Ponty y sus reflexiones sobre lo visible y lo invisible, la carne y el lenguaje, el arte y la vida, este ensayo aborda el tema de la visibilidad y la invisibilidad. Moviéndonos entre psicología, arte y filosofía, dialogamos con las propuestas de Didi-Huberman sobre ver y ser mirado y de Roland Barthes sobre lo fotográfico, para pensar sobre la experiencia y los procesos de producción de subjetividad y de mundo. Tomando como referencia dos escenas de performances teatrales realizadas por habitantes de barrios marginales, discutimos el estatuto de la visibilidad y la invisibilidad en relación con la problemática de la imagen en la producción y reproducción de cultura, subjetividades y formas de percepción. Al ser imágenes cliché sedimentaciones fijas culturales que se reproducen como copias, perpetuándose como verdades y promoviendo una especie de eliminación de lo invisible, consideramos que el arte brinda la posibilidad de la experiencia de apertura del tiempo, de visualizar lo invisible y de encontrar al otro.


Assuntos
Percepção , Filosofia , Arte , Psicologia , Vida , Cultura
3.
Gerais (Univ. Fed. Juiz Fora) ; 13(1): 1-20, jan.-abr. 2020.
Artigo em Português | LILACS (Américas) | ID: biblio-1090462

RESUMO

O objetivo do presente artigo é analisar o conteúdo das meditações, presentes no Discurso sobre o Método (1637) e Meditações sobre a Filosofia Primeira (1641), de Renée Descartes, a partir das noções estabelecidas pelo Psicanalista Jean Laplanche sobre Revoluções Copernicanas e recaídas Ptolomaicas. Estendendo o designativo Revolução Copernicana, que Laplanche concede à Psicanálise, em específico, à descoberta de um inconsciente no qual residem disposições profundamente sexuais e de origem alteritária, pretende-se a utilização dessa noção para além do texto freudiano, no qual a teorização de Laplanche está prioritariamente concentrada. Uma vez requalificada, propõe-se a partir dessa perspectiva expor as proximidades do percurso de Descartes em suas meditações e a situação analítica. Esse exercício inclui-se na experiência extramuros, na qual a unidade teórica psicanalítica é colocada em movimento, diante de um objeto que lhe é exterior, renovando a sua vocação revolucionária copernicana fundamental.


The purpose of this article is to analyze the content of meditations present in Discourse on Method (1637) and Meditations on First Philosophy (1641), both of René Descartes' authorship, based on the notions established by psychoanalyst Jean Laplanche about Copernican Revolutions and Ptolemaic relapses. Extending the Copernican Revolutions designation - which Laplanche grants specifically to Psychoanalysis - to the discovery of an unconscious where there are deeply sexual dispositions with alteritarian origins, the intention is to use this notion beyond the Freudian text, in which Laplanche's theories are mainly focused. Once this new meaning has been assigned, we proposed to expose the similarities between Descartes' meditations and the analytical situation. This exercise includes an experience "beyond the walls", where the psychoanalytic practice is put in motion before an external object, renewing its fundamental Copernican revolutionary vocation.


Assuntos
Filosofia , Psicanálise
4.
Pesqui. prát. psicossociais ; 14(4): 1-14, out.-dez. 2019.
Artigo em Português | LILACS (Américas), INDEXPSI | ID: biblio-1115075

RESUMO

Sob a égide de um clima intelectual firmado a partir do séc. XVII com o advento do mecanicismo e do empirismo, o conceito de "natureza" acompanhou o alvorecer de uma ciência moderna que se norteava pelos princípios de causalidade e materialidade. Breves percursos pela História da Ciência e da Filosofia, contudo, revelam conceituações díspares, algumas das quais pressupunham certa harmonia de fatores físicos com assertivas vitalistas e metafísicas, mediante ideias que se dispunham na forma de "pares de opostos". O objetivo deste ensaio é demonstrar a contribuição da teoria junguiana à noção de Physis, no sentido de integrar aspectos antagônicos no conjunto do conhecimento acerca da natureza. Como resultado desta reflexão, verifica-se que a epistemologia do pensamento junguiano, em muito sintonizada com a revolução quântica da física de partículas, resgata a antiga noção da Physis grega, na medida em que sua conceituação abarca o conjunto mais completo das diversas fenomenologias.


