Your browser doesn't support javascript.
Show: 20 | 50 | 100
Results 1 - 2 de 2
Filter
Add filters

Document Type
Year range
1.
Geriatrics, Gerontology and Aging ; 15(24), 2021.
Article in English | GIM | ID: covidwho-1761778

ABSTRACT

Long-term care facilities for older adults present a high risk of outbreaks since they concentrate often more frail and vulnerable individuals. OBJECTIVE: To describe the epidemiological characteristics of influenza-like illness outbreaks and cases among older people in long-term care facilities in the state of S..o Paulo, Brazil. METODS: The analysis was performed through an exploratory and descriptive approach, with records from the outbreak module of the National System of Notifiable Diseases between January 2020 and June 2021. RESULTS: Outbreaks of influenza-like illness in this department represented 24.93% of all notifications. The highest concentration was seen in the state capital and metropolitan area. A total of 1 018 confirmed outbreaks were observed, involving 6 110 cases and 1 240 deaths among older people. Of these cases, 71.67% were confirmed for coronavirus disease 19 (COVID-19), 12.77% for the influenza virus, and 15.56% for other respiratory viruses. The percentages regarding death outcomes were similar, with a 20.29% lethality of influenza-like illness. Within the studied group, the older adults were the most affected. A statistical difference was observed between cases and deaths. CONCLUSIONS: Owing to the current scenario and the known vulnerabilities of these facilities, there is an urgent need for joint and articulated action by various administrative levels in order to minimize the devastating effects of influenza-like illness outbreaks (especially of COVID- 19) in older adults at long-term care homes. The strengthening of information systems and their interoperability are considered of utmost importance in order to improve the quality of information on outbreaks, which is essential during a pandemic.

2.
Brazilian Journal of Infectious Diseases ; 26, 2022.
Article in Spanish | EMBASE | ID: covidwho-1748191

ABSTRACT

A OMS estabelece como métricas para avaliação da transmissão comunitária da COVID-19 a ocorrência de casos novos, mortes, internações e positividade da testagem sentinela. A testagem sentinela por razões econômicas e logísticas não ocorreu no Brasil e sempre atuamos sob indicadores já ocorridos. Considerando a relevância da transmissão assintomática, sobretudo com a expansão da vacina, e a necessidade de aprimorar a vigilância sobre a circulação viral implementamos um projeto sentinela na cidade de Cubatão na região da Baixada Santista em São Paulo. Realizamos semanalmente, aos sábados, dois testes para cada 1000 habitantes em todas as regiões do município, incluindo as mais socialmente desafiadoras, respeitando as bases e divisões dos setores censitários do IBGE. Aplicamos o TCLE e coletamos um questionário em meio digital com dados demográficos, clínicos e epidemiológicos. Entre 31/07 e 25/09/21 foram realizados 2185 testes (Panbio-AbbottR). Foram identificados 6 casos positivos no período (0,3%). A mediana de idade dos testadas foi de 49 anos, sendo 51,8% do sexo feminino. Em média, ao longo do período de testagem, 51,1% da amostra avaliada havia tomado 2 doses de vacinas dentro do prazo e foi possível avaliar a evolução da cobertura vacinal no período. Na última data de inquérito no período (25/09/2021), 75,59% da amostra estava plenamente vacinada e quase a totalidade com uma dose ao menos. Os resultados de baixa positividade alinham-se com a redução na demanda por consultas em PA por COVID (menos 70%), por internações (menos 97%) e por vagas em UTI (menos 98%) comparando-se os meses entre março (pico) e agosto de 2021. Alinham-se ainda à redução de positividade do RT-PCR entre sintomáticos de 88% para o mesmo período (de 43,6 para 4,9%). Entre 30/08 e 08/09/21 100% das variantes isoladas no município são delta e nenhum dos pacientes teve evolução desfavorável com necessidade de internação. O uso da testagem sentinela mostrou-se uma ferramenta útil no processo da gestão dos leitos e decisões estratégicas da secretaria de saúde, teve excelente aceitação e performance sem nenhuma perda, foi sensível e esteve em linha com os dados compilados pela gestão. Seu uso deve ser realizado como ferramenta útil no monitoramento precoce e antes que desfechos clínicos mais severos estejam concretizados. Por fim, está evidente a performance da vacina como ferramenta essencial na proteção contra formas graves da COVID e na contenção da expansão da variante delta.

SELECTION OF CITATIONS
SEARCH DETAIL