Under the aegis of an intellectual climate established from the 17th century, with the advent of mechanicism and empiricism, the concept of "nature" accompanied the dawn of a modern science that was guided by the principles of causality and materiality. Brief journeys through the History of Science and Philosophy, however, reveal disparate conceptions, some of which presupposed a certain harmony of physical factors with vitalist and metaphysical assertions, through ideas that were available in the form of "pairs of opposites". The purpose of this essay is to demonstrate the contribution of Jungian theory to the notion of Physis, in the sense of integrating antagonistic aspects into the set of knowledge about nature. As a result of this reflection, it is verified that the epistemology of Jungian thought, very attuned with the quantum revolution of the physics of particles, rescues the old notion of Greek Physis, insofar as its conceptualization encompasses the most complete set of diverse phenomenologies.


Bajo la égida de un clima intelectual firmado a partir del s. XVII con el advenimiento del mecanicismo y del empirismo, el concepto de "naturaleza" acompañó el amanecer de una ciencia moderna que se orientaba por los principios de causalidad y materialidad. Breves recorridos por la Historia de la Ciencia y la Filosofía, sin embargo, revelan conceptualizaciones dispares, algunas de las cuales presuponen cierta armonía de factores físicos con asertivas vitalistas y metafísicas, mediante ideas que se disponían en la forma de "pares de opuestos". El objetivo de este ensayo es demostrar la contribución de la teoría junguiana a la noción de Physis, en el sentido de integrar aspectos antagónicos en el conjunto del conocimiento acerca de la naturaleza. Como resultado de esta reflexión, se verifica que la epistemología del pensamiento junguiano, en muy sintonizada con la revolución cuántica de la física de partículas, rescata la antigua noción de la Physis griega, en la medida en que su concepción abarca el conjunto más completo de las diversas fenomenologías.


Assuntos
Empirismo , Metafísica , Filosofia , Psicologia , Pensamento , Causalidade , Natureza , Conhecimento , Teoria Junguiana
5.
Licere (Online) ; 22(3): 492-516, set.2019. ilus
Artigo em Português | LILACS (Américas) | ID: biblio-1046736

RESUMO

Nos últimos anos, na era pós-Medina, o surfe brasileiro alcançou um lugar de maior visibilidade no cenário nacional e internacional. Nesse contexto, este artigo teve como objetivo principal analisar o discurso de Ricardo dos Santos, surfista assassinado na Guarda do Embaú em 20 de janeiro de 2015, a partir de alguns conceitos foucaultianos como: discurso; acontecimento e heterotopias. O corpus empírico da pesquisa constituiu-se do Blogue Salt Water Crazy Dreams, criado e mantido pelo próprio surfista. A pesquisa concluiu que apesar de Ricardinho pertencer à geração de surfistas brasileiros que aderiram ao surfe competitivo, seu discurso engajado ressaltava o cuidado com o meio ambiente e uma valoração da dimensão lúdico-brincante do surfe, instituindo assim a possibilidade do surfe constituir-se em uma heterotopia.


Over the last few years, in Post-Medina era, Brazilian surfing has reached a place of greater visibility in international and national scene. In this context, this article has the main objective to analyze the speech of Ricardo dos Santos, a surfer who was murdered at Guarda do Embaú on January 20th in 2015, based on Focauldian concepts such as: speech, events and heterotopia. The empirical corpus of the research consisted of Salt Water Crazy Dreams blog which was created and mainted by the own surfer. The research concluded that despite Ricardinho belong to Brazilian surfers generation who joined competitive surfing, thus his commited speech enphasized the care for the environment and appraisal of the surfing playful dimension establishing thereby the possibility of surfing to become a heterotopia.


Assuntos
Filosofia , Política Pública , Meio Ambiente , Esportes Aquáticos
6.
Rev. med. Rosario ; 85(2): 93-94, mayo-ago. 2019.
Artigo em Espanhol | LILACS (Américas) | ID: biblio-1053317

Assuntos
Humanos , Cultura , Filosofia , Dieta
7.
Fractal rev. psicol ; 31(2): 111-118, maio-ago. 2019.
Artigo em Português | LILACS (Américas), INDEXPSI | ID: biblio-1039901

RESUMO

Este artigo discute a relação entre corpo e limite na obra de Michel Foucault, notadamente em textos que figuram às margens de sua interpretação canônica. A discussão sobre o corpo está presente em diversos momentos de sua obra e ganha destaque no final da década de 1970, quando a análise dos processos de subjetivação predomina em seu pensamento. A noção de limite, por sua vez, pode ser compreendida de diferentes maneiras dentro de sua obra. Em nossa análise, trataremos da utilização específica do termo "experiência-limite" em dois textos fora do "cânone", confrontando-os com uma das abordagens mais diretas sobre o corpo que pode ser encontrada na obra foucaultiana: a rádioconferência O corpo utópico, de 1966.(AU)


This paper discusses the relation between body and limit in some texts from Michel Foucault´s work, especially those that appear on the margins of its canonical interpretation. The discussion about body is present in many moments of his work, and becomes an important element, especially in the analysis of the processes of subjectivity that prevailed in his thought at the end of the 1970´s. The notion of limit, in turn, can be understood in different ways in his work. In our approach, we will discuss the specific use of the term "limit-experience" in two texts that appears out of the canon, confronting them with one of the most direct approaches on body that can be found in Foucault's work: a radio conference called Utopian body, issued in 1966.(AU)


Assuntos
Filosofia , Utopias , Corpo Humano
8.
Arq. bras. psicol. (Rio J. 2003) ; 71(2): 34-50, mai.-ago 2019.
Artigo em Português | LILACS (Américas), INDEXPSI | ID: biblio-1010168

RESUMO

O propósito deste artigo é apresentar o conceito de conhecimento como proposto pelo epistemólogo Michael Polanyi, explicitando conceitos como conhecimento tácito, meaning e habitar. De acordo com o autor, todo processo de conhecimento sempre envolve uma dimensão tácita, que vai além daquela em que o conhecimento pode ser explicitado por palavras. O trabalho foi dividido em subpartes com a intenção de facilitar a compreensão dos elementos específicos contemplados por Polanyi para a compreensão do que é conhecer. Compreende-se que o conhecimento sempre envolve consciência que, por sua vez, é dividida em atenção focal e subsidiária, sendo o resultado da integração tácita de elementos subsidiários na relação com o elemento focal (meaning). Considera-se que, apesar de utilizada em diversos campos do conhecimento, a obra desse autor é pouco conhecida no Brasil e ressalta-se a importância de estudos que busquem explicitar sua abordagem, inclusive na relação com outros autores


The purpose of this paper is to present the concept of knowledge as proposed by the epistemologist Michael Polanyi, explaining concepts such as tacit knowledge, meaning and dwelling. According to the author, every process of knowledge always involves a tacit dimension, which goes beyond what can be explained by words. The work was divided into sub parts with the aim of facilitating the comprehension of the specific elements contemplated by Polanyi for the understanding of what is to know. It is understood that knowledge always involves consciousness, which in turn is divided into focal and subsidiary attention and is the result of the tacit integration of subsidiary elements in the relation to the focal element (meaning). It is considered that although it is used in several fields of knowledge, the work of this author is little known in Brazil and it is emphasized the importance of studies that seek to make explicit its approach, including in the relation with other authors


El propósito de este artículo es presentar el concepto de conocimiento como propuesto por el epistemólogo Michael Polanyi, explicitando conceptos como conocimiento tácito, meaning y habitar. De acuerdo con el autor, todo proceso de conocimiento siempre involucra una dimensión tácita, que va más allá de aquella en que el conocimiento puede ser explicitado por palabras. El trabajo se dividió en subpartes con la intención de facilitar la comprensión de los elementos contemplados por Polanyi para la comprensión de lo que es conocer. Se entiende que el conocimiento siempre implica conciencia que, a su vez, se divide en atención focal y subsidiaria, siendo el resultado de la integración tácita de elementos subsidiarios en la relación con el elemento focal (meaning). Se considera que a pesar de ser utilizado en diversos campos del conocimiento la obra de este autor es poco conocida en Brasil y se resalta la importancia de estudios que busquen explicitar su abordaje, incluso en la relación con otros autores


Assuntos
Humanos , Filosofia , Conhecimento
9.
Rev. Asoc. Méd. Argent ; 132(2): 20-31, jun. 2019.
Artigo em Espanhol | LILACS (Américas) | ID: biblio-1026354

RESUMO

El humanismo de los tiempos antiguos estaba asociado a la religión cristiana. Filosóficamente hay cuatro humanismos: 1) racionalista, 2) existencialista, 3) marxista, 4) cristiano. Concepto de la "vida buena" basado en la racionalidad, la autonomía, el afecto y la ética hacia los otros seres humanos. Humanismo y evolución. Humanismo, ciencia y medicina en relación al desarrollo de la ciencia y la tecnología. Humanismo de la medicina cotidiana.


The humanism was associated, at the early times, with the Christian religion. Philosophically there are four humanisms: 1) rationalistic, 2) existentialistic, 3) Marxist and 4) Christian. Concept of "good life" based in rationality, fellowship, and ethics to the other human beings. Humanism and evolution. Humanism, science and medicine in relation to the scientific and technological development. Humanism and daily medicine.


Assuntos
Filosofia , Medicina Clínica , Humanismo/história , Saúde/ética , Cristianismo , Virtudes
10.
Rev. Asoc. Méd. Argent ; 132(1): 24-27, Mar. 2019.
Artigo em Espanhol | LILACS (Américas) | ID: biblio-1009988

RESUMO

El trabajo trata de proporcionar información sobre psicología moral y filosofía moral, buscando lograr una teoría normativa estructurada sobre elementos de la realidad, teniendo en cuenta la existencia de una estructura profunda de la psicología moral. (AU)


The work tries to provide information on moral psychology and moral philosophy, seeking to achieve a normative theory structured on elements of reality, taking into account the existence of a deep structure of moral psychology. (AU)


Assuntos
Humanos , Filosofia , Psicologia , Princípios Morais , Psicologia da Criança , Teoria Ética , Psicologia do Desenvolvimento
11.
Psicol. soc. (Online) ; 31: e188475, 2019.
Artigo em Português | LILACS (Américas) | ID: biblio-1012880

RESUMO

Resumo No presente artigo, pretende-se apresentar as bases ontológicas que possibilitam a emergência de um modo específico de performatizar a Psicologia Social a partir daquilo que denominaremos de ontologias do comum.Ao versarmos sobre a ontologia, o fazemos considerando-a um modo de montar o mundo, sempre revestido de uma dimensão ética, estética e política.É a partir dessa indissociabilidade entre ontologia e ética que nos afastamos da tradição filosófica da representação e nos aproximamos principalmente da perspectiva de Baruch de Espinosa e Friedrich Nietzsche - notadamente junto ao modo como os filósofos franceses Gilles Deleuze e Michel Foucault singularizam as respectivas apropriações destes pensadores.Sob este trabalho de revisão bibliográfica é que, a partir de um mosaico conceitual, gostaríamos de entender alguns conceitos-ferramenta como fundamentais para pensarmos a teoria e a prática de uma Psicologia Social específica na qual apostamos.


Resumen En el presente artículo, se pretende presentar las bases ontológicas que posibilitan la emergencia de un modo específico de performatizar la Psicología Social a partir de lo que denominaremos de ontologías de lo común.Al versar sobre la ontología, lo hacemos considerando un modo de montar el mundo, siempre revestido de una dimensión ética, estética y política.Es a partir de esa indisociación entre ontología y ética que nos alejamos de la tradición filosófica de la representación y nos acercamos principalmente a la perspectiva de Baruch de Espinosa y Friedrich Nietzsche, sobre todo al modo en que los filósofos franceses Gilles Deleuze y Michel Foucault singularizan la apropiación de estos pensadores.En este trabajo de revisión bibliográfica es que, a partir de un mosaico conceptual, quisiéramos entender algunos conceptos-herramienta como fundamentales para pensar la teoría y la práctica de una Psicología Social específica en la que apostamos.


Abstract In this article, we intend to present the ontological foundations that enable the emergence of a specific mode of Social Psychology which we refer to as the common ontologies.When we talk about ontology, we consider it to be a way of assembling the world, always coated with an ethical, aesthetics and politics dimension.It is from this inseparability between ontology and ethics that we move away from the philosophical tradition of representation and we come mainly from the perspective of Baruch Spinoza and Friedrich Nietzsche - notably along the way as the French philosophers Gilles Deleuze and Michel Foucault singularize the work of these thinkers.Under this work of literature review, from a conceptual mosaic, we would like to understand some concepts-tool as essential to think about the theory and practice of a specific Social Psychology in which we bet.


Assuntos
Filosofia , Psicologia Social , Ética
12.
Artigo em Português | LILACS (Américas), INDEXPSI | ID: biblio-986298

RESUMO

O tema da epistemologia da Psicologia tem sido relegado a segundo plano ou mesmo esquecido no contexto da formação acadêmica e das pesquisas na área, sendo historicamente confundido com História dos Sistemas Psicológicos e não assumindo seu papel de reflexão sobre os fundamentos das ciências. Neste sentido, o presente trabalho se propõe a tecer alguns apontamentos sobre o processo de construção da Psicologia como disciplina, buscando refletir sobre o "lugar" e a "condição" da Psicologia como disciplina independente; e sobre seu estatuto como profissão e como ciência, no contexto contemporâneo brasileiro, apontando alguns impasses epistêmicos em suas reflexões e repercussões na pragmática do campo profissional. Para tal, apresentaremos uma breve contextualização acerca do que é epistemologia, passando pelo seu esquecimento no contexto da Psicologia brasileira para, posteriormente, apontar algumas fragilidades e desafios a serem enfrentados; e concluindo pela necessidade de se retomar a discussão do tema, como forma de dar solidez à disciplina.


The theme of the Epistemology of Psychology has been relegated to the background or even forgotten in the context of academic formation and research in the area, being historically confused with the History of Psychological Systems and not assuming its role of reflection on the foundations of the sciences. In this sense, the present work proposes to write some notes on the process of construction of Psychology as a discipline, seeking to reflect on the "place" and the "condition" of Psychology as an independent discipline; and on his status as a profession and as a science in the Brazilian contemporary context, pointing out some epistemic impasses in his reflections and repercussions on the pragmatics of the professional field. For this, we will present a brief contextualization about what epistemology is, going through its forgetfulness in the context of Brazilian Psychology, and later, to point out some weaknesses and challenges to be faced; and concluding on the need to resume the discussion of the subject, as a way of giving solidity to the discipline.


Assuntos
Psicologia , Conhecimento , Filosofia , Ciências Humanas
13.
Artigo em Espanhol | LILACS (Américas), COLNAL | ID: biblio-1017387

RESUMO

El poder produce sujetos, sería una manera de enunciar una de las tesis foucaultianas que abren un horizonte crítico más allá del esquema de la soberanía, el cual Judith Butler describe de forma precisa cuando afirma "estamos acostumbrados a concebir el poder como algo que ejerce presión sobre el sujeto desde fuera, algo que subordina, coloca por debajo y relega a un orden inferior" (2010, p. 12). La representación del poder como fuerza externa que se impone, como represión por parte de un grupo, un individuo o el Estado, se desplaza, en la analítica foucaultiana, hacia una teoría de la sujeción, en el doble sentido de este término, como sometimiento y como subjetivación (Álvarez, 2015; Butler, 2010). Así, el problema central para Foucault no sería el origen, naturaleza o legitimación del poder sino su ejercicio sobre otros, la pregunta precisa que se plantea Foucault al respecto es, justamente, "¿qué ocurre cuando los individuos ejercen, como se dice, su poder sobre otros?" (Álvarez, 2015, p. 329). Para Foucault la respuesta a esta cuestión no es evidente ni inmediata, pues la aparición en el siglo XVI del Estado en Occidente (Álvarez, 2015) se configuró como causa de la extendida concepción del poder investido para someter. Ahora bien, lejos está el filósofo francés de desconocer la importancia de estos análisis, no obstante, su reflexión apunta hacia la constitución del sujeto como quien ejerce y sobre el que se ejerce el poder y, por tanto, de las estrategias que se usan para ello.


Power produces subjects, it would be a way to state one of the Foucaultian theses that open a critical horizon beyond the scheme of sovereignty, which Judith Butler describes precisely when she affirms "we are accustomed to conceive of power as something that puts pressure on the subject from outside, something that subordinates, places below and relegates to a lower order "(2010, p. 12). The representation of power as an external force that is imposed, as repression by a group, an individual or the State, moves, in Foucaultian analytics, towards a theory of subjection, in the double sense of this term, as submission and as subjectivation (Álvarez, 2015; Butler, 2010). Thus, the central problem for Foucault would not be the origin, nature or legitimation of power but its exercise over others, the precise question that Foucault asks about it is, precisely, "what happens when individuals exercise, as they say, their power over others? "(Álvarez, 2015, p. 329). For Foucault, the answer to this question is neither evident nor immediate, since the appearance in the 16th century of the State in the West (Álvarez, 2015) was configured as the cause of the extended conception of the power vested to submit. Now, the French philosopher is far from ignoring the importance of these analyzes, however, his reflection points to the constitution of the subject as who exercises and over which power is exercised and, therefore, of the strategies used to it.


Assuntos
Humanos , Poder Psicológico , Filosofia , Autoritarismo , Controles Informais da Sociedade
14.
Artigo em Coreano | WPRIM (Pacífico Ocidental) | ID: wprim-766567

RESUMO

In early 2018, the National Action Plan for Preventing Suicide was announced by the Ministry of Health and Welfare and related ministries. The Action Plan presents a realistic goal of reducing suicide mortality to two-thirds of the present level, which would make it 1.4 times higher than the Organization for Economic Cooperation and Development average (in contrast to current circumstances, in which it is 2.4 times higher than the Organization for Economic Cooperation and Development average). Several public and private organizations are engaged in various suicide prevention activities. However, it is crucial for a seamless network to be formed, including government organizations, medical institutions, private organizations, and religious organizations. In medical settings, it is imperative that clinicians assess patients' risk of depression or suicide and arrange for a referral service. We need to connect modern social trends with classical mental health treatment modalities by using technologies such as smartphones and the internet. Strategies for research and development and for actual implementation must be established. Suicide prevention requires the active cooperation of not only mental health professionals, but also all physicians and health professionals. Experts in philosophy, sociology, economics, religion, and anthropology must also collaborate to find ways of affirming the importance of human life.


Assuntos
Antropologia , Depressão , Ocupações em Saúde , Humanos , Internet , Solidão , Saúde Mental , Mortalidade , Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico , Filosofia , Encaminhamento e Consulta , Smartphone , Sociologia , Suicídio
15.
São Paulo; s.n; 2019. 128 p.
Tese em Português | LILACS (Américas) | ID: biblio-981770

RESUMO

A presente tese se propõe a traçar uma genealogia da Vigilância Ambiental no Brasil. Partindo de um conjunto de chaves interpretativas da obra do filósofo Michel Foucault, congregamos um amplo leque de fontes documentais para compreender os primeiros sinais de uma incipiente medicina preventiva e sua agenda eminentemente ambiental, ainda em um Brasil pré-imperial, e observamos suas transformações em paridade com o desenvolvimento de nossa sociedade - buscando aí encontrar o mote biopolítico, dado que a construção da nação exigia medidas sanitárias que garantissem a saúde da população, ainda que não necessariamente por questões humanitárias. Acompanhamos a transição da agenda ambiental na saúde pública, que leva em conta os impactos do meio ambiente na existência humana para o movimento reverso, quando nos damos conta de que a humanidade está provocando danos possivelmente irreversíveis ao planeta - e como essa nova fase tem afetado nossa saúde. De maneira crítica e reflexiva, discutimos a formação e a dimensão biopolítica da Vigilância Ambiental na atualidade, dispondo de maiores e melhores recursos tecnológicos, mas atuando em uma governamentalidade neoliberal de redução de direitos - que afetam, inclusive, o direito à saúde


This thesis aims to trace the genealogy of Enviromental Surveillance in Brazil. From the standpoint a set of interpretative concepts of the philosopher Michel Foucault, we convey a vast array of documental sources to comprehend the first signs of an incipient preventive care and its respectable environmental agenda, still in a pre-imperial Brazil, and we observe its transformations parallel to the development of our society - aiming to find the biopolitical mote, given that the creation of the nation required sanitation methods that could guarantee the health of the population, even though not by strictly humanitarian reasons. We follow the transtition of the environmental agenda in our public health, which takes into consideration the impact of the environment in the human existence to the reverse movement, when we come to the realization that humanity has been causing possibly irreversible damage to the environment - and due to this also affecting our health. In a critic and self-reflecting way, we discuss the formation and the dimension of biopolitics of the Enviromental Surveillance in current day society, having access to a vast array of newer and better technological resources, but acting in a neoliberal governmentality of deprivation of rights, that also affect the right to health


Assuntos
Filosofia , Gestão Ambiental , Meio Ambiente , Política Ambiental/história , Genealogia e Heráldica , Política de Saúde/história , Brasil , Saúde Ambiental , Saúde Pública , Vigilância Sanitária Ambiental
16.
Artigo em Português | LILACS (Américas), INDEXPSI | ID: biblio-998508

RESUMO

O objetivo do presente artigo é discutir as particularidades epistemológicas nos interesses de Edmund Husserl, Alfred Schütz e Jürgen Habermas pelo Mundo da Vida (Lebenswelt), enquanto instância de significação da vida. Para tanto, além das obras de autores supracitados, também apresentamos e discutimos produções da filosofia, da sociologia e da psicologia que problematizam epistemologicamente o Mundo da Vida. A presente discussão tem sua relevância na medida em que apresenta as delimitações teóricas do construto do Mundo da Vida, mediante a tessitura de críticas dos referidos autores. De forma geral, este artigo se estrutura e propõe as seguintes reflexões: introduzimos a concepção de Mundo da Vida enquanto instância de significação e a importância de delimitar suas diferentes perspectivas; apresentamos a inauguração das reflexões do Mundo da Vida no pensamento de Edmund Husserl; os desdobramentos do Mundo da Vida cotidiano dentro das análises da Sociologia Compreensiva de Alfred Schütz; e, por fim, a apropriação de Jürgen Habermas para a construção de sua Teoria Crítica da Sociedade.


The purpose of this article is to discuss the epistemological particularities of Edmund Husserl, Alfred Schütz and Jürgen Habermas for the World of Life (Lebenswelt), as an instance of the signification of life. Thereunto, besides the work of the authors mentioned above, we also present and discuss productions of Philosophy, Sociology and Psychology that epistemologically problematize the World of Life. The present discussion has its relevance insofar in the means that it presents the theoretical delimitations of the construct of the World of Life, through the criticism of these authors. In general, this article is structured and proposes the following reflections: we introduce the concept of the World of Life as an instance of signification and the importance of delimitating their different perspectives; we present the inauguration of the reflections of the World of Life in the thought of Edmund Husserl; the unfoldings of the everyday World of Life within the analyzes of Alfred Schütz's Comprehensive Sociology; and, finally, the appropriation of Jürgen Habermas for the construction of his Critical Theory of Society.


Assuntos
Filosofia , Psicologia , Sociologia , Existencialismo , Teoria Crítica , Ciências Humanas
17.
Artigo em Português | LILACS (Américas), INDEXPSI | ID: biblio-986299

RESUMO

A experiência do pensar passa necessariamente por um determinado jogo de palavras. É neste jogo que se põe em jogo e em causa o pensamento de Johann Gottfried Herder. Cada vez que se põe em jogo o jogo de palavras de Herder, põe-se em jogo o seu pensamento como uma experiência originária do pensar. A linguagem não é senão o próprio homem. Ela revela o modo de ser próprio do homem e do próprio homem. A linguagem é o que é desde que e como o homem se compreende em seu mundo, a partir e como ele experimenta o limite de sua esfera como dinâmica de sua própria constituição. A linguagem é o modo de ser do próprio homem como homem. No Ensaio sobre a origem da linguagem, Herder busca compreender e fundamentar filosoficamente o modo da essencialização da linguagem, isto é, próprio do homem e do próprio homem. O principal opositor com o qual Herder se confronta é Johann Peter Süssmilch. Lançamo-nos aqui à tarefa de acompanhar e compreender o pensamento deste pensador


The experience of thinking necessarily passes through a certain set of words. It is in this game that the game of Johann Gottfried Herder is brought into play. Each time Herder's play on words is put into play, his thinking is put into play as an original experience of thinking. Language is nothing but man himself. It reveals man's and man's own way of being. Language is what it is since and how man understands himself in his world, from and as he experiences the limit of his sphere as the dynamic of his own constitution. Language is man's way of being as a man. In the essay on the origin of language, Herder seeks to understand and philosophically substantiate the mode of the essentialization of language, that is, proper to man and to man himself. The main opponent with whom Herder confronts is Johann Peter Süssmilch. We are here to follow and understand the thinking of this thinker.


Assuntos
Filosofia , Fala , Idioma
18.
Barbarói ; (54,n.esp): 23-33, 2019.
Artigo em Português | LILACS (Américas), BVSF | ID: biblio-1046599

RESUMO

Nesse pequeno ensaio apresento, em primeiro lugar, um conjunto de considerações sobre o significado da extinção dos departamentos de ciências humanas nas universidades como (1) perda afetiva e (2) como perda simbólica do lugar das humanidades para a ideia mesma de universidade, particularmente em universidades comprometidas com formação humanista e integral. Apresento, em segundo lugar, os riscos envolvidos numa formação meramente técnica, um possível papel alternativo das humanidades com espaço de contradição e conflito frente à crise dos modelos de formação inclusiva, focada na cidadania, e, depois, critico essa imagem reducionista das humanidades que tem encontrado alguns defensores. As ciências humanas são, junto com as artes, espaços de ampliação de nossos poderes críticos, construtivos e imaginativos, com impacto tanto político, na vida democrática, quanto pessoal, na vida moral e na sabedoria. Ao abrir mão desses poderes, o resultado é um empobrecimento da experiência, das condições de autocompreensão de nossos próprios procedimentos. Nessa direção, minha sugestão de resposta ao alijamento das humanidades na formação superior é recolocar a pergunta pelo sentido mesmo da educação, do tipo de direcionamento que cabe dar à experiência humana em geral.(AU)


In this short essay first present a set of considerations about the significance of the extinction of humanities departments at universities as (1) affective loss and (2) as symbolic loss of the humanities' place for the very idea of university, particularly in universities committed to humanistic and integral formation. Secondly, I present the risks involved in a purely technical formation, a possible alternative role of the humanities with a space of contradiction and conflict in the face of the crisis of inclusive education models, focused on citizenship, and then I criticize this reductionist image of the humanities that has found some defenders. The human sciences are, together with the arts, spaces for expanding our critical, constructive and imaginative powers, with both political and democratic impact on personal and moral life and wisdom. By relinquishing these powers, the result is an impoverishment of experience, the conditions of self-understanding of our own procedures. In this sense, my suggestion of an answer to the alienation of the humanities in higher education is to put the question back to the very meaning of education, the kind of direction that should be given to human experience in general.(AU)


Assuntos
Humanos , Filosofia , Ciências Humanas
19.
Barbarói ; (54,n.esp): 34-46, 2019.
Artigo em Português | LILACS (Américas), BVSF | ID: biblio-1046615

RESUMO

Este artigo pretende inventariar algumas leituras realizadas por Arthur Schopenhauer, na Alemanha do século XIX, e legitimar as ressonâncias de manuscritos da Índia e da China em sua filosofia. Em 1811, Schopenhauer era estudante na Universidade de Göttingen e nesse período o contato íntimo com informações sobre a Ásia o transformaram num entusiasta pelo misticismo chinês e hindu. Em 1813, tomou conhecimento das sabedorias hindu e chinesa, através de revistas especializadas (Asiastisches Magazin/Asiatic Researches), que estavam disponíveis na biblioteca que frequentava regularmente, uma instituição privada pertencente à Duquesa Anna Amália (Herzogin Anna Amalia Bibliotek), em Weimar. Após anos de estudo, é possível perscrutar, na primeira edição de O Mundo como vontade e representação (1918- 1919), os resultados desse empreendimento acadêmico. Para este artigo, buscou-se estabelecer as ressonâncias em obras tardias do filosófico, a saber, o ensaio "Algumas observações sobre a literatura sânscrita", do volume II de Parerga e Paralipomena (1851), e o capítulo de Sobre a vontade da natureza intitulado "Sinologia", extraído da segunda edição de 1854.(AU)


This paper aims to inventory some reading by Arthur Schopenhauer in the 19th Century in Germany, and to legitimize the resonance of manuscripts from India and China on his Philosophy. In 1811, Schopenhauer was a student at the University of Göttingen and during that period he had a close contact with information about Asia which made him an enthusiast for Chinese and Hindu Misticism. In 1813, he learned of Hindu and Chinese Wisdom through specialized journals (Asiastisches Magazin/Asiatic Researches), which were available at the library that he regularly attended, a private institution belonging to Duchess Anna Amalia (Hergozin Anna Amalia Bibliotek) in Weimar. After years of study, it is possible to scrutinize into the first edition of The World as Will and Representation (1818-1819), the results of that academic venture. For this paper, we sought to establish the resonance in his late works, namely the essay "Some Observations on Sanskrit Literature", v. II of Parerga and Paralipomena (1851 and the chapter on On the Will of Nature entitled "Sinology", extracted from the second edition of 1854.(AU)


Assuntos
Humanos , Filosofia
20.
Textos contextos (Porto Alegre) ; 18(2): e30103, 2019.
Artigo em Português | LILACS (Américas) | ID: biblio-1087443

RESUMO

O texto aborda a política em Lukács como processo de democratização de caráter radicalmente socialista e como postura filosófica marxista, onde a dialética é o método para exercer a crítica da realidade sobre a qual o homem desenvolve, através do trabalho, alternativas de emancipação, ao mesmo tempo em que estabelece os meios para atingir suas finalidades. A política é uma dimensão da práxis de domínio do homem sobre a natureza, nos limites que encontra no cotidiano e de acordo com as condições sócio-históricas e o grau de desenvolvimento econômico, onde a influência de Lênin é importante. Foi utilizada uma análise histórica de base bibliográfica e intercâmbios com intelectuais da mesma tradição, relacionando as fases do pensamento político e filosófico com as experiências políticas do pensador na Hungria e na Rússia.


The text deals with politics in Lukács as a process of democratization of a radically socialist character and as a Marxist philosophical position, where dialectics is the method to exercise the critique of reality over which man develops, through labor, alternatives of emancipation, at the same time in which it establishes the means to achieve its purposes. Politics is a dimension of the praxis of man's dominion over nature, within the limits he finds in everyday life and in accordance with socio-historical conditions and the degree of economic development where Lenin's influence is important. A historical analysis of bibliographical basis and exchanges with intellectuals of the same tradition was used, relating the phases of political and philosophical thinking with the political experiences of the thinker in Hungary and Russia


Assuntos
Filosofia , Sociologia , Política , Democracia
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA